TJD arquiva processo do Tapajós e Sport está garantido nas semifinais

O Tapajós não conseguiu levar adiante a manobra jurídica que visava paralisar as semifinais da Segundinha de acesso ao Parazão, alegando possível irregularidade no vínculo contratual do jogador Sílvio com o Sport Belém. Sílvio fora emprestado pelo Remo, mas posteriormente obteve liberação de direitos por via judicial, desligando-se do Leão. O clube santareno, eliminado pelo Sport em campo, alegava que o atleta teria disputada a partida em condição irregular. Na tarde desta quarta-feira, o procurador do TJD, Jaciel Paes, pediu o arquivamento do processo no caso movido pelo Tapajós e o presidente do tribunal, Sérgio Barata, acatou a decisão, por falta de provimento.

‘Time do século 21’ da Uefa exclui Zidane, Ronaldinho e Kaká

163804318

Continua a repercutir a escolha da seleção do século 21 organizada pela Uefa e divulgada na última segunda-feira, 20. Como critério, a entidade somou a quantidade de vezes que os jogadores foram escolhidos em eleições prévias para a lista anual ao longo dos últimos 16 anos, sendo que indicações aos prêmios anuais foram usadas como item de desempate.

Por essa razão, o craque francês Zinedine Zidane acabou fora da seleção, bem como os brasileiros Ronaldinho Gaúcho e Kaká.

A seleção da Uefa no século 21 ficou assim escalada:

Iker Casillas (6 vezes eleito)

Sergio Ramos (6)

Puyol (6)

Piqué (5)

Lahm (5)

Xavi (5)

Iniesta (6)

Gerrard (3)

Lionel Messi (8)

Thierry Henry (5)

Cristiano Ronaldo (11) 

download

A escolha mais contestada foi a do inglês Gerrard, que foi para o time do ano em 2005, 2006 e 2007, mas que terminou incluído na seleção pelas sete indicações ao time anual da Uefa. Kaká e Ronaldinho também foram escolhidos três vezes, mas tiveram um número menor de indicações. O mesmo ocorreu com Zidane e Nedved.

A Espanha lidera em participações no “time do século” com seis jogadores. Alemanha, Inglaterra, Portugal, França e Alemanha têm um representante cada na lista final.

Frente em Defesa do SUS prepara mobilização de resistência

A Frente Democrática em Defesa do SUS realiza nova ação de relevância, na luta por investimentos adequados, fim da corrupção e gestão profissional da rede pública de saúde. Após ato público em que foi denunciada uma orquestração contínua para o desmonte do Sistema Único de Saúde, realizado na Câmara Municipal de São Paulo em outubro, volta a se reunir em 27 de novembro, às 9h, na sede da Associação Paulista de Medicina (APM) para estabelecer um calendário de resistência para 2018.

A ideia é dar cada vez mais amplitude para o movimento, que já conta com apoio de dezenas organizações da sociedade civil, como Associação Paulista de Medicina, Sindicato dos Médicos de São Paulo, conselhos profissionais da saúde, sociedades de especialidades, movimentos populares, entre outras (veja abaixo), além de iniciar gestões junto à classe política e a organização de protestos públicos.

A Frente reivindica mais verbas ao SUS, que reconhecidamente acumula anos de subfinanciamento e má gestão, deixando milhões de brasileiros em situação de risco, em especial os mais vulneráveis socialmente. Os recursos disponíveis à saúde suplementar e ao SUS evidenciam a desigualdade existente atualmente no campo da saúde: são destinados cerca de R$ 140 bilhões para cuidar de 50 milhões de beneficiários dos planos de saúde, contra algo em torno de R$ 240 bilhões destinados aos 150 milhões dos que dependem exclusivamente do SUS.

Segundo José Luiz Gomes do Amaral, presidente da APM, a mobilização e o trabalho da Frente Democrática buscam a formatação de um pacto federativo para a atenção à saúde. “Esse pacto deve passar pela sociedade como um todo, definindo as prioridades sociais, senão vamos ver o desmonte do SUS. E o compromisso primário do médico é cuidar do paciente, e estamos fazendo isso”, declara.

Frente Democrática em defesa do SUS
Associação Paulista de Medicina (APM)
Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp)
Associação Brasileira de Mulheres Médicas – Seção São Paulo
Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica (ABCP)
Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – Regional São Paulo (SBCP-SP)
Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SBED)
Associação Brasileira de Medicina Psicossomática – Regional São Paulo (ABMP-SP)
Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP)
Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Regional São Paulo (SBGG-SP)
Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional São Paulo (SBM-SP)
Sociedade Paulista de Medicina do Esporte (Spamde)
Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo)
Sociedade Paulista de Infectologia (SPI)
Associação Paulista de Homeopatia (APH)
Associação Brasileira de Medicina Biomolecular
Sociedade de Anestesiologia do estado de São Paulo (Saesp)
Sociedade Paulista de Reumatologia (SPR)
Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM)
Sociedade Brasileira de Urologia – Secção São Paulo (SBU-SP)
Associação Paulista de Medicina do Trabalho (APMT)
Sociedade Brasileira de Neurofisiologia Clínica (SBNC)
Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas (ABCD)
Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD)
Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp)
Associação Odontológica da Prefeitura de São Paulo (AOPSP)
Associação Brasileira de Enfermagem – Seção São Paulo (ABEn-SP)
Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP)
Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região (Crefito3)
Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp)
Sindicato das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo (Sindhosfil)
Santa Casa de São Paulo
Fórum das Organizações Sociais de Saúde de São Paulo
Instituto do Câncer Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho
Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim”

Reunião da Frente Democrática em Defesa do SUS
Data
: 27/11/2017
Horário: 9h
Local: APM – Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 278 – Bela Vista, São Paulo/SP

Procuradores se retiram de evento em protesto contra presença de Moro

DO PARANÁ PORTAL

Um grupo de procuradores municipais de Curitiba desistiu de participar do Congresso Nacional da categoria por causa da presença do juiz federal Sérgio Moro na abertura do evento, nesta terça-feira (21), na capital paranaense. Quando o nome do magistrado foi confirmado, 72 procuradores municipais assinaram uma nota endereçada ao presidente da Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM), Carlos Mourão, para manifestar a insatisfação do grupo.

O grupo de procuradores que organizou o protesto contra o juiz deixou o local quando Moro iniciou a palestra. O magistrado foi o último palestrante da noite.

Cerca de 25 procuradores municipais endossaram a manifestação, mas permaneceram no Congresso para protestar contra a presença do magistrado. A ideia inicial do grupo era fazer um protesto silencioso durante o congresso. Mas segundo o procurador municipal de Fortaleza e ex-presidente da ANPM, Guilherme Rodrigues, três faixas trazidas pelo grupo foram tomadas pela organização.

“A ideia não era ter vaia, não era ter protesto barulhento. A ideia levantar uma faixa e nos retirarmos exatamente por não concordar com esse convite”, disse. “Nós tivemos as faixas apreendidas e, por isso, não nos restou outra solução a não ser expressar com a voz o que a gente ia expressar com as faixas”.

Em meio a aplausos de participantes que ficaram em pé para saudar Moro, na plateia, também era possível ouvir algumas vaias e gritos de ‘vergonha’ quando o nome do juiz era mencionado.

Segundo Guilherme Rodrigues, houve um movimento orquestrado da organização para impedir vozes dissonantes.

“Se não podia mais desconvidar um juiz que é um juiz polêmico, que dividiu a categoria, se não meio a meio, que trouxe insatisfação, nós pedimos para que fizessem um contraponto. Ouvisse uma opinião do mesmo tema, com uma outra visão. Nós sugerimos, inclusive, o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão. Para nós, a negativa do convite nos deu a certeza de que aqui foi armado um palco que na verdade não é de combate a corrupção”, afirma. “Não se combate a corrupção combatendo direitos fundamentais”.

Para a procuradora municipal de Fortaleza Rosaura Brito Bastos, Moro exerce uma magistratura acusatória, que desrespeita os advogados e a defesa dos réus. “A ele, ao juiz da causa, que deveria ser imparcial, só servem as provas que venham a contribuir com a tese dele, que é acusatória. Um juiz não pode ser acusador”.

“Quando ele age dessa forma, ele desrespeita o trabalho dos advogados. Não existe hierarquia, não existe uma superioridade. Não se admite que um juiz mande um advogado calar e boca e mande ele fazer concurso para juiz. Nós não queremos ser juízes, nós queremos ser advogados”, afirma.

Com drone, com tudo

POR GERSON NOGUEIRA

Um brilhante trabalho de apuração da repórter Gabriela Moreira, da ESPN Brasil, desnudou o sofisticado esquema de espionagem montado pelo Grêmio para xeretar treinos secretos de adversários brasileiros e sul-americanos na Série A e na Copa Libertadores.

A matéria foi ao ar anteontem, despertando a ira da cartolagem gremista, que veio com a velha cantilena de que a divulgação de um assunto dessa natureza prejudica o clube às vésperas da final do torneio sul-americano.

É como se o jornalismo esportivo tivesse que manter um compadrio permanente com os clubes e desprezasse sua principal função, que é a de bem informar e denunciar eventuais mazelas.

Vale dizer que a desculpa esfarrapada, beirando ridiculamente a tal patriotada tão ao gosto de alguns, não é exclusividade gremista. É mal que se alastra pelo Brasil, inclusive aqui no Pará, onde já se viu dirigente despreparado botar culpa na imprensa por malfeitos de sua gestão e ainda tentar influenciar o torcedor mais ingênuo, falando em perseguição contra o clube.

Fez muitíssimo bem a ESPN em noticiar o fato jornalístico, que configura uma prática mais ou menos disseminada entre os clubes, variando apenas quanto ao arsenal tecnológico empregado.

Houve caso, em Belém, de espionagem envolvendo auxiliares técnicos dos dois maiores rivais. Nada de significativo resultou da bisbilhotice envolvendo a dupla Re-Pa, seja por incompetência dos espiões, seja pela absoluta ausência de novidade nos tais treinos secretos.

Quanto ao Grêmio, mais do que se enfurecer com o trabalho jornalístico da ESPN, que levou cerca de seis meses investigando, deveria é avaliar se tais práticas têm de fato algum resultado efetivo na busca por vitórias.

Renato Gaúcho, com o conhecido estilo fanfarrão-cafajeste, soltou logo uma frase lapidar, dizendo que o mundo é dos mais espertos. A atitude não surpreende, pois levar vantagem em tudo é uma espécie de apostolado no Brasil, da política ao carteado, do concurso de miss aos torneios de pelada.

O estratagema acabou desvendado e o espião atrapalhado foi preso, levado a uma delegacia de polícia e passou maus pedaços em Buenos Aires após ser flagrado manejando um drone para vigiar o treino do Lanús. O mesmo cidadão já havia sido visto espionando treinos de Flamengo e Botafogo antes de confrontos recentes com o Grêmio.

——————————————————————————————

Papão tem projeto aprovado para Museu do Futebol

Na condição de patrimônio cultural de natureza imaterial do Estado do Pará (por meio da Lei 8.358, de maio de 2016), o Papão obteve aprovação para  construir o Museu do Futebol – Paysandu Sport Club, com verba aprovada no valor de R$ 11.096.224,97 por intermédio da Lei Rouanet.

O projeto e o trabalho de obtenção dos recursos foram conduzidos pelo vice-presidente Ricardo Gluck Paul, reconhecidamente um apaixonado pela preservação da história do clube, tendo sido um dos responsáveis pela realização do filme oficial do Papão.

Resumidamente, conforme o texto de apresentação, o projeto do Museu do Futebol bicolor representa “uma proposta afirmativa do valor histórico, cultural e social” da instituição com a cidade de Belém, constituindo-se em emissário da história e das memórias culturais da capital paraense.

Ricardo está confiante na captação dos recursos.

Sem dúvida, um golaço – para o clube e para a cidade.

———————————————————————————————

Leão vive, enfim, um dia de boas notícias

Os bastidores azulinos fervilham com a história de que o governo deverá liberar verba de R$ 1 milhão para garantir a reconstrução do estádio Evandro Almeida. A notícia vem se somar à assinatura do termo de doação do novo gramado pelo empresário Silvino Caliman, ontem pela manhã. Conforme vinha sendo anunciado, Caliman doou 9 mil metros quadrados de grama esmeralda, a mesma do Allianz Park, do Palmeiras.

Como no Remo sempre há algum enrosco, a reconstrução da estrutura do Baenão pode vir a esbarrar num conflito ético relacionado com a instalação elétrica. O curto-circuito é iminente. A conferir.

———————————————————————————————

Blogueiro relata pontos obscuros da venda de Roni

Detalhes até então desconhecidos da transação envolvendo Roni, do Remo, com o Cruzeiro vieram à tona em matéria postada ontem no Blog do Paulinho. Conforme apuração do blogueiro, surgem no texto comentários sobre o valor total do negócio, supostamente de R$ 700 mil, cabendo aos azulinos a quantia de R$ 400 mil.

Pior que o arranjo, envolvendo empresários arrendatários do futebol profissional do clube mineiro, é a constatação de que ainda há muita coisa obscura. Talvez só com o passar do tempo aspectos mais concretos do negócio venham à tona, bem como o de outras transações feitas pelo Remo nos últimos anos.

(Coluna publicada no Bola desta quarta-feira, 22)