Meio digital estabiliza jornais impressos

POR BARBARA SACCHITIELLO

A tendência de queda nos números de circulação não poupou as revistas e jornais impressos brasileiros em 2014. Mas, se o papel vem trazendo resultados não muito animadores, a área digital consegue, por outro lado, se provar como o novo meio de consumo para um público que ainda tem amplo interesse pela informação.
O balanço da circulação de jornais e revistas divulgados nesta terça-feira, 10, pelo IVC, mostram que o digital vem ganhando maior representatividade para o setor. No meio jornal, as vendas de assinaturas digitais foram responsáveis por deixar a média de circulação anual dos veículos brasileiros praticamente estáveis no ano passado, na comparação com 2013.
De acordo com os dados do Instituto – que considera o período entre janeiro e novembro de 2014 – os jornais brasileiros tiveram uma circulação média de 4.392.567 de exemplares. O número é praticamente o mesmo (com variação negativa de 0,02%) na comparação com o mesmo período de 2013, quando a média de circulação foi de 4.393.434. Nesse total, estão contempladas tanto as edições impressas quanto às digitais. Atualmente, as edições digitais já respondem pela fatia de 11,4% do total de exemplares em circulação no Brasil. Em dezembro do ano passado, essa fatia chegou a 15,1%.
Ainda em relação aos jornais, o IVC apontou um crescimento de 7,5% no total de assinaturas em 2014. Quando se analisa isoladamente a quantidade de assinaturas digitais, o aumento é ainda maior (118% mais na comparação com 2013). Em contrapartida, o número de vendas de exemplares em bancas caiu 7,6%.
“Os números consolidaram um movimento que já vínhamos observando há muito tempo. Os jornais que possuem modelo de assinatura digital já começam a se beneficiar dessa área, enquanto aqueles mais dependentes de venda avulsa enfrentam mais dificuldades”, explicou Pedro Silva, presidente executivo do IVC.

Revistas
A mesma força do segmento digital observada no meio jornal vem acontecendo com as revistas, de acordo com o IVC. Enquanto a circulação impressa das revistas sofreu uma queda de 9,6% no ano passado, a digital cresceu 42,3% no período, na comparação com 2013. Hoje, o digital responde por 5% do total de circulação das revistas no Brasil.
Na opinião de Pedro Silva, ainda é cedo para prever se se a circulação digital irá inverter a tendência de queda do meio, mas é certo que as plataformas digitais dos veículos ganhem maior importância e audiência com o passar do tempo. Apesar de sua força, o meio digital não conseguiu impedir que, na média geral, as assinaturas das revistas sofressem uma queda de 3,2% no período. As vendas avulsas também caíram, tendo uma retração de quase 20%.

Novo posicionamento do IVC
A fim de se posicionar como um instituto de aferição multiplataforma, o IVC apresentou um redesenho de sua marca, seu posicionamento junto ao mercado e até mesmo de seu nome. Agora, em vez de Instituto Verificador de Circulação, o órgão passa a ter o nome de Instituto Verificador de Comunicação. “Essa mudança não representa aquilo que gostaríamos de ser, mas reflete a realidade que já estamos vivenciando junto ao mercado, que é a de oferecer dados que contemplem as mais diversas plataformas de comunicação”, explicou João Ciaco, presidente do Conselho do IVC.
Desenhada pela Loducca, a nova marca do Instituto também tenta transmitir uma imagem de modernização e maior conexão aos meios digitais. A mudança do nome e da imagem do IVC será comunicada ao mercado com uma campanha, que reforçará os múltiplos serviços oferecidos pelo órgão, desde a aferição de audiência online até as mensurações de web, mobile, eventos e aplicativos.

Remo contrata meia-armador revelado pelo Grêmio

O Remo anunciou na madrugada desta terça-feira a contratação do meia Mateus Carioca, de 22 anos, jogador revelado nas categorias de base do Grêmio. Ele ficou no tricolor gaúcho até 2013 e depois defendeu o Novo Hamburgo. Habilidoso, o meia é uma aposta do técnico Zé Teodoro. Ele já está em Belém e será apresentado oficialmente nesta quarta-feira pela manhã.

Copa Verde: horários e datas dos jogos de volta

Jogos de volta da segunda fase da Copa Verde, que irão definir as semifinais da competição:

21/03 – Remo x Princesa-AM, às 18h30, no Mangueirão

22/03 – Brasília x Luverdense, às 17h, em Brasília

22/03 – Cuiabá x Estrela, às 18h, em Cuiabá

22/03 – Nacional x Paissandu, às 18h30, em Manaus 

Pebas domina seleção do Troféu Camisa 13

unnamed (54)

Saiu na manhã desta terça-feira a seleção oficial do Troféu Camisa 13 dos melhores do primeiro turno do Parazão. A seleção mostra um amplo domínio do estreante Parauapebas (foto), vice-campeão do turno, com cinco atletas entre os escolhidos. A escalação ficou assim: Paulo Rafael (Parauapebas); Pikachu (PSC), Negretti (Pebas), Max (Remo) e Mocajuba (Pebas); Augusto Recife (PSC), Régis (Pebas), Juninho (Pebas) e Flamel (Cametá); Wegno (Independente) e Aleílson (Paragominas). Técnico: Lecheva. Revelação: Magno. Craque: Pikachu. Árbitro: Andrey da Silva e Silva. A escolha é feita em votação direta pelos torcedores. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola)

Leão leva susto, mas vira jogo

POR GERSON NOGUEIRA

Mesmo depois de repetir os erros de finalização e de vacilar logo no início do segundo tempo, o Remo conseguiu uma virada em cima do Princesa e sai de Manaus com excelente resultado na Copa Verde. A vitória de 2 a 1 dá aos azulinos a possibilidade de jogar por um empate ou mesmo uma derrota (por 0 a 1) no confronto de volta.

unnamedO começo foi marcado pelas hesitações que assombram o Remo neste começo de temporada. Sem conseguir fazer a bola chegar até Bismarck, sua opção ofensiva mais qualificada, o time ficou dependendo de passes longos de Eduardo Ramos para a correria de Caça-Rato ou de cruzamentos dos laterais, quase todos errados e sem direção.

Apático e lento nas saídas para o ataque, o time começou impondo meia pressão, mas aos poucos permitiu que o Princesa se organizasse, passando a levar algum perigo. Na base da correria, Léo Paraíba e Josy eram os mais agressivos, chegando perto de abrir o placar entre os 20 e os 30 minutos.

Depois dos sustos, o Remo acertou a marcação sobre o lateral Lei e o meia Josy, freando o ímpeto ofensivo do Princesa, mas permanecia errático nas ações de ataque. Apagado, Felipe Macena não marcava, nem apoiava, sobrecarregando o trabalho de Dadá e Alberto. Enquanto isso, mesmo desfrutando de liberdade, Eduardo Ramos era pouco acionado.

O gol do zagueiro Gilson, de cabeça, no primeiro minuto do 2º tempo, surpreendeu os azulinos. Uma terrível falha de marcação. O lance serviu para despertar os azulinos. O meio-campo passou a jogar mais adiantado, ajudando no esforço em busca do empate, que veio aos 18 minutos, em tiro forte e certeiro de Alberto em cobrança de falta.

A animação pelo gol manteve o time fazendo pressão no campo de defesa do Princesa, que já acusava certo desgaste físico. Apesar do domínio, o Remo permanecia errando nas finalizações. Bismarck e Alex Ruan perderam bons lances, mas Eduardo Ramos não vacilou quando a oportunidade apareceu.

Em arrancada que começou na intermediária, o camisa 10 avançou com a bola, invadiu a área e bateu cruzado para fazer o segundo gol, aos 37. Ainda surgiriam oportunidades, para Rafael Paty e Bismarck, mas o placar não se alterou mais.

O resultado dá tranquilidade ao Remo para a decisão em Belém e projeta, desde já, uma possível semifinal de arrepiar entre os dois velhos rivais. Além da emoção, caso se confirme o cruzamento, os dois jogos servirão para oxigenar as combalidas finanças da dupla Re-Pa.

———————————————-

CBF explica aplicação do Fair Play

A partir dos vários questionamentos apresentados pelo Bom Senso F. C., a CBF decidiu incluir o Fair Play Trabalhista nos Regulamentos Específicos das séries A, B e C do Campeonato Brasileiro 2015, aprovados por unanimidade pelos Conselhos Técnicos e serão publicados esta semana. A inovação cria a possibilidade de punições para os clubes que atrasarem salários de seus jogadores.

Em caso de inadimplência, os interessados (jogadores) podem denunciar o clube ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O Bom Senso criticou a responsabilidade imposta aos atletas, obrigados a bancar denúncias contra seus próprios clubes.

Diante disso, a CBF esclareceu ontem que o ato de denunciar não será restrito ao atleta, podendo este ser representado pelo advogado ou pelo sindicato, conforme o parágrafo 1º do artigo. Aliás, uma boa ideia seria permitir que o próprio Bom Senso pudesse representar os atletas vítimas de atraso salarial.

Os atrasos salariais não podem exceder o prazo de 30 dias. Depois que a denúncia for encaminhada ao STJD e devidamente comprovada, caberá ao tribunal “conceder um prazo mínimo de 15 (quinze) dias para que o clube inadimplente cumpra suas obrigações financeiras em atraso, de modo a evitar a aplicação da sanção de perda de pontos por partida”. O perigo está no afrouxamento do prazo para a regularização das pendências pelos clubes.

A punição será “sucessiva e cumulativamente aplicada em todas as partidas da competição que venham a ser realizadas enquanto perdurar a inadimplência”. E mais: “Caso inexista partida a ser disputada pelo Clube inadimplente quando da imposição da sanção, a medida punitiva consistirá na dedução de três (3) pontos dentre os já conquistados na competição”.

Conforme mencionei na coluna do último domingo, a CBF admite que o Fair Play Trabalhista inspirou-se no exemplo da Federação Paulista de Futebol (FPF), que aplica o critério desde 2012, nas séries A1, A2 e A3 do Paulistão. Informa, ainda que o sindicato dos atletas profissionais responsabilizou-se por várias denúncias, que levaram à quitação de débitos pelas agremiações.

Ao mesmo tempo, a CBF inseriu o artigo 66-A ao Regulamento Nacional de Registro e Transferência de Atletas de Futebol, determinando que o clube que atrasar salários por 30 dias ou deixar de pagar à outra agremiação pela transferência de um jogador pode ser multado e até proibido de registrar novos atletas pelo prazo de dois anos.

As medidas estão longe de resolver as muitas mazelas do nosso futebol, mas indicam que a entidade começa a perceber que os tempos mudaram. Falta agora responsabilizar diretamente os próprios dirigentes pelos desmandos que praticam à frente dos clubes.

———————————————–

Festa para um verdadeiro craque

Enfim, um craque de verdade ganhará homenagem condizente. O Palmeiras, que vem fazendo tudo certo nesta temporada, anuncia para o final deste mês uma festa de despedida para o ex-meia Alex.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 10)