Jingle Hell, 15 anos de Natal Rock

31543062980_0541daf076_k

A balada no estilo porão rock, realizada pela Se Rasgum Produções, já tem tradição de reunir amigos em pleno Natal. Depois que a ceia está posta e os costumes familiares todos já foram realizados, o Natal, pra muitos, acaba sendo uma programação sem muita animação pra quem não viajou e comemora o 25 de dezembro em Belém. Paralelamente à tradição religiosa ou familiar, uma outra tradição dá as caras nos primeiros minutos da madrugada natalina. A Jingle Hell, que em 2017 comemora 15 anos, será realizada mais um ano com shows e discotecagens que emanam o melhor do porão rock no Ziggy Hostel Club.

Shows e discotecagens levam a programação de 23h59 da noite do dia 24 de dezembro até 6h da manhã do dia 25 com músicas do anos 80, 90, indie rocks, britpop, surf music, garage punk, northern soul, ska, r&b e muito mais. Como de costume, a banda Presidente Elvis se apresenta tocando Pixies, Yo La Tengo, Sonic Youth, David Bowie, Joy Division, Band of Horses entre outros artistas do rock internacional. Nessa edição, pela primeira vez, a Jingle Hell ocupa as dependências do Ziggy Hostel Club, com porão, quintal e café abertos e em pleno funcionamento.

31108015703_9fcdae2308_k

“A Jingle Hell é confraternização, uma festa que tem mais a ver com afeto do que com qualquer outra coisa. Normalmente é a festa mais louca do ano. Talvez em parte pelo fato óbvio da data de celebração e reencontro, outra boa parte por que já começa no meio da bagaça, depois da ceia e tal, moçada meio calibrada numa festa sem pose, meio esculhambada – no sentido mais delicioso da palavra. E como começa tarde, normalmente acabava cedo: lembro de festas no Café com Arte ainda estarem acesas oito e meia, nove da manhã. Esse clima, agora no Ziggy, continua tão especial quanto. São quinze anos, mas a vibe da moçada, de veterano com molecada, funciona como nunca. É um espírito que não morreu numa geração. Espírito que a Se Rasgum simplesmente congrega”, comenta Gustavo Rodrigues, vocalista da Presidente Elvis que não perde nenhum natal Jingle Hell.

Completando a programação e divididos em duas pistas, porão e café, uma seleção de DJs faz a noite natalina da Jingle Hell meio do avesso, sem clima natalino e sim clima de festa rock. Os convidados da noite são os DJs Aloízio & Natália (Razzmatazz SP), Benjamin Ferreira e Tiago Trindade, paraenses que não moram em Belém mas que sempre estão presentes na festa, além da DJ Lux, representante da Se Rasgum Produções.

Os ingressos estão disponíveis antecipadamente com vendas pela plataforma online Sympla, e podem ser garantidos através do endereço sympla.com.br/serasgum. A portaria da festa abre, religiosamente, às 23h59.

—————————————————————————————

JINGLE HELL – ANO 15

24 de dezembro, às 23h59

Ziggy Hostel Club – Trav. Benjamin Constant, 1329, entre Av. Nazaré e Av. Braz de Aguiar.

————————————————————————————–

Show: Presidente Elvis

DJs: Aloízio & Natália (Razzmatazz SP), Tiago Trindade, Benjamin Ferreira e Lux.

——————————————————————————————-

Ingressos antecipados – R$ 30 no smypla.com.br/serasgum

Na bilheteria do Ziggy a partir de 23h59.

Realização: Se Rasgum Produções.

Romário admite se lançar candidato à presidência da CBF

Um dos maiores críticos da atual gestão da CBF, o senador Romário (Podemos-RJ) revelou nesta terça-feira que poderá se candidatar à presidência da CBF. O ex-jogador confirmou esta possibilidade ao comentar a punição aplicada a Marco Polo Del Nero, que teve de afastar do comando da entidade nacional após a Fifa suspendê-lo, na última sexta-feira, por 90 dias de qualquer atividade ligada ao futebol.

Grande nome do tetracampeonato mundial conquistado pela seleção brasileira na Copa de 1994, o ex-atacante revelou a chance de se candidatar à presidência da CBF por meio de uma publicação em sua rede social Instagram, ilustrada com a frase “Um presidente para a CBF” à frente de uma foto da sede da entidade. No post, ele também ressaltou que hoje “não existe democracia na CBF” e apontou que o atual estatuto do organismo “protege os corruptos”.

20171219212956425309o

“Depois que a Fifa suspendeu o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, de qualquer atividade relacionada ao futebol em nível nacional e internacional, existe uma pergunta no ar: quem será o próximo presidente da CBF? A resposta correta é dizer que será um daqueles vices viciados e corruptos, que fazem parte do sistema instalado por Havelange, mantido por Teixeira e todos os outros que os sucederam”, afirmou Romário, ao iniciar a sua publicação desta terça.

Em seguida, ele ressaltou: “Mas qual seria a resposta ideal? Nossa utopia é ver alguém que ama futebol naquele cargo. Hoje está um que ama dinheiro e é capaz de matar o futebol para obtê-lo. E o fez nos últimos anos, vulgo o 7 a 1 (na semifinal da Copa de 2014, contra a Alemanha). O futebol brasileiro chegou ao fundo do poço em termos de vergonha. Não bastassem os vexames em campo, pela falta de renovação, passamos vergonha internacionalmente por ver os gestores do futebol presos ou indiciados”.

Romário, entretanto, deixou claro que não apenas seguirá criticando os atuais dirigentes da CBF, mas sim possui ambição de poder comandar a entidade. “Muitos me perguntam se eu sou candidato, afinal, ninguém mais lutou tão vigorosamente contra essa quadrilha e é legítimo que eu me candidate. Então, sim, a resposta é posso sim vir a ser candidato. Tenho todos os pré-requisitos para isso. Toda minha contribuição para o futebol, dentro e fora de campo, são as minhas credenciais. Hoje a CBF gasta mais com luxo de dirigente do que com investimento no futebol em si. Além dos roubos comprovados pela CPI, como compra de sede superfaturada e contratos de patrocínios fraudulentos”, atacou.

Depois, ao finalizar a sua publicação, Romário já falou como um candidato ao enumerar possíveis medidas que pretende promover caso consiga ser eleito presidente da CBF.

“Temos que fechar essa torneira de corrupção e investir nos jovens atletas, voltar o esporte um pouco para o social, investir no futebol de base e no futebol feminino. O esporte tem um poder transformador e, aliado a isso, junto com as federações, os clubes, os atletas e os torcedores, promover um futebol bom pra todos. Mas da forma como está o estatuto hoje, ninguém de fora da estrutura pode ser candidato. Não existe democracia na CBF. Os corruptos se protegem”, escreveu.

Por fim, Romário destacou: “Já lancei o movimento por Diretas Já na CBF. Agora clamo a todos que amam o futebol e estão cansados de tanta sacanagem a se juntar a mim nessa causa. Jogadores, ex-jogadores, técnicos, clubes, empresários e até presidentes de federação que queiram a mudança. Vamos juntos!”. (Do Super Esportes)

Sport enxuga folha, libera 6 atletas e aguarda decisão de Diego Souza

Wesley

O ano de 2017 está perto do fim e em Recife o lado rubro-negro teve que suar para se manter na elite do futebol brasileiro. Após bom início de Campeonato Brasileiro, o Sport teve uma queda brusca de aproveitamento mesmo com alguns jogadores se destacando individualmente. O planejamento para 2018 já começou, algumas renovações já foram garantidas enquanto outros atletas recebem sondagens e propostas para sair. O diretor executivo do Sport falou em coletiva de imprensa sobre o balanço do ano.

“O segundo semestre foi bem difícil, principalmente depois de uma série de coisas que aconteceram. Tivemos de administrar algumas coisas pesadas, mas, felizmente conseguimos nos manter. Não era o que pretendíamos, a nossa intenção era lutar na parte de cima da tabela.”, avaliou Alexandre Faria.

Jogando menos competições, a situação do elenco também vai mudar, já que o clube disputará bem menos jogos. Isso vai refletir na folha salarial, de acordo com Faria. “Sem dúvidas que iremos passar por uma readequação. Já temos algumas estratégias definidas. Os atletas que ainda não renovamos já fazem parte do nosso planejamento. A ideia é diminuir a nossa folha mensal de 20 a 25%. Essa redução passa pelo número de jogadores que teremos no elenco. Nesse ano jogamos 81 partidas. Sem jogar Copa do Nordeste e Sul-Americana a expectativa é jogar entre 55 e 60, dependendo da evolução da Copa do Brasil.”, disse.

Sobre o plantel para o próximo ano, o diretor comentou sobre renovações e dois atletas que estão com sondagens de outros clubes. “Quando tem outros times envolvidos na negociação. Patrick, Anselmo e Mena tem uma terceira parte interessada.Temos vontade de renovar com eles, e essa vontade é mútua. Estamos tratando esses casos com zelo e  vamos respeitar o tempo de cada um. Nossa intenção é de renovar de maneira consciente para respeitar o nosso orçamento para 2018.”

Sobre Diego Souza, diz que pretende ficar com o atleta até o final do contrato. “Ele pertence ao Sport. O contrato é até o final de 2018. Não adianta o São Paulo ter interesse e não falar com o Sport. Em nenhum momento esse assunto foi falado com nós. Não chegou nenhuma proposta pelo Diego. Pretendemos fazer jus ao contrato dele e contar com ele ano que vem.”, disparou.

Nesta quinta-feira, o Sport anunciou que não irá renovar com seis atletas para 2018. São eles: Neris, Igor Ribeiro, Rodrigo, Marquinhos, Wesley (foto) e Osvaldo. Os jogadores têm contrato com o Leão até o fim de 2017, e não fazem parte dos planos do clube na próxima temporada. Além dos seis, o zagueiro Jefferson e o meia Bruno Xavier também estão de saída do clube. Porém, quatro jogadores retornam de empréstimo de outros times: o zagueiro Matheus Ferraz, os volantes Neto Moura e Fabrício e o meia Pardal.

O volante Wesley e o atacante Osvaldo eram considerados nomes de peso, mas não conseguiram cair nas graças da torcida. Wesley inclusive, foi um pedido pessoal do ex-treinador do clube Vanderlei Luxemburgo. (Da Gazeta Esportiva)

Dewson Freitas está na lista dos dez melhores árbitros da temporada

20171221131425636841e

Depois de escolher o melhor árbitro e os melhores assistentes do Brasileirão deste ano, no começo do mês, a CBF divulgou nesta quinta-feira a relação dos 10 melhores de cada função, incluindo a lista de quarto árbitro, em atuação no Campeonato Brasileiro.

As listas foram elaboradas a partir do Relatório de Análise de Desempenho da Arbitragem (RADAR), realizado ao longo do Brasileirão. Segundo a CBF, o sistema ajuda a avaliar a atuação deles de “maneira mais científica e menos subjetiva”.

O trabalho foi feito por analistas de campo e vídeo, treinados para a utilização da nova ferramenta, criada em parceria da CBF com a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF), no início do ano. Foram avaliados a marcação de faltas, impedimentos e cartões. “Além disso, questões de atitude perante aos jogadores e em relação ao contexto do confronto também são conceituadas”, garantiu a entidade.

Assim, para listar os dez melhores de cada função, a CBF levou em consideração o números de jogos disputados, a média de escalas, as partidas com interferência, o número de vezes entre os três melhores do ranking da rodada.

No início do mês, a entidade já havia premiado Raphael Claus (SP/FIFA) como o melhor árbitro do Brasileirão. Guilherme Dias Camilo (MG/FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO/FIFA) foram eleitos os melhores assistentes.

rib7065

Na lista dos melhores árbitros, Claus foi seguido por Ricardo Marques Ribeiro, Wilton Pereira Sampaio, Anderson Daronco, Marcelo Aparecido de Souza, Marcelo de Lima Henrique, Sandro Meira Ricci, Rafael Traci, Dewson Fernando Freitas da Silva (foto acima) e Pericles Bassols Pegado Cortez.

No Top 10 dos assistentes, Guilherme Dias Camilo e Bruno Raphael Pires encabeçaram a lista. Após a dupla, vieram Leone Carvalho Rocha, Kleber Lucio Gil, Alex Ang Ribeiro, Rafael da Silva Alves, Marcelo Carvalho Van Gasse, Daniel Luis Marques, Bruno Boschilia e Anderson José de Moraes Coelho.

A CBF divulgou ainda a lista dos melhores quartos árbitros: Marcio Soares Maciel, Alberto Poletto Masseira, Michael Stanislau, Carlos Henrique Alves de Lima Filho, Edson Antonio de Sousa, Fabio Rogerio Baesteiro, Rafael Trombeta, Ricardo Pavanelli Lanutto, Alex dos Santos e Vitor Carmona Metestaine. (Do Super Esportes)

Escolha do paraense Dewson é mais do que merecida. Surreal é a inclusão de Sandro Meira Ricci, o pior árbitro brasileiro dos últimos tempos – que, aliás, representará o país na Copa do Mundo. 

Gigantes argentinos na rota dos brasileiros na Libertadores 2018

DRiLLfEWAAYRikD

Os argentinos estarão no caminho dos clubes brasileiros na Copa Libertadores 2018. Em sorteio realizado na noite desta quarta-feira, na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai, o Corinthians vai duelar contra o Independiente, o Palmeiras caiu no grupo do Boca Juniors, Santos vai enfrentar o Estudiantes, e o Flamengo, o River Plate.

No grupo do Timão, atual campeão brasileiro, o Independiente aparece como principal adversário. A equipe argentina é a atual campeã da Sul-Americana, tendo vencido o Flamengo na decisão. Além do Rei de Copas, Millionarios-COL e Deportivo Lara-VEM integram a chave.

No caso alviverde, vice brasileiro de 2017 e que tem como adversários certos o Boca Juniors e o Allianza Lima-PER, resta ainda a definição de um último integrante na chave. Esta equipe será o Ganhador 4, que sairá do duelo C4 x C5. Assim será o vencedor de Carabobo-VEN x Guaraní-PAR, e (Montevideo Wanderers ou Olimpia) x Junior Barranquilla-COL.

Terceiro colocado do Brasileirão, o Santos é outra equipe brasileira que ainda não conhece todos seus adversários. Além de Estudiantes e Real Garcilaso-PER, o Peixe poderá encarar a Chapecoense. A definição virá do Ganhador 2, que sairá do vencedor de Chapecoense x Nacional (URU), e Banfield (ARG) x Independiente Del Valle (EQU).

Outro grupo com possibilidade de duelo entre brasileiros é o 5, encabeçado pelo Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil. Universidade de Chile e Racing-ARG também integram a chave, além do Ganhador 3, que poderá ser o Vasco. A definição virá de Oriente Petrolero ou Universitario x Jorge Wilstermann (BOL) e Concepción-CHI x Vasco.

A situação de Palmeiras, Santos e Cruzeiro se repete com o Flamengo. No grupo 4, além de River Plate e Emelec, o Rubro-Negro irá encarar o Ganhador 1, representado pelo duelo C1 x C8, ou seja: Macará ou Deportivo Táchira x Independiente Santa Fe (COL), e Santiago Wanderers (CHI) x Melgar (PER).

Já o Grêmio, atual campeão da Libertadores, tem um grupo mais tranquilo em comparação aos outros brasileiros. Cabeça de chave, o Tricolor vai encarar Cerro Porteño-PAR, Defensor-URU e Monagas-VEN.

PRÉ-LIBERTADORES – As duas equipes brasileiras que disputarão a fase prévia da Libertadores, Vasco e Chapecoense, também conheceram seus adversários do mata-mata nesta quarta. O Vasco pega o Universidad Concepción-CHI, e se vencer terá pela frente o vencedor de Jorge Wilstermann-BOL x Oriente Petrolero-BOL ou Universitario-PER. Já a Chapecoense vai reencontrar o Nacional-URU no confronto de estreia. Se avançar, terá que encarar o vencedor de Banfield-ARG x Independiente Del Valle-EQU para chegar na fase de grupos. (Do Terra Esportes)

DRh7x2XX4AAg6Lw

Grêmio teve superávit de R$ 13,7 milhões no terceiro trimestre de 2017

gremio-1

construção da estátua para o técnico Renato Gaúcho não foi o único assunto da reunião do Conselho Deliberativo, na noite da última quarta-feira. Na oportunidade, a direção do Grêmio levou para debate assuntos como os demonstrativos contábeis e financeiros do terceiro trimestre de 2017 e o orçamento de 2018.

O destaque da reunião foi o resultado superavitário do terceiro trimestre de 2017 no valor de R$ 13,7 milhões. Além disso, ocorreu a redução de R$ 18 milhões na dívida total do clube em relação ao mesmo período do ano de 2016. O Grêmio também apresentou o aumento de R$ 22 milhões no ativo circulante, sendo a Receita Bruta do período no valor de R$ 250,3 milhões.

Com 93 mil sócios em dia, o Quadro Social teve um aumento de 26% em relação ao mesmo período do ano anterior. As receitas da Loja Grêmio Mania cresceram 80% frente a 2016. Para 2018, foi aprovado o orçamento no valor de R$ 296 milhões, sendo a obtenção de R$ 62 milhões em venda de atletas. Com isso, o Tricolor Gaúcho pretende fazer dinheiro negociando Luan, Arthur e outros jogadores.

O Balanço Patrimonial e os demonstrativos contábeis e financeiros do terceiro trimestre serão disponibilizados no Portal de Governança a partir de 26 de dezembro. (Por Eduardo Bertuol/RS, na Gazeta Esportiva) 

Lula: “A harmonia vai voltar ao Brasil”

entrevlula

Ainda que com um pouco de atraso, não dá para deixar de refletir sobre a ótima e mal-aproveitada entrevista (exceção feita a Monica Bergamo, que a resumiu na Folha, que reproduzo ao final) de Lula à grande imprensa, ontem.

A calma de Lula não apenas impressiona como é, creiam, a tradução de parte do que ele falou e a estratégia com que pretende enfrentar a campanha.

É a sua plataforma, no essencial: devolver ao Brasil um clima de normalidade e crescimento econômico, porque foi a anormalidade em que mergulhamos que nos levou, em grande parte, ao processo de crise, recessão e empobrecimento.

Foi da Justiça de exceção de Sérgio Moro que partiu, usando a mídia como vetor, a vida de exceção em que o Brasil afundou.

Lula percebe o desejo silencioso da maioria da população – que não está berrando no facebook ou nos programas da Globo – que eu chamei aqui, uma vez, de “banzo da normalidade“.

O Brasil que saiu do experimento facistóide da aliança Justiça- Mídia – PSDB só levou à crise, carências e atraso. Isso é algo que não há discurso “antiLula” que possa esconder.

Por isso, curiosamente, uma candidatura de esquerda vai ter o nada desprezível argumento eleitoral de que é ela que pode assegurar que “a vida volte ao normal”, razão que, em geral, é invocada pela direita para obter apoio nas eleições.

Lula, se o deixarem concorrer, será eleito não só pelo povo, mas pela memória do povo, algo que seus adversários não têm.

——————————————————————————————-

O bom senso vai prevalecer neste país

A entrevista de Lula, por Monica Bergamo

“Faz muito tempo que a gente não conversa. Eu então tomei a decisão de, neste final de ano, tomar um café com vocês e tentar matar a saudade. E ver o que vocês tanto querem perguntar e se eu vou saber responder”, disse Lula.

“Vou tentar ter o melhor humor possível. De vez em quando eu vejo alguém dizer que estou mal humorado. Eu não poderia estar mal humorado porque sou corintiano. E estou em primeiro lugar nas pesquisas [eleitorais]. Se tem alguém que está mal humorado neste país não sou eu.”

O ex-presidente afirmou que “a gente continua vivendo no Brasil um momento atípico na política” que só será normalizado quando “o povo eleger diretamente um presidente ou uma presidenta da República”.

Lula, que será julgado no dia 24 de janeiro pelo caso do tríplex, disse que não teme ser condenado nem preso e que será candidato “enquanto o PT quiser” e ele puder recorrer à Justiça para se manter na campanha.

Leia abaixo trechos da conversa:

JULGAMENTO

A minha condenação será a negação da Justiça. Porque a Justiça vai ter que fazer um esforço monumental para transformar uma mentira em verdade e julgar uma pessoa que não cometeu crime.

A sentença do juiz [Sergio] Moro me condenando, aos olhos de centenas de juristas, até de fora do Brasil, é quase que uma piada.

Eu tenho a tranquilidade de que vou ser absolvido porque para um cidadão ser condenado ele tem que ter cometido um crime. E não tem [crime]. É por isso que eu tenho desafiado a Polícia Federal, o Ministério Público da Lava Jato, a mostrarem uma única prova. Eu não peço duas. Eu peço uma.

Na verdade estamos vivendo uma anomalia jurídica e política. Esse processo começou com uma mentira de um jornal, de uma revista, que foi transformada num inquérito pela Polícia Federal. O resultado do inquérito é mentiroso. Foi enviado ao Ministério Público, que mentiu e fez uma acusação. E o Moro aceitou a mentira.

Tudo isso poderia ter terminado se a Polícia Federal tivesse sido sincera e se o Moro tivesse feito papel de juiz.

Acontece que estamos vivendo um momento muito delicado. Você subordinou o processo ao que a imprensa fala dele. Numa linguagem popular, eles estão sem rota de fuga. Ou seja, mentiram e não têm como sair.

Qual é a única chance que eu tenho? É pedir provas. Tem que ter algum documento, algum contrato, aluguel, pagamento [do tríplex], algum ato de ofício, alguma coisa.

Eu tenho até o dia 24 para esperar que alguém diga qual foi o crime que eu cometi. E dizer que o apartamento [tríplex] é meu. Me entrega a chave. Quem sabe a nossa próxima conversa será na sacada do apartamento, tomando sol. Enquanto não for, por favor, parem de mentir a meu respeito.

Eles [desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que vão julgá-lo] têm mais obrigação diante da sociedade no dia 24 do que eu. A minha inocência eu já provei. Quero que agora eles provem a minha culpa.

Eu às vezes tento encontrar um roteiro para comparar com o meu. O mais próximo que eu encontro é o da invasão do Iraque [em 2002].

O [então presidente norte-americano George] Bush sabia que o Iraque não tinha armas químicas. O [então primeiro-ministro inglês] Tony Blair sabia. Inventaram uma mentira, sustentaram a mentira e conseguiram fazer a invasão por conta de uma mentira. Já faz 15 anos. Cadê a arma química?

Eu tenho 72 anos de idade e acredito na Justiça e na democracia. Senão eu vou fazer o quê? Propor a luta armada? Com a minha idade? Prefiro continuar acreditando.

Eu penso que meus acusadores vão ficar ridicularizados. Ridicularizados.

REINALDO AZEVEDO
Eu aconselho vocês a lerem as peças [do processo] para me defenderem, como o [jornalista e colunista da Folha] Reinaldo Azevedo está fazendo [risos]. Ele todo dia fala “Eu li. Eu li o processo”. Eu não peço para dizerem que eu sou inocente, não. Peço que vocês leiam. E se acharem uma vírgula de culpa, por favor, me telefonem. É só isso.

TESÃO
Como eu acho que eu vou ser cada vez mais inocentado, eu acho que no final vai prevalecer o bom senso nesse país. Como eles podem tentar evitar que um velhinho [como eu] de 72 anos de vida, energia de 30 anos e tesão de 20 seja candidato? Não é possível. É tanta coisa boa junta que eles têm que deixar, porra. Ainda mais um cara que tem um otimismo, sozinho, que todos não têm juntos.

PIROTECNIA
Eu fico feliz que o Brasil seja um país dotado de mecanismos para combater a corrupção. Agora, o que incomoda é quando você tem as instituições que têm que apurar se transformando em partido político. E criando factóide, trabalhando com show de pirotecnia.

Não vou esquecer nunca o show que a PF deu quando veio aqui no Instituto. O espetáculo. Parecia que estava invadindo uma casa que tinha bombas, arma química do Iraque aqui dentro.

Quando vão na casa do Sergio Cabral, na casa do Geddel [Vieira Lima]encontram dólar, dinheiro, fazem um carnaval com aquilo.

Agora, quando vão na minha casa e não encontram porra nenhuma, eles deveriam pelo menos dizer “desculpa, Lulinha”. Não fizeram.

Eu não vou morrer enquanto não me pedirem desculpas. Eu quero ouvir o William Bonner pedindo desculpas na Globo. [Imita o apresentador do Jornal Nacional]: “Boa noite. Queríamos pedir desculpas para o Luiz Inácio Lula da Silva porque tudo o que se falou dele foi mentira”.

CARÁTER
Se tem uma coisa que eu tenho de sobra é caráter. E não vou permitir que um juiz me chame de ladrão, ou um promotor. Eles têm que ter uma prova. Se não tiver, se pegarem essa gente toda e fundir numa prensa, não dá um cara mais honesto que eu.

Eles mexeram com um homem honesto. E é isso o que vai me fazer brigar com eles até o último dia da minha vida. Vamos ver quem vai vencer essa história.

DELAÇÕES
Já são milhares de empresários presos, centenas de delações. E até agora não existe uma única prova [contra mim].

Eu fico até com pena. Conheço casos e casos, contados por advogados, de pessoas que eram perguntadas [pelos investigadores]: “E o Lula? Ele sabia?”. Então tinha uma senha.

Eu duvido que tenha na história do Brasil um presidente ou um partido que tenha tomado as providências que nós tomamos para combater a corrupção. Eu espero que a história um dia faça justiça ao PT. Desde a proclamação da República não fizeram o que fizemos em apenas 12 anos.

Mas o combate à corrupção exige seriedade. As pessoas que investigam e julgam têm que ter muita responsabilidade. Por isso são concursadas, têm estabilidade, ficam eternamente no cargo. É uma coisa importante e nobre. Tem que ter QI acima da média. Mas tem que ter caráter também.

A delação, que nós [governos do PT] fizemos, está sendo utilizada para fins políticos.

E vocês diziam: “Quando prenderem o [pecuarista José Carlos] Bumlai, o Lula tá ferrado. Quando prenderem o Marcelo [Odebrecht], o Lula tá ferrado. Quando prenderem o Emílio [Odebrecht], o Lula tá ferrado. Quando prenderem o Aécio [Neves], o Lula tá ferrado. Quando prenderem o [Antonio] Palocci, o Lula tá ferrado”.

Pode prender o papa Francisco! Eu duvido que nesse país tenha alguém com a consciência mais tranquila do que a minha. Mesmo os que escrevem contra mim.

Se as pessoas estão acostumadas a lidar com quem não tem caráter e honra, eu tenho. Porque caráter não está à venda. Não adianta ir para Miami que não encontra. A gente tem de berço. E eu tenho de sobra.

CANDIDATO CONDENADO
Eu estarei candidato se o partido quiser porque no fundo o PT que vai decidir até o dia em que uma instância [da Justiça] diga que eu não posso ser candidato.

A minha vontade é sair com o meu atestado de inocência no dia 24. Se não for nesse dia, recorrer. Porque eu não vou passar para a história como um inocente condenado. Eu prefiro moralmente condenar quem me julgou, condenar parte da imprensa que mentiu três anos seguidos contra mim.

Essa semana houve o depoimento de um cidadão chamado [Rodrigo] Tacla Duran [advogado que trabalhou para a Odebrecht e faz acusações à força-tarefa da Lava Jato]. E a grande imprensa não deu nada. Imagine se ele estivesse acusando o PT. Nós teríamos sido capa e contracapa. Há um conluio para fazer com que a mentira vença.

E eu tenho a certeza absoluta que o que vai vencer é a inocência de um ser humano que só tem um problema neste momento: ter mais chance de ser presidente do que os outros.

Então faz chapa única [para concorrer à Presidência], junta todo mundo, não tem debate na televisão.

MEDO DE SER PRESO
Eu não penso, querida. Porque preso só pode ir quem cometeu um crime.

O Ministério Público… Quando eu digo Ministério Público eu quero fazer uma distinção entre a instituição e alguns de seus componentes.

Esse [Deltan] Dallagnol [procurador da Lava Jato] não tem tamanho para fazer o que ele está fazendo.

Aquele Power Point [apresentado à imprensa com acusações contra Lula], ele deveria ser exonerado a bem do serviço público [por ter feito a peça].

O cidadão que fez três anos de concurso, ganha R$ 30 mil [por mês] para falar uma mentira daquela para a sociedade brasileira? Esse cidadão deveria ter sido exonerado. Porque não é possível alguém ganhar tanto do Estado para contar a mentira que ele contou.

Está provado também, depois do papelão do [ex-procurador-geral da República Rodrigo] Janot com o Joesley [Batista, da JBS], está provado o que era aquilo.

Você não pode dar muito destaque a quem não tem biografia. [Ergue a voz] Biografia é uma coisa que exige respeito. E você conquista biografia com trabalho e não com mentira.

É por isso que eu não vou ser preso. Porque para eu ser preso tem que provar alguma coisa. É mais fácil eu provar que eles mentiram do que eles provarem que eu cometi um crime.

Então esse é o jogo que está jogado, querida. É esse o jogo que está jogado.

Se alguém está fazendo isso comigo para que eu não seja presidente, que dispute uma eleição. Me derrotaram em 1989, eu fiquei quieto. Me derrotaram em 1994, eu fiquei quieto. Me derrotaram em 1998, eu fiquei quieto. Você me viu fazendo passeata de protesto? Não.

Então o que eu não aceito é a construção de uma mentira. Não dá. Não dá.

ÓDIO
Você viu como a Gleisi [Hoffmann, presidente do PT] foi agredida ontem no avião. Isso é parte do ódio que foi disseminado neste país.

Daqui a pouco passam a divulgar a casa onde eles moram, a escola onde estudam os filhos deles. Para eles saberem o que passam as pessoas que eles acusam inocentemente.

O ódio que foi disseminado nesse país… Eu vou pacificar esse país. Pode estar certa de que eu vou pacificar. As pessoas vão voltar a viver em harmonia. Da mesma forma que um corintiano e um palmeirense podem subir no mesmo elevador, um petista e um tucano podem subir, sem um morder o outro.

Essa sociedade tem que voltar a ser alegre.

Essas pessoas que têm ódio porque as pessoas ascenderam socialmente precisam ser preparadas psicologicamente para aceitar repartir 8,5 milhões de km², que é o tamanho desse país.

Todo mundo aqui tem o direito de ter as coisas.

Então é isso que está em jogo e eu vou me dedicar de corpo e alma.

Eu sei que tem gente que quer que eu seja preso. Tem gente que quer que eu morra antes de ser preso. É um alívio, até para quem vai me julgar. 

(Transcrito do blog Tijolaço)