Leão já vendeu mais de 8 mil ingressos para o jogo de estreia

torcida

O Remo acertou em cheio ao lançar a promoção de venda antecipada de ingressos para o Parazão. Até o momento, o clube já vendeu mais de 8 mil ingressos para o jogo de estreia no Campeonato Estadual, dia 14, contra o Bragantino. Os bilhetes antecipados estão sendo comercializados com preços promocionais. Foram colocados à venda 10 mil ingressos no valor de R$ 20,00 (arquibancada) e R$ 40,00 (cadeira). Quando esse primeiro lote se esgotar, as entradas ficarão mais caras – R$ 30,00 e R$ 60,00, respectivamente.

O torcedor pode adquirir os ingressos nas lojas oficiais do clube, localizadas nos seguintes endereços: sede social, Espaço Azulino, shoppings Castanheira, Pátio Belém, Boulevard e Parque Shopping, supermercados Formosa da Cidade Nova (Ananindeua), Umarizal e Augusto Montenegro e no IT Center (Senador Lemos).

Contrato de patrocínio do Parazão será firmado na segunda-feira, 8

Será na próxima segunda-feira (8), às 9h, no Palácio dos Despachos, a assinatura oficial do contrato de patrocínio do Campeonato Paraense entre a Cultura Rede de Comunicação, o Banpará e a Federação Paraense de Futebol (FPF). O Governo investirá mais de 6 milhões de reais na competição.

Pelos direitos de transmissão exclusiva do evento, como já ocorre há oito anos, a TV Cultura vai destinar R$ 2.956.800,00. Desse valor serão retiradas as premiações para os quatro melhores times do campeonato. O campeão receberá R$ 212 mil, o segundo R$ 159 mil, o terceiro R$ 106 mil e o quarto R$ 53 mil. Também já ficou definido que o campeonato será chamado “Banparazão” em referência ao banco, que mantém em 2018 o mesmo valor destinado no ano passado: R$ 3.400.800,00.

O Banparazão 2018 terá a participação de 10 clubes e começará no dia 13 de janeiro, com as partidas entre Águia x Castanhal, em Marabá, e Independente x Paragominas, em Tucuruí. A transmissão da TV Cultura começa com o jogo Remo x Bragantino, no dia 14, às 16h, no estádio Jornalista Edgar Proença. (Com informações da Agência Pará)

Leãozinho faz 2º jogo na Copa SP

O Remo disputa nesta sexta-feira (05), às 13h, seu segundo jogo na Copa São Paulo de Futebol Juniores diante da Portuguesa de Desportos, no estádio do Canindé. A equipe azulina tem a obrigação de vencer para evitar a eliminação precoce no grupo 32 da competição.

O time treinou ontem no CT da Lusa, sob o comando do técnico João Nasser (Netão), que ainda não definiu a formação que começa jogando. O Remo perdeu na estreia para o América-MG por 2 a 0. Já a Lusa venceu o Teixeira de Freitas (BA), por 1 a 0, e divide a liderança do grupo com o time mineiro.

Petrobras pagou 3 vezes mais do que o escritório de NY esperava

DSxGt69XcAATZWS

POR LUIS NASSIF, no Jornal GGN

De um profundo conhecedor do mercado jurídico de Nova York:

O acordo da Petrobras tem vários ângulos que estão sendo pouco comentados na mídia.

  1. A postura da atual administração da Petrobras foi de que a empresa é de fato culpada porque o PT roubou etc, portanto tem que pagar etc. Para expiar a culpa do Governo Lula, a mídia oficialista tem repercutido essa atitude, dizendo que o acordo tinha que ser feito, era inevitável.

Quem entra em um processo judicial já se sentindo culpado vai ter o pior resultado possível. A PETROBRAS FOI MUITO MAL DEFENDIDA NESSE PROCESSO.

Esses esquemas profissionais de extorsão são constituídos por especuladores que compram ações para processar, são especuladores profissionais perfeitamente conhecidos no mercado americano, não são litigantes de boa fé como seriam os acionistas originais que se sentiram lesados.

Um acionista normal não vai colocar dinheiro para montar um processo de sucesso duvidoso. Só “esquemas”  especulativos com foco em “acordos” investem nisso em sociedade com escritórios de advocacia ultra especializados nesse tipo de ação, como é o caso do Wolf Popper, que opera na área há décadas.

O maior acordo já feito por esse escritório é de US$ 150 milhões (acordo Citco). Os demais são de 8, 15 ou 17 milhões de dólares. O valor desse acordo é MAIOR que o lucro da Petrobras em um ano, o que é uma aberração. É  o maior acordo jamais fechado por uma companhia estrangeira nesse tipo de ação.

  1. Esses esquemas usam muito a mídia para INFLAR seu “preço alvo”, inventam que a condenação da Petrobras seria de 8 bilhões. Mas eles esperavam em torno de 1 bilhão  de acordo, segundo comentários em outros escritórios de NY. A proposta de quase 3 bilhões foi uma bomba, um valor absurdo porque as perdas JÁ foram em grande parte recuperadas na alta posterior das ações da Petrobras.

Eles espalharam inclusive na mídia brasileira que a condenação seria muito maior mas não há nenhuma evidencia disso PORQUE o processo criminal que reconheceria a existência de corrupção  que corre no Departamento de Justiça AINDA não foi concluído. Esse processo seria a BASE LEGAL para as “class actions” dos minoritários. 

3. Então a Petrobras fechou acordo com os minoritários ANTES que o Departamento de Justiça a declarasse culpada da causa que justificaria o acordo com os minoritários. Todos esperavam que a decisão sobre as “class actions” tivesse seu desfecho APÓS a decisão do Departamento de Justiça e não antes.
Pior ainda, ao fechar o acordo com os minoritários a PETROBRAS confessa sua culpa, o que vai pegar muito mal no Departamento de Justiça, onde a culpa AINDA estava sendo apurada e não há nenhuma indicação de que a PETROBRAS seria considerada culpada.

Esse processo no Departamento de Justiça corre solto. O Governo do Brasil NENHUMA VEZ usou, e esperava-se que usasse, sua força política em Washington para fazer lobby junto ao Departamento. Todos os governos quando têm problemas em Washington usam lobby em cima da administração.

NÃO É USUAL o Departamento de Justiça processar empresa estatal de pais aliados e amigo dos EUA. Mas NENHUMA AUTORIDADE brasileira sequer telefonou ao Attorney General pedindo consideração nesse processo onde a Petrobras não é culpada, é vitima. A Petrobras está deixando correr solto esse processo, na mesma linha “somos culpados , é bom que condenem porque aí se joga a culpa no PT”.

  1. A maior acionista da Petrobras é a União, portanto esse acordo afeta o INTERESSE PÚBLICO diretamente. Pergunta-se: a advogada geral da União acompanhou esse acordo, ou tudo ficou a cargo da administração atual da Petrobras?

A advogada geral da União deveria ter ido a Nova York, falar com o juiz do processo. Isso é normal, possível e esperado, para ter uma visão própria e não filtrada pela Petrobras sobre esse mega processo com mega prejuízo para o Brasil. É um processo que afeta o interesse da União, vai acabar com o lucro e impedir dividendos da Petrobras em 2018. A AGU se mexe em casos muito menores. Pergunta-se: ao menos a AGU foi CONSULTADA sobre o acordo?

  1. O panorama geral de tudo isso é que esse acordo vai ser jogado na conta do PT. A Petrobras não se defendeu como seria de sua obrigação, o Governo do Brasil se omitiu porque achou que esse assunto é da cota do PT, quando a espetada vai direto no bolso dos brasileiros e no preço da gasolina no Brasil.

Esse acordo é um caso muito sério para passar batido. Os “grandes gestores” da Petrobras estão vendendo tudo para depois pagar aos especuladores de Nova York esse prêmio de Ano Novo? Muitos dos bons ativos vendidos ultimamente pela Petrobras não chegam ao valor desse cheque novaiorquino.
É um assunto que mereceria uma ação popular enquanto é tempo.
Um abraço.