Palmas x Remo – Vitória x PSC (comentários on-line)

Campeonato Brasileiro da Série D 2015

Palmas x Clube do Remo – estádio Nilton Santos, Palmas-TO, 16h

Na Rádio Clube, Geo Araújo narra, Gerson Nogueira comenta. Reportagens – Paulo Caxiado, Adilson Brasil. 

Rádio Clube _ IBOPE_ Segunda a Sexta _ Tabloide

Campeonato Brasil da Série B 2015

Vitória x Paissandu – Arena Fonte Nova, Salvador-BA, 16h30

Na Rádio Clube, Valmir Rodrigues narra, Rui Guimarães comenta. Reportagens – Dinho Menezes, Giuseppe Tommaso

Topetudos

POR CLÁUDIA LAITANO, no Zero Hora

Nos programas de humor, nos talk shows do horário nobre, na festa de entrega do Emmy, lá estão ele e seu topete. Nos dias que correm, nos Estados Unidos, onde houver um microfone e uma audiência, Donald Trump estará presente – se não em pessoa, na forma de piada. Os roteiristas nem precisam se esforçar muito. O próprio candidato republicano tem se encarregado de distribuir generosamente o material de que as piadas são feitas: visual excêntrico, frases de efeito sem noção, sincericídio, tudo isso sustentado por uma visão de mundo anacrônica e excludente. Na semana que passou, a reação liberal ao constrangimento representado pelo avanço de um tipo como Donald Trump dentro do Partido Republicano parece ter chegado a sua manifestação mais extrema (e explícita): no episódio da última quarta-feira da série de humor negro South Park, uma versão animada do candidato aparece sendo morta e estuprada.

 

No Brasil, não temos nada parecido com South Park – nem humor político em qualidade e variedade suficientes para dar conta do material cômico produzido por Brasília todos os dias. Não nos faltam personagens caricatos como Donald Trump, é verdade, mas nossas reservas de sátira e bom humor parecem escassas quando nos defrontamos com personagens como Eduardo Cunha, por exemplo. Com seu sotaque carioca arrastado e seu visual anódino de vendedor de enciclopédias, o presidente da Câmara é um desafio para comediantes. Ao contrário de Trump, sempre mantém a gomalina e a compostura diante das câmeras – e mesmo jornalistas experientes têm dificuldade para escapar do seu repertório aparentemente inesgotável de tecnicalidades.

Ainda assim, de alguma forma, os dois políticos representam a mesma força centrípeta que parece sugar todos os assuntos para um vórtice comum de atraso e intolerância. A diferença é que os Estados Unidos ainda têm chance de catapultar Trump de volta para sua irrelevância bilionária, enquanto o Brasil já está a bordo de um avião sequestrado pelo fundamentalismo religioso liderado por Eduardo Cunha. Apenas nesta semana, os deputados da bancada evangélica colocaram em pauta na Câmara um projeto que dificulta ainda mais o tratamento médico de mulheres vítimas de estupro (PL 5.069/2013, de autoria do próprio Eduardo Cunha) e aprovaram em comissão um anacrônico Estatuto da Família (PL 6.583/2013) que não reconhece a existência de casais do mesmo sexo.

Trata-se de puro pensamento mágico imaginar que pelo simples desejo da bancada evangélica casais gays deixarão de existir – mas não é exatamente o pensamento mágico que está empurrando o país para fora das fronteiras de um Estado laico?

Donald Trump é uma piada de mau gosto que, na dúvida, os americanos de bom senso decidiram levar a sério. No Brasil, várias piadas de mau gosto da mesma categoria distraíram a plateia nos últimos anos. Enquanto isso, a verdadeira ameaça ganhava forças nos bastidores, disfarçada de vendedor de enciclopédia, mas não menos topetuda.

Receita bloqueia parte da fortuna de Neymar

Procuradoria da Fazenda Nacional conseguiu na Justiça bloquear R$ 188,8 milhões do jogador Neymar, de sua família e das empresas ligadas a ele. O atacante da seleção e do Barcelona é acusado de sonegar impostos durante os anos de 2011 e 2013, segundo a Receita Federal, principalmente em pagamentos feitos pelo clube espanhol relacionados a sua transferência do Santos. Em nota, Neymar se defendeu. Disse que não sonegou impostos, “tampouco qualquer uma das nossas empresas”.
A retenção havia sido negada em primeira instância, mas o desembargador Carlos Muta, do Tribunal Regional Federal da 3ª região, acabou acatando os argumentos de impedir a negociação desses bens com o objetivo de garantir a quitação dos impostos supostamente devidos.
A Receita alega que houve sonegação de R$ 63,6 milhões por parte do jogador. Entre outros fatos, é apontado omissão de rendimentos de fontes do exterior com publicidade e “omissão de rendimentos oriundos de vínculo empregatício pagos pelo Barcelona”. Esse dinheiro, na verdade, foi recebido pelas empresas N& N Consultoria Esportiva e Empresarial e Neymar Sports. Mas a Fazenda Nacional alega que foi tributado de forma indevida, já que o rendimento é dele como pessoa física.
O valor atingiu R$ 188 milhões por conta de uma multa de 150% sobre o total devido para a Receita. Isso ocorre quando há suspeita de existência de dolo, fraude e simulação de operações para tentar enganar o Fisco.
Foi pedido o bloqueio dos bens do jogador, das empresas e de sua família porque o débito cobrado pela Receita representa mais de 30% do total de seu patrimônio, avaliado pelos seus advogados em R$ 242,2 milhões. Ou seja, haveria um risco de que o valor não fosse pago. Surpreendentemente, apenas R$ 19 milhões desse total estão no nome do jogador, sendo o restante de posse de seus pais, Neymar Santos e Nadine, e de três empresas da família, a Neymar Sport e Marketing, a N & N Consultoria Esportiva e Empresarial e a N & N Administração de Bens Participações e Investimentos. (Do UOL)

Osório deixa porta de saída entreaberta no SP

Getty Images

DO BLOG DO PVC

Juan Carlos Osório deixou a porta aberta demais e tornou muito difícil sua permanência no São Paulo em caso de derrota no clássico para o Palmeiras no domingo. De todas as respostas fortes da entrevista coletiva, a mais importante foi a que ofereceu à pergunta sobre confiar ou não na diretoria. “Pelas saídas dos jogadores, não.”

A relação do técnico colombiano com o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, é muito boa. Com o presidente Carlos Miguel Aidar há faíscas. Desde sua chegada, o São Paulo perdeu setejogadores: Rafael Toloi, Dória, Denílson, Souza, Boschillia, Jonathan Cafu e Paulo Miranda. Nenhum time da Série A deixou de contar com tantos jogadores na janela de transferências.

Osório confirmou a negociação com a seleção mexicana, disse que seu coração está no São Paulo, que está concentrado em formar uma equipe competitiva contra o Palmeiras, mas afirmou que domingo está aqui. Na semana que vem, não se sabe. Elogiou a seleção do México, a quem atribuiu o título de “equipe de elite”.

A todas estas perguntas, falou em espanhol, para não correr o risco de escorregar no idioma. Às questões sobre o clássico, respondeu em português, como tem sido habitual.

Apesar de ter sido ambíguo sobre a possibilidade de sair do São Paulo e afirmar que quando sofreu três derrotas foi questionado se temia por seu futuro, Osório participou de reunião com a direção do clube na quinta-feira. No contato pessoal com os dirigentes, afirmou que não deixará o clube.

Só que nunca se sabe qual será o efeito político de suas declarações. Nem de uma eventual derrota para o Palmeiras, no domingo.

Insatisfeitos, clubes da Série B pressionam Globo

O atual contrato com a Globo se encerra em 2017

Com futuro indefinido, a Série B pode mudar de mãos a partir de 2018. O presidente do Náutico, Glauber Vasconcelos, se reuniu com o Esporte Interativo, na última sexta-feira, em Natal, para discutir a venda dos direitos de transmissão do campeonato. Membro da comissão de clubes que cuida do assunto, eles aguardam um retorno da Rede Globo, atual detentora, até a próxima semana. O acordo com a emissora carioca se encerra em 2017. O último encontro entre as partes aconteceu na terça-feira passada, no Rio de Janeiro.

Entre as exigências para a renovação da parceria, está a criação da ‘cota de socorro’ para resguardar financeiramente os rebaixados da Série A. A novidade não beneficiaria apenas os remanescentes do Clube dos 13, que contam com contratos individuais e seguem recebendo a mesma cota em suas primeiras temporadas na segunda divisão.

É o caso hoje de Botafogo, Bahia e Vitória. Os demais, em caso de descenso, sofrem um forte impacto em seus cofres. Os repasses anuais despencam de R$ 18 milhões na Série A para R$ 3 milhões na Série B. “A verdade é a seguinte: a gente está na mesa para negociar. Temos nosso parceiro, a Globo, e vamos esgotar com eles. É lógico que, se as conversas não caminharem bem, e espero que caminhem, não podemos abrir mão de conferir outra oportunidade”, afirma Marcus Salum, do América-MG, ao ESPN.com.br.

“A gente conversou (com o Esporte Interativo) e escutou o que eles têm a nos oferecer. O objetivo hoje é prorrogar o contrato que existe, respeitamos o acordo, respeitamos os patrocinadores, mas, como ele se encerra em 2017, temos que ouvir todo mundo. O encontro que tivemos hoje (sexta-feira) foi bastante interessante”, prossegue Glauber Vasconcelos, do Náutico.

A meta principal é conseguir pelo menos dobrar a cota atual de R$ 3 milhões – R$ 2,7 milhões, com impostos -, segundo os clubes, insuficientes para fazer futebol. “Não queremos mexer com premiação, cota, dinheiro de ninguém. O que a gente quer é uma cota maior para termos condição de formar grandes equipes e concorrer com os clubes rebaixados da Série A”, explica Alberto Maia, do Paysandu.

Papão escalado para enfrentar o Vitória

unnamed

O time do Paissandu já está escalado para o confronto desta tarde com o Vitória na Arena Fonte Nova. Salvo mudanças de última hora, a equipe entrará em campo com Emerson; Pikachu, Tiago Martins, Gualberto e João Lucas; Fahel, Gilson, Jonathan e Roni; Betinho e Léo. No banco, o técnico Dado Cavalcanti conta com Ivan, Lombardi, Luís Felipe, Djalma, Sérgio Manoel, Edinho, Carlinhos, Misael (foto) e Aylon. (Foto: MÁRIO QUADROS)

Duas batalhas

unnamed (19)

POR GERSON NOGUEIRA

Fazia algum tempo já que a dupla Re-Pa não encarava, num mesmo dia, batalhas tão importantes e decisivas fora de Belém. O Papão joga em Salvador defendendo a segunda colocação no Brasileiro da Série B contra o Vitória, um adversário direto. O Leão enfrenta o Palmas, na capital tocantinense, buscando começar positivamente o mata-mata das oitavas de final da Série D.

São jogos importantes e perigosos por razões diversas. O Papão não pode facilitar, pois o próprio Vitória e mais seis clubes lutam pelo acesso e tentam ultrapassá-lo. Na verdade, o representante paraense virou o time a ser batido nesta parte final da Série B. O Remo estreia na fase eliminatória da Série D e, apesar de superior ao adversário, precisa ter cautelas para evitar surpresas.

Caso consiga sair de Salvador com uma vitória, ou mesmo um empate, o Papão dará passo importantíssimo para o acesso. Com 47 pontos ganhos, precisa acumular mais 19 para garantir uma das quatro vagas. Como terá ainda cinco jogos a fazer em casa, o time precisa beliscar quatro pontos em terreno adversário. Começar essa colheita hoje seria oportuno e teria efeitos ainda mais animadores sobre o elenco.

A garantia de escalação do atacante Betinho – graças a efeito suspensivo – representa um importante trunfo para o técnico Dado Cavalcanti. Sem um homem de referência na frente, seria obrigado a improvisar Aylon, cujas características são mais de um atacante de lado, pela velocidade que imprime ao jogo.

Além disso, Betinho tem sido um jogador produtivo, marcando gols importantes e em franca evolução técnica, depois de um começo pouco auspicioso na Copa do Brasil. Contra o ABC, marcou dois gols, exibindo grande movimentação em todos os lados do ataque. Na partida seguinte, diante do Náutico, salvou-se do naufrágio geral. Em tarde pouco inspirada do time, teve o melhor rendimento, criando boas situações mesmo sem ter sido acionado pelos meias.

Para dar ainda mais consistência ao time, a linha defensiva não sofre alterações, contando com os laterais titulares, Pikachu e João Lucas. O ponto de interrogação fica por conta do meio-campo, onde, na ausência de um armador de ofício, Jonathan deverá ter funções de ligação. Rony e Léo, mantidos na equipe, terão que desempenhar um papel mais dinâmico, ajudando tanto o meio quanto Betinho na ofensiva.

unnamed

Sob o sol inclemente de Palmas, o técnico Cacaio optou por lançar um ataque à moda antiga, apostando tudo na altura do centroavante Kiros. Até mesmo a longa inatividade do jogador foi esquecida, talvez por força das lembranças de 2005, quando Roberval Davino usava Capitão para complementar jogadas aéreas. Outro fator determinante para a entrada de Kiros foi a baixa produtividade dos outros atacantes de área. Rafael Paty, principal goleador da equipe na temporada, não atravessa bom momento. Aleílson e Welthon não conseguiram se firmar quando entraram como titulares.

Léo Paraíba, especialista no jogo de velocidade pelo lado direito, será o companheiro de Kiros no ataque. Sozinho, porém, não poderá fazer muito. Para que Kiros tenha oportunidades, será fundamental o trabalho de Juninho e Eduardo Ramos na meia-cancha e de Levy e Alex Ruan nas laterais. Acima de tudo, os cruzamentos devem ser caprichados.

Como o duelo é de 180 minutos, é importante conquistar um bom resultado no primeiro jogo, embora com a consciência de que o desespero e a pressa devem estar do outro lado. Ao Remo cabe fazer um jogo estratégico, observando e explorando eventuais falhas do Palmas.

O time do Tocantins fez uma das mais fracas campanhas da fase classificatória, marcando sete gols e sofrendo quatro. Os números indicam que a defesa é seu ponto alto, mas o ataque é econômico. Outra razão para que Cacaio e seus jogadores não se entreguem à afobação. Saber esperar pode ser um trunfo decisivo nesta fase eliminatória. (Fotos: MÁRIO QUADROS)

———————————————————–

Direto do blog

“Deus ajude o Ricardo Oliveira, eis que, na atualidade, o futebol brasileiro jogado no Brasil tem muito mais a oferecer do que aquele jogado pelos estrangeiros como este que agora se contundiu. A propósito, pro nível em que se encontra o time da cbf já é chegada a hora de chamar o Ganso. E não basta só chamar, é necessário prestigiar, dar moral pro jogador. Mais ou menos assim como o Dado fez com o Carlos Alberto, e com outros menos votados. É preciso proporcionar ao Ganso uma boa sequência de jogos. No caso do Carlos Alberto não deu certo. Mas, do Ganso, dado o nível dos que o Dunga tem convocado e dos demais que estão disponíveis, tenho uma boa expectativa que o resultado venha a ser favorável.”

De Antonio Oliveira, sobre a última novidade na Seleção de Dunga. 

————————————————————

Festa para um baluarte do pugilismo

O amigo e conterrâneo Zezé do Boxe comemora 42 anos de dedicação ao boxe com programação festiva, hoje, a partir das 12h30, no Mormaço. Haverá show de Nelsinho Rodrigues e participação de outros cantores. Zezé, generoso como sempre, não quer presentes, mas doações de brinquedos para o Natal das crianças carentes das comunidades que ajuda. A coluna se associa às justas homenagens a um defensor incansável da nobre arte no Pará. Parabéns.

(Coluna publicada na edição do Bola deste sábado, 26)