Povão põe a correr provocadores reunidos diante da casa de Lula

mtstsbc

Mais cedo, recebi o vídeo de meia dúzia de provocadores irem para a frente do prédio onde mora Lula, em São Bernardo do Campo. Típica provocação fascista com a qual aqui jamais se concordou, mesmo quando era contra “direitistas”, porque “escracho” é método fascistoide.

Duas horas depois, mais de uma centena de moradores da ocupação “Povo sem Medo”, no mesmo município, os puseram a correr. Sem agressão, sem bravatas, sem valentias infantis.

As massas populares são disciplinadas, ao contrário da pequeno-burguesia radicalizada, que tem em seu umbigo o centro do universo.

Na disputa política, vence quem ganha apoio e perde quem o espanta.

(Do Tijolaço) 

Três times levam mais de 30 mil pagantes aos estádios na abertura dos estaduais

Remo-550x310

POR MARCOS PAULO LIMA, no Correio Braziliense

Pelo menos quatro torcidas provaram indo ao estádio que estavam com saudade dos seus times. Cruzeiro, Palmeiras e o Remo-PA colocaram mais de 30 mil pagantes no Mineirão, no Allianz Parque e no Mangueirão, respectivamente. Atual campeão paulista e do Campeonato Brasileiro, o Corinthians atraiu 19.622 pagantes ao Pacaembu na derrota para a Ponte Preta.

O melhor público da primeira rodada dos campeonatos estaduais é do Cruzeiro. A Raposa levou 33.187 pagantes ao Mineirão na vitória por 2 x 0 sobre o Tupi. Uma das atrações era a estreia do centroavante Fred, o principal reforço do time celeste para a temporada.

Ansiosa para ver o timaço montado para 2018, a torcida do Palmeiras colocou 31.678 pagantes no Allianz Parque na vitória por 3 x 1 sobre o Santo André. Lucas Lima, um dos estreantes da noite, não decepcionou e marcou um golaço na primeira exibição pelo clube.

E Belém do Pará? A cidade mais apaixonada por futebol no país ficou fora das 12 sedes da Copa de 2014, mas continua lotando estádio. No último domingo, o Remo levou 30.860 pagantes ao Estádio Olímpico Mangueirão na goleada por 3 x 0 sobre o Bragantino, na abertura do Campeonato Paraense. E lá não tinha nenhum Fred ou Lucas Lima para atrair o povo.

Sem a Arena Corinthians, o Timão usou o Pacaembu na estreia diante da Ponte Preta. A Fiel levou 19.622 pagantes ao estádio na primeira exibição no ano. No Campeonato Gaúcho, o Internacional derrotou o Veranópolis com 12.649 pagantes no Beira-Rio.

Vasco e Botafogo também jogaram em casa na primeira rodada dos estaduais. Em crise política, o time cruz-maltino perdeu por 2 x 0 para o Bangu com portões fechados. O Botafogo empatou com a Portuguesa diante de 4.055 pagantes.

Entre os 12 gigantes do futebol brasileiro, Flamengo, Fluminense, Atlético-MG e Grêmio não jogaram como mandantes na primeira rodada dos estaduais.

Baú, Caixa e malas. E nem assim emplacam o golpe da Previdência

bau

A performance no programa de Sílvio Santos, vagas a serem preenchidas com o afastamento – a contragosto –  dos vice-presidentes da Caixa colocados em situação suspeita por uma auditoria, bilhões em verbas oficiais e nem assim a coisa vai bem para Michel Temer aprovar a reforma da Previdência na Câmara.

Kennedy Alencar, um dos raros comentaristas de política que escapa da simples  aceitação servil e submissa da pauta do “mercado” disse hoje na CBN que o “quem quer dinheiro” pouco adiantou:

Apesar do discurso público otimista do presidente Michel Temer, que faz parte do papel dele, a situação nos bastidores continua exatamente do mesmo jeito que em dezembro passado. O governo continua a busca por mais 50 votos a fim de levar a proposta ao plenário da Câmara em 19 de fevereiro, como marcou o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para aprovar a reforma na Câmara, são necessários 308 votos em dois turnos. Até ontem, ministros e articuladores políticos do governo no Congresso diziam que não tinham esses votos. 

A “esperança” da reforma, cochicha-se nem sempre em murmúrios apenas, está no dia 24. Acham que uma condenação de Lula por 3 a 0 deixará os renitentes a salvo de uma maré eleitoral onde o voto contra as aposentadorias possa impedi-los  de surfar.

É improvável que, mesmo ocorrendo o “placar dos sonhos” no TRF-4 altere-se o “placar do desejo” da votação da reforma. É que, até agora, o primeiro está mais no foco das atenções que o segundo e estes planos se inverterão, até porque a cassação de uma candidatura de Lula vai encontrar, de imediato, suas representações em questões objetivas.

É por isso que o MP, disposto a condenar Lula a penas maiores, beirando a eternidade, se preocupa em avisar que ele não será preso de imediato. Se quebrarem o cristal da legalidade, sabem que passam a andar sobre cacos de vidro. (Por Fernando Brito, no Tijolaço)

CBF vai exigir carteira de trabalho para inscrever atletas no BID