O passado é uma parada

unnamed (99)

Da esquerda para a direita: Ribeiro, Ita, Assis, Socó, Zé Luiz e Edilson. Agachados: Neves, Rangel, Afonso, Waldocyr e Chaminha. Timaço do Remo de 1965. Waldocyr era o grande nome da equipe e foi considerado a maior contratação de um jogador por clubes do Pará na década de 60. Ele começou no Francana (SP), foi jogar pelo São Cristovão no Rio e de lá veio para o Remo, trazido por Danilo Alvim e contratado pelo diretor Jorge Age.

Defesa de Lula rebate denúncias de empresário da JBS

Verifica-se nos próprios trechos vazados à imprensa que as afirmações de Joesley Batista em relação a Lula não decorrem de qualquer contato com o ex-Presidente, mas sim de supostos diálogos com terceiros, que sequer foram comprovados.
A verdade é que a vida de Lula e de seus familiares foi – ilegalmente – devassada pela  Operação Lava Jato. Todos os sigilos – bancário, fiscal e contábil – foram levantados e nenhum valor ilícito foi encontrado, evidenciando que Lula é inocente. Sua inocência também foi confirmada pelo depoimento de mais de uma centena de testemunhas já ouvidas – com o compromisso de dizer a verdade – que jamais confirmaram qualquer acusação contra o ex-Presidente.
A referência ao nome de Lula nesse cenário confirma denúncia já feita pela imprensa de que delações premidas somente são aceitas pelo Ministério Público se fizerem referência – ainda que frivolamente – ao nome do ex-Presidente.
Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira

Profissionais da saúde cobram eleições diretas e gerais

unnamed (61)

Há momentos na história de um povo que a cidadania tem uma tarefa clara: a de agora é Fora Temer e Eleições Diretas e Gerais! Nos somamos às convocações de atos e mobilizações pela retomada da Democracia e pelo futuro do Brasil.

Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco

Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – Cebes

Sociedade Brasileira de Bioética – SBB

Associação Brasileira de Saúde Mental – Abrasme

Associação Brasileira de Economia da Saúde – ABrES

Associação Brasileira Rede Unida

Associação Paulista de Saúde Pública – APSP

Moro já era

aecio_moro02

POR LEANDRO FORTES

Agora, é possível entender a dimensão da foto acima.

Todo o trabalho de investigação, a partir da delação dos donos da JBS, foi feito pelo Ministério Público e pela Polícia Federal sem que o juiz Sérgio Moro soubesse de nada.

O sátrapa da República de Curitiba voltou ao seu tamanho real.

A ligação de Moro com o golpe, no todo, e com o PSDB, no particular, o reduziram a esse boneco de camisa preta cujo prazo está expirando rapidamente, até mesmo na Globo, onde foi fabricado.

Também ficou clara a razão de Moro ter censurado as perguntas de Eduardo Cunha sobre Michel Temer, agora revelada como uma proteção desavergonhada à gangue que derrubou uma presidenta eleita para assaltar os cofres da União.

Esse trio tem que ser expelido ao mesmo tempo.

Após bancar renúncia, Noblat garante que permanência de Temer é temporária

DAIG5-hXcAAdWZb

A imagem do rosto de um presidente da República visivelmente abatido acompanhada do título “Temer decidiu renunciar”. Esses foram os elementos de destaque do post divulgado pelo jornalista Ricardo Noblat no blog que mantém no site de O Globo. A informação de que o peemedebista estaria prestes a se despedir do Palácio do Planalto foi divulgada às 15h06 desta quinta-feira, 18, mas não se confirmou (ao menos por enquanto). Por volta das 16h, o político, denunciado em delação do empresário Joesley Batista, garantiu que seguirá como chefe de Estado.

“Não renunciarei. Repito: não renunciarei”, disse Temer em pronunciamento para a imprensa que foi transmitido ao vivo pela página oficial do governo federal no Facebook. Ao discursar, o presidente rebateu a acusação de que solicitou ao dono do grupo JBS a continuação de pagamento de propina para o ex-deputado federal Eduardo Cunha. Ele ainda garantiu não temer delações e disse que irá provar sua inocência no Supremo Tribunal Federal (STF). As denúncias contra o sucessor de Dilma Rousseff foram veiculadas com exclusividades pelo site de O Globo, em reportagem produzida por Lauro Jardim e Guilherme Amado.

Com o posicionamento de Temer nesta tarde, Noblat usou o Twitter para explicar que não cometeu nenhuma “barriga”, termo usado por profissionais do jornalismo para se referirem a erros cometidos por veículos de comunicação. O colunista de O Globo afirmou que a “permanência de Temer é temporária”. Alguns internautas, entretanto, não aceitaram o posicionamento público do jornalista. Pela rede social, teve gente chamando ele de “fofoqueiro”, “cara de pau”, “idiota” e “irresponsável”. Outros usuários do microblog ironizaram a informação anterior do analista político por meio de memes.

Em seu blog, Ricardo Noblat garantiu que Michel Temer renunciaria ao cargo de presidente da República ainda nesta quinta-feira, 18, e que para tal já tinha conversado com ministros. “Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, já foi avisado sobre a decisão de Temer. Ele o substituirá como previsto na Constituição, convocando o Congresso para que eleja o novo presidente que governará o país até o final de 2018”, pontuou o jornalista em texto que foi divulgado pela fan page de O Globo [e teve mais 56 mil reações, 49 mil compartilhamentos e 6 mil comentários]. O texto seguiu no ar mesmo após o pronunciamento de Temer. (Do Comunique-se)