10 comentários em “Avaí ganha e mantém Papão sob risco

  1. Com o Dado Cavalcante o Paysandu não ganha uma fora de casa, com Gilmar Dal Pozzo pelo menos empatava, foi um erro trazer o Dado de volta.

    Curtir

  2. Assisti todo o jogo ontem e os problemas de sempre continuam: falta de aproximação entre os jogadores; ausência de criatividade no meio campo e inoperância ofensiva dos alas. O miolo de zaga se portou bem. Tiago Luis enquanto teve fôlego deu trabalho para o Avaí e esteve muito próximo de fazer mais um belo gol. Cearense buscou jogadas fora da área, mas continua isolado.
    O Rodrigo sentiu o jogo e não foi tão bem, mesma observação serve para o Jonathan.
    Com tudo isso, não era de se esperar um bom resultado. O que já seria difícil tornou-se impossível ante a falha infantil do Lucas, que jogou um banho de água fria no time.
    Com Dado no comando esse time não sua a camisa; os caras jogam num ritmo burocrático, salvo raríssimas exceções, como Tiago Luis e Cearense (demonstra vontade).
    Foi uma derrota normal por via anormal (pênalti bobo e uma bola telativamente defensável do Emerson).
    No geral, o Paysandu teve uma atuação razoável (como sempre foram quase todas as partidas sob o comando do Dado: mesmo nas vitórias e conquistas, não houve empolgação por um grande jogo) e é possível se salvar da queda.
    Serão 10 jogos de muito sofrimento.

    Curtir

  3. Um time que não consegue trocar três passes, dificilmente chega longe em uma competição onde a “pegada” se sobressai sobre a técnica. Não tenho informações sobre os scouts dos jogos da série B, mas seguramente, o Paysandu tem um dos piores aproveitamos no quesito “troca de passes”. Inacreditável a falta de habilidade de alguns jogadores, que não acertam passes de cinco metros de distância. O sofrimento só não é maior, porque os concorrentes, da parte de baixo da tabela, são medíocres.

    Curtir

  4. Ei Rafael se és bicolor deixe de bobagens. O Giva, melhor treinador bicolor de todos os tempos, fez 17 jogos fora de Belém em 2001 também não venceu nenhum jogo, empatou 13 e perdeu 4, mas foi bi campeão serie B já esquecestes??? E ninguém reclamou do Giva não ter vencido nenhuma fora. e todo mundo glorifica aquele time até hoje. E porque o Giva foi Bi não vencendo nenhuma fora?? o Giva foi Bi campeão porque aqui em Belém ficou invicto, não perdeu para ninguém e venceu 14 jogos dos 17 aqui, inclusive os decisivos e Isso fez a diferença. mas naquele tempo os atletas tinham o compromisso firme de vencer todas em casa e fora evitar derrota o máximo possível, trazendo nem que fosse empate na marra. Isso deu certo até financeiramente, porque a cada jogo de vitória aqui, depois um empate lá, o próximo jogo aqui era sempre casa cheia, e não foi a de graça que o Paysandu tem em 2001 uma das suas maiores médias em série B em todos os tempos, é só ver os borderôs da época, onde os Paysandu jogou todos os jogos na CURUZU porque o Mangueirão estava interditado para reforma e a Curuzu nem tinha esse tamanho que tem hoje. Na decisão contra o Havai foram 20 mil pagantes, ingresso equivalente a 50 reais hoje onde o Tourinho apenas colocou uma pequena arquibancada metálica para aumentar a quantidade de ingressos. Ocorre que esse time de 2016 eu já disse que é muito instável tecnicamente e psicologicamente. Ontem mostrado isso, onde os culpados pela derrota foram Lucas(muito nervoso, irreconhecível) e Roniery inseguro. Os dois não jogaram anteriormente mas a torcida pediu eles nesse jogo. O Dado atendeu, porque a torcida não confia no Ratinho e no J lucas que jogaram bem contra o Braga. O treinador errou em querer atender a torcida e não manter o mesmo time anterior. O Paysandu perdeu um jogo que era para trazer tranquilo pelo menos um pontinho. Mas não adianta culpar só nosso treinador Dado Cavalcante, bicolores façam “m culpa. ” também

    Curtir

  5. Infelizmente perdemos nos detalhes, que detalhes?, o detalhe de não ter laterais, não ter armadores e não ter atacantes.
    Idem a de 2015 esta série B se nivela por baixo, a derrota para um adversário que se encontra no G4 e com um futebol tão limitado quanto ao do time paraense é de frustrar qualquer torcedor.
    Os erros nas contratações refletem-se nas atuações hora regulares e hora dignas de time de peladão.
    O pênalti cometido por Lucas foi de uma infantilidade terrível e mais a falta cometida desnecessariamente pelo afoito Ronieri geraram os dois gols que decidiram a partida em favor do time catarinense.
    São dez jogos dos quais o time necessita vencer quatro pra não ter que depender de outros resultados para se manter na segundona de 2017.

    Curtir

  6. O Paysandú terá cinco decisões no Mangueirão e conquistar destes 15 pontos pelo menos 10 para se manter na segundona.
    Vasco da Gama vem na terça-feira com gosto de gás na boca para tirar a forra da derrota sofrida no primeiro turno, e o Goiás deve vir a Belém ainda sonhando com o G4, tomara que não.
    Em relação a Sampaio e Paraná são adversários encardidos, o Papão se deu mal ano passado jogando contra os maranhenses.
    Quanto ao Criciúma poderá ou não tratar-se de um amistoso tudo dependerá do desempenho do time catarinense que no momento atual briga pelo acesso.

    Curtir

  7. O desenrolar da competição para os que se encontram no Z 4 também não é nada animador para eles, pelas minhas projeções, creio que o Joinville consiga atingir a marca de 36 pontos, Bragantino e Tupi devem ficar pela casa dos 32 pontos e o Sampaio entre 30 e 31 pontos.
    Não creio que estes deem uma arrancada para fugir da degola.
    Mas o Paysandú terá que se virar mesmo com esta penca de Elenko e tomara que os próximos diretores não caiam na lábia doa empresários aproveitadores.

    Curtir

  8. O Paysandú contando com a juventude de Rodrigo Andrade e o Dado insistindo com Recife.
    Rafael Costa não é mais jogador de futebol, o cara erra passes bisonhos.
    E uma pergunta, será que os laterais da inexistente base bicolor conseguem ser piores que os atuais “profissionais”?

    Curtir

  9. Papão nem foi tão mal assim. É verdade que alguns erros persistem, como o atabalhoamento que leva ao cometimento de infantilidades como o pênalti de Lucas e a falta de Roniery que originou o segundo gol.
    Porém, o time já teve mais posse de bola(58% a 42%, no primeiro tempo) e conseguiu chegar várias vezes com perigo. Pena que o Jobinho ainda estivesse sentindo o cansaço do primeiro jogo e o Cearense ficou sobrecarregado. Como o Maílson transformou-se de esperança em tragédia, o ataque não funcionou.
    Mas o meio de campo, apesar de também não ter repetido a mesma atuação que teve contra o Bragantino, foi bem melhor na posse da bola e na transição da defesa ao ataque do que quando conta com os carteiros trapalhões(só entregam errado) Recife e Capanema, não esquecer que o Avaí tem o melhor desempenho da segunda fase da competição, com mais de 70% de aproveitamento, logo, perder pra ele dentro de sua casa não é algo fora do comum.
    Quanto ao riscos, é evidente que ainda são preocupantes, mas também é verdade que a performance dos adversários contribui bastante para sua diminuição.Tanto Tupi quanto Bragantino foram derrotados fazendo com que a derrota bicolor, embora dolorida, não tenha tido maiores consequências na tabela. Como o Vasco já não é aquele bicho-papão que se afigurava no início da competição, esperar por uma vitória na terça não constitui viagem fantástica.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s