Neymar exige que diretoria do PSG negocie Cavani, diz jornal francês

DKDi6U3WsAA9AUL

A briga entre os atacantes Neymar e Cavani, que no último domingo discutiram várias vezes durante a vitória por 2 a 0 do PSG sobre o Lyon, pelo Campeonato Francês, para ver quem bateria faltas e pênaltis, segue dominando as manchetes da imprensa europeia nesta terça-feira. E, segundo o jornal espanhol Sport, a situação entre os dois está “insustentável”.

De acordo com o veículo, o brasileiro quer dar mostras de seu poder nos bastidores e exigiu à diretoria do clube francês que negocie o uruguaio com outro time assim que possível.

“Neymar já demonstrou a Nasser Al-Khelaifi [dono do PSG] que sua convivência com Cavani é totalmente impossível, e pediu que o atacante uruguaio seja negociado. O cenário ideal seria durante o mercado de inverno, mas, como Cavani já jogou a Champions, ficam reduzidas assim as possibilidades de surgir um comprador de primeiro nível. Assim, a venda poderia ocorrer somente no final da temporada”, diz a reportagem.

Ainda segundo o Sport, Neymar tem “apoio total” da “colônia brasileira” que dominou o vestiário do PSG, além de ter captado rapidamente o apoio da outra estrela recém-chegada ao time, o atacante Kylian Mbappé, o que deixou Cavani “cada vez mais sozinho” no plantel.

Já o jornal francês Le Parisien publicou nesta terça que o dono do Paris Saint-Germain convocou uma reunião para esta quarta com a presença dos dois atacantes, além do treinador Unai Emery e o diretor de futebol Antero Henrique. A proposta da conversa é fazer com que ambos entrem em um acordo sobre as cobranças de pênaltis e faltas da equipe. Ao menos em teoria…

No último final de semana, o PSG venceu o Lyon por 2 a 0 no Campeonato Francês, mas o placar poderia ter sido maior. Durante o tempo normal da partida, o uruguaio Cavani assumiu a responsabilidade de bater um pênalti, que Neymar havia pedido para fazer as honras. Após uma pequena discussão no gramado, o veterano “pediu licença” ao brasileiro e tentou converter, mas o goleiro adversário defendeu.

Além deste lance, Neymar e Cavani foram envolvidos ainda em outra polêmica durante a partida, na hora da cobrança de uma falta. Cavani se postou para bater, novamente, Daniel Alves chegou para fazer a função e repassou a bola para o colega de seleção, que realizou a cobrança.

Depois disso, reportagem do jornal L’Équipe revelou que o brasileiro e o uruguaio trocaram ofensas no vestiário e tiveram que ser apartados pelo zagueiro Thiago Silva para não trocarem socos. Diante da situação, a diretoria decidiu intervir.

De acordo com a matéria dos franceses, a reunião vai acontecer nesta quarta para que definitivamente entrem num acordo. Uma das soluções propostas será para que Neymar e Cavani intercalem as cobranças sempre que possível.

O PSG volta a campo sábado, quando pega o Montpellier, às 12h (de Brasília). (Transcrito da ESPN.com.br) 

Menino mimadinho em ação. Neymar precisa amadurecer como jogador e homem. Episódio revela toda a imaturidade do craque. 

9 comentários em “Neymar exige que diretoria do PSG negocie Cavani, diz jornal francês

  1. Eis aí exposta a razão da saída de Neymar do Barcelona. Não suportava não ser a vedete principal do teatro rebolado catalão. Chega chegando em Paris e com menos de um mês de atividade concluiu que há um terceiro mundista no meio do caminho. Sem ministério, diretoria ou departamento tudo indica que vai dar merda.

    Curtir

  2. Fica a lembrança dos bons servicos prestados ao esporte paraense. Também a mim a lembrança de um dia no jogo do Remo aqui em Manaus ele sentou-se ao meu lado na arquibancada e durante o jogo trocamos comentários sobre o jogo. Vai em paz Fernando Oliveira, o alazão.

    Curtir

  3. Pois é, Fernando Oliveira assim como Fracois Tim eram grandes desportistas remistas de raiz ou enraizados no Remocreia onde trabalharam por 4 décadas. O curioso é que os 2 tiveram uma passagem ruim na fase negra do Paysandu na década de 90 por ideia matuta do Pinho e do Rabelo, os quais acreditavam que eles poderiam quebrar o tabu que se prolongava. Era meados de 94 quando Fracois Tim foi treinador do Paysandu e levou muita peia, inclusive 4×0 da Tuna em Plena Curuzu. Lá por 95 Fernando Oliveira o Alazão assumiu o comando do Paysandu e não venceu um jogo. Eram grandes desportistas, homens sérios mas foi um tiro nó pé Pinho e Geraldo leva-los para o Paysandu. Não tinha como dar certo de jeito nenhum. Os caras tinham sangue azul escuro.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s