23 comentários em “É por aí…

  1. O ator global difere os petistas dos tucanos baseado em que? Pega pesado com os petista por que? Caramela os tucanos por que? Qual a sua posição partidária afinal?

    Curtir

  2. A frase é muito clara em sua ironia inteligente, Ferdinando. Ou você realmente não entendeu o contraste embutido na mensagem ou faz de conta que não percebe. Prefiro acreditar na segunda hipótese.

    Curtir

  3. É, diante do inexorável, o Zé de Abreu (e afins), já tá dando a mão à palmatória, com relutância e subterfúgios, mas já está.

    Agora, considerando que é o governo atual quem está fazendo esta “limpa seletiva”, acho que Zé podia cobrar mais firme e especificamente dos seus correligionários governistas de modo que eles não aliviem tanto para os tucanos, brancos, ricos e afins.

    Curtir

  4. Se não fosse o Joaquinzão Barbosa iniciar a moral na justiça brasileira tirando pelo menos o bom sono dos criminosos de colarinho branco até então intocáveis, cuja iniciativa tem seguimento agora com o juiz Sergio Moro, certamente se passaria mais uma era sem que os criminosos e larápios dos cofres públicos fossem incomodados, os 100 bilhões da roubados da PETRO não seriam sequer descoberto. Viria outro governo, petista ou não, E mais 100 bilhões ou mais seriam roubados , também ninguém seria incomodado. Ficaria tudo como dantes no quartel de Abrantes E POR AÍ IA

    Curtir

  5. Seria bom alguém avisar ao ator global que, já em 2015, vários empresários e políticos ricos foram presos e estão sendo processados no âmbito da Operação Lava Jato, Zelotes, Acrônimo e afins, bem como que o ex-Senador Eduardo Azeredo (PSDB) foi condenado a mais de 20 anos de prisão no processo do Mensalão Tucano.

    Curtir

  6. Como não saber, Amigo Gerson?!
    Afinal, se a mera retórica é a mesma de sempre; se parte de onde sempre parte; é claro que o objetivo só pode ser o mesmo de sempre.

    De minha parte, quis apenas destacar a necessidade do Zé ajustar a mira para focar o alvo correto dos reclamos por investigação e punição menos seletivas.

    E acho que não é despropositado meu destaque. Afinal, se de acordo com a propagando governista a investigação só ocorre porque hoje estamos sob um governo que investiga e pune, até seus próprios integrantes, se há algum culpado pela seletividade que favorece aos brancos, ricos, tucanos e cia, o culpado só pode ser o governo. Ou, então, os brancos, ricos e tucanos não cometem irregularidades, e, por isso, quando investigados não merecem punição. Ou as investigações não decorrem de iniciativa do governo.

    Com efeito, sendo improváveis estas duas últimas alternativas, pois as irregularidades tucanas vem de décadas, e pelo menos os chefes da Polícia Federal e do Ministério Público são nomeados pelo governo, só me resta insistir que o Zé coloque o próprio governo no alvo de suas reclamações contra a seletividade.

    Curtir

  7. Caro Antônio, é isso que eu tenho batido aqui com insistência. É no governo Dilma que as investigações estão acontecendo e se o PT estar no poder e os tucanos não estão sendo incomodados, é porque nada consta contra os “golpistas” ou estão falhando nas apurações.

    Curtir

  8. O problema, caro Oliveira, é que as coisas não são assim tão simples. Primeiro que a retórica capitalista do Brasil aparentemente concorda com princípios históricos defendidos pelos tucanos, quando da instituição da nossa educação pública (e também a privada) liberal. A escola brasileira é liberal, não marxista. As disciplinas marxistas do currículo são História, Geografia e Sociologia, e são ensinadas como decorebas pois negam o marxismo histórico. É uma herança da ditadura militar a proibição de Marx nas escolas. E são marxistas pois epistemologicamente marxistas, e não comunistas. As demais caminham como que neutras, como Física, Química, Biologia, etc… A educação liberal, ou conservadora, observada pelo ponto de vista da violência simbólica de Bourdieu, tendem mesmo ao conservadorismo. Inclusive num estado de governo socialista. Isso quer dizer que mesmo mudanças desejadas serão vistas, a priori, com desconfiança. E ainda estamos nesse a priori, mesmo depois de um governo socialista bem sucedido como o de Lula. Somada a herança cultural “vira-lata”, que tende a ter o europeu branco como espelho, a convicção pela via socialista ainda é, e será ainda por algum tempo, bastante questionada, e isso deverá ocorrer pelo menos por mais uma geração. Isso permite esse tipo de atuação do judiciário, de não investigar os velhos suspeitos da pátria, afinal, ainda não está consolidada a escolha pelo socialismo na condução do país e há a possibilidade real de retorno dos velhos detratores da nação ao poder, o que significa que a possibilidade de reviravoltas no cenário político em curto e médio prazo.

    Curtir

  9. (I)

    “O problema, caro Oliveira, é que as coisas não são assim tão simples.”

    Bom, meu caro Lopes, mas quem tenta simplificar tão simplesmente assim as coisas é o próprio Zé de Abreu. De minha parte, eu só concordei com ele.
    _______________
    O problema é que é da complexidade das coisas como elas são, é que que vem à luz muito claramente as muitas contradições e limitações em que se baseia a estratégia chapa branca. Aliás, uma boa mostra da falta de substância da estratégia chapa branca é oferecida no comentário 14 onde fica bem lebrado que nem só de petistas, pobres e pretos vivem as investigações e punições ultimamente realizadas.

    (II)

    “Primeiro que a retórica capitalista do Brasil aparentemente concorda com princípios históricos defendidos pelos tucanos, quando da instituição da nossa educação pública (e também a privada) liberal. A escola brasileira é liberal, não marxista. As disciplinas marxistas do currículo são História, Geografia e Sociologia, e são ensinadas como decorebas pois negam o marxismo histórico”.

    _____________
    O próprio governo petista é liberal, é neo-liberal. E isso desde o lulla. E a história está aí para comprovar. História que não é ensinada nas escolas. A propósito, sei da existência de pré-adolescentes que já há dois anos se encontram às voltas com o nosso querido Max (dentre outros), na escola. E, vale lembrar, só agora, em 2016, é que vão cursar o primeiro ano do ensino médio. Poderia ter sido antes, é verdade. Mas, levando em conta que muita gente boa (verdadeiramente boa mesmo) que tem por aí, só foi ouvir falar do nobre CM no ensino superior, este contato ainda no ensino fundamental já pode ser considerado um avanço.

    Curtir

  10. (III)

    “A educação liberal, ou conservadora, observada pelo ponto de vista da violência simbólica de Bourdieu, tendem mesmo ao conservadorismo. Inclusive num estado de governo socialista. Isso quer dizer que mesmo mudanças desejadas serão vistas, a priori, com desconfiança.

    “E ainda estamos nesse a priori, mesmo depois de um governo socialista bem sucedido como o de Lula. Somada a herança cultural “vira-lata”, que tende a ter o europeu branco como espelho, a convicção pela via socialista ainda é, e será ainda por algum tempo, bastante questionada, e isso deverá ocorrer pelo menos por mais uma geração.”
    _______
    De fato, o verdadeiro progresso social exige muito mais tempo de dedicação e investimento social do que os 5/6 anos de incentivo ao consumismo vazio, de bens não duráveis, alguns até descartáveis mesmo, como, via de regra, se caracterizou o primeiro governo petista.

    Quanto a ter dado certo, é inegável que deu. Mas, é importante ter presente para quem este governo deu certo. E, neste particular, sim, é possível dizer que houve um segmento da população que sob o primeiro governo rubro experimentou um progresso tão formidável em magnitude e celeridade que não precisou de uma geração para ascender à estratosfera do poder econômico e social.

    (IV)

    “Isso permite esse tipo de atuação do judiciário, de não investigar os velhos suspeitos da pátria, afinal, ainda não está consolidada a escolha pelo socialismo na condução do país e há a possibilidade real de retorno dos velhos detratores da nação ao poder, o que significa que a possibilidade de reviravoltas no cenário político em curto e médio prazo”.
    ___________
    Sobre este aspecto é bom lembrar que o Judiciário para começar o seu trabalho precisa que os órgãos a quem realmente cabe investigar lhes encaminhe as investigações iniciadas e os pedidos inerentes às demais providências, como quebras de sigilo, preventivas etc. E, neste ponto, também é bom lembrar que tais providências cabem ao Ministério público (cujo chefe é escolhido e nomeado pelo(a) presidente, após o nome ser submetido à base aliada do presidente no congresso, a qual geralmente aprova referido nome) e à Polícia Federal, cujos chefes são escolhidos e nomeados também pelo(a) presidente. Sem esquecer, que em alguns casos, o judiciário também é composto de nomes escolhidos e nomeados pelo(a) presidente.

    Quer dizer, aqui também os motivos dos velhos suspeitos da pátria não merecerem a devida investigação parece ser bem mais complexo do que o festejado Zé de Abreu quer fazer significar.

    Curtir

  11. Caro Oliveira, não vejo toda essa complexidade na frase que Zé de Abreu pronunciou. Uma tradução (do português para o português) possível é a de que os velhos, e novos, corruptos sejam todos punidos. Simples assim. É uma reclamação da desigualdade histórica de perseguição à esquerda e acobertamento à direita. E eu mesmo discorri sobre umas possíveis causas dessa continuidade ao referir-me a questões ligadas a educação liberal brasileira e à cultura marcada pelo pensamento conservador desde sempre, que você, para minha surpresa, analisou mal.

    A continuidade à direita, ou uma inclinação à direita, pelo que se pode deduzir da ação de uma indústria cultural, como a Globo e a Veja, em meio a uma sociedade colonizada por pensamentos conservadores liberais (e agora neoliberais) e baseada em tradição é algo duradouro porque o abandono desses valores (tradicionais e conservadores) é difícil (quero dizer mesmo que é impossível) sem o abandono (verdadeiro) de velhas ideias e tradições. Por isso, caro Oliveira, que vemos o machismo e o racismo ainda muito presentes no cotidiano, porque esses velhos costumes não foram verdadeiramente abandonados, sugerindo que outros valores tradicionais (e conservadores), como o proselitismo, o coronelismo, o messianismo e outras mazelas, ainda estejam presentes, mesmo sem que ninguém chame a atenção para elas.

    Entre esses valores tradicionais e conservadores ainda presentes, está o velho pensamento liberal, claro. Mas, tratando-se de uma epistemologia, e sendo uma epistemologia do pensamento à direita e ao comportamento, enunciam-se um conjunto de valores que norteiam inclusive o comportamento, mas não só, como também decisões e postura profissional. Na verdade, sendo uma episteme, contamina todo o ideário. A guinada à esquerda com a escolha do PT não foi uma escolha consciente pelo socialismo, mas a vontade de experimentar algo diferente da velha política liberal que extenuou o mais pobre e empobreceu o país em capital e patrimônio. Concordo que o PT abriu mão de valores caros ao partido quando da coalizão para dar mais espaço, inclusive ideológico, aos aliados, ainda mais que uma anulação das privatizações, por exemplo, começaria um caos político e social no país de tal sorte que não haveria possibilidade de o PT ter feito o que fez neste século. A postura do PT é condizente com a negação do radicalismo político que barrou Lula do Planalto por três vezes. Eu mesmo não gosto disso, mas isso foi exatamente o que convenceu o eleitor mais conservador (não necessariamente rico ou urbano) a votar no PT.

    O PT de hoje atende aos anseios daqueles que querem uma mudança, mas não tão profunda e, por isso, não concordo que o PT vai tanto à direita porque teve apoio à direita, que quer ações mais a direita, para apoiar o governo. Mas isso tem descaracterizado o PT pois essa continuidade da política de coalizão tem contaminado o PT, que terá sérios problemas se não desfizer essa imagem negativa proporcionada pelo lambuzamento em velhas ideologias e velhas lideranças, pelo que Jacques Wagner quis dizer, que realmente representam o retrocesso, presentes na coalizão. Quero dizer, o diabo é que há concessão inclusive ideológica e partidária dentre os aliados, mas o PT é quem perde os ativos eleitorais porque encabeça o governo.

    E, encerrando, agora de volta à frase de Zé de Abreu, não há como negar que ele tem razão. A torcida atual por punição à Dilma e ao PT é o próprio desejo de punir o governo, e todos que fazem parte dele, pelo mau desempenho da economia nos últimos tempos. No entanto, é preciso ter em mente que punição não é coisa dada ao que erra por errar, mas ao desonesto. E o erro que levou ao mau desempenho econômico não foi desonesto. É preciso torcer pela punição aos desonestos, todos eles, independentemente de partido ou de ideologia, como sugeriu Zé de Abreu.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s