Nos bastidores do rock

donald-trump-keith-richards-knife-fight

Michael Cohl, tour manager dos Rolling Stones durante a excursão que promoveu o álbum “Steel Weels” (1989), relatou um fato curioso à revista portuguesa Blitz, e que ficou ainda mais interessante com a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos. O último concerto do braço norte-americano daquela turnê, realizado no Convention Center de Atlantic City, no dia 20 de dezembro de 1989, foi patrocinado por Trump.

No entanto, havia um acordo entre a banda e o empresário, proibindo-o de se envolver em tudo relativo à produção do evento e até mesmo de assistir ao show. Uma regra que Donald Trump quebrou quando, em determinado momento, convocou uma coletiva de imprensa na sala que era destinada aos Stones.

As equipes de Trump e dos Stones tentaram resolver o impasse para que Trump abandonasse as instalações, mas não conseguiram. Foi então que Keith Richards interviu. Reza a lenda que o guitarrista puxou uma faca, colocou-a em cima da mesa e soltou: “Ou ele, ou nós”.

O ambiente ficou tenso, com bate-bocas de ambos os lados, que só cessaram quando Trump e seus assessores abandonaram a sala, acompanhados por seus seguranças. Segundo testemunhas, a equipe de Trump já estava preparada para qualquer eventualidade mais violenta, enquanto o chefe de segurança dos Stones reuniu quarenta membros de sua equipe armados com barras de ferro, tacos de beisebol e chaves de fendas para defender Richards e a banda.

No final, cada um seguiu o seu caminho.

Uma curiosidade: após confirmada a sua vitória na eleição presidencial, Donald Trump discursou para jornalistas, correligionários e eleitores em Nova York, e ao final de suas palavras saiu do palco ao som da clássica “You Can’t Always Get What You Want”, dos Stones, que anteriormente já tinham proibido o uso de suas canções na campanha do republicano.

Atletas do Bangu feridos em incêndio em alojamento da Aeronáutica

bangu-bandeira-rio-de-janeiro-brasil-1549917669704_v2_615x300

Dois jogadores do Bangu e um soldado acabaram hospitalizados, nesta segunda-feira (11), depois de um incêndio ocorrido no alojamento da Comissão de Desportos da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro. A informação foi publicada pelo Globoesporte.com e confirmada pelo próprio clube, em contato com o UOL Esporte. Ainda de acordo com informações apuradas pela reportagem, o estado dos hospitalizados não preocupa. Os dois atletas devem ser liberados ainda nesta segunda.

O incêndio nas instalações da Aeronáutica ocorre menos de uma semana após a tragédia no CT Ninho do Urubu, do Flamengo. Dez meninos das categorias de base, instalados em uma estrutura temporária no moderno espaço de treinos da equipe rubro-negra, morreram na última sexta-feira.

Atacante pede rescisão de contrato e deixa o Papão

 

O Paissandu informa que o atacante Caion não faz mais parte do elenco de futebol profissional bicolor. A decisão foi tomada em comum acordo, depois de uma reunião entre diretoria e atleta, que chegaram à conclusão de que a rescisão contratual seria a melhor escolha para ambas as partes.

Com a janela de transferências internacionais ainda em aberto, o jogador deve optar por atuar no exterior. O PSC agradece a Caion por todos os seus serviços prestados ao clube. Caion jogou nas três apresentações do time no Parazão, mas contra o Castanhal entrou somente nos 10 minutos finais.

Técnico do Leão destaca atuação da defesa contra o Galo Elétrico

netao-2

Satisfeito com a vitória categórica sobre o Independente, no último sábado, o técnico João Neto analisou a partida e destacou o papel da defesa. “Na parte defensiva, a gente se comportou muito bem. Ocorreram erros normais, mas de maneira geral controlamos bem. Eles (Independente) só chegavam pelas laterais, por dentro a gente errou quando a bola esteve com o Fazendinha. Encaixamos melhor na volta do intervalo e com os contra-ataques conseguimos fazer o resultado”, disse.

“A gente acredita no grupo, tem confiança neles. Vamos apoiar todos, independente de quem entrar. São humanos, vão errar como qualquer outro profissional. Temos que minimizar os erros. Todos são importantes para que possamos seguir no caminho das vitórias”, acrescentou.

Invicto no Parazão, com 3 vitórias em 3 partidas, o Remo agora passará as atenções para a Copa do Brasil. Na quarta-feira (13/02), a partir das 19h30 (horário de Belém), no Espírito Santo, o Leão enfrenta o Serra (ES), jogando por um empate para se classificar.

“Agora temos que esquecer o que passou. Futebol só vale pela vitória, pelo presente. Vamos, a partir de agora, ver o jogo, analisar a equipe deles e construir, com o Departamento Físico e de Fisiologia, as melhores escolhas para iniciar a próxima partida”, disse, sem definir o time que entrará jogando.

A delegação chega ao Espírito Santo um dia antes, a fim de se adaptar ao clima e ao estádio do jogo. É uma determinação do presidente Fábio Bentes para dar ao time todas as condições para que possa atuar na plenitude.

O adeus do grande repórter

f_404768

O jornalista Ricardo Boechat, 66 anos, morreu em uma queda de helicóptero nesta 2ª feira (11.fev.2019). A aeronave caiu no Rodoanel, em São Paulo, por volta do meio-dia. Ele retornava de uma palestra em Campinas, no interior do Estado, para a capital. Deveria pousar no heliponto da Band, no Morumbi, Zona Sul da cidade.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu em cima de 1 caminhão que trafegava pelo Rodoanel, no sentido interior, próximo à praça do pedágio. O motorista do caminhão foi socorrido pela concessionária e teve ferimentos leves. O piloto Ronaldo Quattrucci também morreu no acidente.

38600291_2149458328676291_1217866576968024064_o-868x644

De acordo com os bombeiros, 11 viaturas foram deslocadas para o local. A aeronave que caiu era do modelo BELL PT HPG. Fabricada em 1975, estava com documentação em dia. O helicóptero fazia serviços de táxi aéreo e pertencia ao próprio piloto.

CARREIRA

Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires, na Argentina. Casado com Veruska Boechat, era pai de 6 filhos: Paula, Bia, Rafael, Patricia, Valentina e Catarina. Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ.

ricardo-boechat-e-a-mulher-veruska-seibe-eles-sao-pais-de-valentina-e-catarina-1436229144078_956x500

O jornalista iniciou sua carreira na década de 1970, no extinto jornal Diário de Notícias. Ele trabalhou nos jornais O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil.Foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo, e ganhou 3 vezes o extinto Prêmio Esso, 1 dos principais do jornalismo brasileiro.

É o maior vencedor  da história do Prêmio Comunique-se, sendo o único a vencer em 3 categorias distintas (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Segundo pesquisa do site Jornalistas&Cia, em 2014, foi eleito o jornalista mais admirado entre os 100 principais profissionais do mercado.

DzJQjKfWsAMPVKr

Em seu último programa na manhã desta 2ª feira (11.fev) na BandNews FM, Boechat criticou a morosidade da justiça para identificar e punir os responsáveis por tragédias como a que ocorreu após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho.

Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

e37fa38f-c6a6-437e-8b88-e165d190fd5a

O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu no final da manhã desta segunda-feira (11) em uma queda de helicóptero no Rodoanel, em São Paulo. Segundo a Rádio Bandnews, onde Boechat ancorava o telejornal diariamente pelas manhãs, o jornalista havia ido a Campinas (SP), onde participou de um evento, e voltava aos estúdios da rádio na capital paulista. O acidente que vitimou o jornalista do grupo Bandeirantes aconteceu no quilômetro 7 da via, perto do acesso à Rodovia Anhanguera.

boechat

WhatsApp tenta evitar na Índia ação orquestrada que favoreceu Bolsonaro

DzIkYjhX0AEbzdo

O WhatsApp tenta evitar na eleição geral na Índia, que ocorre entre abril e maio, a mesma ação orquestrada de disparo em massa de mensagens políticas e fake news que, aqui no Brasil, favoreceu a eleição de Jair Bolsonaro. A informação é da Reuters.

Segundo a publicação, o WhatsApp na Índia admitiu o uso, por partidos políticos, de softwares que facilitam o disparo de mensagem em volume massivo.

O uso de sistemas automatizados, financiado pelo empresariado anti-PT em favor de Bolsonaro (sendo que a doação de empresas a campanhas e candidatos é proibida no Brasil) foi denunciado pela Folha de S. Paulo ainda durante o segundo turno da eleição, mas as autoridades brasileiras não tomaram nenhuma medida contra a ação a tempo de reparar desequilíbrios.

No Brasil, o WhatsApp não quis detalhar o plano de combate a este tipo de ação orquestrada durante eleições.

Na Índia, de acordo com a reportagem, o aplicativo de conversação é uma das principais armas de campanha do partido BJP, do atual primeiro-ministro Narendra Modi. Mas a oposição, capitaneada pelo partido Congresso, também tem usado o WhatsApp para disparar notícias faltas e influenciar eleitores.

O País que elegerá 543 deputados da Câmara – e, de lá, sairá o novo primeiro-ministro – tem 900 milhões de eleitores. É a maior eleição no mundo, sendo que 500 milhões de indicados usam a internet, e 250 milhões têm Facebook. Outros 210 milhões estão no WhatsApp. No Brasil, são 127 milhões de usuários da plataforma.

De acordo com a Reuters, em comunicado recente, o WhatsApp afirmou que deletou “2 milhões de contas por mês no mundo, nos últimos três meses, por envios em massa ou uso de sistemas automatizados, para coibir o uso do aplicativo para espalhar desinformação.”

“Enviar mensagens em massa de um telefone celular é trabalhoso; por isso, as pessoas que querem fazer isso usam software ou equipamentos para automatizar o processo. Nossa tecnologia visa a identificar contas usando sistema automatizado”, afirma o relatório.

A Índia já tem histórico de problemas sérios com a disseminação de fake news via WhatsApp. O ápice foi a onda de linchamentos, que deixou 20 pessoas mortas, em decorrência de notícias falsas sobre sequestros de crianças.

Campeonato Italiano e Sul-Americana serão transmitidos pela Rede TV!

copa-sul-americana-1549803229512_v2_900x506

A Rede TV!, em acordo firmado com o serviço de streaming DAZN, vai transmitir a Copa Sul-Americana e o Campeonato Italiano, torneio que conta com um dos principais jogadores da atualidade, o português Cristiano Ronaldo.

Por meio desta parceria com a DAZN, a Rede TV! amplia o seu investimento em conteúdo esportivo – já tem o Inglês aos sábados, e agora garante direitos de exibição dessas duas competições com exclusividade na TV aberta.  A primeira transmissão da Sul-Americana será a estreia do Corinthians, contra o Racing, da Argentina, nesta próxima quinta-feira, às 21h30, em São Paulo.

O contrato de sublicenciamento de um ano prevê a exibição de 12 jogos desta temporada, que vai de fevereiro a novembro, às quartas ou quintas-feiras, sempre na faixa das 9 e meia da noite. A parceria visa aumentar a visibilidade do serviço de streaming, que será lançado no Brasil nas próximas semanas. A Sul-Americana reúne 54 clubes, dentre eles Corinthians, Santos, Fluminense, Botafogo, Chapecoense e Bahia.

Já em relação ao Campeonato Italiano, ele entrará na programação dos sábados, às 16h30, após a Premier League. Serão transmitidos 11 jogos da temporada 2018/2019, ao vivo, de março a maio, e o acordo abrange também exibição completa da temporada 2019/2020, com 34 jogos, de agosto a maio.

O Italiano, na disputa da Série A, reúne clubes como Juventus, Inter de Milão, Milan, Napoli, Roma, Sampdoria, Lazio e Fiorentina. Conta com Cristiano Ronaldo e 27 jogadores brasileiros, entre eles, Douglas Costa.