Festa para o Galinho no Mangueirão

Exibindo RemoXFlamengo master-Mario Quasdros (15).JPG

O eterno craque Zico em ação no jogo festivo entre Masters do Remo e Amigos de Zico, realizado na noite desta quinta-feira no estádio Jornalista Edgar Proença. O paraense Giovani acompanha o lance de perto. Time de Zico levou a melhor por 9 a 3, com o Galinho desfilando a velha classe, marcando e dando passe para dois gols. Ageu Sabiá também fez gol e brilhou com a camisa dos veteranos azulinos. Atuaram pelos amigos de Zico alguns jogadores conhecidos, como Tita, Junior Baiano, Athirson e Sávio. Do lado azulino, participaram também Artur, Agnaldo, Belterra, Charles Guerreiro, Fábio Oliveira, Marquinho Belém, Edil, Mesquita e Gian. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

Exibindo Comemoracao do Zico-Mario Quadros (3).JPG

O adeus de François, grande ídolo remista

Morreu, no final da tarde desta quinta-feira, no Hospital Porto Dias, o ex-goleiro François Thym, grande destaque e ídolo da torcida azulina nos anos 60 e 70. Oriundo de Paramaribo, François foi um dos maiores arqueiros da história do Remo, permanecendo como titular por vários anos num time que tinha jogadores como China, Edilson, Jorge Mendonça, Neves, Amoroso, Adinamar, Birungueta, dentre outros. Foi campeão Norte-Nordeste em 1971. Trabalhou também como técnico e dirigente do Remo nos anos 90.

Instituto desmente pedido de habeas corpus

Abaixo, na íntegra, o posicionamento oficial do Instituto Lula acerca do pedido de habeas corpus impetrado em Curitiba, supostamente para evitar a prisão do ex-presidente da República. Mauricio Thomaz, o autor do pedido, é correligionário do PSDB paranaense. A notícia foi divulgada inicialmente pelo senador Ronaldo Caiado.
“Esclarecemos que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não entrou com o pedido de habeas-corpus impetrado em Curitiba, no dia 24/6/2015. Lembramos que esse tipo de ação pode ser feito por qualquer cidadão. Fomos informados pela imprensa da existência do Habeas Corpus e não sabemos no momento se esse ato foi feito por algum provocador para gerar um factóide.

O ex-presidente já instruiu seus advogados para que ingressem nos autos e requeiram expressamente o não conhecimento do Habeas Corpus.

Estranhamos que a notícia tenha partido do Twitter e Facebook do senador Ronaldo Caiado.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula”

Quem juntará os cacos do Brasil?

POR TEREZA CRUVINEL (via Blog do Miro)

Prossegue em marcha batida a depredação do Brasil para livrá-lo de Dilma, da volta de Lula e de governos do PT. O juiz Moro forçou a mão para justificar a prisão dos presidentes das duas maiores empreiteiras, mas quem se arrisca a dizer isso? Este foi apenas um estrépito agudo dentro do bombardeio contínuo das estruturas políticas e econômicas do país. O governo tragado pela vertigem dos problemas, alguns criados por ele mesmo, ministra antitérmicos para uma infecção que se generaliza.

A oposição, ao invés de se apresentar como alternativa responsável para o próximo rodízio, lança coquetéis molotov. O Congresso, enquanto isso, disputa nacos de orçamento e segue em sua agenda regressiva. Não sobrou ninguém, nenhuma espécie de “bom senso futebol clube” para fazer um chamado à razão. E depois do crash, quem juntará os cacos do Brasil espatifado para recomeçarmos?

A crise ainda vai piorar, ninguém sabe quanto vai durar nem aonde vai chegar. Neste ambiente, quem se arriscará a investir no Brasil?, perguntou o presidente da Mercedes Benz em entrevista ontem à Folha de S. Paulo. A presidente discutiu com seus ministros os efeitos nefastos das prisões sobre os leilões de concessões à iniciativa privada, a mais concreta iniciativa do governo para reanimar a economia. O ajuste fiscal de Levy vai sendo comido pelo Congresso e a crença dos agentes econômicos em seus efeitos se reduz.
O governo tem razão para temer pelo futuro das concessões. Se o juiz Moro já apresenta como uma das razões para a prisão dos dirigentes de Odebrecht e Andrade Gutierrez o risco de reiterarem “práticas corruptas”, quem vai querer enfiar a mão nesta cumbuca? Amanhã poderão ser acusados de terem vencido os leilões valendo-se de tráfico de influência ou pagamento de propinas. Moro foi longe. Prejulgou condutas empresariais em leilões que ainda nem estão marcados. Que nome tem isso senão presunção de culpa, embora a Constituição garanta a presunção da inocência até prova em contrário? Prova, e não delação premiada, disse o ministro Fachin, mas suas palavras caíram no grande vazio.
Os graúdos da superestrutura do poder não brigam sozinhos. Têm suas legiões, que estão por aí trocando socos verbais na Internet. Estamos a um passo das lutas corporais, como se viu no congresso do PT em Salvador, onde compareceram os ativistas de direita. Um deles, declarando que lá estava “para pegar o Lula”.
“Pegar o Lula” é a utopia dos adversários do PT, que poderiam estar se qualificando para ganhar o próximo round nas urnas. Poderiam estar minando o governo Dilma mas não detonando o país. Poderiam estar sangrando o PT mas não destruindo a crença que ainda resta na política e na democracia, da qual serão vítimas amanhã.
Pegar Lula é removê-lo da disputa de 2018 criminalizando sua atuação a favor de empresas nacionais, agindo como “mascate do Brasil”, como ele mesmo dizia quando era presidente e levava caravanas de empresários em suas viagens pelo mundo. Por tudo que representou sua presidência – na criação de um país socialmente mais decente e na projeção internacional de uma nação mais altiva seria aposta muito alta na autoflagelação nacional. Mas está em curso, e a inércia dos que poderiam defendê-lo, como o governo e o PT, ajudam a explicar seus recentes desabafos. Mas eles também só produzem mais manchetes para a mídia, dedicada a abrir todas as caixas de maldição.

Bancada da bola sofre derrota no Congresso

POR CAMILA MATTOSO, do ESPN.com.br

A comissão mista que analisa a Medida Provisória 671/15, conhecida como MP do Futebol, aprovou o texto apresentado pelo relator Otávio Leite (PSDB-RJ) na íntegra na manhã desta quinta-feira. Em sessão relâmpago e com apenas quatro presentes, o relatório foi aprovado sem discussão específica dos pontos polêmicos.

Na noite de quarta-feira, em sessão tumultuada, as discussões foram suspensas e adiadas para esta manhã, às 9h. Ficaram 11 destaques do texto para serem discutidos ponto a ponto, separadamente – entre esses, por exemplo, a medida que limita os gastos dos clubes com futebol em 70% do total da arrecadação.

Os representantes da chamada “Bancada da Bola”, que defendem os interesses da CBF na comissão, contudo, não chegaram a tempo da votação, e o texto acabou sendo aprovado na íntegra. O presidente da comissão, Sergio Petecão (PSD-AC) se apoia no regimento interno da Casa, enquanto os opositores acusam golpe.

Na sessão, estavam presentes o presidente da comissão, o relator, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) e o deputado Evandro Rogerio Roman (PSD-PR). Assim que os quatro aprovaram o texto, chegaram Marcelo Aro (PHS-MG), diretor de ética da CBF, e Vicente Cândido (PT-SP), diretor de assuntos internacionais da entidade.

“Chego aqui como cristão novo e já vejo pessoas usando o regimento desta Casa para esperteza e malandragem. Foi isso que vi agora na comissão da MP 671/15, a famosa MP do Futebol”, esbravejou Aro, no plenário após a sessão. “Em 30 segundos, eles rejeitam todos os destaques e aprovam o relatório. Isso é um golpe”, acusou.

“Quero avisar que, apesar de novo, bobo não sou. O que puder fazer, a partir de agora, para obstruir sessões, vou fazer. Sou vice-líder do maior bloco desta Casa e líder do PHS, não deixarei ficar como está. Isso é golpe dos senhores Otávio Leite e Petecão.

Usarei todas as armas do regimento. Há vida daqui para frente”, ameaçou em seguida.

Nos bastidores, os favoráveis em deixar o texto como está argumentam que se não aprovasse o relatório dessa forma, ele não seria em nenhum momento votado, pois, segundo eles, os parlamentares ligados à CBF trabalham para que a MP caduque – o prazo final é dia 17 de julho. A diretoria da entidade, no entanto, diz que isso não é verdade.

Otávio Leite defendeu o presidente da comissão.

“Eu cumpri a minha responsabilidade durante todo esse tempo. Qualquer tipo de destaque agora terá de ser levado para o plenário, e lá serão discutidas eventuais mudanças. O texto está inteiro, da maneira que terminamos da última vez. Era uma obrigação nossa votar isso, não deixar se perder, já que o prazo é dia 17 de julho”, disse Leite.

“O Sérgio Petecão cumpriu rigorosamente o regimento. Não há nada a se falar sobre isso”, completou. A referência do relator à data de 17 de julho é o prazo em que o texto perde validade. Até esse dia, o relatório aprovado pela comissão precisa passar pelo crivo da Câmara dos Deputados e, depois, do Senado.

Presidente anuncia promoção de ingressos

Do presidente Alberto Maia, do Papão, agora há pouco, no Twitter:

“Nação Bicolor jogo contra o Atlético dia 30.06 será no mangueirão as 18:30, com ingressos a 20,00 arq. e 40,00 cadeira nos dias 26 e 27. Nos dias 28 e 29.06 ingressos a 30,00 e 60,00 reais, e no dia do jogo 40,00 e 80,00. Meia entrada a 15,00.Vamos lotar o mangueirão bicolores”.