Grêmio faz últimos preparativos para a grande decisão

39071400541_bb61bea827_k-1024x683

Grêmio encerrou a preparação para a grande decisão do Mundial de Clubes contra o Real Madrid. O treino realizado no Armed Force Stadium, em Abu Dhabi (EAU), foi descontraído e não deu indícios do time que entra em campo.

A tendência é que o treinador gremista mantenha a formação inicial do time que enfrentou o Pachuca-MEX, na semifinal do Mundial. Contudo, uma conversa do técnico Renato Gaúcho e do auxiliar Alexandre Mendes com o centroavante Jael chamou a atenção. O comandante gesticulou bastante e parecia passar instruções específicas de movimentação. No treino de quinta-feira, o jogador fez apenas atividades físicas junto ao grupo titular enquanto o titular Lucas Barrios participou dos trabalhos com os reservas. Assim, não será surpresa se Jael iniciar o duelo contra o clube espanhol.

O treinamento desta tarde (manhã no Brasil) teve foco na marcação e troca de passes com o campo reduzido. A atividade terminou com o tradicional rachão. No meio de campo do Tricolor, Renato deve optar por manter o volante Michel ao lado de Jailson. Assim, Maicon seguiria no banco de reservas.

O provável Grêmio que enfrenta o Real Madrid neste sábado tem: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Bruno Cortez; Jailson, Michel (Maicon), Ramiro, Luan e Fernandinho; Lucas Barrios (Jael).

Neste sábado, às 15h (de Brasília), o Grêmio vai em busca do bicampeonato mundial. o time brasileiro enfrenta o Real Madrid, no Zayed Soccer City Stadium, em Abu Dhabi (EAU), pela final do Mundial de Clubes de 2017. Para a partida, são esperados cerca de 7 mil torcedores gremistas no local.

Definidos os adversários da dupla Re-Pa na Copa do Brasil

unnamed (22)

Em sorteio realizado nesta sexta-feira pela CBF, ficaram definidos os confrontos da primeira fase da Copa do Brasil 2018. Os clubes paraenses terão adversários considerados de porte médio pela frente. O Remo enfrenta, como visitante, o Atlético do Espírito Santo. Já o Paissandu, também como visitante, terá teoricamente mais dificuldades contra o Novo Hamburgo, atual campeão gaúcho. O Independente receberá o Sampaio Corrêa.

Agrupado na chave 2, o Remo terá pela frente Boavista-RJ ou Internacional-RS na segunda fase caso supere o Atlético-ES. Já o Papão, que está na chave 6, vai encarar Dom Bosco-MT ou CRB na etapa seguinte, caso vença o Novo Hamburgo. O Independente terá como adversário na segunda fase o URT-MG ou o Paraná, caso se classifique.

De acordo com o calendário da CBF, a etapa inicial do torneio acontecerá entre a última semana de janeiro e a primeira de fevereiro. O regulamento prevê jogo único. Duelos envolvendo clubes tradicionais do futebol brasileiro também foram definidos. Entre os considerados favoritos, o Fluminense enfrenta a Caldense-MG, enquanto o Botafogo pega o Aparecidense-GO. ambos fora de casa.

Serão 80 times na primeira fase. As equipes se enfrentarão em mata-matas até restarem cinco, que chegarão às oitavas e se unirão a 11 clubes já garantidos entre os 16. Corinthians, Palmeiras, Santos, Grêmio, Flamengo, Vasco, Cruzeiro e Chapecoense jogam a Libertadores e por isso avançam direto.

Além destes, também ganharam este direito o América-MG, campeão da Série B; o Luverdense, vencedor da Copa Verde; e o Bahia, que levantou a Copa do Nordeste em 2017.

Confira os duelos da primeira fase da Copa do Brasil:

Caxias-RS x Atlético-PR
Tubarão-SC x América-RN
Brusque-SC x Ceará-CE
Real Ariquemes-RO x Londrina-PR
Boavista-RJ x Internacional-RS
Atlético-ES x Remo-PA
São Caetano-SP x Criciúma-SC
Cianorte-PR x ABC-RN
Caldense-MG x Fluminense-RJ
Novoperário-MS x Salgueiro-PE
Ceilândia-DF x Avaí-SC
Interporto-TO x Juventude-RS
Parnahyba-PI x Coritiba-PR
Uberlândia-MG x Ituano-SP
Sinop-MT x Goiás-GO
Vitória da Conquista-BA x Boa Esporte-MG
Nacional-AM x Ponte Preta-SP
Inter de Limeira-SP x Rio Branco-AC
URT-MG x Paraná-PR
Independente-PA x Sampaio Corrêa-MA
Madureira-RJ x São Paulo-SP
Manaus-AM x CSA-AL
Novo Hamburgo-RS x Paysandu-PA
Dom Bosco-MT x CRB-AL
Globo-RN x Vitória-BA
Corumbaense-MS x ASA-AL
Altos-PI x Atlético-GO
Nova Iguaçu-RJ x Bragantino-SP
Atlético-AC x Atlético-MG
Floresta-CE x Botafogo-PB
Treze-PB x Figueirense-SC
Brasiliense-DF x Oeste-SP
Santos-AP x Sport-PE
Ferroviário-CE x Confiança-SE
Itabaiana-SE x Joinville-SC
São Raimundo-RR x Vila Nova-GO
Aparecidense-GO x Botafogo-RJ
Aimoré-RS x Cuiabá-MT
Fluminense-BA x Santa Cruz-PE
Cordino-MA x Náutico-PE

Por violar normas da Fifa, Espanha pode ficar fora da Copa

2430351

Espanha pode acabar excluída da Copa do Mundo de 2018, por conta de interferência governamental no futebol, o que não é permitido pela Fifa. Uma das possíveis punições é a eliminação de competições organizadas pela entidade.

A informação foi divulgada pelo jornal Marca. O ex-presidente da Federação Espanhol, Ángel María Villar (foto), realizou denúncia e a Fifa investigará o fato de que o Conselho de Esportes do país participou dos processos de eleição no órgão que gere o futebol local.

Ainda de acordo com a publicação, a Federação recebeu notificação de que pode sofrer sanções. Após a publicação da notícia, a RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) divulgou comunicado oficial explicando o assunto.

“Representantes da Fifa e da Uefa mostraram preocupação com nossa situação e manifestaram seu interesse em se reunir o mais rápido possível com as instâncias esportivas do país, para ter maior conhecimento do tema”, diz trecho da nota.

A Federação também garantiu que respeita todas as regras da Uefa e da Fifa, já que é filiada a ambas as entidades. “Nos comprometemos a respeitar todas as determinações dadas por estes órgãos”, garante o texto.

Caso a situação se complique para os espanhóis, a seleção campeã do mundo em 2010 pode acabar excluída do Mundial da Rússia, em junho. Assim, a Fifa teria poucos meses para definir um substituto para a Fúria. Países tradicionais que ficaram fora, como a Itália, podem se movimentar para conseguir a classificação. (Com informações da Gazeta Esportiva)

Del Nero é suspenso pela Fifa e coronel Nunes assume presidência da CBF

4ae1

O Comitê de Ética da Fifa baniu provisoriamente o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, de todas as atividades relacionadas ao futebol pelos próximos 90 dias. Durante este período — que pode ser estendido por mais 45 dias —, o cartola está proibido de exercer qualquer função em níveis nacional e internacional. A decisão foi divulgada pela entidade nesta sexta-feira e se baseou nos artigos 83 e 84 do Código de Ética da instituição.

O artigo 83 permite ao Comitê tomar medidas provisórias quando houver suspeita de infração do Código de Ética da entidade. Já o item 84 confere à Fifa o direito de aplicar a pena sem a necessidade de ouvir as partes envolvidas.

A suspensão de Del Nero acontece na reta final do julgamento, em Nova York, de seu antecessor na presidência da CBF, José Maria Marín, réu por suspeita de envolvimento em casos de corrupção.

De acordo com o estatuto da CBF, em caso de impedimento do presidente, o cargo passa a ser ocupado pelo vice-presidente mais idoso da federação. No caso, Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes. (Com informações d’O Globo) 

MPF quer imediata apuração sobre ataque de pistoleiros a trabalhadores

O Ministério Público Federal (MPF) enviou ofício à Polícia Federal, à Secretaria de Segurança Pública do Pará, à Delegacia de Conflitos Agrários e à Ouvidoria Agrária Nacional, solicitando medidas urgentes para apurar ataques de supostos pistoleiros contra um acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Marabá, no sudeste do Estado. De acordo com relatos das famílias que residem no acampamento Hugo Chávez, no último dia 11, segunda-feira, um grupo de homens fortemente armados chegou na localidade em dois veículos e fez vários disparos. Ainda segundo depoimentos, crianças e mulheres ficaram na linha de tiro na hora do ataque.

No total, 300 famílias de sem-terra formam o acampamento Hugo Chávez, na fazenda Santa Tereza, cuja reintegração de posse seria feito nesta quarta-feira,13. Em reunião na Vara Agrária de Marabá, as famílias do acampamento fizeram um acordo para que o despejo ocorra nesta quinta-feira,14, e que seja feito de maneira voluntária. Na reunião com o Judiciário local, em que foi feito o acordo, estavam presentes os advogados das partes, da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Pará, do Ministério Público, da Defensoria Pública do Estado, da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Conselho Tutelar de Marabá.

O MPF solicitou o envio de uma equipe da PF ao local dos fatos para apuração, questionou a Secretaria de Segurança Pública do Pará e a Delegacia de Conflitos Agrários sobre as medidas adotadas quanto ao ataque e enviou o caso à Ouvidoria Agrária Nacional, para conhecimento e adoção das medidas cabíveis.

Aos hermanos, com carinho

gigliotti-efe-taca-950

POR GERSON NOGUEIRA

De Fernando Redondo a Ezequiel Barco, passando por Juan Verón, Ariel Ortega, Juan Riquelme, Pablo Aimar e Ángel Di María, além de Lionel Messi e Diego Maradona, obviamente acima de todos, a Argentina tem nos brindado com meio-campistas de alto coturno, legítimos usuários da camisa 10 – aliás, número de qualificação cabalística consagrado por um brasileiro, o Rei Pelé.

Todos os citados, alguns outros esquecidos, são jogadores que honram e honraram como poucos aquele território sagrado demarcado simbolicamente entre uma intermediária e outra, mas de dimensões incalculáveis quanto à importância para a beleza (e a existência) do jogo.

Na decisão da Sul-Americana, anteontem, deu para observar o quanto pode ser incompreensível o fato de que boa parte dos brasileiros amantes do futebol menospreza a qualidade técnica de nossos vizinhos argentinos.

À frente de qualquer elogio ou manifestação de admiração vem sempre aquele ronco travoso, repleto de comentários desairosos e depreciativos, carregados de preconceitos transmitidos de geração a geração.

Aprendemos muito cedo, ainda com nossos avós, que argentino é milongueiro. Não joga, catimba. Não sofre falta, encena. Ainda que Alfredo Di Stéfano tenha provado lá nos anos 50 que eles sabiam jogar muito bem, a má vontade persiste.

Quando Diego Maradona irrompeu, altaneiro e liso com a bola nos pés, incontido e avassalador na aurora dos anos 80, a torcida brazuca preferiu apedrejá-lo. Rancorosa, deu um jeito de procurar defeitos no homem. Com aquela gosma venenosa do ressentimento escorrendo pelo canto da boca, vibrou com suas desditas.

Ao ser apanhado em exame antidoping na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, Maradona caiu em desgraça, atacado impiedosamente de todos os lados, incompreendido pelos que não entendiam que vício é doença. Piadas sujas foram criadas, ainda na era pré-internet, desancando El Pibe. E seguem sendo repetidas gratuitamente.

No Brasil, a vingança burra contra o genial camisa 10 está no achincalhe, como se isso diminuísse o gigantismo de seu futebol. Os mais cínicos costumam dizer que a torcida deles age assim em relação a Pelé. Ora, se age de maneira tão bovina, não deve servir de exemplo.

Maradona vai continuar a ser o que é, imenso, do mesmo que Pelé está acima de todos, absoluto. A diferença é que Dieguito sempre foi ele mesmo. Assumiu suas incoerências e jamais hesitou em declarar guerra aos poderosos, atacando a Fifa de Havelange e Blatter, no que se revelaria depois extremamente certeiro.

Acabei me entusiasmando com a linhagem de craques hermanos e quase esqueci da valente atuação do Independiente diante de 60 mil empolgados rubro-negros. Mostrou um jogo seguro e qualificado, com Gigliotti, Benitez e o jovem Barco, autor do gol em penalidade e responsável por algumas das mais bonitas jogadas da noite no gramado do Maraca.

Disciplinado taticamente, o Independiente jamais fugiu ao script desenhado pelo inovador Ariel Holan: dominar as ações a partir da posse de bola e sair sempre em velocidade, empreendendo contra-ataques perigosos, trocando passes e avanços pelos lados. Podia ter marcado pelo menos dois gols no começo do segundo tempo, domando as tentativas rubro-negras de impor pressão. Um bom time, sem dúvida.

El Rojo conquista a competição por franco merecimento, coerente com a mais bela história copeira do continente: sete finais de Libertadores e sete títulos (1964, 1965, 1972, 1974, 1975, 1984); duas finais de Sul-Americana (1995 e 2017), dois títulos – sem esquecer dois mundiais (1973 e 1984). Como negar-lhe o título de Rei de Copas?

——————————————————————————————-

Final marcada pela selvageria das hordas criminosas

Enquanto os argentinos do Independiente festejavam pela segunda vez (a primeira foi em 1995) no Maracanã, as gangues davam um show de selvageria nas cercanias e nas áreas de entrada da arena, com a expressiva contribuição dos homens da lei. Sem alcançar os baderneiros, os policiais descarregavam a ira gratuita nos torcedores comuns, mesmo diante das câmeras de TV. Até quando tal descalabro será permitido¿

—————————————————————————————–

De perdão em perdão, o Remo vai se perdendo

Novo perdão foi concedido à gestão Manoel Ribeiro no Remo, a título de voto de confiança e – talvez, quem sabe – para que os esforços atuais de recuperação não sejam afetados. Os conselhos internos e deliberativos do clube voltaram a usar de tolerância extrema, abençoando prestação de contas com inúmeros remendos. A aprovação, com ressalvas, equivale a empurrar as impurezas para debaixo do tapete.

Permite ao gestor seguir trabalhando de maneira pouco convencional. Pior é perceber que as instâncias fiscalizadoras do clube caem em permanente descrédito. Quando as contas foram apreciadas, ganhando prazo extra para correção, veio a desconfiança de que tudo ficaria por isso mesmo. E ficou.

Por essas e outras é que o Remo patina no plano administrativo, sofrendo com erros antigos sem dar mostra de que pode aprender com suas próprias mazelas. A semidestruição do estádio Evandro Almeida há quatro anos é um marco negro na história recente do clube, quase em pé de igualdade com o célebre e misterioso assalto à sede social.

Nos dois episódios, um mesmo cenário: nenhuma responsabilização aos que estavam no comando. Quem desmanchou o Baenão, acarretando sérios prejuízos cumulativos nos últimos anos, segue sem sofrer qualquer tipo de punição ou sequer advertência pública. Quem agiu de maneira temerária com o dinheiro do clube segue presidente, sem sofrer qualquer embaraço.

E la nave va…

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 15)