Archive for 13 de fevereiro de 2017

A frase do dia

ctedbbmvyaawrlw

13 de fevereiro de 2017 at 22:01 1 comentário

O passado é uma parada

c4latmaw8aijwg

O papa da pop-art Andy Warhol usa um computador para criar um retrato digital da cantora Debbie Harry, do Blondie, em 1985.

13 de fevereiro de 2017 at 21:21 Deixe um comentário

Baú de lembranças

c4lfifkwiaeyms9

13 de fevereiro de 2017 at 19:58 3 comentários

Candidato ao STF sofre a terceira denúncia de plágio

iuyp0jw6

Desta vez, a vítima é o professor de Direito Penal Vicente Greco Filho, que foi colega de turma de Alexandre de Moraes. O livro “Legislação Penal Especial” contém partes extraídas do livro “Tóxicos, Prevenção – Repressão”, de Greco Filho. Moraes já havia sido denunciado na semana passada por plagiar trechos de um livro de Direitos Fundamentais de autor espanhol e de reproduzir parte de obras de outros autores em livro de sua autoria.

c4lclrawqae8o4p

Te dizer…

13 de fevereiro de 2017 at 19:52 2 comentários

Pra bom entendedor…

c4kmhc7wyaah4bs

13 de fevereiro de 2017 at 19:10 Deixe um comentário

Tribuna do torcedor

POR MAURO GAMA TOBIAS (maurogtobias@gmail.com)

É no mínimo estranha a posição dos dirigentes do Paysandu quanto ao aproveitamento do time neste início de jornada, visto que nas 5 partidas que o clube jogou foram 4 derrotas e 1 vitória. Tem alguma coisa errada neste contexto, pois os jogadores Diogo Oliveira e Daniel Sobralense são inertes e não têm a mínima condição de vestirem a camisa bicolor e me parece que foram indicação do treinador?? O Paysandu é um clube da 2ª Divisão, mas este time está horrível para se ter esperança de alguma coisa positiva este ano, tomara que eu esteja errado. Na minha avaliação, o treinador não é para o Paysandu Sport Clube. 

13 de fevereiro de 2017 at 11:52 22 comentários

Emoções à flor da pele

POR GERSON NOGUEIRA

Como nos velhos tempos, o Re-Pa acabou decidido em cima da hora e sob forte emoção. Em rápido contra-ataque, aos 47 minutos. Jaquinha lançou para Edgar driblar Capanema e bater rasteiro, cravando a vitória azulina no primeiro clássico da temporada.

unnamedTriunfo obtido com disciplina tática e um quê de superação – o segundo gol veio depois que o Papão desperdiçou um penal, aos 29 minutos, mal cobrado por Leandro Cearense e bem agarrado por André Luís.

O clássico não foi um primor de exibição técnica, mas teve o ingrediente que arrasta frhá mais de um século: emoção do princípio ao fim. Edgar, grande nome da partida, esteve sempre alguns pontos acima dos demais jogadores. Não só pelos gols marcados, mas pela desenvoltura quando tinha a bola e também nos deslocamentos à frente da área.

Sempre que foi lançado, demonstrava saber o que iria fazer, criando situações de perigo para a defensiva bicolor. Caía sempre pela esquerda, criando enormes dificuldades para o lateral Ayrton e os zagueiros de área. Bem colocado, fez o primeiro gol logo aos 16 minutos, escorando bola cruzada por Léo Rosa e desviada por Flamel. Estava adiantado, mas o assistente não assinalou o impedimento.

Um pouco antes, o mesmo Edgar esteve perto de presentear Val Barreto. O cruzamento saiu perfeito, mas Emerson se antecipou e defendeu. Depois disso, o Remo perdeu em combatividade no meio-campo e assumiu de vez a postura cautelosa e pragmática esboçada desde os primeiros minutos.

O Papão foi à frente, passou a rondar a área azulina, principalmente pelo lado esquerdo, com Willian Simões e Bergson. Aos 36 minutos, veio o empate: Rodrigo recebeu livre na intermediária e disparou um chute à meia altura. A bola desviou em Tsunami e enganou o goleiro André Luís.

Veio a etapa final com o Papão mexendo no meio, trocando os improdutivos Jonathan e Sobralense por Leandro Carvalho e Diogo Oliveira. E foi Diogo o autor do cruzamento que resultou no toque de Léo Rosa e no penal desperdiçado por Cearense.

Minutos depois, outro lance capital. Rodrigo pisou em Edgar no chão, recebeu o segundo amarelo e foi excluído. Com 10 em campo, Marcelo Chamusca botou então Capanema. O volante pegou pela frente o melhor atacante do rival a finta e o gol que deu o triunfo aos azulinos.

No Remo, Fininho substituiu a Flamel e Caio entrou para que Jaquinha fosse jogar no meio, ocupando a chamada segunda linha. Mesmo por vias tortas, a mexida de Josué acabou dando certo, pois foi um passe açucarado de Jaquinha que oportunizou o lance decisivo.

Rodrigo e Carvalho foram os melhores do lado alviceleste. No Remo, Jaquinha, Henrique, Igor João, André Luís se sobressaíram, mas Edgar esteve acima de todos e se consolida como principal nome do Remo.

——————————————————

Público acima do esperado, arbitragem questionada

Gustavo Melo teve boa conduta no aspecto técnico e disciplinar, embora pudesse ter sido mais rigoroso com Caio, que cometeu quatro faltas seguidas sobre Leandro Carvalho. Expulsou corretamente Rodrigo, mas foi mal auxiliado. Os assistentes andaram vacilando nas marcações de impedimento, como no gol de Edgar no primeiro tempo.

Nas arquibancadas, um público surpreendente: quase 31 mil pessoas (27.933 pagantes), com renda de R$ 955 mil. Ninguém esperava, mas desbancou todos os clássicos de 2016.

(Coluna publicada no Bola desta segunda-feira, 13)

13 de fevereiro de 2017 at 2:49 41 comentários

Posts antigos


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 6,982,929 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 19.523 outros seguidores

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

fevereiro 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: