“CR7 é um egoísta, e eu nunca o queria no meu time”, diz técnico croata

tecnico-da-croacia-zlatko-dalic-em-entrevista-previa-a-final-da-copa-do-mundo-da-russia-contra-a-franca-1531561775198_v2_615x300

Técnico da seleção croata que terminou a Copa do Mundo na segunda colocação, Zlatko Dalic fez críticas a Cristiano Ronaldo depois que o português perdeu o prêmio de melhor jogador do ano da Uefa para Luka Modric. O treinador chamou o atacante de egoísta em seu comentário.

“Ronaldo não ter marcado presença na cerimônia da Uefa e os comentários acerca de Modric ter vencido nem são merecedores do meu comentário. Apenas prova aquilo que tenho dito: Ronaldo é um egoísta, e eu nunca o queria no meu time. Ele é aquele tipo de jogador que apenas pensa: ‘Não importa se perdermos, a única coisa que é importante é se marco'”, declarou Dalic, em entrevista ao jornal croata “Sportske novosti”.

Agente de Ronaldo, Jorge Mendes se manifestou publicamente contra a eleição de Modric. “O futebol se joga dentro das quatro linhas, e nesse ponto Cristiano Ronaldo ganhou. Fez 15 gols, levou o Real Madrid em suas costas e à conquista da Champions mais uma vez. É pura e simplesmente ridículo”, disse o empresário, em entrevista ao jornal português “Record”.

Além disso, Massimiliano Allegri, técnico da Juventus, confirmou que Ronaldo se irritou ao não receber a premiação. “Foi uma escolha pessoal e temos que respeitá-la. Ontem ele estava zangado. Digo apenas que na última temporada ele marcou 15 gols na Liga dos Campões. Mas isso mostra o quanto ele continua a trabalhar e quanto desejo ele tem”, afirmou. (Do UOL)

A resposta necessária

candidatas-a-presdiencia-marina-silva-e-dilma-rousseff-antes-do-debate-na-band-em-sao-paulo-1409158767331_1920x1080-600x337

Dilma respondeu a Marina Silva no Twitter. A candidata da Rede disse no Jornal Nacional que ela e Temer são “angu do mesmo caroço”, “farinha do mesmo saco”:

De tanto se esconder e se omitir dos problemas do país, a ex-senadora Marina Silva, que sempre foi dissimulada, agora difama. Fui vítima de um golpe cometido por uma aliança acusada de corrupção e gravada querendo o golpe para “estancar a sangria”.

Um golpe e um governo golpista que a ex-senadora Marina nega existir, mas que apoiou e continua apoiando. Fui vítima do golpismo do senador Aécio Neves, que não soube perder a eleição. Candidato apoiado pela ex-senadora Marina, que lutou para elegê-lo, mesmo o conhecendo bem.

Por isso, as avaliações da ex-senadora procuram esconder sua notória omissão e seus equívocos políticos. Assim, não lhe reconheço qualquer autoridade política e ética para me avaliar.

Por que o 6 a 1 é diferente do 7 a 1

Wz5zh7ap

Por Juca Kfouri

Você se lembra que a Alemanha já vencia por 7 a 0 no Mineirão quando Oscar fez o solitário gol do Brasil.

Aquele gol e nada significaram a mesma coisa.

Ontem, no Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília, Lula, como era óbvio que aconteceria, foi declarado inelegível por 6 a 1.

Afinal, não fariam tudo que fizeram, desde o despudorado impeachment até a prisão de Lula, para deixá-lo ser candidato e, provavelmente segundo as pesquisas, ganhar a eleição no primeiro turno.

img_0914

A diferença para o 7 a 1 está em que o voto de Edson Fachin, ministro também do Supremo Tribunal Federal, acolheu o pedido do Comitê de Direitos Humanos da ONU para que Lula pudesse concorrer.

Ele chegou a empatar o jogo, segundo a votar.

Aquilo que alguns chamaram de “fake news” convenceu um ministro do STF!

De duas, uma: ou Fachin não entende nada de Direito ou tem gente em débito com a verdade.

Pode-se, e até deve-se, discutir decisões judiciais parta de quem partir. As do insuspeito Fachin inclusive, como não? O que Lula tem sofrido nas mãos dele dá um livro.

Mas daí a tratar como “fake news” algo que um ministro do STF admitiu como digno de ser atendido vai uma diferença abissal.

Só que no jogo para enganar os incautos, o que vale é o resultado: 6 a 1.

Vale, também, dançar homem com homem e mulher com mulher. Vale tudo!

Haddad inicia campanha para levar adiante mensagem de Lampião

images_cms-image-000603473

A perseguição a Lula vai encontrando sérias dificuldades em se traduzir em uma perseguição ao povo brasileiro, pois o povo é soberano e fará a sua escolha nas eleições. Investido da legitimidade de ser o escolhido de Lula, Fernando Haddad dá início a um processo inédito de transmutação política, encarnando Lampião na terra natal do maior líder popular da história do Brasil, Garanhuns-PE, e se misturando ao povo que enxerga nele a resposta para a sanha persecutória de um poder judiciário mergulhado em metástase.

Haddad, ainda candidato a vice-presidente na chapa encabeçada pelo ex-presidente Lula – pois há recursos ainda a serem mobilizados pela defesa do PT –, conversou com a população de Garanhuns, usando o típico chapéu de couro do sertão nordestino.

Ao lado de Paulo Câmara, ele enalteceu a aliança entre PT e PSB no estado, destacou o crescimento da região após a chegada da Universidade Federal – obra dos governos democráticos do PT – e reforçou o compromisso do futuro governo com o desenvolvimento do nordeste como um todo.

Haddad manifestou seu otimismo, lembrando da parceira entre Eduardo Campos e Lula e apontou para uma gestão voltada para os mais pobres. Indagado pelos populares que o cercavam, o ex-prefeito usou a expressão “votar de cabo a rabo na nossa chapa”, deixando clara sua transfiguração em curso com vistas ao possível protagonismo e a imensa responsabilidade que será governar para aqueles que são a paixão de Lula e são apaixonados por Lula. (Do Brasil247)

Assista ao vídeo de Haddad em Garanhuns:

Escolha do Corinthians de todos os tempos provoca polêmica

Dl9NXAeX0AESPq1

Neste sábado, dia 1° de setembro, o Sport Club Corinthians Paulista completa 108 anos de história. Para celebrar a data, o clube resolveu propor uma enquete para eleger a seleção histórica dos jogadores que já defenderam a camisa do Timão, e divulgou a lista em seu Twitter oficial. Os nomes, contudo, não agradaram boa parte da torcida, ainda que os próprios torcedores tenham participado da votação.

A lista é composta por Cássio, Zé Maria, Rincón, Paulinho, Gamarra e Balbuena; Tevez, Ronaldo, Sócrates, Rivellino e Wladimir. A maior reclamação da torcida ficou por conta da ausência de Marcelinho Carioca, considerado um dos maiores jogadores da história do clube.

Além disso, alguns torcedores questionaram a presença de Tevez, ocupando o lugar que seria justamente de Marcelinho. Outra presença bastante criticada foi a de Balbuena, que recentemente deixou o clube para defender o West Ham, na vaga que seria de Chicão.

00151486-1024x727

 

Ganso tenta recomeço na Europa defendendo time francês sem títulos

amiens-anuncia-a-contratacao-de-ganso-1535742542361_615x300

Paulo Henrique Ganso deixou o São Paulo com a expectativa de se firmar na Europa. Mas a passagem pelo Sevilla se tornou um pesadelo e o meia entrou em campo poucas vezes em duas temporadas. No último dia da janela de transferências europeia, acabou emprestado para o modesto Amiens, time que disputará pela segunda vez em sua história a primeira divisão do Campeonato Francês.

Fundado em 1901, o modesto clube do norte do país europeu tem como maior destaque em sua história o vice-campeonato da Copa da França em 2001. Na ocasião, perdeu nos pênaltis para o Strasbourg. Em sua sala de troféu, a maior glória é a terceira divisão do Campeonato Francês, conquistada em 1978.

A falta de título talvez possa ser explicada pelos grandes períodos em que o Amiens deixou de ser profissional, o que dificultou uma ascensão local. A primeira profissionalização aconteceu em 1933 e durou até 1952. O clube só voltaria a ser profissional novamente em 1993.

Acostumado a jogar nos últimos anos em um estádio para 45 mil pessoas no Sevilla, Ganso encontrará uma realidade distinta na França. O Amiens manda seus jogos no Stade de la Licorne, um estádio com capacidade para 12.097 pessoas e que foi construído em 1999.

No clube francês, o meia não terá a companhia de nenhum brasileiro, mas encontrará um jogador com experiência por aqui. O colombiano Stiven Mendoza colecionou passagens por Corinthians e Bahia antes de ser vendido para o Amiens na última temporada.

Para contar com o brasileiro, o Amiens venceu a concorrência do AEK, da Grécia. Tanto Ganso quanto o Sevilla acharam que uma ida por empréstimo para a França seria financeiramente e esportivamente melhor, já que o campeonato local tem um nível técnico superior ao grego. (Do UOL)