Pai de vítima da violência critica redução penal

Advogado e vereador de São Paulo, ele teve uma filha torturada, estuprada várias vezes e depois assassinada de forma cruel, em um crime praticado por um grupo de marginais liderados por um adolescente. O fato foi responsável por reacender os debates sobre a maioridade penal no Brasil, em 2003. Leia aqui o caso Caso Liana Friedenbach e Felipe Caffé.

Eu sou radicalmente contrário a reduzir a maioridade penalEsse foi um dos episódios mais emblemáticos sobre o assunto, mas mesmo assim, Friedenbach diz que a redução da maioridade penal não vai resolver e sim piorar a situação da violência no Brasil, haja vista, que o crime poderá recrutar adolescentes ainda com 15 e 14 anos. Critica seu partido por fazer uma enquete perguntando a opinião dos eleitores, mas acha que o projeto será aprovado no Congresso, pois os “políticos só pensam na reeleição”, lamenta.

No entanto, defende que crimes hediondos cometidos por adolescentes entre 12 e 18 anos sejam passíveis de pena criminal e para os demais casos, a aplicação de medidas de ressocialização, em unidades prisionais como a Fundação Casa, que segundo o mesmo, a reincidência de menores na criminalidade é de 20%.

Fala com segurança de que depois de todo o processo legislativo, se for aprovada, a redução da maior idade pena vai ser barrada no Supremo Tribunal Federal, por ser inconstitucional. Mas defende que o maior que tiver menor junto cometendo crime com um menor, a pena do maior deveria aumentar, em um terço ou em 50%.

Fique com a matéria do Estadão: ‘Reduzir a maioridade penal é um erro’, diz pai de Liana Friedenbach >> http://goo.gl/xeAvaU

4 comentários em “Pai de vítima da violência critica redução penal

  1. Está havendo uma contradição muito grande no discurso desse cidadão que teve sua filha brutalmente veiolentada e morta por um menor, o qual está praticamnete impune igual a todos os menores que cometem crime hediondo, Ele que se diz contra a redução da maioridade penal porque não vái resolver nada(dircurso da OAB), mas no terceiro parágrafo ele também diz ou faz a ressalva dizendo que porém para crimes hediondos tipo o que o menor fez com a filha dele, o menor teria de responder mesmo se tivesse de 12 a 17 anos. Ora, se ele diz isso é porque na verdade é a favor da redução. Ou seja ele quer o que todo brasileiro de bem quer hoje: justiça e punição para criminosos em potencial, seja ele menor ou adulto. Aí está corretíssimo, porque eu não quero e ninguém quer que as crianças e menores de bem fiquem desprotegidos pelas leis. O que todos querem é que tenhamos uma emenda ou reforma nas leis de proteção a menores, onde fique claro que nos casos de crimes hediondos, seja menor de idade ou não, o cara responda criminalmente por seu crime bárbaro cometido. Nisto não vejo nenhum mal, nenhuma desgraça tipo a propagada pela OAB, a qual é a instituição que mais resiste e luta contra essa redução. E o Discurso da OAB não muda e é sempre o mesmo para barrar a redução: ‘ESSES MENORES SÃO COITADINHOS VÍTIMAS DA SOCIEDADE QUE NÃO LHES DEU OPORTUNIDADE” Francamente, mas esse papo para mim não cola mais. E olha que tenho ainda filhos pequenos, sobrinhos menores, graças a Deus nunca um menor deliquante desses fez algo de mais grave para mim ou minha familha, mas esse papo da OAB para mim não cola. É querer jusficar o que não jusfifica, porque esses menores criminosos em ´potencial são uma ínfima minoria, onde a enorme maioria dos adolescentes no Brasil é da da mais alta qualidade, como eu fui e me crie em periferia onde vivo até hoje e jamais enquanto menor fiz ou pensei em fazer mal a alguém. E no meu tempo de menor, não existia essa lei de proteção. Se o menor fosse pego sozinho numa festa, ou num bar, ou depois da 10 da noite fora de casa, era preso na hora e encaminhado à delegacia, onde o pai tinha de pagar fiança para soltar. No meu tempo de 16 anos não existia FIES, BOLSA FAMILHA, BOLSA ESCOLA , meu primeiro emprego e um monte de outros benefícios para menores de idade como existem hoje. Então a maioria esmagadora de menores do meu tempo é que não teve nenhuma oportunidade na vida. Mas ainda assim são hoje pessoas de bem e da malhor qualidade. Já esses menores de hoje que tem sim essas oportunidades na vida, vários estão se badeirando para o sub mundo do crime e a OAB ainda vem com papo de falta oportunidade e polítcas sociais para justificar o mal. Falta de oportunidade coisa nenhuma. Sangue ruim isso sim. Por isso eu afirmo que sou totalmente a favor de toda a proteção do mundo para nossas crianças e jovens de bem. Porém para criminosos em potencial, mesmo menor a minha dica é a cadeia sim senhor. Porque não seria o caso de resolver alguma coisa, mas seria o caso de punir quem merece ser punido. Não pode mais ocorrer de um menor praticar um latrocínio e depois mandado para casa pelas leis que lhe protegem, enquanto no reverso da medalha está uma pessoas ou família que ele destruiu covardemente para sempre. Isso sim não pode. de jeito nenhum don OAB.

    Curtir

  2. Concordo com ele… Crimes hediondos devem ser julgados como crimes hediondos, independente da idade. Nos mais demais delitos apenas punições restritivas ou corretivas… Furtou? 30 dias ajudando os velhinhos e os mendigos em instâncias de apoio.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s