A Justiça que falha, mas não tarda

ChECsM0W4AAlwL1

Do Valor, ontem à noite:

Às vésperas da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado Federal e a possível troca de governo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, recebeu o apoio líderes de partidos na Câmara, que, em acordo, vão tentar aprovar o reajuste salarial de servidores do Judiciário e de magistrados rapidamente. A ideia é aprovar a urgência do projeto de lei nesta quarta-feira e, no mesmo dia, analisar o mérito do texto no plenário da Casa.

Assim mesmo, a toque de caixa, tanto que, segundo o mesmo insuspeito jornal, “nos corredores da Câmara o convite feito aos deputados hoje por Lewandowski para o café é apelidado de ‘cobrança da fatura’ após o STF não interferir nas votações do impeachment pela Casa.”

E depois dizem que a Justiça no Brasil é lenta…

(Do Tijolaço)

Le Monde: “Desprezo social se instalou no coração dos brasileiros”

Cg0AfXSWwAAL2n5

Em uma matéria do jornal francês Le Monde desta terça-feira (26), o historiador Laurent Vidal analisa a atual crise brasileira. O especialista relembra fatos do passado do país para explicar o contexto atual e afirma que a solução vai além da saída da presidente do poder.

Ao jornal francês, Laurent Vidal, que leciona na Universidade de La Rochelle, explica que a crise que o Brasil enfrenta desde a reeleição de Dilma Rousseff, em outubro de 2014, revela a sociedade brasileira de hoje, que longe de ser o “país do futuro”, está ligada ao presente e capturada por seus demônios do passado. Um dos primeiros demônios, segundo o professor, é a questão da discriminação, que vem sendo ressaltada desde a vitória de Dilma.

Para ele, um dos estopins foi a mídia nacional, que logo após os resultados, divulgou mapas do Brasil onde era possível ver claramente uma divisão da nação: de um lado, na metade superior, os estados do norte e nordeste, pintados de vermelho, que teriam uma maioria de votos para a presidente e, do outro, pintados de azul, os estados que de onde viriam a maior parte dos votos do rival Aécio Neves.

“Esse retorno dessas duas faces do Brasil esconde principalmente uma forma de desprezo social, que se instalou no coração dos brasileiros. O excluído hoje não é apenas aquele que sofre das carências materiais, mas também aquele que não é reconhecido como sujeito digno de se pronunciar sobre uma escolha política e social”, analisa o professor nas páginas do Le Monde.

Vidal também chama atenção para o fato de que “a luta contra a corrupção, reivindicada pelos adversários da presidente, é um elemento clássico da história do país”. Ele lembra que, em 1808, o primeiro jornal brasileiro já falava dos danos que ela provocava na corte portuguesa exilada no Brasil, conclui.

“O impeachment não resolverá a crise profunda que atravessa o país, pois não é o futuro que divide os brasileiros, e sim o súbito ressurgimento de um passado doloroso. Enquanto esse passado não for exorcizado, vai ser difícil imaginar um projeto de futuro capaz de integrar a diversidade desse país e de restaurar a confiança e o respeito entre os brasileiros”, finaliza o historiador ao Le Monde.

Petrobras patrocina filmes clássicos do Canal 100

JoaoSaldanha06

A Petrobras patrocinou a digitalização e a restauração de imagens de grandes lances do futebol brasileiro e outros esportes veiculadas nas maiores salas de cinema do Brasil de 1959 a 1986, no cinejornal Canal 100. As imagens, registradas em película de 18 e 35mm, acrescidas de depoimentos atuais, viraram dez documentários de  22 minutos, que serão exibidos nos canais ESPN de 25 a 29 de abril. Na ESPN Brasil os filmes serão exibidos após o SportsCenter 3ª edição, na ESPN a partir das 19h e no ESPN + a partir das 13h30 no dia seguinte.
Foram mais de dois anos de pesquisas e três de produção que culminaram na captação de depoimentos de 20 ídolos do esporte. Entre eles, Rivellino, Carlos Alberto Torres, Jairzinho, Tostão, Falcão, Zico e muitos outros. Pelé ganhou uma homenagem especial, um filme que conta a espera pelo milésimo gol do jogador com testemunhos que revelam curiosidades sobre esse marco do futebol brasileiro. Os pilotos do automobilismo Wilson e Emerson Fittipaldi também participam dos documentários, em cenas e depoimentos
sobre circuitos de rua realizados no Rio de Janeiro e em São Paulo.
Os documentários são, entre outros, “Reviva a Espera do Milésimo”, sobre toda a expectativa em torno do milésimo gol de Pelé; “Reviva o Fla-Flu Épico”, sobre o famoso jogo entre Flamengo e Fluminense que, em 1963, reuniu o maior público da história do futebol no Brasil (177 mil pagantes), e “Reviva as Feras do Saldanha”, sobre o time de ases montado pelo ex-jogador do Botafogo, técnico da seleção brasileira, escritor e jornalista João Saldanha (foto), para disputar a Copa do Mundo de 1970. O time incluía Carlos Alberto Torres, Djalma Dias, Joel, Rildo, Piazza, Gerson, Jairzinho, Tostão, Pelé e Edu.

1970elim
Após a exibição nos canais ESPN, os documentários, idealizados por Alexandre Niemeyer, filho do criador do Canal 100, Carlos Niemeyer, e desenvolvidos pela empresa Ovo em Pé, serão disseminados em outras mídias. A ideia é apresentá-los nos cinemas, antes dos filmes em cartaz, e em monitores dispostos em locais ao ar livre; em pontos de venda, como lojas e shopping centers.
A Petrobras prestou sua contribuição para que essa parte da história do Brasil não se perdesse. “Um acervo cinematográfico de tal relevância para o esporte brasileiro precisa ser acessível à população. A Petrobras tem tudo a ver com esse projeto que resgata uma época de ouro do esporte no Brasil e seus heróis, verdadeiro patrimônio nacional, e o devolve aos brasileiros. Além disso, como patrocinadora da cultura no país, tem a oportunidade de garantir e disseminar o acesso a esses acervos riquíssimos, tão
representativos da identidade do nosso povo”, diz o gerente setorial de Patrocínio Cultural da Petrobras, Luis Fernando Lima de Brito. (Comunicação Petrobras) 

Papão pronto para estreia na Copa do Brasil

6f4c6b28-879a-48ef-adf7-68aed5934f89

Com algumas novidades no time, o Paissandu estreia nesta quarta-feira na Copa do Brasil enfrentando o Independente às 20h30, no estádio Navegantão, em Tucuruí. Gualberto, Ricardo Capanema e Wanderson devem entrar jogando.

Dado Cavalcanti não confirmou o time, mas a provável escalação para encarar o Galo é: Emerson; Crystian, Gilvan, Gualberto e Lucas; Ilailson, Ricardo Capanema, Bruno Smith e Rafael Luz; Leandro Cearense e Wanderson.

Já o Independente, do técnico Lecheva, terá a seguinte formação: Alencar Baú; Leandrinho, Ezequias, Rubran e Jaquinha; Billy, Cristovão, Alexandre e Ângelo; Monga e Jaime.  (Foto: MÁRIO QUADROS) 

Como Marco Polo não viaja, coronel representa CBF no México e Estados Unidos

56d8627e1c4d1

POR RODRIGO MATTOS

Apesar da volta de Marco Polo Del Nero à presidência da CBF, o vice Coronel Nunes vai representar a entidade em congresso da Fifa, no México, e como homem-forte da entidade com a seleção na Copa América nos EUA. Del Nero é acusado de levar propinas por contratos da confederação e tem mandado de prisão decretado na Justiça norte-americana. Ou seja, se for o país, seria detido.

“Eu já estava credenciado pela Fifa (para o congresso) porque eu era o presidente da CBF. Na Fifa, é assim bem antes”, explicou Nunes em conversa com o blog. “Serei o principal dirigente da confederação nos EUA. Isso já estava definido antes de o Marco Polo voltar. Vamos escolher um chefe de delegação.”

O dirigente defendeu o trabalho do técnico Dunga à frente da seleção. “Ele está fazendo um trabalho de soerguimento, de recuperação, a longo prazo.” E ressaltou conquistas do técnico. “Ele ganhou a Copa América, a Copa das Confederações.” Isso foi na campanha para o Mundial de 2010.

Questionado sobre as razões para a má campanha nas eliminatórias, afirmou que os times da América do Sul cresceram muito. “Está brabo.” E lembrou outras vezes em que o Brasil teve dificuldade para se classificar à Copa do Mundo. “Foi assim como o Felipão.”

Em relação à viagem para assembléia da Fifa, o Coronel Nunes disse que não vê necessidade de reunião em separado com o presidente da entidade, Gianni Infantino, para melhorar a relação dele com CBF. O dirigente veio à América do Sul sem visitar o Brasil. “A assembléia é uma coisa bem simples.”

Remo tenta uma façanha em São Januário

69b61ef8-9833-4664-b35a-ce7007c0105b

Com o prestígio em alta junto ao torcedor pela boa apresentação contra o Paissandu na semifinal da Copa Verde, o lateral-direito Levy é uma das esperanças do Remo para o embate com o Vasco nesta quarta-feira às 21h45, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, valendo pela Copa do Brasil. Na primeira partida, em Belém, os vascaínos levaram a melhor por 1 a 0. Para se classificar à próxima etapa da competição, o Remo terá que derrotar os donos da casa, que estão invictos há 23 partidas.

Ainda sobre a Copa Verde, Levy admitiu que o time falhou nos confrontos com o maior rival. “Todo o grupo errou. Conseguimos envolver o adversário na maioria dos jogos, mas não tínhamos o capricho para transformar isso em gol. A equipe é um todo”, avaliou. Para a decisão diante do Vasco, o jogador mostrou confiança. “Precisamos honrar a camisa. Olhar no lado esquerdo do peito e perceber que na camisa do Remo existe tradição, força e torcida”.

O técnico Marcelo Veiga poderá contar com o volante Lucas Garcia e o lateral-esquerdo Fabiano, reforços trazidos para a competição e a Série C. A equipe deve ter a seguinte formação: Fernando Henrique; Levy, Max, Henrique e Fabiano; Chicão, Alisson, Lucas Garcia, Marco Goiano e Eduardo Ramos; Ciro.

O Vasco, do técnico Jorginho, jogará com: Martin Silva; Pikachu, Luan, Rafael Vaz e Henrique; Diguinho, Marcelo Matos, Andrei e Bruno Carlos; Eder Luiz e Thales.

A partida será exibida pelos canais ESPN, Sportv 2 e Globo. (Foto: MÁRIO QUADROS) 

Torcida bicolor prepara mosaico para a final

Depois de ter organizado um grande mosaico na final da Série C 2014, a torcida do Papão já prepara para produzir um novo efeito visual para a primeira partida da decisão da Copa Verde, marcada para 3 de maio, no estádio Jornalista Edgar Proença. “Nos reunimos desde o primeiro mosaico. Esse agora será bem mais trabalhado por ser em 3D e com contribuição da torcida. Nosso objetivo é fazer uma festa bonita, com direito ao aval do Corpo de Bombeiros. Queremos fazer o melhor mosaico de futebol no norte do país”, garante o torcedor Alex Luz, um dos responsáveis pelo projeto. A ideia é promover o Papão e sua torcida para os telespectadores de todo o país. (Com informações do DOL)