Exército realiza jogos para 700 crianças do Programa Forças no Esporte

O Comando Militar do Norte (CMN) organizará os IV Jogos Desportivos do Programa Forças no Esporte (PROFESP) em Belém, entre os dias 6 e 9 de dezembro. Cerca de 700 crianças do Pará, Amapá e Maranhão, atendidas pelo Programa, participarão das atividades. A atividade terá como objetivo aflorar os atributos afetivos à prática de esporte, ao estimular a superação e realização pessoal, além de identificar novos atletas, a serem despontados em futuras competições desportivas. As crianças irão competir, em conjunto, de diferentes modalidades esportivas, como Futebol Society e de Salão, Natação, Vôlei de Quadra, Atletismo, Cabo de Guerra e Orientação. As categorias variam de acordo com as idades.

Desenvolvido pelo Ministério da Defesa, juntamente com outros órgãos federais, o programa Forças no Esporte busca promover a integração social e o desenvolvimento humano por meio da prática esportiva entre crianças e jovens carentes. Os esforços empreendidos concentram-se na inclusão social, valorização da cidadania e na realização de atividades físicas, esportivas e de lazer.

Serviço

Abertura dos IV Jogos Desportivos do Programa Forças no Esporte

Data: 6 de novembro de 2016

Horário: 9h

Local: 2º Batalhão de Infantaria de Selva – localizado na Av Almirante Barroso, 4421.

O golpe da Sul-Americana

POR GERSON NOGUEIRA

Papão e Santa Cruz estão definitivamente alijados da Copa Sul-Americana 2017, vítimas de propaganda enganosa por parte da CBF. O anúncio, frio e mal redigido, veio através de ofício circular distribuído ontem pela Diretoria de Competições da entidade, sem preocupação com justificativas ou algo próximo de um pedido de desculpas aos clubes prejudicados e seus milhares de torcedores.

Papão e Santa Cruz foram vítimas do chamado conto do vigário, como se falava antigamente. Os clubes disputaram torneios (Copa Verde e Copa do Nordeste) que prometiam acesso à competição sul-americana em 2017. Acreditaram – e nem podia ser diferente – na garantia formal feita pela CBF no regulamento das competições regionais.

Aliás, tanto o clube paraense quanto o pernambucano certamente só participaram dessas Copas porque sonhavam com a honra de representar o Brasil num torneio internacional. Como ocorreu com a Chapecoense, de brilhante trajetória tragicamente interrompida na Sul-Americana deste ano.

Os clubes ficaram sabendo que tinham sido barrados no baile por ocasião da divulgação do calendário da Conmebol para o próximo ano, noticiado há algumas semanas. Como ampliou as vagas do Brasil na Taça Libertadores, a confederação reduziu a participação de clubes nacionais na Sul-Americana.

Santa Cruz e Papão, apesar da desfeita, continuaram na expectativa de que o compromisso assumido pela CBF fosse respeitado de alguma forma. Ledo engano. Surgiram especulações indicando que o coronel Antonio Carlos Nunes, vice-presidente da entidade e pertencente ao círculo íntimo de Marco Polo Del Nero, iria “dar um jeito”. O boato contagiou a diretoria do Papão, que seguiu acreditando que a vaga seria concedida.

Anteontem à tarde, o repórter Wellington Campos, da Rádio Clube do Pará, informou que o sonho havia chegado ao fim. Segundo ele, a Conmebol não aceitou o pleito da CBF em defesa dos clubes habilitados à disputa e manteve o veto à participação de Santa Cruz e Papão.

A má notícia foi confirmada ontem no ofício assinado por Manoel Flores, diretor de Competições. O comunicado diz que a Conmebol decidiu criar novos critérios de participação na Sul-Americana do próximo ano e que oportunamente dará os detalhes. Sabe-se, desde já, que só clubes da Série A terão vaga na competição.

“Sendo assim, os clubes que foram campeões da Copa do Nordeste 2016 (Santa Cruz) e Copa Verde 2016 (Paysandu), que pelo que constava nos regulamentos das referidas competições tinham acesso garantido à competição da Conmebol, não terão mais este direito”, diz o ofício.

Assim, sem anestesia, a CBF crava uma tremenda punhalada nas duas agremiações e ainda recorre ao expediente malandro de jogar o problema para a Conmebol, como se nada tivesse a ver com a história. E é claro que tem. Afinal, Santa e Papão jogaram os torneios confiando na informação repassada pela entidade, que agora tira o corpo fora num gesto de desconsideração com os clubes a ela filiados.

No ofício, Manoel Flores anuncia que os campeões dos dois torneios regionais em 2017 terão direito a entrar nas oitavas de final da Copa do Brasil como compensação pela perda do acesso à Sul-Americana. Grandes coisas. Típico presente de grego, pois, como se sabe, a Copa do Brasil hoje é inteiramente dominada pelos clubes da Série A, detentores de mais recursos e melhor estrutura.

Aos clubes lesados pela CBF resta a busca de uma reparação financeira através da via judicial. Como poucos se arriscam a bater de frente com a controladora do futebol no Brasil, ficará o dito pelo não dito e a certeza de que o Norte e o Nordeste foram alvos de mais uma vigarice urdida nos gabinetes da confederação.

O fato é que a CBF avacalhou com a Copa Verde, que perderá muito em interesse a partir de agora, podendo inclusive levar ao seu esvaziamento com a provável desistência dos clubes mais populares e de melhor condição financeira. Além das equipes mais modestas, quem terá interesse em participar de um torneio que não tem nenhum atrativo ou premiação mais relevante?

Pior ainda para o Papão, que constata da pior maneira não poder contar sequer com a influência política do coronel Nunes, ex-presidente da FPF e conselheiro do clube.

—————————————————–

O futebol como veículo de solidariedade

O Atlético Nacional fez em Medellín anteontem um dos espetáculos mais comoventes já vistos num estádio de futebol. Na presença de mais de 40 mil torcedores, vestidos de branco, homenageando a Chapecoense por 90 minutos, o clube colombiano mostrou a essência do desporto. Mais significativo ainda é ver a antiga cidade-mãe do narcotráfico se transformar na capital mundial da solidariedade. De arrepiar.

—————————————————–

Fifa começa a definir os melhores do ano

Para quem gosta de listas de votação, a Fifa anuncia hoje os finalistas dos prêmios de melhores do ano no futebol. Através do site FIFA.com e nas mídias sociais, os nomes serão divulgados de hora em hora. A partir daí, o público vai poder escolher em votação aberta o vencedor de cada categoria, elegendo as estrelas da grande festa de 9 de janeiro, em Zurique.

Com relação ao Prêmio Puskás, a segunda fase da votação será reaberta, com cada torcedor podendo atribuir mais de um voto para o seu favorito entre os três finalistas.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 02)