Archive for 8 de setembro de 2017

Papão x América – comentários on-line

Campeonato Brasileiro da Série B 2017

Paissandu x América-MG – estádio olímpico Jornalista Edgar Proença, 21h30

139c6e44-c2f6-4fc1-a0e2-6f578d819220-original

Na Rádio Clube, Ronaldo Porto narra; Rui Guimarães comenta. Reportagens – Dinho Menezes, Paulo Sérgio Pinto, Hailton Silva, Carlos Estácio. Banco de Informações – Fábio Scerni.  

8 de setembro de 2017 at 20:29 27 comentários

Um sábado triste

torcida-1

POR EDYR AUGUSTO PROENÇA

Assisti a um trecho do jogo de sábado passado, quando, em um estádio completamente lotado, festivo, clima de vitória, os azulinos foram derrotados por maranhenses, estes, com uma equipe com salários baixos e bem colocados na tabela. Estava em um clube, aguardando a pelada. Havia uma quantidade bem maior de azulinos do que “secadores”. Não gosto de assistir jogo do Remo. Primeiro porque a qualidade é ruim, segundo que, como torcedor, sofro muito, fico aborrecido. Bastou assistir ao pênalti perdido para dar as costas e ir jogar a minha pelada. A turma que ficou, fazia barulho. Dentro do campo, percebemos os acontecimentos. Baixou o astral. Tirou a graça. Tudo o que estava envolvendo nossa diversão. Em outra parte da cidade, dois torcedores se arengavam, cada um com seu clube. Um terceiro tenta separa-los. Um deles vai em casa, volta armado e o mata. O que faz uma pessoa, de maneira pensada, buscar uma arma, retornar e matar outra, a quem nunca tinha visto? Matar, morrer, por uma discussão sem graça. Tensão social? Revolta, bastando um pavio curto?

Ainda na segunda, andando em direção ao trabalho, ouvi trechos de conversa, sempre bicolores brincando, xingando o outro pela derrota. Normal. Mas dependendo do ambiente, pode acontecer o pior. Basta uma cabeça quente e a vida se esvai.
Por outro lado, vendo aquela imensa plateia no estádio, me pergunto como os clubes não têm departamentos de marketing, que saibam capitalizar todo esse amor em lucro, proveniente de todos os produtos derivados dos clubes.

Li também uma lista de despesas do Remo, com alugueis de todos as formas, lanche para a Polícia, um tal de quadro móvel. Não entendo. O clube aluga o estádio. Então, dentro dele, por fora, onde quer que seja, tudo o que for vendido, de bebida, refrigerante, lanche, bandeira, picolé, camisa, o que pintar, precisa retornar em lucro para aquele que é dono da festa, que pagou para ter o estádio. Uma imensa máquina de ganhar dinheiro, dinheiro pago com amor ao clube, e retornando para que este seja poderoso, financeiramente positivo. É esse amadorismo por parte dos dirigentes que coloca tudo a perder. Quando o Remo jogou em São Luiz, percebi o estádio vazio, afinal, era um jogo da Terceira Divisão. Esses atletas, contratados a título de “reforços”, rodam o país, três meses em cada clube. São perdedores, sem confiança, sem a flama da vitória, sem compreender o tamanho do amor que a torcida tem. Ficam nervosos, apavorados, com a multidão, acostumados a estádios frios, vazios, tristes. Aí, o que era apenas incompetência técnica, vira tremedeira e desastre. Leio que o Paysandu também anuncia reforços. Que jogadores, a essa altura da temporada, quatro divisões funcionando, tendo qualidade, não estão empregados, bem empregados em um clube? Quem virá, então? Perdedores.

No futebol, como em quase tudo na vida, não basta ser apenas profissional. Há de ter flama, gana, vontade de vencer e sim, ganhar ainda mais ímpeto com o apoio de uma grande torcida. Li que o plantel do Sampaio Correa consome 150 mil reais por mês, muito menos que o Remo. Como nossos clubes não conseguem contratar melhor? Circulei pela cidade, naquele sábado. O número de camisas azulinas eram maravilhoso, a cidade vivendo seu momento, apaixonada por uma partida da Terceira Divisão! É preciso gente nova para assumir os clubes. Profissionais de administração. Promover parceria entre os dois clubes rivais. Rivais apenas no campo, onze de cada lado e juízes. Fora, são irmãos, parceiros. Deixem para a torcida o urro da vitória, o lamento pela derrota. Foi um sábado triste para a cidade. Sonhos adiados, mais uma vez?

(Publicado em O Diário do Pará, Caderno TDB, Coluna Cesta e opiniaonaosediscute.blogspot.com em 08.09.17)

8 de setembro de 2017 at 17:32 1 comentário

Caso Pimentinha: Remo só vai se manifestar na segunda-feira

remo2x1botafogo-pb-14

Através de mensagens nas redes sociais, o jogador Pimentinha negou qualquer transferência para outro clube antes de terminar seu contrato com o Remo, que vai até outubro. As especulações quanto a uma suposta negociação com o Paissandu surgiram ontem em grupos virtuais da torcida remista e se alastrou pela internet. Da parte do PSC, o diretor Alberto Maia também desmentiu qualquer entendimento nesse sentido.

Os boatos ganharam força devido ao corte inesperado de Pimentinha da lista de relacionados para o jogo contra o Salgueiro. Sem conseguir contatar o jogador, durante a manhã de quinta-feira, o técnico Léo Goiano só foi informado no começo da tarde sobre a lesão que o atacante teria sofrido. A maneira como isso chegou ao conhecimento da comissão técnica gerou grande insatisfação.

Nesta sexta-feira, o diretor Marco Antonio Magnata disse à Rádio Clube que ficou surpreso com o episódio, pois Pimentinha vinha treinando com o grupo e mantém boa relação com a diretoria. Descartou, ainda, qualquer atraso de pagamento no acordo firmado antes do jogo contra o Sampaio. Magnata garante que o jogador recebeu o que o clube havia acertado e disse que uma outra parte em dinheiro foi entregue na manhã de quinta-feira. A situação será analisada e definida na segunda-feira.

8 de setembro de 2017 at 13:59 6 comentários

Enquanto isso, na sala de justiça…

alpino

8 de setembro de 2017 at 12:54 Deixe um comentário

Rock na madrugada – The Clash, I Fought the Law

8 de setembro de 2017 at 0:18 Deixe um comentário

Para sacudir a poeira

DJKMgYnXcAAWZ9M

POR GERSON NOGUEIRA

Depois de duas semanas de preparação, o Papão volta a campo hoje à noite para enfrentar o vice-líder da Série B, cercado de grande a expectativa quanto ao resultado do período de treinamentos e com obrigação de voltar a vencer. Estacionado em 14º lugar, o time precisa urgentemente voltar a pontuar e a se descolar da vizinhança da zona de rebaixamento.

As circunstâncias não poderiam ser mais favoráveis a uma plena recuperação dentro da competição. Depois de encarar vários problemas de baixas no elenco por contusão, o técnico Marquinhos Santos pode finalmente contar com todos os titulares.

Bergson, jogador mais decisivo da equipe, está confirmado no ataque, provavelmente tendo Marcão como parceiro e Magno como atacante mais recuado. No meio-de-campo, a ausência é Carandina, suspenso, mas existem opções de sobra para compor o setor, com destaque para Rodrigo Andrade e Renato Augusto.

A defesa terá o provável retorno de Ayrton e o miolo de zaga não deve sofrer alterações em relação aos últimos jogos. Com treinos secretos nos últimos dias, a escalação só será definida antes da partida. Marquinhos Santos parece ser um daqueles treinadores à moda antiga. Acredita piamente na força do mistério para o êxito no futebol.

O clima tranquilo e o ambiente de foco total na recuperação sinalizam para uma atuação consistente, capaz de superar as previsíveis armadilhas do visitante, que vem se notabilizando por acumular pontos fora de casa.

Nos confrontos realizados em Belém, o Papão sofre pela ausência de criatividade no meio-campo. Tentou resolver isso com Diogo Oliveira, mas Rodrigo ganhou a titularidade, embora ainda não tenha deslanchado na função. Deve ganhar nova chance hoje, diante de um desafio e tanto.

Para fazer as pazes com a vitória diante da torcida, o time não pode mais se mostrar tão parcimonioso nas finalizações e tímido nas ações individuais. A rigor, somente Bergson tem coragem de chutar de fora da área.

A Série B deste ano tem se mostrado particularmente generosa com times que apostam nos tiros de média e longa distância. É chegada a hora de o Papão começar a perder o medo de arriscar. (Foto: FERNANDO TORRES/Ascom-PSC)

———————————————————————————

Leão às voltas com um festival de más notícias

O inferno astral parece não ter fim nos arraiais azulinos. Além de suas próprias mazelas – erros de gestão, corte de energia na sede e no estádio, prazos de pagamento não cumpridos, falhas administrativas etc. –, o Remo ainda sofre com atropelos de última hora, como o corte (por suposta contusão) de Pimentinha, seu principal atacante, momentos antes do embarque da delegação para Pernambuco.

Junto com a notícia veio a boataria sobre a possível transferência do jogador para o maior rival, embora Pimentinha não possa mais atuar por nenhum clube nesta temporada. As especulações sobre o atacante constituem, porém, o menor dos problemas para Léo Goiano. A dificuldade agora é recompor o setor ofensivo para um jogo em que vencer é obrigatório.

A provável escalação de Edgar aparece como solução natural, embora pouco auspiciosa, levando em conta as últimas atuações do jogador. Com visível desinteresse pelas partidas, Edgar não reedita nesta Série C os bons momentos do Parazão. Tem amanhã talvez sua última chance de se reabilitar perante a torcida.

Jayme será o parceiro de Edgar, tendo Flamel e Rodrigo como suportes na meia-cancha. Em tese, o quarteto pode funcionar, embora não tenha sido escalado nenhuma vez na competição. Enfim, diante de tantas notícias ruins, o Remo está ao sabor das emoções fortes – e pode até surpreender.

———————————————————————————-

Copa do Nordeste se consolida e dá exemplo

Enquanto a Copa Verde segue sem confirmação de nova edição em 2018, os clubes nordestinos já deram o pontapé inicial na Copa do Nordeste da próxima temporada. A festa de lançamento, com o sorteio dos grupos da primeira fase, ocorreu anteontem, em São Luís (MA).

Com premiação decente, a competição se estabelece como o segundo melhor torneio de tiro curto realizado no país, atrás somente da Copa do Brasil. Tudo garantido por bons parceiros, ávidos pela rentabilidade proporcionada pelos jogos, sempre interessantes e competitivos.

Um detalhe fundamental: os clubes têm autonomia, voz ativa e determinam o formato de disputa e os critérios de participação. A nova edição do torneio volta a ter 16 times, divididos em quatro grupos de quatro.

Belo exemplo de futebol organizado e rentável.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 08) 

8 de setembro de 2017 at 0:15 10 comentários

Apito amigo impede vitória do Cruzeiro no Maraca

8 de setembro de 2017 at 0:03 3 comentários


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,402,483 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.969 outros seguidores

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

setembro 2017
S T Q Q S S D
« ago   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: