Estudo analisa o prazer especial de rever séries e filmes favoritos

Um novo estudo da Universidade de Chicago aponta que rever séries favoritas provoca sensação de bem-estar. Em suma: assistir pela terceira vez a trajetória de um publicitário bem-sucedido nos anos 50/60, mas em conflito com sua própria identidade, é como jantar no seu restaurante favorito. O título do artigo é rebuscado — A dinâmica temporal e focal do reconsumo volitivo: uma investigação da experiência hedônica repetida — mas confirma aquilo que fãs já sabem: ele compara a sensação que temos ao rever nossos programas de TV favoritos ao mesmo sentimento que experimentamos ao reler livros que gostamos ou visitar locais que frequentamos. “Os consumidores obtêm insights mais ricos e profundos sobre o objeto de reconsumo em si, mas também uma maior conscientização de que o conhecimento sobre aquilo é expandido.”

laranjas

O apelo de voltar ao mesmo programa está vinculado à familiaridade com personagens, cenários e enredos, mas existe outra explicação ainda mais consistente: não é sobre saber o que vai acontecer, mas sobre se surpreender com alguns detalhes que não foram percebidos. O mesmo se dá com filmes. Em O Poderoso Chefão, nem todo fã percebe de primeira que as laranjas usadas pelo diretor anunciavam uma morte. Vito Corleone, na sua cena final, estava chupando uma laranja. O mesmo Vito comprava laranjas no momento em que sofreu um atentado. Nem tudo que acaba tem, necessariamente, um ‘fim’. (Transcrito de Meio)

oranges01

Abaixo, artigo de Eduardo Fontenele descreve em minúcias o sutil simbolismo das laranjas na trilogia clássica de Coppola em cima da obra de Mário Puzo:

O Poderoso Chefão e as laranjas

A trilogia O Poderoso Chefão tornou-se um clássico inegável por suas muitas qualidades cinematográficas, mas o que nem todos perceberam é que há um simbolismo mórbido disfarçado, escondido nos três filmes. Muito sutilmente. São as temidas laranjas do Poderoso Chefão.

Assim como em Scarface (1932), onde a letra “X” aparece em todas as sequências que antecipam algum ato violento do protagonista Toni Camonte, na trilogia de Francis Ford Coppola e Mario Puzo (1920-1999), as laranjas têm a mesma função dentro da narrativa. Elas antecipam um assassinato ou um atentado contra algum personagem.

As cenas onde as laranjas aparecem são:

godfather01

O Poderoso Chefão (1972)

1- Tessio (Abe Vigoda) apanha uma laranja da mesa no casamento de Connie Corleone (Talia Shire).

2- Clemenza (Richard Castellano) pede uma jarra de vinho a Paulie Gatto (John Martino) durante o casamento de Connie, dentro da jarra há uma laranja.

3- Na cena onde a esposa de Sonnie, Sandra Corleone (Julie Gregg), faz um gesto obsceno, há uma laranja na mesa durante o casamento de Connie.

4- Há laranjas na mesa onde ocorre o jantar de Tom Hagen (Robert Duvall) com o produto de Hollywood, Jack Woltz (John Marley), em seguida a cabeça do cavalo predileto do produtor aparecerá em sua cama, decepada.

5- Vito Corleone (Marlon Brando) compra laranjas em uma mercearia antes de sofrer um atentado contra sua vida.

6- Logo após a morte de Apollonia Vitelli-Corleone (Simonetta Stefanelli), na reunião das Cinco Famílias de Nova York, há laranjas sobre a mesa da reunião.

7- A cena da morte de Vito Corleone ocorre em um pomar de laranjas.

O Poderoso Chefão: Parte II (1975)

1- Nos flashbacks sobre a juventude de Vito Corleone, há laranjas na mesinha na casa de Don Ciccio (Giuseppe Silatto), onde ocorrerá o assassinato da mãe de Vito (Maria Carta).

2- Na cena da festa do batismo de Anthony Vito Corleone (Anthony Gounaris), filho de Michael Corleone (Al Pacino), no escritório de Michael, um capanga carrega uma laranja ao adentrar o escritório para a reunião com Johnny Ola (Dominic Chianese) e Michael, isso ocorre antes do atentado contra este.

3– Há laranjas na cena em que Vito Corelone (Robert De Niro) é demitido da mercearia.

4- Na cena da reunião em Havana, Cuba, há laranjas junto com outras frutas sobre a mesa.

5- Há laranjas na feira, um pouco antes do assassinato de Fanucci (Gastone Moschin).

6- Na cena em que Fanucci caminha para seu apartamento, ele pega uma laranja de um feirante, durante a procissão religiosa que toma a rua.

7- Vito compra laranjas em uma quitanda. O dono do comércio oferece as laranjas de graça por medo de Vito.

8- Michael e Tom Hagen discutem o futuro de Frank Pentangeli (Michael V. Gazzo), enquanto Rocco Lampone (Tom Rosqui) come uma laranja sentado em uma poltrona na sala da mansão de Michael.

9- Há laranjas na mesa quando Vito Corleone visita a Sicilia, na Itália.

10- Michael, Tom e Rocco estão discutindo como matarão Hyman Roth (Lee Strasberg), Michael come uma laranja. Rocco também come um gomo de outra laranja.

O Poderoso Chefão: Parte III (1990)

1- Michael Corleone toma suco de laranja com seu advogado, B.J. Harrison (George Hamilton), logo após o assassinato dos capangas de Joey Zasa (Joe Mantegna), por seu sobrinho Vincent Mancini (Andy Garcia).

2- Há laranjas na mesa da reunião dos mafiosos em Las Vegas, onde ocorrerá o atentado contra Michael e os outros chefes das famílias.

3- Michael toma suco de laranja no hospital, enquanto se recupera da crise de diabetes. Ele conversa com Don Altobello (Eli Wallach).

4- Na cena da reunião com Don Tommasino (Vittorio Duse), na Sicília, Vincent segura uma laranja.

5- Michael bebe suco de laranja na cena em que passa mal devido à diabetes na frente do cardeal Lamberto (Raf Vallone), na Itália.

6- Há laranjas na mesa onde Don Altobello conversa com Mosca (Mario Donatone) para contratá-lo para assassinar Michael.

7- Na cena final da película, Michael, já idoso, deixa cair uma laranja no chão antes de morrer.

(Por Eduardo Fontenele)

Como o Dia da Mentira virou ‘Bolsonaro Day’ nas redes sociais

qAk7QIKN

Combate aos privilégios, kit gay, fake news durante a disputa eleitoral e outras mentiras ditas pelo presidente Jair Bolsonaro, desde sua campanha eleitoral, ano passado, fizeram o 1º de abril, popularmente conhecido como o Dia da Mentira, ser rebatizado como Bolsonaro Day (Dia do Bolsonaro, em inglês) nas redes sociais. Às 12h desta segunda-feira, a hashtag #BolsonaroDay era o quarto assunto mais comentado no Twitter mundial. No Brasil, a frase lidera como a mais comentada.

Entre os internautas que aderiram ao protesto, alguns lembraram episódios e frases polêmicas do presidente, como a negativa de que o regime militar foi uma ditadura e de que a reforma da Previdência serve para combater privilégios.

Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, usou a data para ironizar o presidente. “O Bolsonaro é uma das pessoas mais inteligentes que eu já conheci”, brincou Haddad, no Twitter.

O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) também entrou na brincadeira com o presidente. “Bolsonaro é patriota e não presta continência aos EUA; a Reforma da Previdência é justa com os que ganham menos; o governo está organizado e tem um projeto sólido para o país. Ah, sim: não houve golpe em 1964 ou Ditadura com tortura e mortes”, ironizou.

“No dia da mentira, Bolsonaro faz um pronunciamento à Nação, afirma que venceu as eleições de forma limpa e que jamais mentiu para o povo brasileiro”, também brincou a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

e461d213-a380-41cc-9553-d64e6af4aad0

D3FGt-tXcAA8imo

BolsonaroDay

D3EjlzwWwAIlIWf

No dia 1º de Abril, vale lembrar que existem sites comprometidos em apurar notícias que parecem verdade e que circulam por aí, especialmente nas redes sociais e no WhatsApp. A checagem desse tipo de conteúdo avalia, a partir de métodos normalmente utilizados por profissionais de jornalismo, se o  fato é verdade ou se traz algum nível de distorção. Recomendamos três para sobreviver a hoje: Boatos.orge-Farsas e Snopes.

MP pede prisão de youtuber bolsonarista por difamação contra estudante negra

screen-shot-2019-04-01-at-1-06-38-pm

Por Vinícius Segalla, no DCM

O Ministério Público do Estado de São Paulo requereu junto à Justiça, em processo penal que corre na Vara do Juizado Especial de Embu das Artes (SP), que o youtuber Nando Moura seja condenado por injúria e difamação de uma estudante do interior de São Paulo, a quem chamou de “vagabunda” por três vezes em vídeo publicado na internet e visto por mais de 100 mil pessoas.

A pena requerida pela promotoria paulista é de dois anos de detenção.

O episódio ocorreu no final de 2015, mas o processo número 1013015-97.2016.8.26.0506 estava parado até janeiro deste ano.

Isso porque os advogados da estudante ofendida pelo youtuber levaram dois anos até conseguir entregar a citação para o réu, conhecido defensor dos ideais de direita e do governo de Jair Bolsonaro.

Durante este tempo, oficiais de Justiça buscaram Moura nos endereços constantes em suas contas de telefone celular e outros serviços, e também na casa de sua mãe (que disse que o filho tinha se mudado dali, mas que ela não sabia para onde), sem nunca encontrá-lo.

Foi só quando Moura passou a ser parte de outra ação judicial, ali informando seu endereço de fato, já neste ano, que a Justiça citou o réu e deu andamento ao processo. A queixa crime contra o youtuber se deu em virtude de um vídeo a respeito de um episódio de racismo que tinha ocorrido na Faculdade de Direito da USP em Ribeirão Preto.

Nele, Nando Moura se referia a uma estudante negra que havia tomado parte em protestos contra a manifestação racista. Suas palavras que ensejaram o processo penal foram:

“É isso que você quer, não é, sua vagabunda? Se fazer de coitada para conseguir mamar nas tetas do governo. É ou não é? É claro que é!”

No mesmo vídeo, Moura chama a vítima de vagabunda mais duas vezes. Por determinação judicial, o material foi excluído do Youtube, mas segue anexado aos autos processuais. A estudante ofendida se chama Poliana Cchinamerem Moreira Kamalu.

Foi ela quem instaurou a queixa crime contra Nando Moura, por injúria e difamação.

No dia 29 de janeiro deste ano, o Ministério Público protocolou petição ao juizado que cuida do caso, requerendo a condenação do réu pelos crimes de que é acusado, com pena de dois anos de detenção, conforme despachou a promotora Juliana L. B. Magalhães:

“O agente, por três vezes, injuriou a vítima, chamando-a de “vagabunda”. (…) Ademais, o agente, neste mesmo vídeo, em outro momento, aduz que a vítima quer “mamar nas tetas do governo”. Entendo que essa afirmação é difamatória. (…) Entendo que houve concurso material, chegando a pena máxima a 02 anos.”

pasted image 0

A ORIGEM DAS OFENSAS

Em outubro de 2015, foram encontradas, nas paredes de um banheiro da Faculdade de Direito da USP – campus de Ribeirão Preto, as seguintes pichações: “Aqui é faculdade de gente inteligente (e branca). Cotas pra preto? Macacos cotistas fora da FDRP!”

Após a repercussão gerada pelo fato, a administração da Faculdade de Direito criou uma comissão sindicante para descobrir o autor das ofensas e repudiou veementemente seu conteúdo. Além disso, uma entidade chamada Coletivo Nergro, formada por alunos negros da instituição – elaborou uma intervenção que envolvia a leitura de um texto de repúdio ao ocorrido.

A vítima de Nando Moura foi a estudante escolhida para ler a mensagem em todas as salas de aula da faculdade, com autorização da diretoria. Na intervenção, a estudante, além de repudiar especificamente as pichações, protestava contra as circunstâncias históricas do Brasil que contribuem para o “racismo estrutural” existente no país.

Em uma das salas, o discurso lido pela estudante Poliana foi gravado por um dos alunos, e logo depois publicado e replicado nas redes sociais. Foi o conteúdo deste material que incitou a ira de Nando Moura. Em vídeo divulgado pelo youtuber, a estudante, chamada de vagabunda por três vezes, é acusada de fazer-se de vítima de uma situação que já não existiria mais.

Nando Moura disse que a escravidão acabou há mais de um século e que, por isso, hoje em dia, todos são iguais, não importando a cor da pele, e que tudo o que Poliana estava querendo era obter cotas raciais no sistema público de ensino para, assim, “mamar nas tetas do governo”.

Outro lado

De acordo com a Defesa de Nando Moura, nenhum crime ocorreu, pois suas palavras devem ser vistas como “exercício claro e inalienável de seu direito de expressão”. Além disso, afirma a defesa, o fato de a estudante ofendida participar de um coletivo de combate ao racismo a torna sujeita a este tipo de crítica:

“Há de se ressaltar que a Querelante (Poliana), (SIC) colocou-se em posição pública de destaque, qual seja, representante de organização política formada por alunos negros da Faculdade de Direito da USP de Ribeirão Preto, denominada ‘Coletivo Negro’. Nessa condição, evidentemente, a Querelante está naturalmente mais sujeita à crítica, ampliando-se sobremaneira o direito à liberdade de expressão.”

A Justiça deverá proferir sentença em primeira instância sobre o caso nas próximas semanas ou meses. Como se observa no vídeo abaixo, Poliana não é a primeira pessoa a quem Nando Moura ataca em seu canal de Youtube.

———————————————————————————————–

Nando Moura é um performer do insulto, a exemplo de Danilo Gentili e outros menos famosos. Age como discípulo de Olavo de Carvalho, tamanha a quantidade de palavrões e termos escatológicos que profere em seus vídeos, nos quais tenta parecer um valentão ao estilo Rambo. No melhor estilo dos bolsonaristas mais radicais, fala como se pretendesse fuzilar pessoas do outro lado do vídeo. É oportuno que a Justiça analise e puna tal comportamento. A internet tem leis e regulação.

Aqui no blog dois elementos fizeram dessa prática injuriosa uma rotina durante meses. Registrei tudo como provas, localizei endereços virtuais e físicos para as providências judiciais cabíveis. Em breve, serão devidamente notificados. 

Em Parauepabas, outro crime de feminicídio envolvendo eleitor bolsonarista

e2f18aa8-8646-49f8-a9b1-522323d12b41

Aumenta a incidência de casos de feminicídio envolvendo pessoas ligadas à extrema direita no Brasil. No fim de semana, ocorreu um crime dessa natureza em Parauapebas, tendo como principal acusado um agente de trânsito bastante conhecido na cidade. O crime causou comoção e revolta. Nas redes sociais, o acusado – segundo a Polícia – usava um perfil de apoio apaixonado à causa bolsonarista (foto acima).

A mulher foi encontrada morta, junto a uma parede da casa da família, com marcas de violência. Inicialmente, havia a versão de suicídio, mas a Polícia levou em conta as circunstâncias da morte e o fato do marido ter um histórico de violência contra a mulher, inclusive com passagens pela Delegacia da Mulher.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. É mais um a engrossar a estatística de violência contra a mulher.

Edno é apresentado à torcida e será inscrito para o Parazão

edno

O atacante Edno, novo reforço do Remo para a temporada, foi apresentado à torcida azulina antes da partida contra o Paragominas, na tarde deste domingo, no estádio Jornalista Edgar Proença. Depois, o jogador foi assistir o jogo nas cadeiras, ao lado da torcida.

Edno, que teve boa passagem pelo Leão na Série C 2016, terá a camisa 99 e deve ser inscrito para o Campeonato Brasileiro. Como as inscrições para o Campeonato Estadual se encerram amanhã (2), véspera da primeira partida das semifinais, ele terá que ser regularizado junto ao BID até esta terça-feira. O Remo oficializou hoje o pedido de registro.

O dia do Minto

d84a76e1-83c2-482c-88ed-3ef8cfae186a

A conta do presidente do Brasil no Twitter, @jairbolsonaro, tem mais de 4 milhões de seguidores. Mas são 5.743 perfis os responsáveis por quatro de cada dez posts nas três principais hashtags bolsonaristas: #EstadaoMentiu, #IlonaNao e #BolsonaroOrgulhaOBrasil. Além de sugerir ação coordenada, alguns destes perfis, segundo especialistas, têm comportamento de robôs. (De O Globo)

Presidente marcha à ré

Ww3fwkXg

O presidente Jair Bolsonaro visitará, hoje à tarde, o Muro das Lamentações, acompanhado do premiê israelense Benjamim Netanyahu. Embora seja uma visita comum de chefes de Estado, costumam fazê-la sozinhos — a praxe é não caracterizar como visita de Estado. Em sua visita a Israel, o presidente não insistiu na transferência da Embaixada para Jerusalém, como havia anunciado desde a posse. Optou por mais um recuo: abrirá um escritório de negócios na Cidade Santa.

É a mesma estrutura que o Brasil tem em Taiwan e em Ramallah, na Palestina, locais onde não pode ter oficialmente embaixadas. A embaixada não foi transferida após um apelo da agroindústria, que teme perder exportações para o mundo árabe. Mas talvez não tenha sido suficiente. A Autoridade Palestina convocou de volta seu embaixador no Brasil. Por enquanto ainda não há reação de outras nações árabes. (Com informações de O Globo)

Oposição vai à PGR contra vídeo do Planalto que defende a ditadura

video-golpe-750x430

A oposição vai acionar a Procuradoria-Geral da República contra a divulgação de um vídeo que nega o golpe militar de 1964 no Brasil, distribuído pela Secretaria de Imprensa da Presidência nesse domingo (31). O Psol acusa o governo de violar tratados internacionais assinados pelo país na defesa dos direitos humanos e de ter cometido improbidade administrativa.

A gravação foi divulgada pelo grupo de WhatsApp mantido pela secretaria para se comunicar com jornalistas que cobrem as atividades do Planalto. O órgão não informou a autoria do vídeo nem quem mandou produzi-lo. O partido também pretende apresentar pedidos de convocação, no plenário e em comissões da Câmara, do ministro da Secretaria de Governo, o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, para cobrar esclarecimentos sobre o assunto.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), afirmou que o partido deve anunciar nesta segunda-feira que medidas judiciais vai tomar. “Nesta segunda-feira tomaremos todas as medidas cabíveis contra a divulgação, por meios oficiais da Presidência da República, de um vídeo apócrifo exaltando um golpe que rasgou a Constituição, fechou o Parlamento e causou a morte e prisões ilegais de milhares de brasileiros”, disse Pimenta pelo Twitter.

“Ao divulgar tal vídeo, usando meios institucionais da Presidência, Jair Bolsonaro violou o juramento de respeito à Constituição. Os responsáveis por tal medida terão que se explicar perante o Judiciário”, acrescentou o líder petista. O vídeo também foi postado pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, no Twitter.

Na gravação um homem não identificado fala sobre “um tempo de medo e ameaças” provocadas pelo comunismo. Segundo ele, “jornais, rádios, TVs e principalmente o povo na rua” apelaram ao Exército para impedir a ascensão dos comunistas ao poder. No encerramento do vídeo, o narrador afirma que “o Exército não quer palmas nem homenagens. O Exército apenas cumpriu o seu papel”. (Do Congresso em Foco)