Veiga pede demissão e Remo procura novo técnico

d88cd561-e2c8-40f7-af08-5cc7f4ad1dfe

Depois do empate diante do ABC, na noite deste sábado, o técnico Marcelo Veiga procurou a diretoria e entregou o cargo. Desgastado pelos maus resultados em casa, o técnico já não contava com o apoio do torcedor. Sua decisão foi imediatamente aceita e o clube já procura por um substituto. Vários nomes são cogitados, mas, segundo fontes da diretoria, não há plano de contratar técnico local. (Foto: MÁRIO QUADROS)

Remo x ABC – comentários on-line

Campeonato Brasileiro da Série C 2016

Clube do Remo x ABC-RN – estádio Jornalista Edgar Proença, às 18h

Rádio Clube _ IBOPE_ Segunda a Sexta _ Tabloide

Na Rádio Clube, Claudio Guimarães narra; Rui Guimarães comenta. Reportagens – Paulo Caxiado, Giuseppe Tommaso, Hailton Silva e Carlos Estácio. Banco de Informações – Jerônimo Bezerra

A lição de elegância na derrota que Cameron deu a Aécio

182640312-600x400

POR PAULO NOGUEIRA, no DCM

O primeiro ministro britânico David Cameron deu uma aula de classe na derrota para Aécio Neves. Cameron chamou o plebiscito para decidir sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia. Bateu-se pelo sim, que parecia uma barbada até poucas horas antes da votação. Mas deu o não.

Cameron reconheceu prontamente a derrota e anunciou sua renúncia. Com elegância, com hombridade, com honestidade, todos aqueles atributos, enfim, que faltaram a Aécio depois de ser batido por Dilma.

E note a diferença. A carreira política simplesmente acabou. Ele deixa em breve a Downing Street, sede do governo britânico, para qualquer outra atividade que não a vida política. É praxe na Inglaterra, ao contrário do Brasil, onde os políticos em geral só deixam a carreira num caixão.

Aécio não. Mesmo batido, ele seria um forte candidato nas eleições de 2018, credenciado por quase 50 milhões de votos.

Mas, se Cameron foi um lorde, Aécio foi um menino mimado, um playboy irresponsável, um perdedor desprezível, um homem indigno.

Tão logo batido, inventou pretexto após pretexto para tentar ganhar por outros meios o que os votos não lhe deram.

Conseguiu o que desejava, mas ao preço terrível da autodestruição. Aécio é hoje um dos maiores símbolos da corrupção, ao lado de figuras como Eduardo Cunha.

Foi citado em numerosas delações por conta de esquemas que invariavelmente estiveram longe dos olhos do público, pela blindagem que sempre teve na mídia e na polícia.

“Todo mundo conhece o esquema do Aécio” é uma frase que poderia servir de epitáfio para ele. Foi pronunciada por um delator e viralizou nas redes sociais, para infâmia eterna de Aécio.

Aécio é a pior espécie de corrupto: aquele que na sombra rouba e à luz do sol faz discursos moralistas. Neste sentido, é ainda pior que Cunha. Quis tudo, sem ter os votos para isso. Acabou sem nada, com a reputação devastada pelas múltiplas acusações de corrupção.

É um morto vivo.

Cameron se despede de fronte erguida. Soube perder, e agora parte para o resto de sua vida deixando a seus conterrâneos um exemplo de conduta na adversidade política. Aécio está condenado a olhar para baixo, imerso em vergonha, pelo restante dos seus dias.

Torcedores se mobilizam para ajudar garoto azulino

13533011_1136661643021231_5154606840872106036_nJoão Paulo Bastos da Silva (à direita), um garoto de 9 anos de idade, viveu um dia muito especial nesta sexta-feira, um dia após ver a casa onde morava ser consumida pelo fogo. Dentro da residência, estava guardado também o material que seria usado em sua festinha de aniversário, tendo como tema principal o Clube do Remo, seu time de coração. Sensibilizados com a tragédia, torcedores e dirigentes azulinos prepararam uma surpresa para João Paulo e seus pais.

Ele foi o convidado especial dos remistas para o treino realizado em preparação ao jogo contra o ABC (RN), que acontece hoje, 18h, pela Série C. Na presença do presidente André Cavalcante, o menino ganhou uma camisa oficial autografada pelos jogadores, além de uma chuteira do zagueiro Brinner.

20160625_111215destaque3722592506a6joaofestaremoemailCentenas de torcedores presentes ao estádio Evandro Almeida cantaram os parabéns. Um outro grupo recebia alimentos doados para serem entregues à família do menino. João Paulo ganhou ainda uma festa com bolo. “Ver, não só o Remo, mas as torcidas de Paysandu e Tuna se mobilizando por nós, é algo muito bonito”, disse o pai de João, o marceneiro Nathanael Silva, 36, emocionado com a ajuda em um momento difícil.

A casa em que João morava com os pais e outros dois irmãos pegou fogo, em Icoaraci na tarde de quinta-feira (23). O imóvel, construído em madeira, ficou completamente destruído.

COMO AJUDAR – As doações para a família podem ser entregues no Baenão, à rua Antônio Baena, e na sede social do Clube do Remo, na avenida Nazaré.

(Com informações do Bola)