STJD aplica multa, mas absolve Papão da acusação de homofobia

Denunciado por atos homofóbicos por parte de seus torcedores, o Paissandu foi absolvido dessa acusação pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube paraense, contudo, foi multado em R$ 7,5 mil devido a desordens no estádio da Curuzu ao final da partida contra a Luverdense, válida pela 11ª rodada da Série B. A decisão é da 3ª Comissão da Disciplinar e cabe recurso.

A denúncia contra o Papão se baseou nos relatos e vídeos de tumultos registrados logo após a partida disputada em 30 de junho, quando torcedores entraram em confronto. O motivo: um grupo quis tirar satisfação com membros da torcida organizada Alma Celeste, que faz campanha contra a homofobia.

O tumulto rendeu duas denúncias ao clube – que no dia seguinte à partida havia divulgado nota repudiando a confusão. O clube foi enquadrado pela procuradoria do STJD por não tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens, cuja pena poderia chegar a 10 perdas de mando de campo e multa de até R$ 100 mil.

O motivo da briga também foi levado em conta, transformando-se no primeiro caso de julgamento de clube no futebol brasileiro por homofobia. O Paissandu foi denunciado por infringir o artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que trata de “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. Os termos da denúncia enquadravam o clube paraense em punições que variavam de multa, perda de pontos e até mesmo exclusão de campeonato.

No julgamento, os auditores do STJD decidiram absolver o PSC da acusação de atos homofóbicos, mas aplicaram multa de R$ 7,5 mil devido à desordem. O valor será revertido em cestas básicas para a Apae de Belém.

Moro bloqueia bens de Lula e prova que ele não enriqueceu

Stu4

bloqueio dos bens do ex-presidente Lula, explorado com tanto estardalhaço pela imprensa de direita, com orgasmos de prazer cínico (duvido que qualquer de seus editores tenha menos do que Lula, que aos 71 anos de idade tem mesmo é de conservar um guardado) deveria servir para fazer jornalismo, mesmo.

Por exemplo, comparar o que foi localizado em propriedades e depósitos de Lula com o que ele tinha, ao candidatar-se a Presidente 15 anos atrás.

Os quatro imóveis que tem são os mesmos que tinha com Marisa (aquele em que mora e dois outros, de 72 metros quadrados, no Edifício Kentucky, na Avenida Getúlio Vargas, São Bernardo. Olhei na internet e vi um igual, no mesmo prédio, para vender: R$ 370 mil. Além do terreno em Riacho Grande, onde fica o sítio Los Fubangos, ao qual passou a ir menos há alguns anos, segundo a Folha porque a segurança presidencial assim recomendou, depois que dois de seus cães foram mortos a facadas.

Você olha a casa desta turma, os ladrões públicos ou estas celebridades da TV que querem ser presidente  e sente que Lula, ainda que o triplex fosse dele, nem aos pés chegava….

E o dinheiro, os R$ 606 mil?

Bem, Lula tinha aplicações em poupança que somavam R$ 118 mil, aproximadamente, discriminadas na declaração de bens que apresentou em julho de 2002, 15 anos atrás.

Na aplicação mais mixuruca, a Caderneta de Poupança, isso daria hoje cerca de 400 mil. Num fundo qualquer, perto de R$ 650 ou r$700 mil. Pela taxa Selic, que é a que os bancos ganham do Governo, daria cerca de R$ 800 mil.

Portanto, R$ 606 mil para quem partiu, 15 anos atrás, de valores que pela poupança, equivalem a R$ 370 mil significa, nestes 180 meses, depositar R$ 600 ou 700 por mês na caderneta.

Vá enriquecer mal lá em Maricá, Lula!

PS. Aí abaixo vão as declarações de bens de Lula em 2002 e 2006. Quanto ao “sedã de luxo” ANO 2010, só dando risada. Tem um Mercedes Classe C para vender no mercado livre, lindão, 30 mil km, por R$ 52 mil. Com 45 mil, sem trocadilho, leva na hora. Ou junta um pouco mais e compra um Fiesta 1.6, zero.

Declaração de bens apresentada ao TSE  (2002)

declalula

Declaração de bens apresentada ao TSE (2006)

Apartamento 102, Ed. Kentucky, São Bernardo do Campo-RS – R$ 38.334,67

Fix Especial Plus Banco do Brasil – R$ 156.146,83

Fundo de ações da Petrobrás – R$ 1.866,39

Terreno Sub-Distrito De Riacho Grande, São Bernardo Do Campo- SP – R$ 5.466,90

S10 Cabine Dupla Diesel 98/99 – R$ 42.000,00

Participação Cooperativa Habitacional Apartamento em construção no Guarujá-SP Maio 2005 – R$ 47.695,38 (já pagos) – R$ 47.695,38

Fundo de Investimento no Banco Bradesco – R$ 63.304,16

Fundo de ações do Banco do Brasil – R$ 1.108,87

Fundo De Ações da Vale do Rio Doce – R$ 497,97

Fif Plus Di Banco Bradesco – R$ 111.055,40

Caderneta de poupança no Banco Bradesco – R$ 1.124,36

Aplicação financeira no Banco do Brasil – R$ 86.794,73

Caderneta de poupança no Banco Bradesco – R$ 1.398,67

Caderneta De Poupança CEF – R$ 54.762,02

Apartamento 122 no prédio Green Hill, São Bernardo do Campo – R$ 189.142,50

Valor total dos bens declarados – R$ 839.033,52