Papão pode se safar de vez hoje, caso Luverdense perca em Campinas

DKbYmSOXkAMaN9B

A última vaga para o rebaixamento na Série B pode ser definida nesta sexta-feira, a partir das 18h15 (horário de Belém), na partida entre Guarani e Luverdense, que jogam no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. Caso o time bugrino vença, rebaixa automaticamente o Luverdense, que tem 40 pontos e não poderia mais alcançar os demais concorrentes diretos, entre os quais o Paissandu, que só entra em campo amanhã contra o Santa Cruz, na Curuzu.

Três times já estão rebaixados: Náutico, Santa Cruz e ABC. O Luverdense ocupa a 17ª posição na classificação e é a equipe que corre mais riscos nesta rodada. Por essa razão, terá contra si a torcida dos demais times, inclusive do Papão, que poderá enfrentar o Santa Cruz já garantido matematicamente na Série B 2018.

Operadoras liberas os sinais de canais esportivos

nba_jandunks_01

Os fãs de esportes já podem se preparar para duas semanas de muitas emoções. Até o dia 01 de dezembro, a NET e a Claro HDTV abrem o sinal dos canais SporTV, ESPN, FOX Sports, BandSports e Esporte Interativo para todos os clientes, com conteúdos exclusivos e uma cobertura completa de diversas modalidades esportivas.

Será possível acompanhar o sorteio para Copa do Mundo da Rússia que acontece no dia 01 dezembro, e será transmitido ao vivo pelo Fox Sports e SporTV às 13 horas.O canal Fox Sports traz um dos maiores clássicos e os amantes do futebol poderão assistir ao Atlético de Madrid medir forças contra os galácticos do Real Madrid, no dia 18 de novembro, às 17h30. Nos dias 21, 23, 28 e 30 de novembro o canal passa os jogos das semifinais da Copa Sul-Americana.

Para os fãs de esportes americanos, a ESPN traz uma programação exclusiva com jogos da NBA e os maiores craques como Stephen Cury, Russel Westbrook, Carmelo Anthony e muitos outros jogadores que fazem a torcida ir a loucura com jogadas sensacionais em quadra. O futebol americano é outra atração que vai levar muita gente para a frente da televisão. Os atuais campeões, o New England Patriots, busca mais uma vaga nos playoffs desse ano e recebe a franquia do Oakland Raiders no dia 19 de novembro às 19h25.

A ESPN ainda traz, com exclusividade, as partidas da Premier League. Estre os jogos que estarão na grade de programação do canal estão Arsenal x Tottenham Hotspur, Liverpool x Chelsea e Manchester City x Southampton. Os brasileiros podem ver Gabriel Jesus em ação com o City, na busca do título do Campeonato Inglês desse ano.

A programação ao vivo está ainda mais completa com os jogos do maior campeonato de clubes do mundo. Os canais Esporte Interativo e Esporte Interativo 2 transmitem a Champions League, com 8 jogos ao vivo e exclusivos nos dias 21 e 22. Será possível acompanhar o camisa 10 do Paris Saint-Germain, Neymar, contra os escoceses doCeltic. O PSG conta ainda com uma legião de craques brasileiros, como Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Lucas Moura. A partida acontece no dia 22 de setembro, às 17 horas  Antes disso, no dia 21, o EI passa com exclusividade APOEL x Real Madrid, também às 17h. Tanto o EI quanto o EI 2 terão rodadas duplas nos dois dias de Champions, com cobertura ao vivo da rodada desde 12h15.

O futebol brasileiro também está garantido durante a abertura de sinal. Todos poderão torcer para o Grêmio na disputa pelo título da Copa Libertadores da América, contra os argentinos do Lanús, com as partidas sendo realizadas nos dias 22 e 29 de novembro às 21h45 e com transmissão do Fox Sports e do SporTV.

Além disso, no SporTV o Campeonato Brasileiro chega à fase decisiva e os últimos jogos prometem ser de tirar o fôlego dos torcedores. Depois de tantas disputas, chegou a hora de torcer para o seu clube e secar os rivais para decidir quem será o campeão, quem vai para a Copa Libertadores da América de 2018 e os quatro clubes que disputarão a série B do próximo ano.

Os canais SporTV podem ser acessados na grade de programação da NET e da Claro HDTV nas posições 537, 538 e 539. Já os canais ESPN estão no 570, 571 e 572, enquanto os Fox Sports podem ser encontrados no 573 e 574. O BandSports está no canal 575 e os canais Esporte Interativo estão nos números 576 e 577. (Da In Press)

Lula ao ‘Nocaute’: MP invade minha casa mas não investiga a Globo?

Transcrição de parte da entrevista feita ontem com Lula e veiculada hoje por Fernando Morais em seu blog Nocaute. Imperdível.

Fernando Morais: Boa tarde, presidente Lula. É uma alegria estar aqui com o senhor. O presidente Lula nos deu a honra de ser o primeiro entrevistado aqui do estúdio, o nosso modesto estúdio do Nocaute. Vamos conversar um pouco sobre ele e sobre o Brasil. Antes, porém, eu queria que ele fizesse a gentileza de grudar ali do lado do Cassius Clay a nossa plaquinha.

Lula: Está inaugurado. Um pouco torto, mas está inaugurado.

Fernando Morais: Presidente, primeiro eu queria começar com as coisas mais suaves: caravana. O senhor tinha feito antes uma caravana para o Nordeste, mais demorada, que eu não pude ir. Mas eu fui na segunda, a de Minas Gerais e eu fiquei muito bem impressionado. Eu queria saber a sua impressão. Qual é o saldo que fica para o senhor dessas duas caravanas, que vão continuar semana que vem.

Lula: Primeiro eu pensei que você ia começar no dia dezesseis de novembro me perguntando da vitória do Corinthians ontem. Porque ontem o Corinthians antecipadamente se tornou pela sétima vez consecutiva campeão brasileiro, que não é pouca coisa. E como no Brasil nós temos duas coisas: um partido político é o PT e o resto é antipetista. E no futebol você tem o time de futebol que é o Corinthians, o resto é anticorintiano. Então, eu só posso estar feliz porque eu trabalho com muito palmeirense.

Fernando Morais: Você assustou na hora que o Fluminense fez o gol?

Lula: Me assustei. Te confesso que me assustei. Pensei: não é possível que vai dar urucubaca. Mas depois a gente mostrou que a gente estava em primeiro lugar porque o time tinha estabilidade emocional, tinha autocontrole. Porque o nosso time não é dos melhores. O Corinthians já teve time melhor, mas na draga que está o futebol brasileiro, o Corinthians mereceu esse título. Vamos pensar agora no terceiro título mundial.

Fernando Morais: Beleza! Deus te ouça.

Lula: A caravana.

Fernando Morais: A caravana. Primeiro a do Nordeste.

Lula: Fernando, a caravana teve como objetivo. Eu tinha duas coisas na cabeça quando pensei a caravana. Primeiro, fazer um reencontro com o Brasil. O Brasil é muito grande, muito heterogêneo, é uma diversidade cultural, econômica e social muito grande. E eu tinha noção do que nós tínhamos feito no período que governamos o Brasil e queria ver, nesse momento de desmonte do Brasil, o que estava acontecendo com os setores da sociedade que tinham sido os setores mais beneficiados com os programas de inclusão social.

Então, resolvi fazer esse reencontro com o Brasil e uma tentativa de fazer com que o PT recuperasse a sua imagem diante da sociedade brasileira, porque os meninos do Ministério Público resolveram criar a ideia de criminalizar o PT. A ponto de tentarem dizer que o PT é uma organização criminosa. Era preciso recuperar a moral da tropa, recuperar o PT, fazer o PT ir pra rua. E mostrar para o PT que ninguém vai defender o PT, a não ser o próprio PT. Ou seja, ou o PT se conscientiza que a acusação que se faz ao PT na perspectiva de criminalizá-lo e tirá-lo da legalidade política, como já fizeram com o Partido Comunista no auge do PC no Brasil, inventaram essa mentira do Power Point para tentar no fundo acabar com essa coisa que começou a ser conhecida pela sociedade que são as políticas de inclusão social. Fazer com que as pessoas possam subir um degrau na escala social. Que as pessoas possam comer melhor, trabalhar melhor, ganhar melhor. Sabe? Que as pessoas possam conquistar a cidadania. Então, era esse o objetivo. E o sucesso foi extraordinário.

A do Nordeste, eu sou suspeito porque eu sou nordestino, então o pessoal fala que eu gosto muito do nordeste e o nordeste gosta muito de mim. Eu tenho orgulho de ser nordestino e tentei fazer para o Nordeste, não uma política de privilégio, tentei fazer com que aquela distorção que vinha existindo desde que D. João VI chegou ao Brasil e foi para o Rio de Janeiro. Porque até então, Pernambuco era o estado rico do Brasil e começou a fazer com que os investimentos saíssem do Nordeste e viessem para o Sul e para o Sudeste. Nós queríamos fazer que o Nordeste tivesse um pouco mais de ajuda do estado brasileiro para que o Brasil se tornasse mais igual, mais equânime. Para que o desenvolvimento ficasse espraiado por todo o território nacional e não apenas no eixo Rio-São Paulo-Minas Gerais. E isto eu fiz com muito gosto. Tanto no campo da saúde, da educação, da ciência e tecnologia e no campo da geração de oportunidade. Então, foi extraordinária essa caravana. Eu acho que o resultado foi extraordinário.

Aí eu queria fazer uma no Sudeste. Eu resolvi fazer numa região que eu tenho verdadeira paixão que é aquela parte mais empobrecida da região, não que seja pobre, mas um pouco mais empobrecida de Minas Gerais que é o Vale do Jequitinhonha. Eu tenho uma admiração pela capacidade cultural daquele povo. Mesmo vivendo em adversidade social é um povo muito criativo. Resolvi estar perto e para mim foi uma surpresa agradável, foi uma emoção o companheirismo, a presença das pessoas. Terminei Minas Gerais, eu agora vou fazer uma outra pelo Espírito Santo e pelo Rio de Janeiro e deixar para depois do carnaval fazer os estados do Sudeste e do Sul, começar pelos estados do Sul. E depois fazer a caravana do Norte, a caravana do centro-oeste. Aí eu termino e vamos ver o que vai acontecer no Brasil.

Fernando Morais: Dez entre dez brasileiros gostariam de saber o que é que o senhor acha que vai acontecer em 2018 no Brasil.

Lula: Primeiro um desejo pessoal: eu espero que o povo brasileiro esteja melhor, que tenha diminuído o número de pobres e aumentado o número de emprego, que as pessoas estejam comendo melhor, morando melhor e tendo mais expectativa de vida. E que a gente tenha eleições livres e democráticas. O que eu espero é que o jogo democrático no país que foi truncado durante tanto tempo na história do Brasil da forma mais vergonhosa possível, com uma mentira inventada de uma pedalada, desrespeitando 54 milhões de seres humanos que foram votar na Dilma. Fora aqueles que foram votar no Aécio e que, portanto, queriam democracia. Desrespeitaram mais de 100 milhões de votos para fazer com que uma pessoa que tenha assumido o cargo de deputado, sub judice, porque nem isso ele tinha eleito, assumisse a Presidência da República, para prestar serviço ao mercado e tentar desmontar toda a estrutura de desenvolvimento que o Brasil conseguiu construir ao longo de tantos anos. Espero que a gente chegue nas eleições, não importa quantos candidatos tenha, o importante é que as eleições sejam democráticas e que vença o que tiver mais votos e que respeitem o resultado das eleições como eu respeitei em 89, 94 e 98.

Então eu acho que eleição é feita para isso. Você fala a verdade, você conta mentira, faz o que você quiser, mas o importante é que tem o dia D que é o dia de abrir as urnas. Ali tem o resultado, o resultado tem que ser acatado e governo quem ganhou as eleições. Isso é consolidar a democracia no Brasil.

Fernando Morais: O senhor tem expectativa de que vão permitir que o senhor disputa as eleições?

Lula: Eu nem discuto isso. Porque se eu ficar discutindo: será que eles vão deixar, será que eu posso? Aí eu estou fazendo o jogo deles. Eu sei o que eles querem e eu sei o que eu quero. Eles não querem que eu seja candidato. Então, não tem nada melhor do que perguntar para o povo. O povo pode me condenar, ou o povo pode me eleger de novo presidente da República desse país. Eu só quero livremente provar a minha inocência, aliás eu já provei a minha inocência em cada processo. Eles que têm que encontrar provas de que eu sou culpado. E tentar tocar a vida e cuidar desse povo. Porque esse povo está precisando de cuidado. Esse povo não está precisando ser governado, esse povo está precisando de cuidado. E cuidado significa você cuidar da saúde, da educação, da segurança, da creche, universidade. Significa você cuidar do investimento em Ciência e Tecnologia, cuidar do emprego, cuidar das pessoas que ganham menos. Significa você respeitar o exercício da democracia e ao invés de tomar decisões palacianas com meio dúzia de pessoas. Voltar a fazer as conferências nacionais que eu fazia, voltar a fazer as políticas públicas que a sociedade quer que sejam implantadas. Fazer com que o Brasil seja respeitado na África, na Ásia, nos Estados Unidos. Porque respeito é bom. Eu gosto de receber e gosto de dar também. É isso que eu quero que aconteça no Brasil. E é por isso que eu tenho a firme convicção e muita vontade de concorrer nas eleições na expectativa de que o que nós fizemos é o passaporte para que esse povo nos dê mais uma autorização de uma viagem de 4 anos governando esse país. 

Fernando Morais: Agora presidente, a perspectiva, a possibilidade de que a Justiça impeça o senhor de ser candidato já está permitindo muita gente, sorrateiramente, de querer tomar o seu legado de voto, de apoio popular. Como que o senhor vê essa mobilização? Porque a esquerda vai ter que ter candidato. Se não for o senhor, o que vai acontecer?

Lula: O povo não pode ser visto, tratado e pensado como gado, rebanho, que alguém é dono, que pode dizer “Vai pra lá, vai pra cá”. Não. Obviamente que, se eu puder ter influência num eleitor para votar em mim, eu vou ter. Se eu não for ser candidato, eu faria o que eu fiz a vida inteira: ser cabo eleitoral daquela pessoa que eu achar mais justo para concorrer. Eu trabalho com a seguinte ideia. Primeiro eu trabalho com a convicção e a certeza de que eu vou ser candidato à presidência da República. Se eu for candidato, eu tenho muita, mas muita certeza que as possibilidades de ganhar são enormes e eu confio muito que o povo vai compreender o que nós fizemos nesse país e o que ele pode esperar, porque vamos dizer às claras o que nós queremos fazer no Brasil. E esse país tem que voltar a crescer, o povo tem que voltar a ser feliz, o povo tem que acreditar no futuro, o povo tem que ter esperança. E o povo brasileiro sabe de uma coisa.

Se tem uma coisa que eu aprendi a fazer com o próprio povo foi a cuidar dele com carinho, a saber quem mais precisa, saber para quem o Estado tem que governar. Obviamente o Estado tem que ser de todos. Mas dentre esse “todos” você tem aqueles que precisam mais do que o outro. Você vai dar água para quem tem sede. Quem tem fartura de água vai ter que emprestar um pouco para quem tem sede. Você vai dar mais comida para quem tem fome. Quem tem muita comida vai ter que dar um pouco. É assim que a gente vai construir um mundo mais solidário, uma sociedade mais humanista. Um povo com uma concepção de solidariedade maior. Eu sonho.

Agora, o que está acontecendo? Eu acho que quem está numa encalacrado não sou eu. Eu acho que há uma perspectiva e uma tentativa de julgar os 12 anos do PT no governo. E para fazer esse julgamento eles construíram uma mentira monstruosa. Construíram uma mentira, criando a ideia e apresentando em rede nacional de que o PT era uma organização criminosa, de que o PT nasceu para ser uma quadrilha, que o PT pensou em ganhar para poder roubar. E que quando eu ganhei, montei para roubar.

Eles querem julgar porque eu indiquei, porque eu não escolhi você para ser secretário de comunicação, porque eu escolhi o Franklin Martins, porque que eu indiquei não sei quem. Como se alguma pessoa soubesse anteriormente que um cidadão vai roubar. Ninguém tem escrito na testa que é ladrão. Às vezes as pessoas mesmo sendo ladras elas parecem as mais honestas do planeta.

Eu estou sendo acusado de uma série de bobagens. Eu fico até irritado com os depoimentos porque são de uma cretinice sem tamanho. E como esse processo, tem coisas sérias nele. É importante aproveitar o Nocaute para dizer que eu não sou contra a Lava Jato, de combate à corrupção. Tem coisa muito importante. O povo brasileiro fica feliz de saber que rico está indo para a cadeia, de saber que, se o político roubou, vai para a cadeia. Porque antes só ia para a cadeia o cara que roubava um Melhoral na farmácia, o cara que roubava um pão, uma galinha. Esse coitado vai preso e passa 3 anos na cadeia e tem que ter um advogado que faça assistência pra ele. Então isso é importante. Mas é importante separar o joio do trigo. Todo processo, para rico e para pobre, ele tem que ter um determinado critério. As pessoas têm que ter direito à defesa. As pessoas não podem ser acusadas e condenadas pelos meios de comunicação. Porque no caso do PT, eu já apresentei todas as minhas defesas, todas as provas da minha inocência e eles até agora não apresentaram uma única prova de culpa.

Aliás, o promotor que é o chefe do PowerPoint nunca apareceu em nenhuma audiência. As audiências não são levadas em conta. Só para você ter ideia, essa audiência agora, no caso da Zelotes que fala dos caças, nada menos do que Dilma Rousseff foi testemunha, Nelson Jobim, que foi ministro da Defesa, companheiro Celso Amorim, foi ministro da Defesa também, o brigadeiro Saito e os militares responsáveis pela escolha técnica. Então eu não sei em que momento de loucura alguém imaginou: “Bom, o Lula teve influência na escolha dos caças”. E por aí vai.

Eu fui prestar depoimento sobre o estádio do Corinthians. Eles não leem jornal e só aqueles que eles querem ler, e não sabem que eu defendia que a Copa do Mundo fosse realizada no Morumbi. Que eu levei no Morumbi o Serra, o Kassab, o Alckmin, a Confederação Brasileira, que era para todo mundo ver: temos um estádio pronto, vamos fazer.

Eu defendia que São Paulo, como era o estado mais importante da federação, o mais rico, o que tem o melhor futebol, não poderia ficar de fora da abertura da Copa do Mundo. Era até uma coisa engraçada porque o Sergio Cabral falava: “Eu quero que o encerramento da Copa do Mundo seja no Rio de Janeiro”. E eu falava: “Sergio, o encerramento você não sabe se o Brasil vai estar. Na abertura você sabe, então é melhor você querer fazer a abertura no Maracanã”. O que aconteceu é que o Brasil nem jogou no Maracanã.

Essa acusação de corrupção

praticada pela Globo, eu nem sei se é verdade.

Mas alguém tem que investigar.

 

Então é por isso que eu tenho consciência de que eu vou ser candidato. Eu acho que em algum momento as coisas vão clarear. Acho que em algum momento as pessoas vão perceber alguma coisa errada nessa coisa contra o PT. E eu digo para todo mundo: se no PT tiver alguém culpado, se no PT tiver alguém que roubou, essa pessoa tem que pagar. Mas essa pessoa tem que ter um julgamento certo. Isso vale para mim, para você, para qualquer um. Ninguém está acima da lei. Eu quero que todo mundo seja tratado em igualdade de condições, sem mentira.

Eu não quero falar mal de ninguém aqui, acho que todo mundo é inocente até que prove o contrário. Mas eu não sei se o Jornal Nacional vai dar o mesmo destaque que deu a mim durante 30 horas, desde que começou a operação Lava Jato, à acusação desse empresário argentino que diz da corrupção praticada pela Globo. Eu nem sei se é verdade. Eu defendo que a Globo tenha direito de defesa, que seja apurado corretamente, e ela será inocente até que prove o contrário. Mas alguém tem que investigar. O que eu acho estranho é que o Ministério Público até agora, o mesmo MP que invadiu o Instituto Lula, que invadiu a minha vida, até agora não falou nem fez nada. Espero que faça para a gente descobrir se é verdade que teve influência de um canal de televisão que deteve o monopólio seja na Copa das Confederações, seja na Copa do Mundo, seja no Sul-Americano, seja na Copa Brasil. O que é importante é que o futebol é uma paixão nacional e eu acho que está na hora dos jogos serem transmitidos ao vivo em todos os canais para todo mundo que possa ver e não só para quem possa pagar uma TV a cabo.

Sinceramente, eu poderia estar mais nervoso, mas estou tranquilo. Estou tranquilo porque tenho consciência do que eles querem, do que eu fiz, do que eu posso fazer por esse país, e quero jogar. E, com todo respeito aos demais candidatos, não sou contra ninguém que seja de direta, de centro, extrema direita, extrema esquerda, tem espaço para todo mundo, e o povo será o nosso juiz. 

Remo vai anunciar mais três reforços na próxima semana

Depois do anúncio oficial da contratação do lateral Esquerdinha e do meio-campista Felipe Recife, o Remo vai começando a estruturar as bases do elenco para a próxima temporada. Além dos reforços anunciados, já estavam garantidos os goleiros Vinícius e Evandro Gigante, o zagueiro Martony, o atacante Jayme e o volante Dudu.

Além destes, mais 10 jogadores oriundos da base remista serão incorporados ao grupo e o técnico Ney da Matta planeja contratar mais 11 atletas. Os próximos a serem anunciados pela diretoria serão um atacante, um meia e zagueiro.

“Nesse momento, em respeito às negociações, é melhor não detalhar também as posições, mas outros atletas chegarão ainda nesta semana”, disse ontem o diretor de futebol Paulinho Araújo.

Sobre os dois reforços, o executivo Zé Renato (foto) disse que ambos foram cuidadosamente avaliados e se encaixam na realidade financeira do clube. “São jogadores que vão contribuir. Não foram escolhas aleatórias. Todos se enquadram no modelo técnico do nosso treinador”, afirmou.

Campeões da objetividade

POR GERSON NOGUEIRA

Como muita gente que aprecia futebol bem jogado, não sou fã do estilo de jogo que consagrou o Corinthians neste Campeonato Brasileiro. Nada contra o legítimo campeão da temporada. É apenas questão de preferência. O problema é que o chamado futebol de resultados nunca me encantou. Sempre tive desconfianças em relação a esquemas que priorizam a defesa e a marcação. Prefiro o jeito mais tradicional, que consiste em buscar sempre o gol e em eleger a vitória como objetivo maior.

Sei que a modernidade – e a flagrante limitação dos times – impõe hoje a prática de um futebol mais pragmático, onde não há espaço para romantismos ou malabarismos. O drible praticamente foi abolido diante da ditadura da troca de passes e da marcação prussiana.

Talentos individuais não cabem nos times programados cientificamente para conquistar títulos. É preferível ter uns dez cabeças de bagre dispostos a matar pelo futebol solidário a ter um craque que pode desequilibrar, mas que não marca como os demais companheiros.

O Corinthians de Fábio Carille foi moldado para levantar o título e tem méritos inquestionáveis. Adaptou-se ao perfil da competição, conquistando o maior número de pontos possíveis, superando todos os competidores diretos. Pouco importa se jogou feio, se não teve uma vitória memorável na competição. O que conta é alcançar a meta estabelecida.

Já faz algum tempo que o futebol brasileiro mergulhou nesse culto à objetividade e dificilmente se libertará disso nos próximos anos. É sempre mais fácil jogar fechado, destruindo e marcando, do que propondo um jogo inteligente, que envolva o adversário e propicie lances prazerosos para quem vê o jogo.

A vitória que sacramentou a conquista corintiana fugiu um pouco ao seu próprio histórico na competição. Ganhou do Fluminense por dois gols de diferença, coisa raríssima na exitosa campanha, recheada de escores apertados.

A fibra, a raça e a transpiração são os principais atributos da equipe heptacampeã, indiscutivelmente mais eficiente que seus oponentes. A essa altura, é mero detalhe o fato de suas atuações terem sido pouco brilhantes. Importa mesmo é a justa alegria de seu torcedor com o troféu ganho.

O fato é que, nos últimos anos, o futebol no Brasil incorporou um padrão que a Europa praticava nas décadas de 60 e 70, com ênfase no futebol-força. Ocorre que eles cansaram daquele jogo mecânico e pouco sedutor para as plateias. Para faturar mais e encher estádios, passaram a jogar com arte e elegância, priorizando o espetáculo.

Por aqui, continuamos a praticar o jogo bruto, de muitas faltas e pouco brilho. A tônica é jogar para ganhar, seja de que maneira for. Talvez, como sempre ocorre, daqui a uns 10 ou 20 anos times e técnicos nacionais resolvam copiar o que a Europa faz hoje, com invulgar competência.

A conferir.

—————————————————————————————-

Botafogo sendo Botafogo: vacilações na hora errada

O Botafogo costuma se diferenciar dos demais times do mundo pela riqueza de sua história, pela quantidade portentosa de craques e pelo hábito doentio de irritar sua apaixonada torcida com vexames acachapantes nos piores momentos.

Depois de uma temporada empolgante, desandou a entregar pontos preciosos para Avaí, Vitória, S. Paulo e Atlético-PR. Ontem, resolveu brindar seu arrebatado torcedor com uma derrota para o pior time do campeonato, o Atlético Goianiense, no estádio Nilton Santos.

Não me surpreende que as coisas sejam assim, pois, como alvinegro desde que nasci, sei bem o que o Botafogo é capaz de aprontar. A lamentar que o time de Jair Ventura tenha escolhido tropeçar no Brasileiro justamente quando a possibilidade de classificação à Libertadores é tão clara.

Apesar de tudo, é preciso sempre entender que assim é o Botafogo, diferente de tudo e de todos, para o bem e para o mal. Enfim, como diria o eterno João Sem Medo, vida que segue.

 —————————————————————————————–

Abrajet premia reportagem do blog campeão

Este escriba de Baião, colunista e blogueiro, cronista esportivo e operário do jornalismo há 39 anos, conquistou anteontem o primeiro lugar no IV Prêmio de Jornalismo em Turismo Comendador Marques dos Reis, na modalidade Jornalismo On-Line, com a reportagem “Aromas, temperos e sabores a serviço do turismo do Pará”. A iniciativa é da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet-PA) e tem apoio das Secretarias Estaduais de Comunicação (Secom), de Turismo (Setur), Abrajet nacional e Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará.

Além da alegria pela premiação, há a satisfação do reconhecimento por parte de companheiros de profissão, o que valoriza ainda mais o feito. Partilho o prêmio com os incansáveis baluartes do blog campeão, os 27 leitores da coluna e com os colegas fotógrafos Wagner Santana, Ney Marcondes, Bruno Carachesti e Fernando Sette, cujas imagens emolduraram e valorizaram sobremaneira o texto da matéria.

——————————————————————————————

Leão abre a temporada de contratações

O lateral esquerdo Esquerdinha, ex-Sampaio Corrêa, e o meio-campista Felipe Recife, ex-Toledo e São Bento, são as novidades da primeira etapa de contratações do Remo para a temporada. Nomes que preenchem inteiramente o perfil desenhado por Ney da Matta, tanto quanto ao nível da Série C quanto à faixa salarial.

Mais do que nunca, o torcedor precisa estar consciente de que o Remo de 2018 terá que ser mais modesto e contido nos reforços.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 17)