Governo sangra os cofres para manter base aliada sob controle

16 de junho de 2017 at 13:03 1 comentário

temer_governadores_marcos_correa_pr
Após o dia 17 de maio, quando foi revelado o conteúdo das delações de Joesley e Wesley Batista, da JBS, o governo de Michel Temer liberou quase R$ 1 bilhão em emendas parlamentares. O repasse dos recursos, majoritariamente destinados à base aliada, já estava previsto, mas a liberação ocorreu depois da delação premiada.
Temer começou a ser investigado por corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa em inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) após as revelações dos irmãos Batista, e a Procuradoria-Geral da República (PGR) deve apresentar uma denúncia contra o presidente.
Para começar a julgar a acusação contra Temer, o Supremo deve aguardar a autorização de dois terços da Câmara dos Deputados, ou 342 deputados.
Os dez parlamentares que lideram a das emendas empenhadas são da base aliada, de partidos como DEM, PMDB, PP e PR. Marco Rogério (DEM-RO), foi o deputado que recebeu o maior valor. Ele é cotado ser o relator da provável denúncia contra o peemedebista.
Antes da crise deflagrada pela JBS, a Secretaria de Governo da Presidência havia solicitado que o pagamento de R$ 1,8 bilhão em emendas fosse antecipado, para angariar apoio para a reforma da Previdência. Seriam desembolsados R$ 1 bi em abril e outros R$ 800 milhões em maio, mas, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, a liberação só aconteceu efetivamente depois da delação de Joesley e Wesley Batista.
Antonio Imbassahy, ministro da Secretaria de Governo, afirma que uma nova rodada de pagamentos será realizada até o final de junho. No total, R$ 6,3 bilhões do Orçamento estão previstos para emendas parlamentares no ano.
O ministro negou que o aumento dos repasses esteja relacionado com a crise enfrentada pelo governo, dizendo que não há “nenhuma orientação para pagar nem mais nem menos” e que a liberação das verbas segue uma “sequência normal”.
Ainda segundo o Estadão. entre 17 de maio e 13 de junho foram liberados R$ 486,4 milhões em restos a pagar (valores de outros anos) e mais R$ 467,5 milhões empenhados (compromissos de pagamentos), em um total de R$ 953,6 milhões para deputados e senadores em menos de um mês. O valor equivale a metade do que foi autorizado desde o início deste ano. (Do Jornal GGN) 

Entry filed under: Uncategorized.

Gols de falta na Série A correspondem a um terço dos marcados em 2016 Decano do golpe já defende eleições antecipadas

1 Comentário Add your own

  • 1. Antonio Oliveira  |  16 de junho de 2017 às 15:08

    Sangria dos cofres públicos para manter aliada a base aliada… Essa nova!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,241,221 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.643 outros seguidores

VITRINE DE COMENTÁRIOS

Jorge Paz Amorim em Caminhos erráticos
Adilson Reis em Caminhos erráticos
Édson do Amaral. Tor… em Caminhos erráticos
Edson do Leão - meu… em Aos trancos e barrancos, Remo…
Edson do Leão - meu… em Aos trancos e barrancos, Remo…

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: