A brigada dos corneteiros

POR GERSON NOGUEIRA

Em meio ao Natal menos iluminado de que se tem notícia nos últimos tempo, o futebol brasileiro atravessa a costumeira trégua nas últimas semanas do ano, permitindo que os clubes refaçam seus planejamentos e corrijam – se for o caso – o rumo de suas gestões. Aos torcedores, a paralisação de atividades nos gramados é uma oportunidade para que eles possam exercitar seu esporte favorito (depois do futebol): a cornetagem.

Nos programas diários da Rádio Clube, a cobrança quase unânime dos ouvintes é por “contratações de peso”, significando que os clubes devem mirar em nomes conhecidos, que possam despertar a atenção das massas torcedoras.

É claro que nem sempre esse tipo de apelo é entendido pela cartolagem, que acaba errando nas escolhas e trazendo muitas vezes figuras que foram até relativamente famosas no passado, mas que hoje representam apenas pálida sombra dos bons tempos, sendo que alguns já chegam exibindo a condição de ex-atletas à beira da aposentadoria.

A condição geográfica faz do Pará uma espécie de alvo natural das artimanhas de empresários espertos, que encontram no parco conhecimento dos dirigentes sobre as sutilezas do negócio futebol um terreno fértil para empurrar mercadoria de quinta categoria.

Nos últimos três anos, como participante da Série B, o Papão foi rota de alguns veteranos sem mercado, com sérios prejuízos de natureza técnica e financeira em função desses equívocos.

Quando os torcedores ligam ou passam mensagens para os programas esportivos estão, na prática, tentando alertar seus representantes para o perigo de contratar gato por lebre. O mau hábito de anunciar times inteiros a cada começo de ano (ou de semestre, em casos mais graves) criou no torcedor a mentalidade de que só com muitos “reforços” é possível montar bons times.

O correto seria acreditar que, com reforços de verdade, pontuais e qualificados, é mais provável acertar na formação das equipes – ou ter perdas menores, até no plano financeiro, caso o projeto não seja inteiramente vitorioso.

As queixas mais candentes partem dos torcedores alvicelestes, o que é compreensível, pois o clube disputa a Segunda Divisão e dispõe de mais recursos para investir em contratações de qualidade.

Os azulinos, apesar da quase consolidada noção de que o dinheiro é curto, não deixam de se exasperar diante da quantidade de atletas anunciados e da ausência do tal pedigree, tão reivindicado nos dois lados da Almirante Barroso.

Para conter a impaciência da torcida, cabe a Ney da Matta confirmar na prática, com as atuações do novo Remo antes e durante o Campeonato Estadual, que o elenco atual é o mais confiável possível nas atuais circunstâncias. O tempo urge. Os testes de verdade já começam a partir da próxima semana, com os dois amistosos programados contra o Castanhal.

——————————————————————————–

Gramados: novela sem final previsto

Nem bem os clubes começam a apresentar os jogadores contratados para a disputa do Parazão, entra em cena a polêmica habitual sobre as condições dos gramados dos campos do interior. Parece novela repetida, pauta obrigatória de todo período pré-campeonato.

Fica sempre a sensação de que algo deixou de ser feito quanto à fiscalização rigorosa dos estádios e, ao mesmo tempo, que os clubes não levam a sério as condições do palco do jogo, tão importante que é o primeiro item da lista de regras oficiais da Fifa.

Para que a situação se resolva seria necessário aplicar medidas punitivas, como exclusão de clubes que não apresentem campos dentro das especificações exigidas. É claro que, no sistema eleitoral que rege a vida da FPF, punir clubes equivaleria a perder votos em penca.

Esse compadrio político explica, em linhas gerais, a razão de o problema persistir por tanto tempo, sem sinal de solução.

————————————————————————————

A mania de complicar e encarecer o jogo

Ao mesmo tempo em que recebeu a boa notícia de que o artilheiro Paolo Guerrero teve a pena amenizada pela Fifa de um ano para seis meses, por doping, o Flamengo convive com uma situação curiosa. Nas redes sociais, a torcida detona a negociação com o atacante Fred, em fim de carreira, que pode ser a principal aquisição do clube neste fim de temporada, com salários em torno de R$ 1 milhão.

O negócio é daqueles que só interessa a um lado – o do jogador e seu agente – e tem toda pinta de uma tremenda roubada, como diz o torcedor, já cabreiro com as transações recentes do clube rubro-negro, que trouxe Conca por um salário europeu e que é hoje o principal representante da tropa do chinelinho no país.

Além do argentino, o Flamengo também repatriou Diego e Everton Ribeiro, ambos com rendimento muito aquém do esperado nas principais competições do ano – Libertadores, Brasileiro e Sul-Americana.

Fred, mais velho que todos os citados acima, acumula altos e baixos desde que acabou execrado pela participação na Seleção de Felipão em 2014. No Atlético-MG, teve média de gols acima dos demais companheiros de ataque, mas é um veterano sem muita disposição para o trabalho pesado. Está mais a fim de garantir um futuro tranquilo e bem remunerado.

Sorte dele que ainda há quem aceite bancar esse tipo de aposentadoria planejada.

(Coluna publicada no Bola desta quinta-feira, 21)

Band e SporTV transmitem jogos da Florida Cup 2018

DRhzOUIW0AArbIK

Os torcedores que não puderem acompanhar os jogos da Florida Cup pessoalmente em janeiro de 2018, em Orlando, vão ter a chance de ver os confrontos pela TV em, pelo menos, cinco continentes. No Brasil, os acordos foram fechados com os canais Band e Sportv. América do Sul (exceto Brasil), América Central, Oceania e América do Norte (exceto Canadá) receberão o sinal por meio dos canais ESPN. Na Europa, as transmissões vão ficar a cargo da Fox, na Holanda, da Premier Sports, no Reino Unido e na Irlanda, e do canal Eleven Sports, na Polônia. Demais países e suas respectivas transmissões serão atualizadas nas próximas semanas.

Mais uma vez, a Band vai exibir os jogos do torneio em sua programação. “Esta já é a segunda edição da Florida Cup com a participação da Band. Estamos empolgados com o crescimento da competição e com a força dos três clubes brasileiros que participam em 2018. Vai ser um belo espetáculo de futebol para o público brasileiro”, disse Juca Silveira, diretor de planejamento da Band.
No dia 10 de janeiro, às 22h, a Band transmite ao vivo Corinthians x PSV Eindhoven. No dia 11, às 22h, Atlético Mineiro x Rangers. No dia 12, também às 22h, PSV Eindhoven x Fluminense. No dia 13, às 16h, Rangers x Corinthians. No dia 14, às 16h, Atlético Nacional x Atlético Mineiro. No dia 16, à 1h15 (único jogo a ser exibido em VT), Fluminense x Barcelona SC.
Já o canal por assinatura SporTV vai transmitir o torneio, ao vivo, para todo Brasil, pelo quarto ano consecutivo. “A Florida Cup é uma competição que vem crescendo a cada ano com a participação de grandes equipes brasileiras e internacionais. Com uma organização profissional e com a expectativa sempre de grandes jogos, temos a certeza de que em 2018 teremos novamente uma bela competição abrindo a temporada com chave de ouro”, afirmou Alexandre Boyd, diretor de produtos esportivos do Grupo Globo.
Influenciadores digitais, como Fred e a galera do Desimpedidos – maior canal dedicado a futebol do YouTube -, também são presenças confirmadas na Florida Cup. O apresentador Serginho Groisman e o ex-jogador e comentarista Caio Ribeiro são outros convidados especiais do torneio, além do pentacampeão mundial e também comentarista Denílson. Eles farão ativações com alguns patrocinadores da competição, como Universal Orlando Resort, Adidas, Avianca, Cartões Elo e Lennar.
Florida Cup gera mais de R$ 830 milhões
em exposição de mídia para as marcas 
De acordo com o Ibope Repucom, a Florida Cup 2017 entregou 64 mil aparições para mais de 120 marcas capturadas durante as transmissões dos jogos (ao vivo e VT), além das reportagens em TV aberta, TV por assinatura, jornais e portais online no mercado brasileiro.
Ainda de acordo com o levantamento, o torneio vem ganhando popularidade e espaço na TV brasileira. O volume de jogos transmitidos na televisão passou de nove, em 2016, para 13 partidas, em 2017. Somente nas transmissões (jogos e reportagens em TV aberta e assinatura), as exposições das marcas somaram mais de 68 horas e, considerando todos os meios, o torneio entregou mais de R$ 830 milhões em espaço ocupado na mídia às marcas envolvidas no evento.
Os jogos da Florida Cup 2018 (horários de Brasília):
QUA – 10/01/2018 – 22h00 – CORINTHIANS x PSV (HOL)
 
QUI – 11/01/2018 – 22h00 – ATLÉTICO MINEIRO x RANGERS (ESC)
 
SEX – 12/01/2018 – 22h00 – PSV (HOL) x FLUMINENSE
 
SÁB – 13/01/2018 – 16h00 – RANGERS (ESC) x CORINTHIANS
 
SÁB – 13/01/2018 – 18h00 – BARCELONA (EQU) x LÉGIA VARSÓVIA (POL)
 
DOM – 14/01/2018 – 16h00 – ATLÉTICO NACIONAL (COL) x ATLÉTICO MINEIRO
 
SEG – 15/01/2018 – 19h00 – FLUMINENSE x BARCELONA (EQU)
 
SÁB – 20/01/2018 – 21h00 – LÉGIA VARSÓVIA (POL) x ATLÉTICO NACIONAL (COL)
 
Sobre a Florida Cup
A Florida Cup é a maior celebração internacional de futebol realizada anualmente na Flórida. É uma plataforma global que combina esportes e entretenimento. Transmitido ao vivo em 2017 para mais de 140 países, o torneio chegou a mais de 50 milhões de telespectadores.
A Florida Cup 2018 vai ser disputada entre os dias 10 e 20 de janeiro, em Orlando, na Flórida. Atlético Nacional (COL), Atlético Mineiro (BRA), Barcelona SC (EQU), Corinthians (BRA), Fluminense (BRA), Legia Varsóvia (POL), PSV Eindhoven (HOL) e Rangers FC (ESC) são as equipes confirmadas na competição, que irá para sua quarta edição em 2018.

“Lula será protagonista absoluto nas eleições, seja condenado ou não”, diz jurista Carol Proner

27406530489_c537175587_z

POR CRISTINA ÁVILA, no Brasil de Fato

A professora de direitos humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), Carol Proner, organizadora de uma coletânea de artigos que analisam a sentença do caso do tríplex, veio especialmente a Porto Alegre (RS) para acompanhar as manifestações sociais contra as arbitrariedades no julgamento de Luiz Inácio Lula da Silva, que tramita no Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, na capital gaúcha.

Ela considera que independentemente do resultado do julgamento marcado para o dia 24 de janeiro, o ex-presidente será vitorioso. Em entrevista à Radioagência Brasil de Fato, a jurista observou ainda que o crescente apoio ao ex-presidente reflete a consciência popular a respeito de um processo jurídico “flagrantemente injusto”. Em sua opinião, há inclusive a possibilidade de não haver perseguição política no TRF4 e no TSE.

Leia a entrevista completa:

Brasil de Fato – Qual a sua perspectiva a respeito dos resultados de 24 de janeiro?

Carol Proner: O julgamento do TRF 4 é jurídico e pode gerar uma condenação em segunda instância que ainda estará sujeita a grau recursal. Podem ser embargos de declaração e embargos infringentes, e ainda cabe recurso no Supremo Tribunal Federal (STF). Uma coisa é o caso do triplex, que é o caso que está sendo julgado e que está mais avançado entre os vários processos contra o presidente Lula, e poderá, no primeiro semestre, alcançar uma condenação que pode gerar o pedido de impugnação a partir do registro da candidatura. A partir de 15 de agosto, o rito perante o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é autônomo é próprio. Decorridos 5 dias do registro de candidatura, pode ser solicitada a impugnação. Mas há muitas possibilidades, como a dos partidos substituírem a candidatura 20 dias após o pleito. Significa que no dia 15 de agosto e 16 de setembro poderia haver substituição do pleito e Lula poderia participar dos programas eleitorais, caso fique evidente que a celeridade da Justiça é para impedi-lo de concorrer às eleições. Muitas coisas podem acontecer. Se há perseguição política no Judiciário, não necessariamente acontecerá no TRF 4, e não sabemos se acontecerá no TSE.

O PT afirma em documento divulgado na semana passada que 2017 é um marco na retomada de iniciativas políticas democráticas, e que a candidatura Lula deixou de ser apenas petista. Como a sra analisa isso?

A candidatura do presidente Lula pertence ao povo brasileiro. É importante separar o julgamento no TRF e a eventual condenação e impugnação de uma candidatura que apenas seria possível quando ele passar a ser candidato, o que vai acontecer em 15 de agosto quando haverá o registro da candidatura. Mas não importa o que aconteça, o PT acredita em sua inocência, e ele continuará sendo candidato. Esse anúncio de antecipação no julgamento pelo TRF 4 fará com que forças políticas façam uma avaliação sobre os rumos da política eleitoral de 2018. Será possível a consolidação de amplos apoios não apenas por Lula ser o maior líder político do Brasil e pelos méritos de sua biografia, mas ele tem contra si um processo flagrantemente injusto que por si só já provocaria a união dos setores progressistas. Lula ocupará o protagonismo absoluto seja ele condenado ou não. Essa é uma realidade que o TRF 4 não poderá evitar, e que o sr. Sérgio Moro não poderá evitar.

A senhora poderia fazer um resumo didático sobre todo esse processo?

A sentença do chamado caso tríplex gerou muita perplexidade no mundo jurídico. É um caso realmente único, em todos os aspectos. As audiências, as provas geradas consideradas ilícitas, a detenção do ex-presidente Lula na chamada condução coercitiva por seis horas sem justificativa e amparo legal, as escutas ilegais relacionadas aos advogados e a conversa do ex-presidente Lula com a então presidente Dilma Rousseff, a negativa de destruição dessas escutas, inclusive do escritório de advocacia que defende o presidente e dos 25 a 30 advogados que ali trabalham. Se fosse um juízo justo, geraria nulidade processual. Fora isso, notamos nas 238 laudas da sentença que quase 20%  são dedicados à defesa, por parte do juiz da causa, do uso de um direito excepcional. Em vez de fundamentar as medidas e o porquê da condenação sem provas, Sergio Moro se dedicou a explicar porque é importante expandir o direito, a capacidade de punição, a capacidade investigatória. São vários os abusos do magistrado, como condução de audiências com evidente pré-julgamento, publicidade seletiva para a mídia, muitas vezes antes mesmo do conhecimento dos advogados de defesa. Também a negativa de acesso a documentos do processo, negação de ouvir testemunhas para a construção de provas, violações de princípios básicos de defesa, além de delações premiadas também escandalosas.

Com todos esses absurdos jurídicos, e sem que a Justiça brasileira tome providências, há possibilidade de se apelar a cortes internacionais?

Uma sensação é comum aos professores e conhecedores de direito de outros países que acompanham tanto o impeachment da presidente Dilma Rousseff, quanto o julgamento contra o ex-presidente Lula. É um escândalo absurdo não compreendido. Diante de tanta arbitrariedade do sistema de Justiça, os advogados do ex-presidente Lula já estão recorrendo a cortes internacionais, principalmente o comitê de direitos civis e políticos das Nações Unidas que acompanham esses casos. Sem dúvida mancha a imagem do país. É muito desagradável para quem trabalha no direito ter que chegar ao ponto de responsabilizar setores da Justiça, tentar explicar que o Judiciário pode estar equivocado ou inclusive participando de uma trama que envolve amplamente a crise institucional e politica que atinge o nosso país de forma tão brutal. Não é agradável para quem respeita a democracia, as instituições e o estado de direito. Estamos vivendo uma sentença que é apenas uma peça dessa arquitetura toda que tenta tirar um candidato forte das eleições, que poderia barrar o desmonte constitucional e econômico do país. Isso tem ficado cada vez mais evidente.

(Edição: Camila Salmazio)

Fogão faz contraproposta para segurar Jair Ventura

a71q7872

Botafogo e Jair Ventura se reuniram na tarde desta quarta-feira. Em pauta, a permanência do treinador em 2018. Ainda não houve uma definição. No encontro, o clube apresentou proposta para o treinador, com reajuste salarial e um vínculo maior. Jair, que tem proposta do Santos, tomará a decisão. No encontro, a proposta do clube paulista não entrou em pauta. “O assunto foi o Botafogo”, disse um dirigente que participou do encontro. A bola agora está com treinador. A expectativa é que haja uma definição no máximo até sexta-feira.

O presidente Carlos Eduardo Pereira e o presidente eleito Nelson Mufarrej participaram do encontro, que durou algumas horas na Zona Sul do Rio de Janeiro. Mufarrej manifestou nesta quarta-feira que sua ideia é manter Jair Ventura até o fim de seu mandato, em 2020. Um vínculo longo é uma das armas do Botafogo na negociação.

O Santos acena com uma proposta de dois anos para Jair Ventura.

Além de se acertar com o treinador, o clube paulista terá de pagar cerca de R$ 800 mil ao Botafogo para contar com o treinador em 2018. A diretoria santista já se dispôs a pagar o valor, mas ainda não procurou o clube carioca. O Alvinegro já decidiu que não aceitará o envolvimento de nenhum jogador como forma de compensação financeira. (Do GE)

Mapa de Curtidas no Facebook mostra força das torcidas no país

mapa1

Na imensidão brasileira, do litoral lagunar gaúcho à pontinha superior do nordeste de Roraima, o Mapa das Curtidas de 2017 mostra quem comanda o coração – e os cliques – dos torcedores. Nova parceria entre o GloboEsporte.com e o Facebook foca este ano nos dois protagonistas virtuais de cada região. A página identifica rivalidades estaduais, potências nacionais e forças locais. Escancara a penetração de Corinthians e Flamengo Brasil adentro – mas também exibe a resistência de um Criciúma, de um CRB, de um Londrina, de um Campinense.

Os dados são baseados na quantidade de curtidas nas páginas oficiais de 64 clubes no Facebook em maio de 2017. Não se trata de uma pesquisa de tamanho de torcidas – e sim de uma demonstração do impacto virtual dos clubes em um país cada vez mais conectado. O mapa é dividido por microrregiões e revela, em variação de cores, os dois times mais curtidos de cada local.

Impressiona a força de Corinthians e Flamengo. Eles são a dupla de preferência dos internautas em 2.238 municípios – isso inclui, por exemplo, todas as regiões de Mato Grosso, Rondônia e Tocantins. E também estão presentes na segunda e terceira fatias mais comuns – Corinthians e São Paulo em 904 municípios, Flamengo e Vasco em 383.

Mas não é em todo lugar que Fla e Timão entram com força. O Rio Grande do Sul é de Grêmio e Inter de ponta a ponta – e o terceiro lugar costuma ficar com a Chapecoense ou com clubes do interior gaúcho, casos de Brasil de Pelotas e Juventude. Ceará e Fortaleza são os mais curtidos na área da capital cearense, e o mesmo acontece com Bahia e Vitória em regiões que cercam Salvador e com Santa Cruz e Sport nas redondezas do Recife.

A Chape ganhou presença na internet depois do carinho angariado com a tragédia aérea de 2016. Divide com Grêmio e Flamengo as preferências em duas regiões catarinenses e é bastante curtida em grandes capitais: a sexta em São Paulo e no Rio de Janeiro, a terceira em Porto Alegre, a quinta em Belo Horizonte.