Trivial variado do país da escatologia

d0_yokxwkaej7ga.jpg

“Estou andando por um corredor da ONU hoje e um embaixador europeu me para e pergunta: foi mesmo o presidente do Brasil quem postou o vídeo ou é uma conta fake?”. Jamil Chade

“Bolsonaro comprova estelionato eleitoral. Não respeita o Brasil, não é família, não tem fé em Deus, não tem programa de governo. Vulgar e sem ética. Não é pacificador, espalha ódio. Sem educação emocional e saúde mental. Não tem preparo pra ser Presidente da República. Cleusa Slaviero

“A TV Globo, que sonegou o Carnaval do Fora Temer, sonega agora o do Bolsonaro VTNC, sucesso até na mídia internacional.” Palmério Dória

“Governo Bolsonaro gastou mais de R$ 1 milhão com o cartão corporativo (aumentou 16%) em pouco mais de 2 meses. Para uma gestão que só funciona no twitter tá muito caro.” Jandira Feghali

“Bolsonaro não tem condições técnica, intelectual, moral e política para presidir o país. Qualquer um dos principais candidatos, exceto Daciolo, está em um nível infinitamente acima desse ser. Meu deus (com minúscula mesmo), o que estamos fazendo com Brasil?”. Duke, chargista

“É deputado pornô… É presidente pornô… É filho na putaria no laranjal… É filho pitbull desequilibrado fazendo Photoshop de barriguinha… É filho de pinto pequeno… É pai que admira pedófilo… É ministra que só pensa ‘naquilo’… Transformaram o Brasil num puteiro.” Renato Lira

Bolsonaro posta vídeo escatológico no Twitter para revidar “Vai tomar no c…”

vídeo-559x430

A hashtag #ImpeachmentBolsonaro lidera o ranking dos assuntos mais comentados no Twitter brasileiro desde a madrugada desta quarta-feira (6), em resposta ao vídeo de conteúdo obsceno reproduzido na plataforma pelo presidente Jair Bolsonaro em crítica ao Carnaval de rua. Em segundo lugar, até as 9h, aparecia a hashtag #BolsonaroTemRazão, impulsionada por apoiadores do presidente.

Líderes da oposição classificaram a divulgação do vídeo como conduta incompatível com o cargo e avaliam a possibilidade de tomar alguma providência em relação ao episódio. “Não podemos descartar a possibilidade de solicitar um teste de sanidade mental”, provocou o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS).

A gravação publicada na conta oficial de Bolsonaro no Twitter mostra um homem dançando sobre um ponto de táxi. Ele introduz, aparentemente, o dedo no ânus enquanto dança. Na sequência, outro jovem urina na cabeça dele. Embora o presidente não tenha identificado o local onde foi registrada a cena, o episódio ocorreu na segunda-feira (4) em um bloco chamado Blocu, no centro de São Paulo.

“Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões”, escreveu o presidente, que foi um dos alvos preferenciais nos blocos de carnaval de rua em todo o país.

O vídeo foi denunciado por vários usuários ao Twitter por conteúdo impróprio. Para o líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), as publicações do presidente são incondizentes com o cargo que ele ocupa.

“Os tweets de Bolsonaro são, do início ao fim, incondizentes com o cargo que ocupa. Um Presidente tem obrigação de agir com um mínimo de decoro. Ele demonstra não ter postura ou responsabilidade. Totalmente sem noção. É inacreditável”, criticou.

Molon faz alusão ao parágrafo 7º do artigo 9º da Lei do Impeachment diz que “proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo” é crime de responsabilidade contra a probidade na administração pública.

“É bizarro. É gravíssimo. Bolsonaro descontrolado reage as manifestações contra ele em todo Brasil e publica vídeo para detonar o carnaval. Expõe o país no mundo, propaga o preconceito e quebra as regras do Twitter. É urgente analisarmos ainda hoje as medidas a serem adotadas”, tuitou Paulo Pimenta.

Uma das parlamentares mais próximas do presidente, a deputada Bia Kicis (PSL-DF) saiu em defesa de Bolsonaro. “Quem denigre a imagem e a cultura do povo são vocês. O Presidente é nosso mandatário para resgatar-nos da Lama em que a esquerda nos jogou. #BolsonaroNossoPresidente , estamos juntos!”, publicou a deputada. “Essas cenas aviltam meu olhos, minha alma e meu senso de dignidade. Não consigo ver mais do que alguns segundos. Quem são essas pessoas, meu Deus! Que doença terrível o esquerdismo!”, acrescentou.

A oposição também defende a exclusão da conta de Bolsonaro no Twitter, usada diariamente pelo presidente para se comunicar diretamente com a população. A plataforma estabelece uma série de diretrizes sobre a publicação de conteúdo adulto. Dizem as regras do Twitter:

“Consideramos conteúdo adulto qualquer mídia que seja pornográfica ou destinada a causar excitação sexual. Alguns exemplos incluem, mas não estão limitados a representações de: nudez total ou parcial, incluindo closes dos órgãos genitais, nádegas ou seios; simulação de ato sexual; ou relação sexual ou qualquer outro ato sexual envolvendo seres humanos, representações de animais com características humanas, desenhos, hentai ou animes.”

De acordo com as normas da plataforma, mídias com conteúdo adulto devem ser classificadas como sensíveis, uma espécie de filtro para saber se o usuário concorda em ver as imagens ou não. Isso não foi feito pelo presidente no primeiro momento. A advertência só foi publicada duas horas após a publicação do conteúdo.

 

Nesta terça-feira, Bolsonaro atacou os cantores Caetano Veloso e Daniela Mercury pela música Proibido Carnaval, em que criticam a censura e defendem a liberdade de expressão na principal festa popular do país. Bolsonaro sugeriu que “dois famosos” estavam incomodados com o corte de verbas da Lei Rouanet. Daniela escreveu uma carta aberta ao presidente, dizendo que ele não compreendia a lei, cobrando respeito e pedindo um basta às fake news contra a legislação de incentivo à cultura.

Bolsonaro foi tema de protesto em vários blocos de carnaval país afora. Como mostrou o Congresso em Foco, um bloco em Belo Horizonte foi alvo de uma intervenção da Polícia Militar de Minas Gerais, na noite da última sexta-feira, após manifestações políticas contra o presidente. Em seguida, o capitão teria afirmado que “aquilo não podia continuar” e que o policiamento seria retirado se as manifestações políticas não parassem. Procurado, o porta-voz da PM de Minas, major Flávio Santiago, negou que tenha havido censura. Segundo ele, o que houve foi uma “recomendação” para que as manifestações políticas parassem.

Fernandes e o desafio da estreia

marciofernandes_marcinho_echeverria_gustavoramos_davidbatista

POR GERSON NOGUEIRA

Apesar das críticas generalizadas às atuações do time, o técnico João Neto deixou o Remo bem posicionado no campeonato. O time lidera sua chave com quatro pontos de vantagem sobre o 2º colocado e está quase classificado para as semifinais. Essa condição pode facilitar as coisas para Márcio Fernandes, que faz sua estreia amanhã (7) sem conhecer rigorosamente nada (como técnico) do que é o Parazão.

Contra o Tapajós, em Santarém, o fato de ter nas mãos um time que não corre riscos imediatos de perder a liderança garante tranquilidade ao novo comandante e aos jogadores, que tiveram pouco tempo para assimilar as novas orientações técnicas e táticas.

A respeito disso, merece atenção a declaração do meia Diogo Sodré comparando os métodos de trabalho de Netão e Fernandes. Sem a intenção de fazer crítica ou reparo ao ex-técnico, Sodré revelou que agora a cobrança é maior e as exigências também se ampliaram na forma de treinos curtos e mais intensos.

Sobre a característica pessoal de cada treinador, Sodré afirma que Netão dialogava mais e dava liberdade aos jogadores em campo. Fernandes fica mais em cima e exige intensidade. São estilos bem diferentes, praticamente opostos. Fica a dúvida sobre o efeito sobre o elenco.

Fernandes, mais tarimbado, traz a experiência e os macetes dos técnicos que já passaram por vários clubes. Sabe que comandar clubes de massa é diferente de treinar equipes medianas. Obviamente, tem consciência de que precisará mostrar serviço bem antes do que seria lógico.

O torcedor do Remo não esconde sua desconfiança quanto à qualidade individual dos jogadores, mas espera que no Campeonato Paraense o time seja capaz de chegar à final para brigar pelo título de bicampeão. A saída de Netão foi bem assimilada, mas sob a condição de que o sucessor mostre um trabalho melhor.

Fernandes deverá estruturar o Remo de maneira mais cautelosa, fechando mais o meio-campo e o esboço de escalação denuncia isso com a adoção do esquema 4-4-2 (ou 4-3-1-2) ao invés do costumeiro 4-3-3 utilizado por Netão mesmo em jogos mais espinhosos, como contra Serra e PSC.

Nos treinos realizados desde a quarta-feira passada, Fernandes insistiu com as jogadas de aproximação e ao apuro no passe, justamente os problemas mais agudos do Remo. É um treinador adepto de marcação forte, mas não parece capaz de repetir a tática da “sofrência” que Netão cultivava, colocando o time para praticar a chamada marcação baixa.

Há muito tempo sem um meia-armador clássico, a chegada de Douglas Packer, jogador de 31 anos que vinha jogando na Indonésia, pode ser o começo de uma nova formatação de meia-cancha. Caso Packer venha a assumir a condição de organizador, Etcheverría fica liberado para jogar na sua verdadeira função, meia-atacante, atuando perto dos atacantes.

Na linha ofensiva, as escolhas iniciais de Fernandes causaram surpresa: Mário Sérgio e Emerson Carioca não mostraram ainda rendimento que justifique a titularidade. Pela rapidez e capacidade de finalização, Alex Sandro e Gustavo Ramos parecem atravessar fase mais produtiva.

—————————————————————————————–

Em nome do amor, Leandro Carvalho recusa fortuna

A profunda conexão entre Leandro Carvalho e o Ceará tirou do Papão a possibilidade de botar cerca de R$ 4 milhões na conta bancária. O clube, que detinha 50% dos direitos econômicos do atleta, tentou convencer o jogador a aceitar proposta do Beijing BSU, da China, mas Leandro abriu mão de uma fortuna para voltar para os braços da torcida cearense.

E assim foi feito, mas o Papão ainda recebeu R$ 600 mil pelo negócio – e mantém 30% dos direitos econômicos. De impressionar é a relação de amor entre Leandro e a massa do Vozão, que foi ao aeroporto de Fortaleza em peso para recebê-lo na madrugada, aos gritos de “o Cachaça voltou!”.

O amor nem sempre pode ser explicado.

——————————————————————————————–

O estrondoso tombo de um gigante

O Real Madrid sofreu uma derrota acachapante e histórica, ontem, no Santiago Bernabeu, deixando precocemente a Liga dos Campeões da Europa. O time merengue havia batido o Ajax na Holanda por 2 a 1, criando a ilusão de que a classificação seria uma garapa.

A surpresa ficou por conta do placar de 4 a 1, construído com relativa facilidade pelo Ajax, brilhantemente liderado pelo sérvio Tadic. Não se pode, porém, dizer que foi obra do acaso. Na semana passada, o Real foi derrotado duas vezes em casa pelo grande rival Barcelona.

Quem observa o Real à distância fica sem entender como jogadores do nível de Isco e Marcelo foram descartados dos planos do técnico Santiago Solari, levando em conta os substitutos que ele tem utilizado.

Ninguém tinha dúvida quanto à tremenda dificuldade de reconstrução após a saída de Cristiano Ronaldo, mas o tombo foi maior do que o esperado. Com a eliminação, o atual campeão europeu se encontra na estranha situação de não ter mais nada a fazer no resto da temporada.

Fora da Champions, não poderá brigar pelo bi mundial de clubes. A campanha trôpega no Espanhol deixa o Real como mero figurante na festa do Barça, 12 pontos à frente. Não resta nem mesmo o consolo de levantar a Copa do Rei, da qual foi defenestrado na semana passada.

(Coluna publicada no Bola desta quarta-feira, 06)

Trivial variado do país da baixaria oficial

“Trataram o cara como se ele fosse um candidato absolutamente normal e republicano e agora estão oh my god absolutamente chocados com o alcance de sua estupidez, vulgaridade, autoritarismo e burrice. Ah, vão a merda”. Milly Lacombe

D06MDeZXcAAx6tU

“Bozo bloqueado pelo Twitter. Essa nem o Trump conseguiu!”. André Forastieri

“Anos construindo a imagem de “maior festa da terra”, investimento pesado do setor ligado a turismo, hotelaria, restaurantes, transportes, comércio. Aí o presidente (!!?) posta que NO CARNAVAL O PESSOAL MIJA UNS NOS OUTROS e vira noticia internacional. Tá o que? De parabéns. Mitou”. Cecília Oliveira

“A porra do PRESIDENTE DA REPÚBLICA pega a maior festa nacional brasileira, oportunidade de exaltar a nossa cultura e atrair turistas, e resume ela a uma cena de escatologia. não é somente um sociopata, ele é fundamentalmente BURRO”. Thiago Ferreira

“Eu fico imaginando os chefes de estado, líderes mundiais (que por algum motivo seguem a conta do Bolsonaro) recebendo o conteúdo que ele acabou de publicar. Constrangedor.” Tiago Cipriano

“Os tweets de Bolsonaro são, do início ao fim, incondizentes com o cargo que ocupa. Um Presidente tem obrigação de agir com um mínimo de decoro. Ele demonstra não ter postura ou responsabilidade. Totalmente sem noção. É inacreditável.”  Alessandro Molon