‘Prefiro morrer de fome na Venezuela do que agredido aqui’, diz imigrante atacado em Roraima

15346117295b785111ee324_1534611729_3x2_lg-600x400

Do G1

Venezuelanos atacados por brasileiros em um ato em Pacaraima, cidade na fronteira, relataram terem sofrido sucessivas agressões neste sábado (18). Pela manhã, moradores da cidade praticaram atos de violência, destruíram acampamentos e expulsaram os imigrantes da ruas. Com medo, muitos deles decidiram voltar a pé para o país.

O tumulto na fronteira começou por volta das 7h deste sábado quando moradores de Pacaraima incendiaram pertences de imigrantes depois de um comerciante brasileiro ter sido assaltado na cidade. A suspeita é que venezuelanos tenham cometido o crime, o que revoltou a população.

A família do mecânico Marido Alexander Pérez, de 38 anos, foi uma das vítimas do tumulto. Eles deixaram a cidade de El Tigre há quatro meses viviam em um barraco às margens da BR-174, em um acampamento improvisado.

Inconsolável, a esposa de Pérez, Yaretsi Corrêa, 37, chorou bastante ao ver que todo alimento que ela estava guardando para levar para os filhos na Venezuela foi queimado. Além disso, todos os documentos deles, como Cédula Venezuelana, CPF brasileiro, cartão do SUS, diploma universitário e certificado de conclusão da escola, foram incendiados.

“Eles [brasileiros] nos disseram que se continuarmos aqui vão nos matar. Vou estar mais tranquila quando cruzar a fronteira”, Yaretsi disse. A família decidiu voltar para a Venezuela. Eles cruzaram a fronteira até a aduana e de lá iriam tentar carona até Santa Elena.

“Prefiro morrer de fome na Venezuela com minha família do que ser morto agredido aqui”, afirmou Pérez, ao ser questionado se ainda voltaria ao Brasil. Eles também relataram que no momento dos ataques agentes da Força Nacional de Segurança ficaram o tempo todo presente, mas não atuaram para impedir as agressões cometidas pelos brasileiros.

“A Força Nacional estava presente aqui durante tudo e não fez nada. Parecia que estavam protegendo os brasileiros que nos agrediram”.

(…)

3 comentários em “‘Prefiro morrer de fome na Venezuela do que agredido aqui’, diz imigrante atacado em Roraima

  1. É isso que dá fazerem vista grossa. Não é de hoje essa invasão de venezuelanos não só em RR, mas já em toda a Região Norte. É mais um retrato de como a região é tratada pelo governo federal.

    Curtir

  2. Não foi apenas um simples assalto ao comerciante brasileiro, ele foi agredido e encaminhado ao hospital. A mídia está colocando o povo de Raraima como culpados pela situação, não temos culpa se o ditador maduro destruiu a Venezuela, não acho correto a violência, mas aqui em Boa Vista a cidade está perdendo o controle, não havia tantos crimes, aqui não é um local com grandes oportunidades de emprego, muitos imigrantes chegam aqui e não conseguem trabalho, alguns vão pras ruas pedir ajuda ou vender algo, mas muitos resolvem roubar e matar! O governo Federal precisa distribuir a população migratória de forma justa e inteligente para outros estados! Roraima e em especial aqui em Boa Vista, está perdendo forças, e inclusive os recursos que já são escassos, e se encaminhando para uma situação precária, aonde a miséria toma conta de cada esquina, crimes e a violência aumentam a cada dia, por culpa do governo brasileiro que não age, causando assim impaciência, raiva, e ainda ,induzindo o povo a agir com violência.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s