Azevedo: Moro é exemplo assombroso de Judiciário com partido

A Coluna de Reinaldo Azevedo na Folha de S.Paulo aborda como o futuro ministro Sérgio Moro é um “exemplo assombroso de Judiciário com partido”. “‘Consummatum est’! Sergio Moro fulminou a classe política e sai como um dos dois grandes beneficiários da razia que promoveu. Já é o primeiro na fila de sucessão —quando Jair Bolsonaro quiser, bem entendido. Não é ‘fake news’. O futuro superministro da Justiça e agora ex-juiz encontrou-se com Paulo Guedes durante a campanha e recebeu o convite para chefiar um troço que faz o antigo SNI, mesmo em seus dias de esplendor, parecer brincadeira de criança. A conversa desta quinta com o presidente eleito foi uma formalidade. Alguém poderia objetar: ‘Não compare ditadura com democracia’. Claro que não! Se, no entanto, num regime democrático, as leis são submetidas por togados a uma leitura de exceção, depois referendada por colegiados, cumpre que se questione qual é a diferença entre uma ditadura genuína e uma democracia degradada. Certamente as há. Mas nem um regime nem outro conduzem os países a um bom lugar”.

Reinaldo desenvolve o raciocínio: “Leitores desta coluna e do meu blog e os que me acompanham no rádio e na TV sabem que não tardou para que eu percebesse e apontasse que a Lava Jato era muito pouco reverente à Constituição e ao Código de Processo Penal. E isso para começo de conversa. Liberal, alinhado com o que entendo ser a direita democrática —ainda que seja esta, hoje, uma das vastas solidões do Brasil—, crítico severo das esquerdas e particularmente do petismo, passei a sofrer primeiro as restrições e depois o assédio moral daqueles que me viam como uma peça de propaganda de seus delírios autoritários”.

Um comentário em “Azevedo: Moro é exemplo assombroso de Judiciário com partido

  1. O pensamento liberal é uma coisa, conservadorismo é outra. Talvez as pessoas se vejam como liberais porque concordam com a agenda maluca de conservadores autointitulados liberais.

    O liberal libera o aborto e a maconha. Simples assim. Liberal é isso. Se você discorda disso, então presta atenção. Em Portugal, o aborto é liberado desde 2007. E os abortos caíram e continuam caindo ano a ano por lá. Portugal é o país da Europa onde menos se recorre ao aborto. Por quê? Arrisco uma explicação. Ao liberar o aborto, a sociedade se vê provocada e inicia um debate. Esse debate é uma forma de educação social. É isso que conscientiza as mulheres portuguesas a evitarem o aborto, e não a proibição, porque não estão mais sozinhas, mas têm apoio da sociedade.

    O liberal (e talvez nem tanto assim…) Reinaldo Azevedo sabe que as trevas devem levar o país para a ditadura. De novo! Talvez por isso se posicione contra Bolsonaro.

    Mas nós, progressistas, não podemos nos intimidar diante do fascismo. Mesmo porque o fascismo treme diante de um exército de esquerda e, veja como a história se repete, é o exército da Venezuela, exatamente um de esquerda, que pode ser o próximo exército vermelho a chutar os fascistas de volta para casa… Que o Brasil não se preste a esse papel.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s