Re-Pa: Justiça vai fiscalizar presença de menores no estádio

Vinte e dois agentes de proteção da 1ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Belém, por meio do Comissariado, vão fazer a fiscalização do jogo entre Remo e Paysandu, neste domingo, 26, no Estádio Edgar Proença, o Mangueirão. O objetivo é garantir e prevenir os direitos de crianças e adolescentes que irão ao evento. Os agentes serão coordenados por dois comissários de justiça do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA).

O juiz titular da 1ª Vara da Infância e Juventude, João Augusto de Oliveira Jr., orienta às pessoas que queiram levar crianças e adolescentes para o Mangueirão no RE x PA que observem a Portaria nº 011/2008, que disciplina a entrada e permanência de crianças e adolescentes em estádios, ginásios ou campos desportivos.

portaria do Poder Judiciário do Pará informa que crianças só poderão acessar o estádio para assistir ao jogo se estiverem acompanhadas dos pais e seus responsáveis legais. O mesmo vale para adolescentes, que devem estar na companhia dos parentes elencados na portaria ou de outros adultos devidamente autorizados por escrito pelos pais.

Por ocasião do evento, se forem constatadas irregularidades pelo Comissariado, as crianças e adolescentes serão encaminhados ao Conselho Tutelar para aplicação das medidas de proteção, sem prejuízo da autuação do organizador do evento.

“Lembrando que o porte do documento de identificação é obrigatório, tanto do adulto como da criança, para fins de comprovação do parentesco, como também a autorização por escrito dos pais ou responsáveis (guardião ou tutor) para o adolescente. Tomando esses cuidados, todos poderão assistir ao clássico com segurança e tranquilidade”, afirmou o magistrado.

O juiz explicou também que o trabalho do Comissariado não é embaraçar o entretenimento dos torcedores e, sim, cumprir as normas de proteção previstas na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca), considerando que nesse tipo de evento a faixa etária infanto-juvenil fica vulnerável a possíveis situações de violência, por isso a importância desse tipo de fiscalização. (Da Assessoria) 

Sócio Bicolor promove evento de marketing em Marabá

unnamed

Para dar continuidade ao processo de interiorização e fortalecimento da marca Lobo e do programa Sócio Bicolor, na próxima quinta-feira (30) a Caravana Bicolor vai desembarcar pela primeira vez no município de Marabá, onde o Paysandu joga contra o Águia, no dia seguinte, pela partida de ida das quartas de final da Copa Verde.

Na véspera do jogo, o clube vai promover uma noite festiva para os torcedores marabaenses e das demais cidades da Região Sudeste do Pará, com a participação do grupo de pagode Sempre Assim. Durante o evento, eles poderão adquirir produtos oficiais da marca Lobo, aderir aos planos do programa Sócio Bicolor e ter um contato mais próximo com jogadores, integrantes da comissão técnica e diretores, que também vão participar da programação.

unnamed

A CARAVANA

Uma das ações do Planejamento Estratégico do clube para o biênio 2016/2017, a Caravana Bicolor surgiu com o objetivo de consolidar o Paysandu como o Maior da Amazônia. “Por isso, estamos aproximando mais dos torcedores de várias cidades o programa Sócio Bicolor e a marca própria do clube, a marca Lobo”, ressalta o diretor do Sócio Bicolor, Erick Almeida.

Este ano, as cidades de Tucuruí, no sudeste do Estado, e Macapá (AP) já receberam a visita da Caravana Bicolor, que fez sucesso entre os torcedores bicolores de fora da capital paraense. “A avaliação foi boa. Nas duas primeiras caravanas, nós conseguimos fazer novos sócios e vender bastante produtos oficiais da marca Lobo. Além disso, firmamos parceiras com vários estabelecimentos locais nestas cidades para distribuírem os produtos oficiais do Paysandu”, detalha Erick Almeida.

A Caravana Bicolor convida os torcedores de Marabá e cidades próximas para o evento que será realizado na Toca do Manduquinha, na praça São Félix de Valois, na Velha Marabá, a partir das 19h da próxima quinta-feira (30). As ações de adesão ao programa Sócio Bicolor e de vendas dos produtos da marca Lobo vão continuar no dia seguinte até algumas horas antes da partida entre Águia e Paysandu, no estádio Zinho Oliveira, a primeira válida pelas quartas de final da Copa Verde.

SERVIÇO

Data: 30/03/2017. Hora: 19h

Atração musical: grupo de pagode Sempre Assim

Local: Toca do Manduquinha, na praça São Félix de Valois, na Velha Marabá

Sugetão de entrevistados: dois jogadores (ainda não definidos), integrantes da comissão técnica e diretores

Contato: (91) 98175-9372 – Jorge Luís Totti, diretor-executivo de comunicação do Paysandu

No clima do choque-rei

POR GERSON NOGUEIRA

Como manda a tradição, o Re-Pa é o assunto dominante na cidade, dominando todas as rodas de conversa e provocando discussões apaixonadas entre as duas torcidas, além de despertar a preocupação das autoridades do sistema de segurança pelos riscos representados pelas gangues de baderneiros.

Curiosamente, o clássico não decide absolutamente nada, pois tanto Remo quanto Papão já estão garantidos nas semifinais do Parazão como primeiros colocados de suas chaves. Apesar disso, a expectativa é enorme, como sempre, turbinada pela centenária rivalidade.

E é aí que entram os estilos dos técnicos, ambos sob a mira de todos nos dias que antecedem o grande duelo. Na Curuzu, Marcelo Chamusca ganhou tranquilidade com a vitória obtida pelo “time B” em Santarém contra o São Francisco. Contestado por boa parte da torcida alviceleste, o treinador tem evitado os treinos abertos, apostando tudo na preparação dos titulares que não jogaram na terça-feira.

Por ironia, Chamusca ganhou alguns problemas para definir o time para o Re-Pa, depois que os suplentes Rodrigo Andrade, Will e Jonathan apareceram bem no confronto contra o São Francisco. Como deixá-los de fora depois que o time finalmente mostrou sinais de entrosamento¿ Dilema que só o próprio Chamusca poderá resolver até domingo, visto que costuma divulgar a escalação momentos antes do jogo.

No estilo despachado de sempre, o remista Josué Teixeira abre os treinos à torcida e não faz mistério. Confirma a volta de Jaquinha, Tsunami e Edgar ao time do Remo para o clássico de domingo, válido pela 9ª rodada do Parazão. Eram as alterações previstas, com Tsunami substituindo a Marquinhos (suspenso) e Jaquinha assume a titularidade depois de algum tempo sem jogar.

Único invicto da competição, o Leão conserva o esquema 4-4-2 que vem utilizando desde a primeira rodada e que ganhou reforço de qualidade com a chegada de Eduardo Ramos há três rodadas. É o time que melhor pontuação no campeonato e que tem exibido um conjunto mais azeitado, o que talvez explique a sem-cerimônia de Josué em divulgar a escalação.

São situações próprias do clássico rei da Amazônia, capaz de levantar a torcida mesmo quando não há taça ou classificação em disputa.

——————————————————

Show de Neymar e Paulinho no Centenário

Com números massacrantes de posse de bola (76% no primeiro tempo), o Brasil teve paciência, maturidade e sangue frio para reverter uma desvantagem inicial e partir para uma vitória sem retoques sobre o Uruguai, tradicional e sempre difícil adversário. A goleada começou a ser construída ainda no primeiro tempo, com a assistência de Neymar e o golaço de Paulinho, batendo de fora da área.

Não por coincidência, a jogada envolveu os dois principais nomes da noite. Paulinho, volante no papel, atuou adiantado e aparecendo sempre bem posicionado para concluir. Marcou três vezes e quase marcou outro gol, exibindo qualidades insuspeitas de atacante.

O dado mais significativo foi a demonstração de amadurecimento do time montado por Tite. Mesmo sofrendo um gol logo de cara, fazendo poucas finalizações, o Brasil foi se estruturando e avançando suas linhas, principalmente pelos lados, com Coutinho e Neymar, e fechando o cerco sobre o Uruguai.

O volume de posse de bola refletiu desde cedo a supremacia técnica da equipe canarinho, embora o Uruguai tenha chutado mais (6 a 1). Na etapa final, a rapidez na saída para o ataque e a facilidade no giro de jogadas desnortearam a marcação uruguaia.

Os gols foram saindo naturalmente – com direito a golaço de Neymar por cobertura – deixando a sensação de que cabia mais. Tite se deu ao luxo de coroar a grande atuação, que carimbou a vaga para a Copa de 2018, botando um time radicalmente ofensivo, mantido mesmo depois das substituições de Coutinho por William e de Firmino por Diego Souza.

Acima de tudo, o Brasil de Tite respeita e dignifica o legado de vitórias e bom futebol do país pentacampeão mundial. Que permaneça assim.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 24)