Sem direito a erro

POR GERSON NOGUEIRA

Os números são implacáveis: o Papão cumpre uma campanha bem inferior à do ano passado na Série B. Curiosamente, levando em conta as dezenas de atletas contratos, o clube investiu muito mais na atual temporada, embora sem obter os resultados esperados.

unnamedNem mesmo a anunciada premiação de R$ 3 milhões foi capaz de fazer com que o time tivesse uma postura mais competitiva ao longo da competição. No ano passado, a essa altura, o Papão contabilizava 47 pontos ganhos e ocupava a quinta colocação na tabela, a poucos pontos do líder Botafogo.

O time exibia também o dobro de vitórias e desfrutava o prestígio reservado aos candidatos ao acesso, situação inteiramente inversa ao quadro atual. A cinco pontos do primeiro time da zona da degola, o Bragantino, e a oito do quarto colocado na classificação geral, o Papão não pode mais se dar ao luxo de desperdiçar pontos em casa.

A partida de amanhã, no Mangueirão, tem todas as características de um jogo que pode ser divisor de águas na campanha. Caso passe pelo Bragantino, o Papão estabelecerá oito pontos de distância em relação ao comboio do rebaixamento.

É, provavelmente, a última chance de se desgarrar dos times que estão no desespero em relação à queda quase provável. Os resultados negativos acumulados em casa representaram um preço muito alto para as pretensões alvicelestes e precisam ser evitados a qualquer custo, a partir de agora.

Dado Cavalcanti, que comandou a equipe na boa campanha do ano passado, não conseguiu acertar a mão em 2016. Demitido após as seis rodadas iniciais, voltou para comandar a equipe no returno do campeonato, mas até o momento não conseguiu convencer a torcida de que será capaz de salvar a temporada.

Mais que isso: em determinadas ocasiões, fica a impressão de que também não convenceu ao próprio grupo de jogadores. E, como se sabe, o futebol depende de fé e confiança. Quando o elenco não acredita no comandante, o navio fica à deriva e a um passo do naufrágio.

A recente derrota para o Náutico, no Recife, quando o técnico lançou mão de quatro volantes e o time não teve força de marcação, lançou dúvidas ainda mais agudas sobre o trabalho desenvolvido. Por conta disso, o jogo desta segunda-feira adquire caráter decisivo para o próprio Dado.

O fato é que o Papão precisa vencer para se tranquilizar e o técnico carece de um bom resultado para permanecer no cargo.

—————————————————–

Quando a Lei não é potoca

Surgem novas notícias sobre a apuração do rumoroso caso Neymar x Barcelona pela Justiça da Espanha e fica a certeza de que uma eventual maracutaia não ficará impune. O falso contrato que garantiria um adiantamento de 10 milhões de euros ao jogador, no ato de sua contratação pelo clube catalão, jamais foi assimilado pelas autoridades espanholas e pela própria Federação das Associações de Atletas Profissionais (FAAP).

O processo foi reaberto e o clube se apressou em defender publicamente Neymar, assegurando que os acordos foram limpos. Terá que provar essas afirmações.

Lá, ao contrário do que prevalece aqui, poderosos são emparedados quando ousam armar qualquer jogada fora da lei. Outro fato exemplar é que a entidade representativa dos jogadores é a primeira a estrilar, o que representa uma brutal diferença ao comportamento amorfo e omisso das entidades representativas dos atletas profissionais.

—————————————————–

Bola na Torre

O programa será apresentado por Guilherme Guerreiro, com participações de Giuseppe Tommaso e deste escriba de Baião. Começa logo depois do Pânico, na RBATV, por volta de 00h20.

—————————————————–

Prova de resistência e habilidade nas praias de Salinas

Será hoje, em Salinas, a primeira prova de triatlon de longa distância no Estado. O 1º Amazônia Endurance desafiará mais de 90 competidores no circuito de 1.900 metros de natação, 90 quilômetros de ciclismo e mais 21 quilômetros de corrida. Os campeões levam o prêmio de R$ 10 mil (feminino e masculino) e o troféu Muiraquitã, símbolo do evento inspirado no folclore amazônico.

A largada da natação será às 5h40 da manhã, na praia do Maçarico, no centro da cidade. A corrida será a meia maratona da orla do Maçarico até o Laguinho, em duas voltas de 10,5 quilômetros. A competição terá atletas divididos por idade, prestigiada por vários campeões nacionais, como Chicão Ferreira e Alexander Balman.

(Coluna publicada no Bola deste domingo, 25)