A frase do dia

“No meu governo, militar não fala em política. Ele estaria demitido e provavelmente pegaria uma cana. Eu conheço bem o general Villas Bôas. Ele está fazendo isso para tentar calar as vozes das cadelas no cio que estão se animando, o lado fascista da sociedade brasileira”.

Ciro Gomes, candidato a presidente da República

Ciro chama general Mourão, vice de Bolsonaro, de “jumento de carga”

ciro-gomes-o-globo

O candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, disse, em sabatina promovida pelos jornais “O Globo”, “Valor Econômico” e pela revista “Época”, realizada nesta quarta-feira (12), que o general Hamilton Mourão, vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), é um “jumento de carga”. Ciro disse ainda que, caso eleito, em seu governo militar não pode falar de política. Quer as Forças Armadas altivas. Mas ele será o chefe.

Sobre a declaração do Comandante Villas Boas que próximo presidente pode não ter legitimidade, Ciro foi ainda mais ácido.

“Estaria demitido e provavelmente pegaria uma ‘cana’. Mas deixa eu explicar, ele está fazendo isso para tentar calar a voz das ‘cadelas no cio’ que embaixo dele estão se animando com essa barulheira. Esse lado fascista da sociedade brasileira. Esse general Mourão, que é um jumento de carga, tem uma entrada no Exército e agora se considera tutor da nação. Os brasileiros têm que deixar muito claro que quem manda no país é o povo”, disse.

Ao final da entrevista, Ciro prometeu “sair da política” caso Jair Bolsonaro (PSL) seja eleito presidente.

– Vou desejar boa sorte a ele, cumprimentá-lo pelo privilégio e depois vou chorar. Eu saio da política. A minha razão de estar na política é confiar no povo brasileiro.

Tite laboratoriando, em titês

20180911220104_5b986550efda3

Por Alberto Helena Jr.

El Salvador, noves fora, zero! E daí?

Daí que a Seleção Brasileira cumpriu sua missão básica e venceu o jogo-treino por 5 a 0, que poderiam ter chegado ao dobro não fossem as tantas chances perdidas pelos nossos atacantes ou conjuradas pela defesa adversária.

Nesse caso, o que interessa mesmo é anotar que o menino Artur conferiu senso ao nosso meio-campo, como se esperava, aliás, permitindo que o triângulo, ali, fosse escalonado, não reto com os dois volantes em linha e uum meia à frente. Passe preciso, boa colocação à frente de Casemiro, Artur empurrou Coutinho para as proximidades da área, o que produziu maior poder de ataque ao Brasil.

Assim, reduziu-se a importância de nosso contragolpe, esse vício recente e maléfico, substituído pela marcação mais avançada, resultando na facilidade para a criação de chances de gol. E eles vieram naturalmente, com Neymar, Richarlison e Coutinho, logo no primeiro tempo. Placar ampliado por Richarlison no início do segundo período.

E aqui vale exaltar a presença do atacante do Everton, ex-Flu, costumeiramente utilizado pelas extremidades do campo, mas escalado por Tite como centroavante.É onde pode explorar melhor sua capacidade de finalização, sem, contudo, perder a mobilidade, graças à sua velocidade e a habilidade na canhota.

Belíssima estreia, ao contrário de Militão, que se deu melhor nos últimos minutos de partida quando trocou a lateral-direita pela zaga central. Na lateral, Militão foi tímido demais no ataque e impreciso nos passes, embora destruísse bem no seu setor.

De resto, interessante a experiência feita por Tite a partir dos 16 minutos da etapa final, quando deslocou Neymar para o comando do ataque, tendo William e Everton Cebolinha pelas extremas. Vale a pena o treinador insistir com essa proposta, nem que seja por alguns momentos nos amistosos futuros.

Afinal, Neymar vai atravessando o mau-humor generalizado com um número de gols pela Seleção que o aproxima das marcas históricas de Ronaldo Fenômeno e, pasmem!, Pelé. Ali, no comando do ataque, seu poder de fogo aumenta muito.

Enfim, é seguir em frente experimentando sempre, que o futebol é como a vida – um grande laboratório.

Lula agora é Haddad

Mantido como político desde 7 de abril e vetado pelo Judiciário e pelos militares para disputar uma eleição presidencial que venceria com extrema facilidade, o ex-presidente Lula divulgou na noite desta terça-feira 11 o primeiro vídeo da campanha de Fernando Haddad como candidato oficial do PT à presidência da República.

A mensagem inicial lembra que Lula sofreu um golpe ao ser preso e retirado da campanha. “Mas Lula não vai desistir de lutar pelo Brasil. Lula pediu: vamos seguir juntos, unidos. Lula agora é Haddad 13”, diz o texto. O vídeo foi divulgado pouco tempo depois do evento que oficializou, em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso, o nome de Haddad como substituto de Lula e o de Manuela D´Ávila como candidata a vice na chapa.

O vídeo também traz uma mensagem do próprio ex-presidente: “A razão da minha vida é lutar. Lutar sonhando em conquistar coisa para esse país. Tentar trovar que é possível melhorar a vida das pessoas. E ninguém, a não ser Deus, vai fazer com que eu pare de fazer isso”.

E de Haddad: “Lula foi o melhor presidente e sabemos que ele venceria essa eleição. Infelizmente, insistem em tirar Lula da eleição contrariando a ONU. Lula pediu: vamos continuar juntos, unidos, vamos todos votar no 13”.

Segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira 10, 33% dos brasileiros votarão com certeza em quem Lula indicar e 16% podem vir a votar – ou seja, o potencial de Haddad chega a 49%.

Em novo teste inútil, Seleção reformulada goleia adversário inexpressivo

Reformulada pelo técnico Tite, a Seleção Brasileira goleou El Salvador durante a noite desta terça-feira. Em Washington, com seis titulares que não disputaram a Copa do Mundo da Rússia, o time canarinho não teve dificuldades para golear o inexpressivo adversário por 5 a 0.

O Brasil inaugurou o marcador em Washington logo aos três minutos, quando o árbitro norte-americano Jair Marrufo viu pênalti de Dominguez em cima de Richarlison. Neymar cobrou no canto direito de Hernandez e marcou seu 59º gol pela Seleção. Sem dificuldades, o time canarinho aumentou a vantagem aos 15 minutos. Escalado como titular da Seleção de forma inédita, Richarlison recebeu de Neymar pela esquerda e acertou belo chute colocado para marcar o segundo do Brasil.

O atacante Neymar também participou do terceiro gol da Seleção, anotado aos 29 minutos da etapa inicial. O atacante desceu pela esquerda e tocou para Philippe Coutinho, da entrada da área, fuzilar o goleiro Hernandez. El Salvador chegou a subir ao ataque no início do segundo tempo, mas sofreu o quarto logo aos quatro minutos. Philippe Coutinho tentou jogada individual pelo lado esquerdo da grande área e acabou desarmado. Na sobra, Richarlison encheu o pé de canhota e decretou a goleada.

Tite promoveu suas seis alterações no amistoso. Entre os atletas semifinalistas da Copa do Brasil, sacou o cruzeirense Dedé no intervalo e colocou o flamenguista Lucas Paquetá pouco antes dos 15 minutos do segundo tempo.

A despeito da série de mudanças, a Seleção manteve a superioridade e criou chances para aumentar, mas o goleiro Hernandez mostrou serviço. Aos 44 do segundo tempo, Neymar cobrou escanteio pela esquerda e Marquinhos usou a cabeça para fechar o placar.

BRASIL 5 x 0 EL SALVADOR

Local: Fedex Field, em Washington (EUA).
Data: 11 de setembro de 2018, terça-feira.
Horário: 21h30 horas (de Brasília)
Árbitro: Jair Marrufo (EUA). 

Cartões amarelos: Neymar, Felipe (BRA); Alfaro, Orellana (ELS)
Gols: Neymar, aos 3 minutos do 1º Tempo, Richarlison, aos 15 minutos do 1º Tempo e aos 4 minutos do 2º Tempo, Philippe Coutinho, aos 29 minutos do 1º Tempo, e Marquinhos, aos 44 minutos do 2º Tempo

BRASIL: Neto; Éder Militão, Marquinhos, Dedé (Felipe) e Alex Sandro; Casemiro (Fred); Douglas Costa (Willian), Arthur (Andreas Pereira), Philippe Coutinho (Everton) e Neymar; Richarlison (Lucas Paquetá). Técnico: Tite

EL SALVADOR: Hernandez; Tamacas, Mendoza, Domínguez e Barahona; Alfaro (Orellana); Delgado, Flores (Castro), Baires (Alvarez e depois Garcia) e Alas (Corea); Pineda. Técnico: Carlos de los Cobos