Meia e volante são primeiros reforços do Leão

O meia Marco Goiano e o volante Michel Miguel são os primeiros reforços do Remo para 2016. Ambos foram indicados pelo técnico Leston Junior e enviaram os pré-contratos assinados à diretoria do clube. Marco trabalhou com Leston e Miguel é um velho sonho do Remo, mas nos últimos meses estava sem atuar profissionalmente.

Da lista de reforços solicitados pelo técnico constam ainda um goleiro, um zagueiro, um ala esquerda (possivelmente João Vítor), dois volantes (Alisson, ex-PSC, é um deles) e dois atacantes.

Rentería no Papão? É o que diz site colombiano

Na Colômbia, onde defendeu no último semestre a equipe do La Equidad, Wason Rentería, ex-atacante de Internacional, Atlético-MG, Santos e seleção colombiana, teria recebido proposta para defender o Paissandu. Em nota do portal “El Espectador”, sobre futebol colombiano, o atacante é apontado como em vias de assinar contrato para defender “o clube da Amazônia na Série B”, mediante um “ousado projeto de marketing”.

Wason Libardo Rentería Cuesta tem 30 anos de idade e foi revelado pelo Boyacá Chicó, em 2004. O atacante ganhou notoriedade mundial com o título sul-americano sub-20 e o vice-campeonato no mundial da categoria, que disputou com a seleção colombiana em 2005. Em 2006, foi contratado pelo Internacional e participou da conquista da Libertadores e Mundial. Dali em diante sua carreira foi de altos e baixos. Em 2015, defendeu por seis meses o La Equidad no Campeonato Colombiano, mas seu desempenho foi apagado e marcou apenas dois gols. Atualmente está sem clube.

O diretor de futebol do Paysandu, Vitor Sampaio, tomou conhecimento das informações, mas alega que são meramente boatos. “A negociação nunca existiu”, afirmou o dirigente. É sabido que o clube busca um nome de peso para seu elenco na próxima temporada, mas o colombiano não seria esse jogador. (via Futebol do Norte)

Guardiola deixa o Bayern; Ancelotti o substituirá

Guardiola, presente do Bayern, e Ancelotti, futuro do clube alemão

O técnico Pep Guardiola deixará o Bayern de Munique ao final da atual temporada. O anúncio foi feito neste domingo pelo clube bávaro, que é comandado pelo espanhol desde o verão europeu de 2013. Seu substituto também foi definido: Carlo Ancelotti.

“Gostaríamos de agradecer Pep por tudo que ele fez pelo clube desde 2013”, disse o ex-jogador Karl-Heinz Rummenigge, presidente do Bayern, em nota oficial. “Estou convencido que Pep e nosso time vão trabalhar de forma ainda mais intensiva para alcançar os nossos objetivos esportivos, especialmente agora com a confirmação que ele está deixando o Bayern.”

Rummenigge também falou sobre a escolha de Ancelotti para o cargo. “Carlo Ancelotti é um técnico de sucesso e ganhou a Champions League em três ocasiões. Estamos ansiosos para trabalhar com ele.”

“Carlo é calmo, um especialista equilibrado, que sabe como lidar com estrelas e tem um estilo de jogo multifacetado. Estávamos procurando isso e encontramos”, completou.

Ancelotti falou sobre o novo desafio no Twitter oficial do Bayern. “É uma honra fazer parte desse grande clube na próxima temporada. Quando soube do interesse, não considerei nenhuma outra oferta. Desejo, honestamente, o melhor para o Bayern e meu amigo Pep nesta temporada. Desejo um Natal feliz e de paz para todos os fãs do Bayern e para todos.”

Em sua terceira temporada à frente da equipe alemã, Guardiola ganhou duas vezes a Bundesliga, uma Copa da Alemanha, uma Supercopa da Europa e uma o Mundial de Clubes. No período, caiu duas vezes na semifinal da Uefa Champions League – uma para o Real Madrid, outra para o Barcelona.

Neste ano, o Bayern lidera a Bundesliga com folga. A equipe terminou o primeiro turno na liderança com 46 pontos, oito de vantagem sobre o vice-líder Borussia Dortmund. Na Champions, o clube alemão enfrentará a Juventus nas oitavas de final. Na Copa da Alemanha, o rival nas quartas de final será o Bochum.

Guardiola, em ação pelo Bayern, abraça Ancelotti, então técnico do Real

Substituto do espanhol, o italiano Carlo Ancelotti, atualmente desempregado, já era apontado pela imprensa alemã como principal candidato ao cargo. De acordo com o jornal Gazzetta dello Sport, o treinador receberá 15 milhões de euros (R$ 63,59 milhões, na conversão atual) por ano na nova equipe.

O Bayern chegou, segundo o Marca, a fazer uma proposta na casa de 20 milhões de euros (R$ 86 milhões) por ano para ele. Mas nem isso seduziu o catalão. Segundo Guardiola, o prolongamento de seu contrato com os bávaros só seria prejudicial tanto para o time quanto para o próprio comandante.

Pep também colecionou nas últimas semanas rusgas com o departamento médico da equipe. O comandante do time acusou o médico Volker Braun, chefe do setor, de ser responsável pela série de problemas físicos dos atletas do elenco. Na vitória por 1 a 0 sobre o Hannover no último sábado, oito atletas desfalcaram o time por causa de problemas físicos: Phillip Lahm, Franck Ribèry, Arjen Robben, Douglas Costa, Mario Götze, Mehdi Benatia, Juan Bernat e David Alaba.

A Inglaterra aparece como provável destino de Guardiola. A imprensa europeia aponta o Manchester City como a próxima parada do treinador. As informações locais dão conta que os Citizens dispensarão o chileno Manuel Pellegrini do cargo. Pep também foi especulado no Manchester United, comandado pelo holandês Louis van Gaal e que faz campanha irregular na Premier League 2015/2016. (Com ESPN e agências)

A hora da reinvenção

POR GERSON NOGUEIRA

Uma posição nova, jogando mais avançado, como falso meia-atacante ou ala ofensivo. Esta pode ser a porta para a consagração de Pikachu com a camisa do Vasco. Nem bem foi confirmado como jogador do Vasco para a Série B 2016, a imprensa carioca começou a especular onde ele se encaixaria no esquema de Jorginho.

A verdade é que só há um jeito de Pikachu ter um bom aproveitamento. Será necessário que ele se reinvente e assuma de vez sua óbvia aptidão para o ataque. Tem que esquecer a própria resistência e assumir que pode se adaptar a um papel mais avançado, como queriam os técnicos Lecheva e Mazola Junior.

Com posicionamentos diferentes, ambos tentaram fazer com que Pikachu participasse mais das ações ofensivas. Lecheva o utilizou como um falso ponta-direita, que tinha a escolta de Djalma quando ia à frente. Mazola preferia que atuasse pelo lado direito do meio-campo.

Apesar da insistência, o próprio Pikachu preferiu se manter como lateral-direito, com funções defensivas também. Com isso, desperdiçou boa parte de seu potencial como finalizador. Fazia muitos gols, mas poderia ter feito muito mais caso chegasse com mais fôlego e força à zona de chute.

Como lateral, tinha responsabilidades de marcar e não podia se dar ao luxo de subir sempre. E, mesmo indo à frente apenas de vez em quando, muitas vezes já extenuado, conseguiu se manter sempre como um dos artilheiros do Papão.

Essa facilidade para a finalização foi o que despertou a cobiça dos grandes clubes. Além de marcar gols com arremates da entrada da área, Pikachu é um especialista em cobranças de falta e pênalti. Ficou conhecido nacionalmente pelos muitos gols marcados. Caso dependesse exclusivamente do talento como marcador, dificilmente entraria no radar de outras equipes.

No Vasco de Jorginho, Pikachu será mais um no elenco e dificilmente terá a mesma liberdade para escolher o posicionamento que mais lhe agrada. Ao contrário do que ocorreu no Papão, terá que se adaptar à nova função a ser definida pelo técnico vascaíno, também conhecido pelo rigor e pela disciplina.

A reinvenção é plenamente possível porque não lhe faltam talento e inteligência tática. É provável que Jorginho delegue a Pikachu tarefas nos dois lados do campo, o que não será novidade, pois no Papão a inversão de posicionamento era mais ou menos constante.

Cuca transformou Luan em jogador multiuso no Atlético-MG. Sem vocação defensiva e pouco centrado para ocupar missão de meio-campista, Luan era uma espécie de enceradeira sem rumo. Só encontrou espaço em campo quando Cuca encontrou utilidade para a sua principal virtude: a velocidade.

A partir daí, com muito treinamento, Luan virou atacante rápido e driblador, tornando-se indispensável à equipe. É o que Jorginho, se for esperto, fará com Pikachu. Com a vantagem de contar com um jogador mais ágil, habilidoso e exímio chutador. Caso isso realmente ocorra, ganharão todos – o Vasco e, principalmente, Pikachu.

——————————————–

Candidaturas no Remo

Para um clube financeiramente em ruínas, com perspectivas pouco animadoras do ponto de vista de arrecadação e um estádio semidestruído, o Remo surpreende pela quantidade de pessoas interessadas em assumir um mero mandato-tampão de nove meses.

A importância política e social do clube é a pedra que move o processo sucessório. Quatro chapas estão postas na mesa e devem disputar a presidência na eleição do dia 23 de janeiro.

De todas as candidaturas, a mais inusitada é a do ex-presidente Zeca Pirão, cujas pretensões no clube pareciam definitivamente findas depois de fragorosa derrota para Pedro Minowa no ano passado. Além disso, citado em relatório que mapeou irregularidades nas últimas gestões, parecia naturalmente fora de jogo.

Ocorre que o apoio de um grupo de conselheiros deu ânimo a Pirão para voltar à ribalta e com desenvoltura para encampar a primeira candidatura lançada ao pleito, a de Helder Cabral. Após acordo firmado, Cabral aceitou a vice-presidência na chapa. Pesa contra Pirão a marca do estrago feito no Baenão – que ele agora promete reconstruir.

As outras três chapas são encabeçadas por nomes novos na história do clube. O advogado André Cavalcante, responsável pelo êxito do programa Nação Azul (sócio torcedor), é o mais conhecido. Além do trabalho no ST, André tem boa inserção entre os novos conselheiros.

Miléo Jr. é outro nome bem cotado. Jovem e ainda sem muita visibilidade, terá como parceiro de chapa o deputado Milton Campos, que integrou a diretoria de Futebol e vem participando ativamente da vida do clube.

Já o coronel Alcebíades Maroja surge como o grande azarão da disputa, lembrando até a trajetória vitoriosa de Minowa na última eleição.

Em enquete realizada no blog campeão, Maroja é a grande surpresa, disparando no primeiro lugar, com desempenho de 48,54% (615 votos). Miléo Jr. aparece em segundo, com 30,86% (391 votos). Pirão é o terceiro, com 11,44% (145). André é o último, com 9,16% (116).

São os números da última atualização, feita no começo da madrugada de sábado. O levantamento não tem metodologia científica, mas serve como sinalização sobre os humores de torcedores e sócios em relação ao pleito. A votação se encerrou na tarde deste sábado.

Da parte dos eleitores e torcedores, uma certa impaciência com a ausência de planos de governo por parte dos candidatos.

——————————————

Bola na Torre

Sob o comando de Guilherme Guerreiro, o programa terá a participação de Valmir Rodrigues, João Cunha e Saulo Zaire. Começa logo depois do Pânico, por volta de 00h20.

———————————————

Até 2016!

Esta é a última coluna do ano. Aos baluartes, desportistas, amigos e leitores em geral, o meu sincero agradecimento pela infinita paciência com meus rabiscos. Desejo de todo coração um 2016 mais generoso que 2015, com crítica séria e contribuição verdadeira, com menos golpismo (em todas as esferas) e mais lealdade. E que, acima de tudo, reserve boas notícias para todos.

Se o bom Deus permitir, volto na primeira semana de janeiro. Até lá, sigo presente no blog campeão de acessos, cada vez mais forte e questionador.

Feliz Natal e próspero ano novo!

(Coluna publicada na edição do Bola de domingo, 20)