As mãos e as vozes que empurraram o reitor da UFSC para a morte

captura-de-tela-2017-10-03-axxs-12.26.31

POR LUIS NASSIF, no Jornal GGN

Luís Roberto Barroso tem fixação por sua imagem pública. Algumas denúncias estampadas em blogs de Curitiba, encampadas pelos blogueiros de Veja, foram suficientes para deixa-lo de joelhos.

As denúncias falavam da compra de um apartamento em Miami pela senhora Barroso, através de uma offshore.

Mesmo casados em comunhão de bens, compartilhando um escritório bem-sucedido, o nome de Barroso não entrou na história, até o eixo Curitiba-Veja entrar no tema.

E o Ministro Barroso decidiu defender sua imagem com as armas que conhecia: abandonou suas teses legalistas, seu passado garantista e decidiu aderir aos agressores.

Sua estreia se deu na votação da autorização para a prisão do réu após condenação em Segunda Instância.

Dali em diante, surgiu um novo Barroso, defensor dos métodos policiais, punitivista convicto, defensor da tese de que ou o Brasil acabava com a corrupção ou a corrupção com o Brasil.

Não a corrupção corporativa de seus clientes, ele que se vangloria de preparar anteprojetos de lei para que os clientes possam oferecer a seus deputados de estimação; não a do Poder Judiciário, ou mesmo a impunidade sua ex-cliente, a Globo.

Mas a corrupção do inimigo, a defesa do direito penal do inimigo que chegou ao auge com sua defesa explícita do Estado de Exceção.

Desde então, Barroso se tornou o guru da Lava Jato e dos punitivistas do Ministério Público Federal, o profeta do Estado de Exceção, o principal estimulador das bestas que habitam os porões, onde nenhum direito é respeitado.

Suas frases se tornaram os bordões prediletos dos procuradores nas redes sociais, o alimento legal que engordava os monstros gerados da barriga da Lava Jato.

E das entranhas da Lava Jato a delegada da Polícia Federal Erika Marena saiu de Curitiba e transportou os métodos da Lava Jato para Santa Catarina.

Estrela de cinema, tinha que manter a fama de implacável.

Lá, encontrou como chefe o delegado Marcelo Mosele que, ao assumir a superintendência da PF em Santa Catarina, discursou afirmando que a corrupção é a maior ameaça à humanidade.

Era esse o clima dominante na PF quando chegaram denúncias envolvendo a Universidade Federal de Santa Catarina.

Mencionavam desvios que teriam ocorrido desde 2006 nos cursos de educação à distância. O reitor assumirá apenas em 2016.

No início, denúncias anônimas. Depois, denúncias personalizadas, uma da professora Tais Dias, outra do corregedor da UFSC, Roberto Henkel do Prado.

Escolhido em uma lista tríplice, o corregedor responde ao reitor e também à CGU (Controladoria Geral da União).

Quando o reitor Luiz Carlos Cancellier pediu acesso ao inquérito, imediatamente foi denunciado por Henkel, como tentativa de obstrução da Justiça.

Nesses tempos bicudos, as longas mãos da CGU criaram núcleos de poder em cada universidade, e Henkel pretendeu exercê-lo com a autoridade dos moralistas e com a plenitude dos superpoderosos.

Imediatamente obteve a adesão de Orlando Vieira de Castro Jr, superintendente da CGU em Florianópolis.

E o caso foi parar com o procurador da República André Stefani Bertuol.

A Polícia Federal foi acionada e a sede de sangue atingiu a juíza federal Janaína Cassol Machado, que, consultado o procurador Bertuol, autorizou a prisão preventiva dos professores.

Em Brasília, o eminente Ministro Barroso despejava frases feitas:

— Para ser preso, no Brasil, precisa ser muito pobre ou muito mal defendido.

Ou então:

— Pense o que você poder fazer diariamente pelo bem.

Lá embaixo, nos porões da nova ditadura, a delegada Marena, o delegado Mosele, comandavam policiais treinados nas artes da humilhação.

Os professores foram despidos, ficaram nus, foram jogados em celas

Enquanto isto, Barroso, que se tornou um Ministro choroso quando a imprensa meramente flagrou-o em uma afirmação relativamente racista em relação a Joaquim Barbosa, que se desmanchou em lágrimas tal como uma donzela com a reputação colocava em dúvida, continuava lançando seus dardos no Olimpo e alimentando com princípios pútridos a carne que era servida às hienas.

No dia seguinte, uma juíza substituta, Marjorie Feriberg, ordenou a libertação do grupo.

Foi publicamente admoestada por Janaína, que se atirou sobre ela como uma harpia da mitologia.

Restou a Cancellier a única saída que encontrou para a desonra que se abateu sobre ele: o suicídio.

Depois da tragédia, apareceram notícias dizendo que a única acusação formal contra ele era a de ter impedido a investigação.

Que seu sangue caia sobre todos seus algozes.

Mas, especialmente, sobre os que destruíram os alicerces dos direitos individuais pensando exclusivamente em seus próprios interesses.

Técnico do PSC confirma atraso no pagamento de direitos de imagem

DHdmFADWsAEwwzu

Em entrevista ao Globo Esporte, o técnico Marquinho Santos confirma atraso no pagamento de direito de imagem aos atletas do Paysandu Sport Club, mas ressalta o empenho da diretoria bicolor em honrar os compromissos com os atletas.

“Procede sim, não é mascarado. É uma realidade nacional em função da crise que se instalou. Trazendo para o futebol, tem a questão do direito de imagem, mas o Paysandu tem trabalhado muito para sanar as dívidas. Sei do caráter e do trabalho que está sendo realizado de maneira séria no Paysandu”, disse o técnico.

Os direitos de imagem constituem a parte principal da remuneração dos jogadores de futebol. Em média, representam mais que o dobro do salário pago em carteira. Nas últimas semanas, a notícia sobre atraso nos pagamentos havia surgido, mas assessoria e diretoria do PSC negaram. Agora, o técnico confirma.

JUSTIÇA – Os jogadores Fernando Lombardi e Ricardo Capanema, que foram dispensados pelo clube, informaram que irão à Justiça reivindicar direitos trabalhistas e remunerações. (Com informações de Magno Fernandes, via Facebook)

Círio chega com muito som no Ziggy Hostel Club

maxresdefault

Cidade lotada, cheiro de maniçoba pra tudo quanto é lado e, claro, muita festa no Ziggy. A semana já começa com tudo na quarta-feira com mais uma edição da Quarta de Bolso + Quarta Sábado! A Quarta de Bolso dessa semana vai apresentar o trabalho do cantor e compositor paraense Bruno Araújo, que vai mostrar o seu trabalho que mistura sons eletrônicos com reggae, rock e carimbó. O artista tem influências de Bob Marley, Manu Chao e Nação Zumbi.

O pocket show de Bruno Araújo ainda será acompanhado por um happy hour bem gelado, que também receberá o lançamento do livro “Meu Cio é Seu”, de Leila Loureiro. A obra promove uma reflexão sobre feminismo, guerra de sexos, gêneros, liberdade e opressão. A protagonista confronta sua vida padronizada, questionando a existência sadomasoquista moderna e coloca o chicote nas mãos do algoz certo: o tempo!

Ainda na quarta, a partir das 22h, a Quarta Sábado vai botar muitos ritmos requebrantes na pista do club, desde funk carioca, bregas marcantes até muita música pop. Dessa vez, quem vai comandar a noite são os DJ’s Waldo Squash, Gustavo Cruz, Dritoow e Dj’s Cruj.

E na quinta-feira, o quintal do Ziggy, pela primeira vez, vai receber música ao vivo! Será uma roda de samba chefiada pelo artista paraense Arthur Espíndola. A apresentação vai contar com a participação das cantoras Lucinha Bastos, Marisa Black, Gigi Furtado e Karen Tavares. Na mesma noite, o compositor Allan Carvalho vai realizar um show no club da casa, com mais brasilidades. Pra completar a festa, o DJ Ed Pereira vai botar todo mundo pra sambar mais ainda com uma discotecagem especial para a ocasião.

Enquanto isso, na sexta, a noite começa com mais uma edição do Antes de Tudo, que desta vez apresenta a banda Maraú. O grupo tem referências de ritmos da Surf Music, MPB e Rock ‘n’ Roll Lo-fi, e tocam sob influência de Caetano Veloso, Cicero, Mutantes, Daniel Johnston, Velvet Underground e Mac Demarco.

Após o Antes de Tudo, a programação dá lugar pra mais uma Roquerági. A edição desta semana vai receber os shows das bandas Mostarda na Lagarta, STRR e Steamy Frogs + discotecagem com muito indie e sucessos dos anos 90/00.

Encabeçado por Mateus Estrela, o projeto STRR permeia o synthpop, R&B, Future Bass e House. Enquanto isto, o rock psicodélico será representado pela banda Steamy Frogs, que vai mandar muita distorção e quebradeira. E, pra finalizar, a galera da Mostarda na Lagarta vai mandar um rock que mistura o indie, punk e regionalidades, sempre com letras bem humoradas.

A semana do Ziggy termina no sábado com um festão pra todo mundo dançar até se acabar. Vai rolar mais uma edição do Baile Tropical, evento que toca muita música pop e ritmos quentes. A festa abraça ritmos como o Funk Carioca, Reggaeton, Moonbahton, Kuduro, Tecnobrega, Guitarrada, Afrobeat, Cumbia e muito mais. A noite vai ser comandada pelos DJ’s Bernardo Pinheiro e Luan Rodrigues, que vão mandar sons altamente requebrantes pra pista ferver.

SERVIÇO

(04.10) Happy Hour + Quarta de Bolso + Quarta Sábado

Happy Hour: 17h às 20h | Chope Brahma: R$ 6

Pocket show: Renato Torres (20h)

DJ’s: Waldo Squash, Gustavo Cruz, Dritoow e Dj’s Cruj

Entrada: R$ 10 e já ganha 2 chopes + ingresso pra festa (17h às 20h) | R$ 10 a partir de 21h e R$ 15 a partir de 22h

(05.10) Happy Hour + Samba no Quintal – Arthur Espíndola e convidados

Happy Hour: 17h às 20h | Chope Brahma: R$ 6 | Entrada: R$ 10 (já vale 2 chopes e a permanência para a festa).

Samba no quintal: partir de 21h. Shows: Arthur Espíndola e convidados | Allan Carvalho. DJ: Ed Pereira

Entrada: R$ 15 a partir de 21h | R$ 20 a partir de 22h

(06.10) Antes de Tudo com Maraú

Hora: 17h às 22h

Pocket Show: Maraú. Entrada gratuita

(06.10) Roquerági com STRR, Steamy Frogs e Mostarda na Lagarta

A partir das 22h

Shows: STRR, Steamy Frogs e Mostarda na Lagarta. DJ: Matheus Paes

Entrada: R$ 15 a partir de 22h | R$ 20 a partir de 23h

(07.10) Baile Tropical # 130

A partir das 22h

DJ’s: Bernardo Pinheiro e Luan Rodrigues. Entrada: R$ 15 a partir de 22h | R$ 20 a partir de 23h

Café Bar Ziggy Hostel Club

Funcionamento: quarta a sábado, 17h às 23h.

Ziggy Hostel Club – Trav. Benjamin Constant, 1329, entre Av. Nazaré e Av. Braz de Aguiar.

Maia sugere que Temer traiu Dilma: “Não fiz com eles o que fizeram com ela”

DD4rGjrXsAAj5Vg

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), revelou sua mágoa com o PMDB, o núcleo político do Palácio do Planalto e o presidente Michel Temer. Em entrevista ao Valor Econômico, Maia diz que os peemedebistas desconfiam de que ele esteja conspirando contra Temer porque tiveram esse comportamento em relação à ex-presidente Dilma Rousseff até levá-la ao impeachment. Segundo ele, os rumores de que foi picado pela “mosca azul”, do poder, nasceram nos gabinetes e cafezinhos do núcleo duro do governo e cresceram com a tensão entre DEM e PMDB.

“Não fiz com eles o que eles fizeram com a Dilma. Talvez por isso essas mentiras criadas, para tentar criar um ambiente em que eu era o que não prestava e eles eram os que prestavam”, disse. “Como eles fizeram desse jeito com a Dilma, talvez imaginassem que o padrão fosse esse. O meu padrão não é o mesmo daqueles que, em torno do presidente, comandaram o impeachment da presidente Dilma”, acrescentou.

Na entrevista aos repórteres Robinson Borges e Raphael Di Cunto, Maia não poupa seu sogro postiço, o ministro Moreira Franco, um dos auxiliares e amigos mais próximos de Temer. Também sugere que faltou fidelidade a ele e ao DEM por parte do próprio presidente, que lhe assegurou, em julho, que o PMDB não atravessaria as negociações de aliados de Maia pela filiação dos dissidentes do PSB que apoiam o governo.

<< Leia no Valor a íntegra da entrevista

“Desesperado, Michel pediu para jantar aqui comigo para esclarecer que era mentira (a tentativa de cooptação). O presidente do PMDB (Romero Jucá) ligou para o presidente do DEM (José Agripino Maia) para dizer que eles não tinham nenhum interesse nos parlamentares do PSB e o que estamos vendo é outra coisa. E o Romero (Jucá, presidente do PMDB e líder do governo no Senado), depois dessa denúncia, continuou fazendo a mesma coisa. A relação do PMDB com o DEM hoje é muito difícil”, afirmou.

“Como o presidente do PMDB e o próprio presidente da República falam uma coisa e o partido faz outra? E os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil) vão à filiação do Fernando Coelho (senador que trocou o PSB pelo PMDB) respaldar aquilo que é uma posição do governo? Eles são muito corajosos”, ironizou.

Moreira Franco é sogro postiço de Rodrigo Maia. Patrícia Vasconcellos Torres, esposa de Maia, é filha do primeiro casamento da atual mulher de Moreira Franco. Mas a relação entre os dois políticos não é das mais pacíficas. “Quem aparece aqui desesperado quando eu tenho um problema com o governo é ele, tentando acalmar a relação. Acho muito ruim ele ter respaldado essa posição do PMDB. Na hora que ele vai no negócio (filiação) do Fernando (Bezerra), mostra que essa interlocução é para resolver um lado, o dele, e o do Michel. Não é para resolver os dois”, criticou.

Maia diz que atuará com neutralidade na condução do processo de análise do pedido de autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgue nova denúncia contra o presidente, mas admite que o ânimo do DEM, que deu quase todos os seus votos em favor de Temer na votação da primeira denúncia, mudou em relação ao peemedebista.

Aos risos, segundo o Valor, o deputado contou que recebeu uma mensagem de sua mãe, a chilena Mariangeles Ibarra Maia, pedindo a ele que não conspirasse contra o Temer. Recado enviado em razão de notas, de acordo com ele infundadas, de que poderia atuar para afastar o atual presidente: “Não sei o que aconteceu que ela gosta do presidente Michel Temer”. Ela estaria entre os 3,4% da população do país que aprovam o governo federal. “Mas, como é chilena, então, coitada, nem pode contabilizar a favor”, provocou. (Do Congresso em Foco)

Leão prorroga até dezembro contratos de Flamel e Jayme

jayme

A diretoria do Remo confirmou, através de nota, a prorrogação dos contratos do atacante Jayme e do meia Flamel até dezembro deste ano. Os jogadores, que tiveram boa participação na temporada azulina, serão emprestados a times que jogarão a Segunda Divisão do Campeonato Paraense. Flamel atuará na Segundinha pela equipe do Parauapebas. Jayme (foto) ainda não definiu o time que defenderá no torneio, mas o Tapajós é seu destino mais provável.

Quanto ao restante do elenco e à contratação do novo técnico, o clube só irá definir depois da posse oficial da nova diretoria de futebol. Por enquanto, apenas os goleiros Evandro Gigante e Vinícius tiveram vínculos confirmados para 2018.

Siga o dinheiro: a indústria picareta por trás da “cura gay”

POR LEONARDO ROSSATTO, no Congresso em Foco

Eu quero apresentar um aspecto bem menos moral e mais pragmático da questão da “cura gay”. Chama “follow the money“. O Pastor Malafaia tem um escudeiro na Câmara: o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ). Isso nem é segredo.

A coitadinha da psicóloga que entrou com a ação pela “cura gay” não é só psicóloga: é assessora do deputado Sóstenes.

silas-malafaia-agencia-brasil-e1505960539680

Agora vamos fazer uma breve cronologia:

2011 – Malafaia investe numa rede de clínicas de recuperação;

2012 – Silas Malafaia investe mais ainda em clínicas de recuperação;

2013 – Marco Feliciano (PSC-SP) entra na chefia da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara (meu Deus do céu, PT…) e por pedido de Malafaia aprova o projeto da cura gay. Sim, foi NO MEIO daquela bagunça das manifestações;

2014 – Pr. Eurico (PHS-PE), outro da bancada jihadista evangélica, reapresenta o projeto da cura gay;

2015 – com Cunha presidente da Câmara, Marco Feliciano reapresenta DE NOVO o projeto da cura gay.

Depois de terem o mesmo projeto arquivado três vezes, a bancada evangélica decidiu que o jeito seria apelar pro Judiciário. E daí finalmente acharam um juiz que fosse conservador o suficiente pra tomar uma decisão que os agradasse

Bem, mas o que isso tem a ver com as clínicas de recuperação do Malafaia? É relativamente simples:

Vocês lembram no começo do ano quando o Dória queria levar a Cracolândia inteira pra clínicas de recuperação pagando diária para as clínicas? Isso geralmente ocorre com o conveniamento de clínicas para recuperação de dependentes junto à prefeitura ou ao estado. A clínica apresenta documentação, é conveniada e o estado paga mensalmente a quantidade de diárias de internação estabelecidas em contrato.

Pois bem, qual é o pulo do gato? Com a cura gay, pessoas poderão ser levadas pelos pais ou parentes num Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou num Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) buscando tratamento de reversão sexual. Daí o governo vai ter que credenciar clínicas que façam esses tratamentos, afinal é um direito de todos e dever do Estado.

Na hora de credenciar essas clínicas, quem estará lá todo feliz credenciando suas clínicas em busca de grana pública pra cura gay?

SILAS MALAFAIA

Não é coincidência que o lobby pela cura gay tenha começado logo após Malafaia montar a sua rede de clínicas de recuperação.

Vocês entenderam que Malafaia é muito mais perigoso que um mero pastor extremista? Ele quer usar a cura gay para captar dinheiro público. Por trás de todo moralismo há um motivo tacanho e hipócrita, não adianta. O do Malafaia é ganhar mais dinheiro.

Jesus: “é impossível servir a Deus e ao dinheiro”.

Paulo: “O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”.

Esses trechos da Bíblia Malafaia não lê

Enfim, tá aí o esquema exposto.

* Leonardo Rossatto é cientista social, mestre em Planejamento Territorial e especialista em Políticas Públicas. Define-se como cristão. 

Libertadores terá final em jogo único a partir de 2019

23736454

A Conmebol definiu como será o novo modelo da Libertadores — tanto da fórmula quanto do televisionamento da competição — a partir de 2019. A entidade fechou com um acordo com a empresa americana IMG, que será a responsável pela comercialização dos direitos de transmissão de todas as competições.

A outra grande novidade para a Libertadores, a partir de 2019, será a final em jogo único — o duelo será em campo neutro pré-definido, como ocorre na Liga dos Campeões. O acordo com a IMG garante US$ 1,4 bilhão (R$ 4,41 bilhões) para a entidade.

As informações são do jornal Olé, da Argentina.

— Não acontecerá mais, como em outras épocas, de depois de uma final de Libertadores termos que colocar dinheiro. Vamos ter um mínimo de US$ 350 milhões por ano, passamos de uma entidade obscura para uma profissional. Também vamos fazer uma licitação para partidas de seleções — explicou Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol. (Com informações do Zero Hora) 

Crise? Temer gasta R$ 8 mil em 7 caixas de bombons folheadas a ouro

Enquanto a população sofre com os cortes do governo, justificados pela crise financeira que o país estaria passando, Michel Temer não abre mão de alguns luxos. O que para boa parte da população brasileira representa mais de um mês inteiro de trabalho duro (isso se ganhar muito bem), para o governo é troco para o chocolate.

Dados obtidos pelo Contas Abertas, entidade que monitora os gastos do governo, mostram que o ministério das Relações Exteriores gastou, no mês passado, quase R$8 mil para comprar 7 caixas de bombons. Tratam-se de mimos reservados para presentear autoridades estrangeiras que visitarem o país.

“Trata-se de fórmula especial, desenvolvida no Brasil, explorando as particularidades do cacau brasileiro, sem adição de castanhas ou aditivos comuns em chocolates industriais”, explicou a pasta. As caixas são estojos especiais, com pinça folheada de ouro, fabricadas artesanalmente em imbuia. Na nota de empenho da compra estão as características dos bombons: chocolate sabor ao leite e sem recheio.

Ao Contas Abertas, o Itamaraty informou que que sempre presenteia as autoridades estrangeiras com produtos brasileiros de alta qualidade, “de forma a divulgar os produtos e a cultura nacionais”. (Da revista Forum)

Helicóptero de Temer vai pousar no Baenão

A área em torno do estádio Evandro Almeida, principalmente nos lados da Almirante Barroso e Antonio Baena, recebe na manhã desta quarta-feira reforço de segurança para o desembarque do presidente Michel Temer nesta quinta-feira. O helicóptero de Temer pousará no gramado (ou o que resta dele) em horário ainda não confirmado.

A maior preocupação das autoridades é com a ameaça de protestos contra o presidente, cujo governo tem índice recorde de rejeição e apenas 3% de aprovação popular. Ninguém informou o motivo da escolha do estádio do Remo para o pouso do helicóptero presidencial.