Manchester City e Guardiola querem Neymar

O Manchester City está disposto a investir 145 milhões de libras (aproximadamente R$ 821 milhões) ao Barcelona para contratar Neymar. A informação foi divulgada pelo tabloide britânico Daily Mirror neste sábado.
O brasileiro seria o primeiro reforço de Josep Guardiola, que assume o comando da equipe inglesa a partir da próxima temporada. Ele teria pedido a contratação do brasileiro, que gostaria de trabalhar com o treinador.
O pai de Neymar declarou à Justiça espanhola que seu filho tinha uma “oferta milionária” para deixar o time catalão, sem revelar qual. No entanto, a imprensa da Catalunha, trata-se do Manchester United.  O Real Madrid também estaria na disputa pelo brasileiro. (Da Band News)

O incrível Leicester assombra a Inglaterra

Caij_iAWEAAYmJd

DO BLOG DO PVC

No dia 6 de fevereiro de 2015, o Leicester estava na lanterna do Campeonato Inglês. Tinha 17 pontos, três a menos do que o Burnley, 46 pontos abaixo do Chelsea, o líder. Neste sábado, 6 de fevereiro, um ano depois de passar sufoco para se salvar, o Leicester foi ao estádio Ettihad e fez 3 x 1 no Manchester City. Não há similar na história da Premier League.

A última vez que um clube foi lanterna em um ano e líder no outro aconteceu no Natal de 1988. O Norwich havia ocupado a rabeira em 1987, um ano antes. Era líder no campeonato mais tarde vencido pelo Arsenal, com o Liverpool, papão da década de 80, segundo colocado.

Não há comparação também com o Blackburn, o mais pobre dos campeões depois da criação da Premier League, em 1992. Na temporada 1994/95, o Blackburn ganhou o Campeonato Inglês com a dupla de ataque Alan Shearer e Chris Sutton, o goleiro Flowers, o técnico Kenny Dalglish. Tinha dinheiro demais do empresário da cidade Jack Walker. Na temporada anterior, havia sido vice-campeão, atrás do Manchester United, e quarto colocado na temporada 1992/93.  O crescimento do Blackburn foi gradual.

CaidXWJXIAEfMBE

O Leicester é um relâmpago.

Há dinheiro por lá, do empresário tailandês Vichai Srivaddhanaprabha, mas é completamente diferente do que acontece com o sheik Mansour bin Zayed do Manchester City ou com o russo Roman Abramovich. Há cinco anos, o jornal inglês The Guardian publicava matérias sobre o desejo da Premier League de ter mais equilíbrio. Voltar um pouco ao tempo em que era imprevisível definir o campeão. Entre 1960 e 1969, houve oito campeões: Burnley, Tottenham, Ipswich, Everton, Liverpool, Manchester United, Manchester City e Leeds United.

De 1993 para cá, só cinco: Manchester United, Manchester City, Arsenal, Chelsea e Blackburn.

A tentativa de equilibrar o torneio dá resultado. O Tottenham também briga para ser campeão e pode fechar a rodada em segundo lugar, se vencer o Watford. Não ganha a taça desde 1961, não chega nem em terceiro lugar desde 1990.

O equilíbrio faz muito bem à competição. O Leicester faz esquecer até que o título não está ganho. Em 2012, o Manchester United liderava com oito pontos de vantagem quando faltavam seis rodadas. O Manchester City virou e foi campeão. Em 2014, a quatro rodadas do fim, o Liverpool tinha seis pontos a mais do que o City, terceiro colocado com um jogo a menos. Também foi o time do sheik o vencedor. A conquista da Premier League é a imprevisibilidade. Nem a vitória espetacular do Leicester na casa do Manchester City vai diminuir essa percepção nas próximas quinze rodadas.

CBF parabeniza Clube do Remo pelos 111 anos

20160129110056_0

De IMPRENSA CBF

É dia de festa para o Clube do Remo! A equipe azulina completa 111 anos de história nesta sexta-feira (5). Em 2015, o Remo conquistou o acesso à Série C do Campeonato Brasileiro, competição que disputará em 2016. Além da Série C, o Remo joga o Campeonato Paraense, a Copa Verde e a Copa do Brasil, em que enfrenta o Vasco da Gama na primeira fase. O Leão conquistou, ao longo de sua história, 44 títulos paraenses, além da Série C em 2005. Outros títulos de destaque do clube foram as três Taças Norte e uma Norte-Nordeste.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) parabeniza a equipe paraense pelo aniversário e deseja ao clube muitos anos a mais de história e tradição no futebol brasileiro. (Créditos: Facebook Oficial do Remo/Ingrid Bittencourt)