Povo nas ruas em defesa da democracia

Protestos, que começaram a partir das 16h na maioria dos municípios, tiveram grande adesão de centrais sindicais e movimentos sociais sob o lema Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe e em Defesa da Democracia.

5993061

CpdKmEtWgAAc4s3

Os protestos, que começaram a partir das 16h na maioria dos municípios, receberam grande adesão de centrais sindicais e movimentos sociais sob o lema Jornada Nacional de Mobilização contra o Golpe e em Defesa da Democracia.

Em nota divulgada pelos movimentos — intitulada “Enfrentar o golpe! Derrubar o governo ilegítimo!” —, foi feito um alerta para os riscos de retrocessos sociais no Brasil, ao mesmo tempo em que afirmam que o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff não apresenta qualquer fundamento legal. Nesta terça, em Brasília, os senadores começaram a apreciar o relatório de Antônio Anastasia (PSDB-MG) que propõe o prosseguimento do rito de afastamento definitivo da presidente até o final do mês. A sessão deve ser interrompida pouco antes da meia noite e ser retomada nesta quarta-feira pela manhã.

CpcqXACWIAM1K5d

As manifestações desta terça contaram também com a adesão de outro grande movimento de mobilização social, a Frente Povo sem Medo, integrada por vários grupos, entre eles o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, o coordenador nacional, Leonardo Péricles, acompanhou os protestos em Minas Gerais e disse que o “Fora Temer” é a bandeira que mais unifica os movimentos sociais hoje.

Péricles diz que a mudança de governo não teve como objetivo combater a corrupção. Segundo ele, ao contrário, a assunção de Michel Temer interinamente na presidência e o conjunto de pessoas e ministros de sua equipe aumentaram a divulgação desses casos.

CpYdY-YXYAE8_F2

Recado aos intolerantes

A nadadora Joanna Maranhão concedeu, no início da tarde desta terça-feira (9), uma entrevista que acabou se transformando em um depoimento representativo de uma atleta brasileira mulher contra a cultura do ódio e do machismo no Brasil. Após ser eliminada da fase classificatória dos 200 metros borboleta dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Maranhão revelou os ataques preconceituosos e machistas que vem recebendo através das redes sociais.

“Ontem à noite foi o dia mais difícil para mim. Tentei ficar fora de rede social, mas fui no Facebook e vi uma enxurrada de críticas, ataques. Alguns dizem que eu merecia ser enxotada, que minha história é uma grande mentira. Eu tentei segurar a onda, mas agora eu desabafei. E muito duro receber”, desabafou.

Conhecida pelo seu desempeno nas piscinas, Joanna já foi alvo de inúmeras críticas por se posicionar politicamente contra o conservadorismo, a redução da maioridade penal e figuras como Eduardo Cunha e Jair Bolsonaro.

proxy

Na entrevista que deu há pouco, a nadadora revelou que voltou a ser xingada pelas suas posições políticas e chegou a sair em defesa do governo da presidenta afastada Dilma Rousseff quando comentou a medalha de ouro da judoca Rafaela Silva. “Esses perfis que nos atacam não sabem o sufoco que passa o atleta brasileiro. A Rafaela Silva, há quatro anos, não tinha nada, mas com a ajuda dos programas assistenciais, conseguiu essa medalha”, comentou.

Outro ponto alto de sua entrevista coletiva foi quando tratou da questão do estupro, já que a atleta já havia revelado anteriormente ter sofrido abusos sexuais quando criança. De acordo com Joanna, após a eliminação ela chegou a se deparar com mensagens desejando sua morte ou ainda que fosse estuprada. “Desejar que eu seja estuprada é passar dos limites”, disse.

Confira, abaixo, a mensagem de Joanna nas redes sociais:

CpbUc_nWEAAZ0S3

(Da Revista Forum)

Dewson recebe bombardeio de críticas por erro que beneficiou Corinthians contra o Cruzeiro

Poucos árbitros vêm sendo tão criticados no Campeonato Brasileiro quanto o paraense Dewson Fernando Freitas. Ainda mais depois do pênalti que não deu em falta do goleiro Cássio, do Corinthians, sobre o atacante Ábila, do Cruzeiro, na última segunda-feira.

325_ccf56e0c-acc2-3442-b932-6c7b01a72a24Não foi o primeiro erro grave que Dewson cometeu no Brasileirão, aliás. Em rodadas anteriores, ele também ignorou pênaltis claríssimos na grande área durante Flamengo x Palmeiras (a favor do time alviverde) e Santos x Flamengo (a favor dos rubro-negros).

Após o jogo no Pacaembu, os cruzeirenses reclamaram muito do juiz Fifa. O atacante Rafael Sóbis, por exemplo, disse que o homem do apito estava “de palhaçada”, enquanto o técnico Mano Menezes afirmou que seu time foi “muito prejudicado” pela não marcação do pênalti.

O fato é que o paraense é o árbitro que menos marca faltas no torneio, tendo uma média considerada “europeia” em relação aos seus colegas.

Segundo dados do Footstats, nas 10 partidas apitadas por Freitas até agora, ele tem média de 21,8 faltas por jogo, muito menor que a geral do campeonato, que é de 30 faltas por jogo.

Para comparar com alguns colegas que comandaram pelo menos cinco jogos no Brasileiro, Héber Roberto Lopes apita 33 faltas/jogo; Wilton Pereira Sampaio, 33,12 faltas/jogo; Leandro Vuaden, 31,64 faltas/jogo; Sandro Meire Ricci, 31,33 faltas/jogo e Anderson Daronco, 29,85 faltas/jogo, só para citar alguns.

O único árbitro com média menor que a de Dewson é Grazianni Maciel Rocha, com 18 faltas/jogo. No entanto, ele só participou de uma partida no torneio até agora.

O polêmico paraense também passa longe da lista de mais disciplinadores do Brasileirão. Ele dá somente 5 amarelos por jogo, ficando longe da liderança, ocupada por Nielson Nogueira Dias (8 amarelos/jogo).

Ele também tem média de apenas 0,1 vermelho por jogo, muito atrás do 1,2 vermelho/jogo de Marcelo Aparecido de Souza Ribeiro, líder no quesito. As partidas comandadas por Freitas, aliás, possuem média de 2,7 gols/jogo, maior do que a média do Brasileirão, que é de 2,54 gols/jogo.

No entanto, o número é baixo, se comparado aos 4,4 gols/jogo quando Rodolpho Toski Marques é o juiz, ou também dos 4,33 gols/jogo com o árbitro Pablo dos Santos Alves. Professor de formação, Dewson é árbitro desde 2003. Além da Série A, ele também participa de jogos da Série B, como CRB 3 x 0 Tupi, em 14 de julho. (Da ESPN)