Archive for 7 de agosto de 2017

Leão faz Fenômeno sofrer

POR GERSON NOGUEIRA

Foi um quase desastre. O empate obtido pelo Confiança em menos de dois minutos fez calar os quase 18 mil torcedores presentes ao Mangueirão, que vibravam intensamente até minutos antes com a vitória parcial de 2 a 0. O Remo não jogava bem, como de costume, mas construíra um placar razoavelmente folgado, embora perigoso, como se veria no final.

O dilúvio que despencou sobre o estádio no começo do jogo foi uma espécie de presságio. O Remo começou errando muito, sem encaixar as tentativas de ataque, mas se beneficiando da pouca agressividade do time sergipano.

Aos 25 minutos, no primeiro bom ataque azulino, Gerson cruzou da esquerda e o lateral Felipe Cordeiro furou dentro da área. Luiz Eduardo aproveitou a falha para cutucar para as redes. O gol empolgou ainda mais a massa azulina nas arquibancadas – recorde de público na Série C.

Logo no início do 2º tempo, Eduardo Ramos descolou um lançamento perfeito para Pimentinha invadir a área em diagonal e bater para as redes. O gol incendiou o Mangueirão, pois abria a perspectiva até de uma goleada.

Aos poucos, porém, o time foi caindo de rendimento e permitindo a chegada do Confiança. Em lance de escanteio, França agarrou um atacante na área e o árbitro marcou pênalti. Tito cobrou e Vinícius defendeu bem.

Nem isso serviu de alerta. Léo Goiano, que já havia tirado Léo Rosa no intervalo, lançando Ilaílson pela direita, substituiu França por Igor João, atraindo ainda mais o Confiança para o campo de defesa azulino. A troca foi mal recebida pela torcida, que queria Flamel. O meia-atacante, que chegou a ser cogitado para entrar jogando, era a alternativa óbvia.

Com o time azulino postado atrás, o Confiança decidiu ir para o tudo ou nada. Tito passou a jogar pela esquerda, em cima de Leandro Silva (que saiu da zaga para virar lateral), e Frontini passou a ser mais acionado, chegando a botar uma bola na trave, com um tiro forte da intermediária. Rafael Villa se tornou outra presença constante junto à área.

Aos 36 minutos, começou a derrocada remista. Um erro de marcação na esquerda deixou Tito livre para arrematar rasteiro, abrindo esperanças para o Confiança. Um minuto depois, em jogada parecida, também no lado esquerdo remista, Villa recebeu e bateu na gaveta, empatando o jogo.

Um duro castigo que poderia ter sido evitado nos instantes finais, quando o Remo teve três boas chances, salvas em cima da linha.

————————————————————————————————

Papão pisa na bola dentro de casa

Está virando prática rotineira. O Papão fraqueja fragorosamente jogando em casa, diante de seu torcedor e contra adversário supostamente inferior. No sábado à noite, com a Curuzu recebendo pouco mais de 5 mil pagantes, o time se enrolou por completo e acabou cedendo três pontos a um visitante em crise – o Figueirense veio com um técnico interino e cheio de desfalques. Já havia ocorrido o mesmo contra o Ceará de Chamusca.

Sempre que o time não se impõe no começo das partidas, há quase certeza de um revés. Pode-se resumir o drama alviceleste na Série B da seguinte forma: falta de confiança nas próprias forças, medo de desagradar o torcedor e um crônico atropelo no momento de definir jogadas. Tudo isso desfilou pelo gramado da Curuzu na noite de sábado.

O torcedor – cerca de 7 mil espectadores – espinafrou à vontade, vaiando o time no final e cobrando providências por parte da diretoria, embora, a essa altura, muito pouco possa ser feito em termos de contratações. Os erros nas escolhas que marcaram a fase inicial da competição se perpetuaram com as duas outras “janelas” de aquisições.

Jogadores como Anselmo, Carandira, Rodrigo, Magno e Fábio vieram se juntar a Marcão, Wellinton Jr., Renato Augusto, Tiago Mandií, pouco acrescentando em termos de qualidade ao grupo já formado na Curuzu. Perdas, como a de Leandro Carvalho e Fernando Gabriel, também respondem por boa parte das mazelas atuais.

O primeiro tempo foi repleto de erros e nervosismo, com o Figueira explorando as facilidades propiciadas pelos bicolores. Robinho acabou mandando para as redes, nos acréscimos, após uma arrancada de Renan Costa, que se beneficiou de indecisões dos marcadores.

Depois de sofrer o gol, o Papão caiu ainda mais de rendimento na etapa final. Os erros foram aumentando e permitindo ao Figueira ameaçar em dois bons contra-ataques, atestando o desnorteio alviceleste.

(Coluna publicada no Bola desta segunda-feira, 07)

7 de agosto de 2017 at 2:34 9 comentários

Rock na madrugada – Pearl Jam, Alive

7 de agosto de 2017 at 1:58 Deixe um comentário

A frase do dia

DGlW-oTXYAAVZBK

“Brasil não tem elites: tem ricos, em geral incultos, acostumados a dizer barbaridades sobre tudo. Foram responsáveis pelo impeachment”.

Luiz Gonzaga Belluzzo, economista

7 de agosto de 2017 at 1:47 Deixe um comentário

Remo cede empate e frustra Fenômeno Azul

7 de agosto de 2017 at 1:35 4 comentários


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,273,194 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.699 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

Jorge Paz Amorim em Unidos pela inconstância
Antonio Oliveira em A sentença eterna
Antonio Valentim em A sentença eterna
Anônimo em Leão vai cheio de novidades pa…
Nelio(O Paysandu jam… em Leão vai cheio de novidades pa…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: