14 comentários em “Cara de um, focinho (ou bico) do outro…

  1. Nem tanto, amigo. Neste governo não tivemos ministros do Supremo nomeados por decreto, arrocho salarial, restrição a manifestações de protesto, supressão da Lei de Regulação da Mídia (que aqui, infelizmente, nem foi implantada) e desvalorização cambial.

    Curtir

  2. Pelo menos a Argentina tem maiores possibilidades de dar a volta por cima, Por aqui pelo andar da caruagem, vai ficar pior que lá.

    Curtir

  3. As declarações realistas do Ministro Jaques Wagner a Folha de São Paulo afirmando que o PT se lambuzou no poder irritou as lideranças do Partido. “Com a liderança que ele tem, deverei ser menos metafórico e mais politizado nas suas declarações” retrucou Genro tarso.
    Franco, Jaques reconhece as falhas do governo na condução da economia e das dificuldades para vencer, Apontou equívocos na desoneração exagerada e programa de financiamentos em volumes insuportáveis.

    Curtir

  4. Aécio pode ser avaliado, sem nem mesmo ter sido presidente, porque pertence a um partido político (que possui uma agenda) e poque defendeu um programa de governo (o meio de realização da agenda partidária). Ferdinando, os eleitores do Aécio foram minoria, e por isso não ganharam a eleição. Quase empatar com Dilma não é vitória. E perdeu porque teve sua candidatura rejeitada, rejeição essa que veio do fato de uma visão liberal enviesada e suspeita. Digo, e digo bem, suspeita. Suspeita de favorecer interesses econômicos estrangeiros e as elites nacionais. Suspeita de sério arrocho salarial e de desemprego ainda maior do que o que se vê. Se você acha que o desemprego atual é enorme, dê só uma olhada em como era nos anos 90. Também é possível a comparação entre a direita argentina e a brasileira porque direita é direita em qualquer lugar. Então, é uma boa prática ir passar uns tempos por lá e voltar pra contar.

    Curtir

  5. Engraçado! Lula e Dilma investiu e investe fora do Brasil com melhor qualidade, que diga a refinaria Pasadema (EUA) e Porto de Mariel, em Cuba e você Lopes Júnior, vem com essa com essa justificativa primária.

    Curtir

  6. Investiram e continuarão investindo, sem que isso configure qualquer dano à pátria ou ferimento à Constituição. Ao contrário do que se via há algum tempo, na própria ditadura militar, com obras faraônicas como Itaipu, que virou um sorvedouro de dinheiro e cuja investigação resultou até em morte do investigador. Ou como no caso da célebre privataria tucana, até hoje impune e igualmente lesiva aos interesses nacionais.

    Curtir

  7. A cada país as dores que lhe são peculiares. Mas, para mim, no caso do Brasil, fosse quem fosse o presidente, a situação seria a mesma que já existe há decadas.

    No geral, Aécio não faria nem melhor, nem pior, do que o petismo vem fazendo há 13 anos; assim como o petismo, no geral, não fez nem pior, nem melhor do que os governos que lhe antecederam fizeram nos séculos anteriores.

    Infelizmente, o continuismo é o que temos tido todo o sempre.

    E, para constatar objetivamente, basta que se examine os nomes daqueles que concretamente dão as cartas seja na política, seja na economia do país, seja ostensiva, seja subrepticiamente; ou se preferir, basta examinar as mazelas sociais brasileiras e constatar que elas continuam aí.

    Curtir

  8. Ferdinando, o Brasil já investe no exterior. O investimento no porto de Mariel, em Cuba, foi até bastante elogiado por investidores internacionais que viram nesse investimento uma leitura histórica bastante competente de que o governo estadunidense buscaria esta aproximação com Cuba, uma vez que o regime castrista deve ter fim com o fim da vida do ditador cubano. E sobre Pasadena, bem, aquele foi mesmo um péssimo negócio pelo que se tem visto. Disso não posso discordar, mas foi embasada por aconselhamento técnico. Decisões da indústria do petróleo são mais políticas que financeiras, é só dar uma olhadela na história. Infelizmente, o negócio abalizado pelos mesmos técnicos hoje investigados poderia induzir ao erro, como induziu.

    Dê uma olhada nesta matéria aqui;

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1433096-entenda-o-caso-da-refinaria-da-petrobras-em-pasadena-eua.shtml

    No mais, uma desvalorização da Petrobras já ocorre naturalmente pela queda dos preços do óleo no mercado internacional, e é preciso entender que o petróleo é tratado como commoditie, e isso quer dizer que os preços podem ser empurrados para cima numa onda de alta da produção, como era o caso pelos idos de 2006.

    A direita recôndita em seu casulo tenta sair desta metamorfose com as asas que lhes darão a liberdade para voar, mas não vai ser agora, porque não tem novidades para oferecer, se limitando a ser o mesmo, só que mais colorido, como se pede hoje em dia pelo marketing.

    Curtir

  9. Dizer que a compra de Pasadena foi um mal negócio embasada por aconselhamento técnico equivocado apenas coincide com a versão oficial do governo para o caso e mostra que o amigo não tem acompanhado os desdobramentos das investigações da Operação Lava Jato sobre o caso. A reportagem da Folha apresentada é datada de março de 2014, muito antes dos acontecimentos recentes que culminaram no aprofundamento das investigações que, por sinal, ainda não foram concluídas.
    Devemos lembrar que a 20ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em 16/11/2015, teve como um dos alvos aprofundar as investigações sobre a transação de Pasadena, contando com delação de um ex-assessor da Diretoria Internacional da Petrobras (Agosthilde Mônaco de Carvalho), segundo o qual a compra da refinaria foi encaminhada por Nestor Cerveró de forma a viabilizar o cumprimento de compromissos políticos por parte do presidente Gabrielli, ou seja, milhões de dólares.
    Lembramos ainda que a minuta do acordo de colaboração premiada de Cerveró (cujos termos ainda não foram totalmente relevados) continha a informação de que Dilma “sabia de tudo” e que ela o cobrava diretamente pelo encaminhamento do negócio, sendo importante ressaltar que este foi o acordo de colaboração premiada que o Senador Delcidio Amaral (líder do governo no Senado) tentou evitar vir à tona, culminando com a sua prisão. Vale lembrar que essas informações estão todas registradas no áudio gravado pelo filho de Cerveró.
    Acho que o mínimo que devemos fazer é aguardar o desfecho das investigações para se ter uma ideia do que foi realmente a compra dessa refinaria de Pasadena.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s