Leão cochila e cede empate

POR GERSON NOGUEIRA

Alguns campeonatos são definidos (e sabotados) por erros individuais bobos. O Remo deixou de vencer o jogo de ontem, contra o Tombense, por conta de ação defensiva mal executada pelo meia Zotti. Ele recebeu passe de Vinícius e tentou cavar um tiro de meta, mas perdeu a bola, se assustou e cometeu falta. Na cobrança, o goleiro remista evitou o gol, mas na sequência Everton disparou chute indefensável empatando a 6 minutos do fim, quando o Remo era melhor e tinha controle da partida.

O empate terminou sendo um resultado injusto para a produção apresentada pelo time paraense, que teve atuação discreta no primeiro tempo, mas melhorou muito na etapa final, com mudanças feitas pelo técnico Márcio Fernandes.

De início, os donos da casa tentaram impor pressão, com boas investidas de Everton e Vander, melhores jogadores da equipe. O Remo ia pouco à frente, mas levava perigo quando arriscava chutes de fora da área. Aos 18 minutos, Emerson Carioca acertou um foguete no ângulo esquerdo, mas o goleiro Felipe espalmou para escanteio.

Aos 33’, Vander foi à linha de fundo e cruzou recuado para Everton girar e bater rasteiro, sem chances para Vinícius. A vitória parcial do Tombense tirou o Remo da zona de conforto. Douglas Packer e Carlos Alberto, muito escondidos do jogo, começaram a aparecer mais.

A insistência deu certo. Em jogada confusa junto à área do Tombense, Emerson foi derrubado e Daniel Vançan cobrou falta com perfeição, empatando o jogo. A bola ainda resvalou na barreira e tocou no travessão antes de cair dentro do gol.

No 2º tempo, o Remo passou a tocar a bola de forma mais objetiva e chegou a envolver a marcação do Tombense em vários momentos. Guilherme Garré substituiu Douglas Packer no setor de criação e o time ganhou em velocidade e ataques pelos lados, com Carlos Alberto e Gustavo Ramos bem abertos.

O Tombense pouco ameaçava, pois não tinha força para entrar na área. O Remo recuperava a bola e saía rápido. Aos 26’, Márcio Fernandes trocou Gustavo por Zotti reforçando o controle de bola. Em passe perfeito, invertendo bola, aos 33’, Zotti lançou Carlos Alberto pela esquerda do ataque. O meia-atacante driblou dois zagueiros e chutou forte, rasteiro, no canto esquerdo de Felipe, desempatando o marcador.

Desnorteado, o Tombense concentrava suas esperanças no veterano volante Ibson, que não levava vantagem sobre Yuri e Ramires. Com absoluto controle da situação, o Remo recuava e esperava o adversário para retomar a bola.

Aí veio o lance infeliz de Zotti, aos 43’, propiciando ao Tombense a única chance possível de ameaçar o gol azulino. A bola, que estava em poder do meia, foi perdida, veio a falta sobre o atacante e a cobrança em forma de mini escanteio. Vinícius saltou e evitou o gol, mas Everton pegou o rebote e fuzilou, igualando definitivamente o placar.

Foi uma boa atuação do Remo na segunda etapa, com superioridade técnica e tática sobre o time da casa, exibindo interessante variação pelos lados com a utilização de Garré, Carlos Alberto e até Ramires vindo de trás.

O empate não permite a retomada da liderança, mas o Leão chegou aos 12 pontos, posicionando-se no topo da tabela juntamente com o Juventude e preservando a invencibilidade. A equipe demonstrou afinação e fôlego para seguir em frente. Só não pode cometer falhas tão infantis em fim de jogo.

—————————————————————————————–

Broncas feias no clube espanhol do Fenômeno

Não é, definitivamente, um bom momento para os grandes astros do futebol brasileiro. Enquanto Neymar segue às turras com a Lei, agora enroscado em acusação de estupro e exposição criminosa de imagens na internet, outro grande ídolo do futebol brasileiro pode começar a ter problemas sérios, na condição de presidente de clube na Espanha.

Sete jogadores do Valladolid, clube presidido pelo ex-craque Ronaldo Nazário, estão encalacrados com a Justiça espanhola. São acusados de receber suborno para perder partida para o Valencia na última rodada de La Liga.

O resultado final (2 a 0) garantiu ao Valencia conquistar vaga na próxima Champions League. Carlos Aranda, apontado como operador do esquema de manipulação, teria confessado aos juízes que mais da metade (sete jogadores) da equipe do Valladolid estava no bolso.

A polícia já reúne provas de uma reunião que teria ocorrido na casa de um dos atletas do clube de Ronaldo, coordenada por Borja Fernández. O valor recebido individualmente pelos jogadores seria de 50 mil euros (cerca de R$ 218 mil) para participar da mutreta.

Por enquanto, não há qualquer acusação ou suspeita em relação aos dirigentes do Valladolid, mas a imagem do clube fica definitivamente arranhada no cenário esportivo europeu.

——————————————————————————————-

Tubarão nada de braçada na Arena das Dunas

Com a volta ao time de Arian Taperaçu, Roni Taperaçu, Luquinha, Rafinha e João Leonardo, o Bragantino reencontrou o melhor futebol e renasceu ontem na Série D. Meteu 3 a 0 no Santa Cruz-RN, na Arena das Dunas, em Natal, e assumiu a segunda colocação em sua chave, passando a depender só de suas próprias forças para obter a classificação. Rafinha (2) e Romário marcaram os gols da categórica vitória do Tubarão.

Domingo, no estádio Jornalista Edgar Proença, o Braga joga por uma vitória simples sobre o líder River (PI) para inverter as posições na tabela.

(Coluna publicada no Bola desta terça-feira, 04)

Assembleia abre comemorações pelo 30º aniversário da Constituição estadual

Em celebração aos 30 anos da Constituição Estadual, promulgada no dia 5 de outubro de 1989, a Assembleia Legislativa do Estado do Pará, promoveu um momento histórico na quinta-feira, 23 de maio, com o lançamento da programação comemorativa alusiva à data que faz referência ao 30º aniversário da Carta Magna.

Autor da proposição que deu origem às comemorações, o deputado Raimundo Santos fez a abertura oficial da solenidade e destacou em seu discurso a emoção de estar comemorando os 30 anos da Constituição do Pará. O parlamentar é um dos deputados constituintes com mandato na atual legislatura.

“ Imaginem a emoção, depois de 30 anos voltarmos aqui e saber que o nosso dever foi cumprido. Ficávamos até a madrugada discutindo junto com os deputados e assessores, cada um pensando em como desenvolver o Estado do Pará. Aqui é a casa da democracia, da pluralidade, e temos que debater assuntos diversos. Mas hoje o debate é para festejar a consolidação da democracia”, evidenciou Raimundo Santos.

Raimundo Santos teve participação significativa no processo de elaboração da Constituição Estadual. Só ele apresentou mais de 200 emendas ao texto constitucional, e dentre esse quantitativo, 120 foram acatadas pelo jurista Zeno Veloso e incluídas em diversos capítulos da Constituição Paraense.

E foi de Zeno Veloso a participação especial no evento. Relator Geral da Assembleia Estadual Constituinte, ele ministrou a palestra intitulada  “ A Constituição mais inovadora: seus bastidores , seu processo de elaboração e seus avanços” , tema em que discorreu com propriedade, detalhando a sua participação à época como um dos deputados constituintes.

PALESTRA

Zeno Veloso destacou alguns dos principais debates sobre a elaboração da redação da Constituição Estadual, que na ocasião, um dos maiores desafios era encontrar caminhos que não contrariassem o texto da  Constituição Federal e buscar meios para criar dispositivos próprios que atendessem aos anseios da sociedade paraense.

“Um dos problemas da Constituinte Estadual era descobrir novos caminhos para saber em que direção poderia avançar. Outros estados elaboraram suas próprias constituições e eram praticamente cópias da Constituição Federal, pois seguiam os princípios constitucionais permitidos e aplicáveis aos estados, já que os dispositivos tinham que obedecer o que estava estabelecido pela Constituição Federal. E uma das regras era obedecer as regras da autonomia municipal respeitando os limites da legislação municipal e nesse processo o estadual ficava no meio, no limite para atuar “,esclareceu  Zeno Veloso.

Com o trabalho criterioso de buscar alternativas na elaboração da Carta Magna, a Constituição do Pará foi considerada uma das mais modernas do Brasil, com grandes avanços em dispositivos que servem de referência para o seguimento jurídico.

Entre as inovações destacadas por Zeno durante a palestra está a redação do parágrafo que trata sobre a transferência temporária da Capital, por parte do Governo do Estado, para outra região, representando para a época uma grande novidade.

Na questão ambiental, a Constituição dedica atenção ao arquipélago do Marajó como região para receber proteção ambiental. “No Artigo13, parágrafo 2, o arquipélago do Marajó foi considerado área de proteção ambiental e essa determinação deveria seguir a vocação econômica da região”, observou.

“Venho destacar alguns aspectos importantes que avançamos e até hoje servem de exemplos para outras Cartas Magnas. Acho que a Constituição do Pará avançou no que foi possível. Foi um exemplo de democracia e de muito trabalho em que todos os parlamentares e assessores trabalharam dentro de um ambiente democrático e com respeito”, concluiu o jurista.

O evento ocorreu no plenário Newton Miranda e contou com a presença de vários constituintes, como o ex-presidente do Poder Legislativo Estadual, na década de 90, Ronaldo Passarinho. Com seus 80 anos de idade, 20 deles foram dedicados à política do Parlamento Paraense.

Em seu discurso, Ronaldo evidenciou o período difícil que viveu como presidente da Alepa, mas de grande aprendizado tendo como diretriz a democracia.

“Foi uma das melhores experiências da minha vida, porque primeiro participei da constituinte estadual, era um debate democrático, porque entendo que a democracia é a convivência entre os contrários. Depois fui presidente da Assembleia Legislativa e mesmo passando por períodos difíceis com a cassação de parlamentares e prisão do deputado Babá, consegui  com diálogo contornar a situação. Foi aqui que mais aprendi e esse momento vem reafirmar a experiência que todos os constituintes viveram, dando sua contribuição para o Estado do Pará”, reiterou.

Presente ao evento, o Conselheiro do Tribunal de Contas do Município – TCM, Daniel Lavareda, enalteceu a importância dos membros da constituinte para a consolidação da Constituição Estadual.

GALERIA

Após a palestra, houve a inauguração oficial da “Galeria dos Constituintes” e a Exposição intitulada de “Constituição do Pará 30 Anos”, com a galeria de fotos e nomes dos constituintes; arquivos fotográficos e vasto acervo  documental do período da constituição de 1989 , como por exemplo  regimento, proposições de emendas e publicações e outras informações detalhadas sobre as etapas da Constituinte.

O espaço está instalado no hall do auditório João Batista, localizado no segundo andar do Palácio da Cabanagem. A visitação está aberta ao público gratuitamente, de segunda à sexta, no horário de 8h às 14h. (Texto: Mara Barcellos – Ascom Alepa)

Laudo médico aponta hematomas e pode complicar situação de Neymar

unnamed

Um laudo médico de exames realizados no dia 21 de maio pela mulher que acusa Neymar de estupro aponta hematomas, problemas gástricos, perda de peso e sintomas de stress pós-traumático. Os exames foram feitos seis dias depois do suposto encontro do jogador com a mulher.

O UOL Esporte teve acesso ao documento, que contém detalhes do tratamento e imagens que mostram hematomas grandes e escuros na região das nádegas e das pernas. A reportagem checou a veracidade do documento com especialistas legais no assunto.

O laudo ainda relata quadro de “dor, perda de peso, ansiedade e problemas gástricos pós-episódio de estresse emocional e hematomas provenientes de agressões na região das nádegas e pernas”. Imagens anexadas, que não serão reproduzidas pela reportagem para preservar a mulher, mostram grandes áreas roxas. Ela se queixou de tremor nos locais das agressões.

Dentre as hipóteses de diagnóstico, estão transtorno misto ansioso e depressivo, síndrome dispética – um conjunto de sintomas gástricos e traumatismos superficiais múltiplos. O laudo foi feito por um médico particular de um renomado hospital de São Paulo.

Na noite de sábado para domingo, Neymar foi às redes sociais para se defender e falou que foi vítima de uma armadilha, repetindo a versão dada por seu pai ontem à noite. No vídeo exibido por Neymar, além de mensagens trocadas pelo aplicativo Whatsapp, foram expostas diversas fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro.

O atacante da seleção brasileira também divulgou uma nota oficial.

Foi divulgado hoje, há algumas horas, uma notícia envolvendo o Atleta Neymar Jr., sob a acusação de estupro. A suposta vítima, inclusive, registrou Boletim de Ocorrência, amplamente divulgado na imprensa. Apesar de ter ficado surpreso com a notícia, os fatos já eram de conhecimento do Atleta e do seu estafe, tendo em vista que há poucos dias foi vítima de tentativa de extorsão, praticada por um advogado da cidade de São Paulo, que, segundo a sua versão, representava os interesses da suposta vítima. Os advogados do atleta foram imediatamente comunicados e desde então estão adotando todas as providências pertinentes. Diante do infeliz, ilegal e ultrajante acontecimento, repudiamos completamente as injustas acusações e, sobretudo, a exposição na imprensa de uma situação extremamente negativa.

Todas as provas da tentativa de extorsão e da inexistência de estupro serão apresentadas à Autoridade Policial oportunamente.

Assessoria de Imprensa – NR Sports.

ACUSAÇÕES E IMAGENS

A mulher que acusa Neymar de tê-la estuprado em Paris possui imagens e documentos que não constam do boletim de ocorrência registrado na última sexta-feira. O UOL Esporte apurou que parte das provas já foi entregue à Polícia Civil de São Paulo. As investigações correm protegidas por segredo Justiça. Segundo quatro fontes diferentes que tiveram acesso às imagens, elas mostrariam o jogador agindo de forma “agressiva” ou “alterada” antes do momento do suposto crime. A autora da acusação afirmou à polícia que Neymar a encontrou visivelmente alterado no dia 15 de maio, em um hotel e Paris, e teria mantido relações sexuais sem seu consentimento.

Em entrevista à TV Bandeirantes depois da publicação desta reportagem, Neymar pai disse que seu filho estava sendo filmado quando foi ao hotel em que a garota estava hospedada. “O celular parecia estar de pé, como se estivesse carregando. Ele viu que estava filmando e aí pediu para ela ir embora. Ele emitiu a passagem de volta dela”, afirmou. “O Neymar até tenta filmar, tenta gravar, mas ele erra. Coloca no bolso e não consegue”, completou ao explicar que seu filhou tentou se defender.

O caso tomou conta do noticiário durante a preparação da seleção brasileira para a Copa América, na Granja Comary. A denúncia foi revelada pela reportagem neste sábado. A mulher, brasileira, afirma que viajou a Paris a convite de Neymar, onde teria passado dois dias e sido estuprada pelo jogador. Segundo ela, um assessor do atleta teria pago as despesas da viagem e cuidado da logística.

Os diálogos começam meses antes do encontro, e continuam após o dia do suposto estupro. No dia 16 de maio, um dia depois de quando o fato teria ocorrido, a mulher segue conversando com Neymar normalmente, inclusive tentando marcar um novo encontro. Ela chega a pedir que o atleta envie um presente a seu filho.

O trecho da suposta conversa exposta por Neymar termina sem que a mulher faça qualquer acusação. Desde a publicação da denúncia pelo UOL Esporte, a suposta vítima não se posicionou publicamente. O vídeo publicado pelo camisa 10 da seleção brasileira foi apagado hoje pela manhã.

Bolsonaro e filhos lamentam morte de funkeiro que espancou a amante grávida

mc-reaca-bolsonaro

Foi encontrado morto na noite do último sábado (1) o funkeiro Tales Volpi, de 25 anos, mais conhecido como MC Reaça. Ele fez canções em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Em sua conta no Twitter, Bolsonaro lamentou a morte do jovem citando seu “dom” e “grande talento” para compor os jingles que o fizeram famoso entre bolsonaristas.

Ainda segundo o presidente, “ele [Mc Reaça] queria mudar esse país e fez a sua parte com todo talento, sabedoria e humildade. Ele está nos braços do Pai”.

Carlos Bolsonaro, o filho ‘Zero Dois’, tuitou um “obrigado sempre pela força”, enquanto Eduardo, o Zero Três, escreveu que “fica a imagem de um homem alegre, trabalhador, gente fina e criativo. A sua força deu resultado!”.

O corpo do MC foi encontrado por um policial rodoviário em uma mata ao lado da rodovia Dom Pedro, onde Tales estacionou sua moto no acostamento. O funkeiro teria se enforcado. A Polícia Civil registrou o caso como “possível suicídio”.

O repórter Rubinho Queiroz, de Indaiatuba, revelou em vídeo que, horas antes de cometer suicídio, o MC teria espancado brutalmente uma mulher com quem mantinha um caso extraconjugal. Ela está internada num hospital da região com fraturas no rosto.

A amante teria revelado ao MC Reaça que estava grávida. O repórter de Indaiatuba teve acesso ao conteúdo dos áudios gravados pelo MC antes de morrer. Num deles, ele pede à própria esposa que ajude a amante, caso ela não tenha perdido o bebê durante o espancamento.

Autodescrito como “cristão, gaúcho e instrutor de boxe” em sua conta no Instagram, o MC naturalmente tinha predileção pelo funk ao compor paródias que exaltam o ideário do bolsolarismo e achincalham seus opositores.

A batida serviu de base às letras que tacham o ex-presidente Lula como “formador de quadrilha” e STF como “vergonha nacional”, assim como ao “Proibidão do Bolsonaro”, que diz que feministas merecem “ração na tigela” e mulheres de esquerda têm “mais pelo que cadela”. A música foi compartilhada por Flávio Bolsonaro.

MC Reaça era um orgulhoso discípulo de Olavo de Carvalho. No vídeo “Olha a Opressão”, uma feminista é “curada” depois de receber das mãos de Tales Volpi um exemplar de um livro de Olavo. “Vamos distribuir livro do Olavo pra galera”, diz outra paródia, esta do funk Baile de Favela.

Jair Bolsonaro e os filhos foram criticados por homenagearem MC Reaça nas redes sociais. “Um músico negro, pai de família, foi fuzilado pelo exército com 80 tiros e a família da vítima ouviu de Bolsonaro que os militares não mataram ninguém. MC Reaça espancou uma mulher grávida e levou o presidente às lágrimas no Twitter”, escreveu uma internauta.

“Presidente homenageando um cara que se matou depois de se espancar brutalmente a amante grávida após ela revelar estar grávida e deixar áudios para a esposa pedindo para ela cuidar da criança caso ela tenha sobrevivido às agressões. Brasil está nadando de braçada no lodo mesmo”, publicou outra.

“O cara preferiu a morte do que ter que encarar o fato de que a máscara moralista caiu. Isso é muito grave. As camadas de moralidade que muitos carregam se tornam a própria pessoa e sem elas, não pode mais viver”, observou mais um usuário. (Transcrito de Pragmatismo Político)

Laranjal de Bolsonaro é um negócio de família

captura-de-tela-2019-06-03-as-10-14-25-600x316

Ontem, o Globo mostrou como vivem – e como calam –  quatro dos nove parentes de Ana Cristina Siqueira Valle,  ex-mulher de Jair Bolsonaro,  mantidos no gabinete de Flávio Bolsonaro (alguns no dele, também) durante os anos em que foi deputado estadual.

Hoje é a vez do Estadão revelar que este amor que se vive com a família dos “ex” é semelhante em Fabrício Queiroz, o parceiro do Filho 01, que empregou  com Flávio, mulher Márcia e as filhas, uma delas com passagem também no gabinete do “Mito”, e que se estendeu ao gabinete do outro filho, o pitbull Carlos, na Câmara Municipal do Rio.

Márcio da Silva Gerbatim e Claudionor Gerbatim de Lima, ex-marido de Márcia e seu sobrinho, respectivamente, faziam, segundo diz o jornal, “uma espécie de rodízio entre os gabinetes dos dois irmãos”. Pelo de Flávio, esteve empregada tambem Evelyn Mayara de Aguiar Gerbatim, outra filha de Márcio Gerbatim.

Empregado como motorista pelo vereador entre abril de 2008 e abril de 2010, Márcio foi nomeado logo depois como assessor-adjunto no gabinete de Flávio na Alerj, onde ficou até maio de 2011. No mesmo dia, Claudionor ganhou a vaga no gabinete de Carlos na Câmara Municipal. 

Não é preciso dizer que nenhum deles dava as caras por lá e nem crachá do serviço tinha, não é? O amor familiar abastecido com cargos públicos é uma maravilha, não é? (Do Tijolaço)

Outro vacilo dentro de casa

D8F-_ADX4AAN1I-

POR GERSON NOGUEIRA

O estreante Hélio dos Anjos não fez grandes mudanças no time do Papão para enfrentar o São José. Em campo, o posicionamento também não se alterou e os erros se repetiram. O emocional continuou falho: Caíque foi expulso (como Tiago Primão e Bruno Oliveira nos jogos anteriores). No placar final, o reflexo da atuação irregular: novo tropeço em casa e 6º jogo seguido sem vitória, incluindo as derrotas para o Internacional.

O empate de 1 a 1 favoreceu a tática cautelosa do time gaúcho, cuja única proposta era evitar a derrota. No primeiro tempo, o PSC foi superior, tocando a bola e tentando executar a transição ofensiva com qualidade.

Tiago Luís comandava as jogadas, com auxílio de Marcos Antonio e Diego Rosa, com Nicolas e Paulo Rangel adiantados. Apesar da pressão e de insistentes manobras em direção à área adversária, o PSC não criava situações claras de gol.

A pressão funcionou e, aos 27 minutos, a acuada defesa do São José deixou passar cruzamento na área e a bola chegou a Paulo Rangel, que mandou para as redes. O gol empolgou o pequeno público (2.351 pagantes + 2.021 sócios), mas não chegou a entusiasmar a equipe.

O São José saiu da defensiva, passou a tocar mais a bola, mas não ameaçava o gol de Mota. O PSC atacava de vez e teve duas oportunidades – com Tiago Luís e Marcos Antonio – para ampliar.

No começo do 2º tempo, apesar do astral positivo gerado pelo placar favorável, o PSC não acertava o passo nas tentativas de ataque. Sempre ficava faltando alguma coisa. Em alguns momentos, a pressa era o problema; noutros, pesava certa indolência.

Apesar disso, logo no primeiro minuto Tiago Luís chutou com muito perigo, assustando o goleiro do São José. Aos 4 minutos, Marcos Antonio chutou forte no canto. Aos 6’, o volante arriscou de longe e quase fez um gol olímpico.

A partir daí, o PSC parou de controlar as ações, abrindo espaço para uma discreta subida de rendimento do visitante. Aos 16’, Xuxa substituiu Maradona e as jogadas ofensivas do São José ganharam em qualidade.

Pela primeira vez, o equilíbrio passou a predominar na partida, com o time gaúcho mostrando crescente agressividade e ganhando escanteios seguidos. Aos 24’, aproveitando rebote à entrada da área, Xuxa arrematou forte para empatar. A zaga do Papão começou a bater cabeça e, dois minutos após o gol de Xuxa, Luiz Eduardo perdeu outra grande oportunidade.

Hélio dos Anjos, que já havia trocado Diego Rosa por Vinícius Leite, fez nova substituição, tirando Marcos Antonio e lançando Leandro Lima em campo. A torcida, que pedia Pimentinha, passou a vaiar o técnico.

Em cobrança de Tiago Luís, a bola é cabeceada por Paulo Rangel e passa perto da trave. O próprio Tiago dispara de longe, mas o goleiro espalma. Aí, Caíque se envolve em confusão com o técnico do São José e recebe o segundo cartão amarelo.

Obrigado a recompor a marcação, Hélio dos Anjos substituiu Tiago por Johnny Douglas. O PSC seguiu atacando, mas o desespero já ditava as ações. A última tentativa mais aguda ocorreu aos 39’, quando Nicolas desviou cruzamento de Bruno Collaço e acertou a trave.

Pode-se dizer que o PSC tinha razoável domínio do jogo até o começo do segundo tempo, quando permitiu a evolução dos gaúchos. Mesmo com chances de desenhar outro resultado, o time paraense falhou nas finalizações e voltou a exibir instabilidade emocional, com a expulsão de Caíque em momento crucial da partida. (Foto: Jorge Luiz/Ascom PSC)

—————————————————————————————-

Leão precisa vencer para voltar a ser líder

O Remo vai para seu terceiro compromisso fora de Belém nesta Série C. Nos anteriores, empatou com o Juventude e derrotou o Luverdense. No geral, o time está invicto e faz campanha acima da média, com 73,3% de aproveitamento técnico.

Para o confronto desta noite, em Tombos (MG), o técnico Márcio Fernandes repete a mesma formação que tem se apresentado bem e cumprido à risca a proposta estabelecida desde a estreia, baseada na marcação forte e na troca de passes como forma de controlar o jogo.

Com a defesa menos vazada de toda a competição, com apenas um gol sofrido (diante do Juventude), Márcio Fernandes tem como principal preocupação hoje a montagem de um meio-campo capaz de sustentar o ritmo mesmo fora de casa e de abastecer o ataque.

Para o torcedor, a preocupação maior se encontra justamente na parte ofensiva, onde o Remo tem seus piores índices no campeonato. Com cinco gols marcados, tem apenas o 11º ataque da Série C. Sem um atacante de área que imponha respeito e seja forte no jogo aéreo, a equipe tende a continuar sofrendo para fazer gols.

Diante do Tombense, que está à beira da zona da morte e precisa desesperadamente pontuar, o Remo precisará ter todos os setores funcionando bem. Para retomar a liderança do grupo B, temporariamente ocupada pelo Juventude, terá que lutar por uma vitória.

Em situações assim, o contra-ataque é a alternativa óbvia para furar o sistema defensivo do adversário. Márcio Fernandes tem no elenco opções para explorar os contragolpes.

Os velocistas Danilo Bala e Tiarinha poderiam ter chances no jogo, bem como Carlos Alberto e Garré, pela habilidade nas jogadas pelos lados. Alex Sandro poderia ser uma alternativa, pois também sai da área e sabe jogar em velocidade.

A conferir.

(Coluna publicada no Bola desta segunda-feira, 03)