Remo, na Série C, tem mais público e o dobro de renda do Paysandu, na Série B

torcida-1

DO SR. GOOOL

A torcida do Paysandu irá esperar o time entrar na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro ou descer até a Série C para marcar presença nas arquibancadas? O Papão, mesmo estando uma divisão acima do Remo, tem média de público inferior a do rival, assim como arrecadação menor. A renda líquida do Leão, aliás, é duas vezes maior do que a apresentada pelo Bicolor, segundo levantamento do Sr. Goool. (Clique na imagem abaixo e confira o ranking agrupado das Séries B e C!)

E não pense que o Remo faz uma campanha exemplar na Série C. Pelo contrário. O Leão já passou por altos e baixos e, no momento, está no limite da zona de classificação. Ainda assim, a torcida tem feito sua parte. O Remo lidera a média de público do terceiro escalão nacional com 9.773 pagantes. Tal marca deixa o clube de Belém no 18º lugar no ranking agrupado com participantes das Séries A, B, C e D.

O Paysandu, por sua vez, aparece apenas na 26ª posição com média de 5.748 espectadores. No ranking da Série B o Bicolor ocupa a 3ª colocação. Sem tantos torcedores nas arquibancadas, o Paysandu deixa de arrecadar. Em 11 partidas como mandante, o Papão amealhou R$ 523.816,00. O Remo, em oito jogos ao lado da torcida, já abocanhou R$ 1.082.555,45 – valor duas vezes superior ao apresentado pelo rival bicolor.

O Remo tem como sua maior renda líquida o duelo ante o Confiança (R$ 296.398,22), enquanto o jogo contra o Botafogo recebeu o maior número de pagantes (18.124). Já o Paysandu, nem mesmo com a presença do Internacional, conseguiu fazer receita. O duelo contra o Colorado garantiu a melhor renda ao Papão que embolsou apenas R$ 150.657,91. Enquanto isso, a partida contra o Paraná garantiu o maior público (11.784).

Em campo, o Papão ocupa o 14º lugar com 27 pontos, quatro a mais do que a zona de rebaixamento. O Remo, por sua vez, está na 4ª colocação do Grupo A com 21 pontos, um a mais do que o primeiro rival fora da zona de classificação. O Leão voltará a campo no sábado, às 17h15, para encarar o Moto Club no Estádio do Castelão, em São Luís, pela 16ª rodada da Série C. Já o Paysandu enfrentará o Inter na sexta-feira, às 21h30, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, pela 22ª rodada da Série B.

“Bofetada” na cartolagem

Uma foto aumentou ainda mais a crise vivida pelo Barcelona. Neymar voou de Paris até a Espanha e reuniu o trio MSN mais uma vez, posando para foto na casa de Lionel Messi e também ao lado de Luis Suárez.

A postagem de Lionel ainda tinha uma brincadeira com Piqué, com os dizeres “Volvió” (“voltou”) e o nome do zagueiro marcado – em referência ao “Se queda” (“fica”) postado por Piqué em meio as negociações com o PSG.

O próprio Piqué, assim como Douglas e Rakitic, também estava no reencontro, além de Daniel Alves, ‘representando’ o PSG.

Poderia ser um reencontro qualquer, mas muitos garantem que não é. Ainda mais pelo dia em que ele aconteceu, horas depois de o Barcelona anunciar que entraria na Justiça contra Neymar. Como diz o jornal catalão Sport, “é uma bofetada em toda a junta diretiva do Barcelona”.

Uma coisa é clara no vestiário catalão: ninguém gostou da forma como o clube tratou a saída de Neymar. E o brasileiro, mesmo forçando a ida ao PSG, não saiu ‘queimado’. E a situação ficou ainda pior quando o clube decidiu processar o jogador.

Tanto é que, além dos presentes, metade do elenco do Barcelona já ‘curtiu’ a foto postada pelo trio. Nomes como Sergi Roberto, Rakitic, Denis Suárez, Cillessen, Mascherano e Aleñá apareceram entre os ‘likes’.

Nos últimos dias, surgiram até rumores de que Lionel Messi estaria descontente com a diretoria catalã, o que fez aparecer também um suposto interesse do Manchester City em pagar a multa rescisória para tirar o argentino da Espanha.

Vale ressaltar que, durante a manhã brasileira, o Barcelona emitiu um comunicado oficial em que cobra que Neymar devolva o dinheiro de luvas recebidos referente à renovação de contrato assinada em 2016, depois da transferência para o PSG. O clube também quer receber uma multa e juros.

Segundo a equipe catalã, a demanda foi enviada à Federação Espanhola de Futebol no último dia 11 de agosto para ser repassada à Federação Francesa e também à Fifa.

Neymar tinha direito a receber, até o último dia 31 de julho, ainda antes de oficializar sua ida ao PSG, 26 milhões de euros (R$ 96 milhões) como luvas da assinatura do contrato que renovava seu vínculo até 2021. O Barcelona realizou o depósito do valor, mas em juízo.

Além da quantia, o Barcelona também cobra, segundo seu comunicado, 8,5 milhões de euros (pouco mais de R$ 31 milhões) como multa por “danos e prejuízos” e mais 10% em relação a esse valor em juros (850 mil euros ou R$ 3,1 milhões aproximadamente na cotação atual). (Da ESPN)

Estudantes do Nordeste dão baile em Olimpíada de História

unicamp-divulga-5

Os estudantes do Nordeste apresentaram um melhor desempenho no conhecimento de história que o restante do Brasil na final da 9ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), realizada nos dias 19 e 20 de agosto, na Unicamp, em Campinas (SP).

Os estudantes nordestinos levaram 52 medalhas, sendo o Ceará o melhor estado, com 26 medalhistas. Em segundo lugar ficou o Rio Grande do Norte, 16 medalhistas. Depois veio São Paulo, com 14, Bahia, 6, e Pernambuco com 4. Veja pontuação abaixo por ordem alfabética.

“Esta é nossa última vez na ONHB e posso dizer que a experiência foi muito boa. Quero voltar um dia como orientador de equipe ou até mesmo um dia como elaborador da prova”, afirmou o medalhista Felipe de Mello Souza, estudante do 3º ano do Ensino Médio.

O evento reuniu mais de 1,2 mil finalistas de todos os estados brasileiros, somando um total de 307 equipes. O Nordeste também foi a região que classificou o maior número de finalistas, o que configura uma boa base de conhecimento.

Ao longo desta semana, a organização da Olimpíada realiza um Curso de Formação gratuito para 32 professores finalistas com maior pontuação em cada estado, que permanecem em Campinas entre os dias 21 e 25 agosto. O curso tem a participação de docentes da Unicamp e inclui aulas, palestras e visitas técnicas a museus e arquivos.

Como funciona a Olimpíada
A Olimpíada Nacional em História do Brasil, projeto desenvolvido pelo Departamento de História da universidade, é composta por cinco fases de provas realizadas de forma online, com duração de uma semana cada. As questões de múltipla escolha e realização de tarefas são respondidas pelos participantes por meio de debate com os colegas, pesquisa em livros, internet e orientação do professor. O método, totalmente inovador, tem como principal objetivo incentivar o desenvolvimento da análise crítica e discussões sobre os mais variados assuntos, por meio de pesquisa, busca por informações, textos, imagens e mapas. Dessa forma, a ONHB consolida-se como uma importante ferramenta de aprendizado do ensino de História. O projeto tem apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e do Programa de Pós-Graduação em História da Unicamp. (Carta Campinas com informações de divulgação)

Medalhistas por estado
Bahia: 6 medalhas (2 ouro, 4 bronze)
Ceará: 26 medalhas (6 ouro, 4 prata, 16 bronze)
Minas Gerais: 2 medalhas (1 ouro, 1 prata)
Mato Grosso do Sul: 1 medalha (1 bronze)
Mato Grosso: 1 medalha (1 prata)
Pará: 1 medalha (1 bronze)
Paraíba: 1 medalha (1 bronze)
Pernambuco: 4 medalhas (3 pratas, 1 bronze)
Rio de Janeiro: 1 medalha (1 prata)
Rio Grande do Norte: 16 medalhas (4 ouro, 7 prata, 5 bronze)
Roraima: 1 medalha (1 bronze)
Rio Grande do Sul: 1 medalha (1 ouro)
São Paulo: 14 medalhas (1 ouro, 8 prata, 5 bronze)

Ministro-candidato impõe desmoralização ao Exército no Rio

ondestao

POR FERNANDO BRITO, no Tijolaço

Há um mês, com todo espalhafato possível, tropas e blindados do Exército Brasileiro ocuparam as principais vias do Rio de Janeiro.

Desde o ínício, ficou claro que era uma operação muito mais de propaganda do que de qualquer outra coisa.

O governo ilegítimo está usando, de um lado, a angústia da população e, de outro, o respeito que se tem pelo Exército Brasileiro numa jogada que não apenas não reduziu a insegurança dos cariocas e da população de seu entorno  quanto apresentou resultados pífios, nada senão a detenção de algumas dezenas de pessoas, uma dúzia e pouco de armas leves e nenhum – NENHUM! – dos armamentos pesados que qualquer um pode encontrar em comunidades pobres do Rio de Janeiro.

O que torna claro que não apenas não houve um planejamento de inteligência – e capacidade para isso o Exército tem – como a “entrada triunfal”  como espetáculo de mídia deu ao crime todas as vantagens de que precisava para “sumir” provisoriamente como o seu poder de fogo mais aterrador.

Hoje, porém, no jornal O Globo, revela-se sem o menor pudor que a propaganda na qual se usa o exército é não apenas política como eleitoral.

Raul Jungman, um político pernambucano sem voto – ficou como suplente em 2016, com 36.866 votos – e sem nenhuma passagem pelo Rio (o único cargo que exerceu aqui foi o de membro do conselho da Light, por indicação de Aécio Neves –  quer utilizar os  generais como seus  “cabos eleitorais” numa aventura perigosa para ganhar o governo do Estado.

Qualquer um que conhece um pouco – ou conhecia, antes – o pensamento dos oficiais do Exército brasileiro sabe o quanto os repugna – ou repugnava, antes – este tipo de desvio asqueroso no papel da Força.

Como se já não bastasse o Bolsonaro, um ex-militar que não corresponde ao que um exército profissional e moderno deveria ser, agora vem um civil picareta para acentuar a deformação de uma força armada a quem não só se impôs um papel de polícia que não é seu como o de milícia eleitoral de um oportunista.

Astros do Barça solidários com Neymar

DH44PZAXsAAZKqz

As principais estrelas do Barcelona não hesitaram em tornar público seu apoio ao ex-companheiro Neymar, horas depois que a diretoria do clube formalizou uma ação judicial cobrando 30 milhões de euros do atacante brasileiro. Messi, Luiz Suárez e Piqué postaram fotos ao lado de Neymar no Instagram em gesto interpretado pela mídia espanhola como de desaprovação à medida tomada pelo presidente Bartomeu. A manchete do jornal As é bem expressiva: “O motim do Instagram”.

PF conclui que Dilma não cometeu crime de obstrução da Justiça

DO ESTADÃO

A Polícia Federal concluiu que não houve crime de obstrução de justiça na indicação do ministro Marcelo Ribeiro Navarro Dantas ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) por parte da ex-presidente Dilma Rousseff em 2015.

A constatação faz parte do relatório final da PF sobre um inquérito que tramita em segredo de justiça no Supremo Tribunal Federal (STF) e investiga se houve, na indicação de Navarro por Dilma, algum tipo de articulação para barrar a Lava Jato, por meio da atuação do ministro no STJ. A suspeita partiu da delação de Delcídio do Amaral, do ex-líder do governo Dilma no Senado.

Segundo Delcídio, Navarro foi escolhido para o STJ com o compromisso de conceder habeas corpus e recursos favoráveis a empreiteiros como Marcelo Odebrecht, do grupo Odebrecht, e Otávio Azevedo, da Andrade Gutiérerrez.

O relatório da PF, encaminhado nesta segunda-feira (21) ao STF, apontou que, feitas todas as diligências, não se confirmou o depoimento de Delcídio do Amaral e do seu ex-chefe de gabinete Diogo Ferreira. Segundo o Broadcast apurou, o relatório também não verificou nenhum tipo de conduta criminosa por parte do ministro Francisco Falcão, do STJ, que já foi presidente da Corte. O relatório já foi encaminhado à Procuradoria-Geral da Republica (PGR), para que decida se pede o arquivamento do caso ou se faz uma denúncia.

O protagonista

35692467293_acacb87089_z

POR GERSON NOGUEIRA

Bergson tem sido uma exceção na conturbada campanha alviceleste no Brasileiro. Com faro de goleador, marcou seis vezes e participou diretamente de outros três gols, tendo ainda desperdiçado um penal – contra o Londrina. Contribuições valiosas para um time que se caracteriza por um ataque quase inofensivo, com centroavantes que não conseguiram emplacar e jogadores de lado improdutivos.

Passou várias partidas de fora no começo da competição, recuperando-se de lesão sofrida ainda na Copa Verde. Quando voltou, custou a entrar no ritmo de competição, passando em branco em vários jogos. Sem explosão, limitava-se a ficar entre os zagueiros, com pouca participação nas jogadas de definição. Aos poucos, foi retomando a melhor forma e assumiu o protagonismo da equipe.

Apesar de jovem ainda, Bergson tem experiência de passagens por equipes de torcidas exigentes, como Inter, Grêmio e Náutico. Essa bagagem tem sido de extrema valia na relação com a Fiel bicolor, sempre pronta a cobrar bom futebol e comprometimento.

Pode-se dizer hoje, sem erro, que Bergson é o destaque individual de um time que busca se consolidar no aspecto coletivo, apesar de seguidos tropeços em casa. Com ele em campo, o Papão ganha em personalidade e até em atrevimento. Seus companheiros primam por um excesso de timidez que não combina com a vibração própria da camisa alviceleste.

Até chutes de fora da área rareiam quando Bergson não está em campo. Quem arrisca, sempre está passível de errar, mas o artilheiro tem tido um aproveitamento acima da média, tanto quando arremata da intermediária – como no golaço contra o Oeste – como em jogadas combinadas dentro da área, como se viu no gol que deu a vitória ao Papão diante do Santa Cruz, no Recife.

O destemor é parte indissociável do repertório dos grandes anotadores. Como se sabe, atacante encabulado não faz gol. Bergson demonstra isso ao encarar as jogadas sem receio de vaias ou recriminações. Parte, resoluto e confiante, em direção ao gol, buscando um atalho imaginário entre a lateral do campo e o bico da área inimiga. Nem sempre chega ao objetivo, mas a tentativa é sempre válida.

Sua movimentação é benéfica também para os companheiros de ataque, pois abre espaços e ajuda a confundir a marcação. Pena que, por enquanto, essa postura não tenha se refletido em melhor desempenho dos centroavantes Marcão e Anselmo. Magno, que cai mais pelo lado esquerdo, tem sido mais produtivo, aproveitando-se dos deslocamentos de Bergson. O terceiro gol contra o Oeste prova isso.

Contra o Internacional, adversário em franca ascensão no campeonato e com uma torcida cada vez mais inflamada, Bergson terá uma dupla missão: fazer os gols necessários para uma importantíssima vitória fora de casa e transmitir confiança aos companheiros de time, evitando que o Papão venha a se amofinar no Beira-Rio.

———————————————————————————-

Semifinais da Copa BR reabrem velho debate

Definição de finalistas da Copa do Brasil concentra atenções da torcida brasileira hoje à noite. Previsão de jogos duríssimos entre Fla x Bota e Cruzeiro x Grêmio, do jeito que a galera adora, com possibilidade de decisão em penais e tudo o que vem dentro do pacote de emoções dos torneios disputados em mata-mata.

Aliás, sempre que a Copa BR chega aos momentos decisivos é imediatamente reaberta a temporada de debates sobre a forma de disputa da Série A, com críticos e opositores inflamados em relação ao sistema de pontos corridos.

De minha parte, reafirmo minha preferência por um modelo misto, com finalíssima entre os ganhadores de turnos.

—————————————————————————————–

Duas armas timbiras em favor do Leão

O Remo pisará em gramado maranhense para enfrentar o Moto Clube, sábado à tarde, com trunfos de primeira grandeza em busca da sonhada vitória. Pimentinha e Edgar, atacantes timbiras de grande sucesso com a camisa tricolor do Sampaio Corrêa, rival histórico do Moto, podem fazer a diferença no confronto.

Edgar, mais mercurial e esquentado, andou trocando safanões com a zaga motense no jogo realizado em Belém na primeira fase. Pimentinha, mais diplomático e sorridente, desconversa sobre o gostinho especial de enfrentar o Moto.

O fato é que, provavelmente um em cada tempo, os dois ex-bolivianos terão uma chance única de infernizar a defesa adversária e de causar sérias dores de cabeça à torcida do Moto. A conferir.

(Coluna publicada no Bola desta quarta-feira, 23)