Leão vai apresentar 10 reforços

O zagueiro Sidimar (foto), ex-Tupi de Juiz de Fora, é um dos últimos nomes em negociação com o Remo para a temporada. Com fama de xerife, o jogador é uma indicação pessoal do técnico Leston Junior. Além de Sidimar, a diretoria do Leão já contratou oficialmente os volantes Alisson e Yuri e o meia Marco Goiano e estaria contratando mais seis atletas. Segundo fontes ligadas ao clube, a lista completa de reforços azulinos seria a seguinte:

Michel Miguel, volante, ex-Ceará (há meses sem jogar).

Marco Goiano, meia-armador, ex-Tupi.

João Vítor, ala esquerdo, ex-CRB

Alisson, volante, ex-Macaé e Paissandu

Yuri, volante, ex-Caldense

Ciro, atacante, ex-Luverdense

Douglas Borges, goleiro, ex-Ceará

Sidimar, zagueiro, ex-Tupi

Zulu, centroavante, ex-Juventude

Rony, meia-atacante, ex-Palmeiras

Por que é fundamental reverenciar Brizola

Do BRASIL247

A presidente Dilma Rousseff tomou uma decisão mais do que acertada, nesta terça-feira 29, ao incluir o político gaúcho Leonel Brizola na galeria dos heróis da pátria, fazendo justiça a um dos principais líderes nacionais do século 20. Bastariam cinco motivos para que Brizola seja sempre lembrado ao lado de outros heróis nacionais, como Tiradentes e Zumbi dos Palmares. A eles:

1) Em 1961, como governador do Rio Grande do Sul, Brizola lançou a Campanha da Legalidade, por    meio de transmissões diárias de rádio. Graças a sua resistência, João Goulart, que era vice de Jânio Quadros, pôde tomar posse após a renúncia do presidente, adiando assim o golpe de 1964.

2) Mais do que qualquer outro político, Brizola colocou a educação como pilar central de suas administrações, tanto no Rio Grande do Sul como no Rio de Janeiro, estado que também governou. Um de seus principais colaboradores foi Darcy Ribeiro, que idealizou os Cieps, escolas modelo que foram inspiração para os CEUs, da periferia de São Paulo.

3) Brizola sempre atuou em defesa dos interesses nacionais e dos trabalhadores. Primeiro, no PTB, de Getúlio Vargas. Depois, no PDT, que ele próprio criou, após o PTB ter sido empastelado pela ditadura militar.

4) Combatido de forma vil e implacável pelos meios de comunicação conservadores, em especial pela Globo, Brizola sempre denunciou o poderio das oligarquias midiáticas. Em março de 1994, ele obteve um direito de resposta histórico, lido por Cid Moreira, em pleno jornal nacional. Confira abaixo:

5) Em 1989, na primeira eleição presidencial após a redemocratização, Brizola era a grande esperança da esquerda brasileira. No entanto, por uma margem mínima deixou de ir para o segundo turno contra Fernando Collor. Mesmo derrotado, Brizola não hesitou em apoiar o operário Lula e cunhou uma de suas frases mais lembradas. Disse que a elite brasileira ainda teria que “engolir o sapo barbudo”.

Segundo jornal alemão, Neymar é um dos motivos da saída de Pep Guardiola do Bayern

Link permanente da imagem incorporada

O jornal alemão Bild listou cinco motivos para que Pep Guardiola decidisse deixar o Bayern de Munique ao final de seu contrato com o clube, em junho de 2016. De acordo com o periódico, alguns conflitos entre o treinador e a diretoria do time bávaro, especialmente em relação a contratações, foram fundamentais para o rompimento do técnico com a agremiação.

O principal desentendimento entre Guardiola e a diretoria do Bayern de Munique teve Neymar envolvido. O comandante da equipe pediu a contratação do jogador brasileiro, porém os dirigentes alemães preferiram trazer Mario Götze, então destaque do Borussia Dortmund. O Bild sustenta que a relação do técnico com o atleta não era das melhores.

Outro nome pedido por Guardiola foi Luis Suárez. No entanto, a diretoria bávara novamente não atendeu ao pedido do treinador e trouxe Mandzukic ao invés do atacante uruguaio. A exemplo de Götze, o técnico catalão também não teve bom relacionamento com o jogador croata.

Em outro episódio, Pep Guardiola queria a permanência de Toni Kroos, entretanto o Bayern de Munique vendeu-o para o Real Madrid, trazendo Xabi Alonso para ocupar seu lugar. A contratação de Vidal foi classificada pelo Bild como o último caso de atrito entre o técnico e os dirigentes bávaros. Segundo a publicação, Guardiola queria um lateral direito para equipe, a fim de consolidar a passagem de Lahm para o meio de campo. O Bayern, por sua vez, contratou o volante chileno, acabando com os planos do treinador.

Tais acontecimentos deixaram Guardiola insatisfeito, fazendo-o tomar a decisão de deixar o clube ao final do vínculo. O ex-jogador está cogitado para comandar um clube da Inglaterra. Manchester United, Manchester City e Chelsea aparecem como os prováveis destinos. Seu lugar no time bávaro será ocupado por Carlo Ancelotti. (Do Portal Terra)

Blatter se diz abandonado pela Fifa

O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, de 79 anos, disse à revista alemã Bunte que se sente “abandonado” pela entidade mundial do futebol e vai agora concentrar-se em limpar seu nome. Na semana passada, o órgão interno supervisor da Fifa baniu Blatter e o chefe da Uefa, Michel Platini, por oito anos, por violações da ética. Ambos negaram imediatamente ter cometido quaisquer irregularidades e disseram que vão recorrer à Corte Arbitral do Esporte, com sede na Suíça.

“Eu agora já não luto pela Fifa”, disse Blatter, que liderou a entidade máxima do futebol por 17 anos, de acordo com trecho de uma entrevista concedida à Bunte. “Eles me abandonaram. Estou lutando agora só por mim e minha honra.”

Blatter se posicionou contra o banimento e deu uma entrevista coletiva para dizer aos repórteres que lamenta apenas que o presidente da Fifa seja tratado como um “saco de pancadas”, acrescentando: “Vou lutar por mim e vou lutar pela Fifa”. Ele disse à Bunte que as “falsas alegações” o “reenergizaram”. “Depois do Natal vou começar a reagir”, declarou Blatter.

A investigação do Comitê de Ética da Fifa começou depois que o gabinete do procurador-geral da Suíça abriu um processo penal contra Blatter por um pagamento de 2 milhões de francos suíços (2,03 milhões de dólares) para Platini em 2011. (Por Joshua Franklin)