O passado é uma parada

DPUJgkcX0AAEdBN

Há 5 anos, Dilma Rousseff, ex-guerrilheira e mulher de fibra, primeira presidenta da história do Brasil, era homenageada pela influente revista Forbes como uma das 10 pessoas mais poderosas do mundo. Quatro anos depois disso, sem ter cometido qualquer crime e sem culpa formada (ou provada), foi destituída covardemente por um golpe jurídico-parlamentar-midiático levado a cabo pelas forças plutocratas que mandam em Pindorama desde que Cabral aportou por aqui. E, desde então, mergulhamos nessa barafunda recheada de assaltos, propinas e saques aos cofres públicos perpetrados pelos que defendiam ardorosamente a queda de Dilma alegando “combater a corrupção”.

2 comentários em “O passado é uma parada

Deixe uma resposta