Os dez maiores craques da Lusa

B7bmKktCMAEObif

POR LUIZ AUGUSTO LIMA

Que momento para lançar um livro com a história dos dez maiores craques da Portuguesa… Afinal, o clube do Canindé vive o pior momento de sua história, enfraquecido dentro e fora de campo, às voltas com a queda para a Terceira Divisão nacional e suspeita de corrupção.

Pensando bem, que ótimo momento para a chegada deste livro! Em especial se o universo de leitores for além dos fãs rubro-verdes e chegar à garotada que adora elogiar o romantismo do Juventus, mas exige profissionalismo do próprio time de coração e baba para as potências europeias, cada vez mais multinacionais.

LivroLusaEm “Os Dez Mais da Portuguesa” (Maquinária Editora, 159 páginas, preço sugerido R$ 30,00), o autor Jorge Nicola faz um rico perfil dos maiores craques que já passaram pela Lusa. Antes que você solte algum comentário cético, é bom deixar claro que estamos falando aqui de gente como: Dener, Djalma Santos, Julinho Botelho, Enéas, Ivair “O Príncipe”, Brandãozinho, Félix, Pinga e Zé Roberto. Tem também o folclórico volante Capitão que, se nunca foi craque, merece estar na lista pela raça e liderança que demonstrou com a camisa rubro-verde.

Por falar em lista, ela é resultado de uma eleição entre alguns torcedores ilustres, como o maestro João Carlos Martins e os jornalistas Flavio Gomes, Eduardo Affonso, Gil Gomes e Orlando Duarte. Com a lista em mãos, Jorge Nicola foi a campo. E o resultado vale a pena.

Colunista do Diário de S. Paulo e blogueiro do Yahoo!, Nicola possui faro apurado para boas histórias. Isso significa que o autor não resumiu sua tarefa a perfilar burocraticamente os dez eleitos, e sim tratou de ouvir parentes, amigos e ex-companheiros e, busca de declarações emocionadas e informações preciosas.

Ao tomar conhecimento da história de Pinga, o maior artilheiro da história da Portuguesa, senti uma certa vergonha de minha própria ignorância. Embora já tivesse ouvido falar deste jogador, não conhecia sua genialidade e importância não apenas para a Lusa, como também para o Vasco da Gama e a seleção brasileira.

Enfim, ler “Os Dez Mais da Portuguesa” é como receber uma dose de oxigênio puro em meio a tantas notícias desanimadoras, não apenas a respeito do clube do Canindé, como também a respeito do seu, do meu, do nosso futebol atual. Apesar de tudo, este esporte vale a pena.

Leão e Papão terão cotas de R$ 827 mil

unnamed (31)

Saiu finalmente o acordo de patrocínio do Governo do Estado aos clubes que disputam o Campeonato Paraense. A cota da Funtelpa para Remo e Paissandu é de R$ 827.904,00 para cada um dos clubes, em duas parcelas iguais. Já a cota do Banpará ficou assim dividida: 54.400,00 para a dupla Re-Pa e R$ 19.800,00 para os demais oito clubes da competição. (Com informações da Rádio Clube do Pará – foto: MÁRIO QUADROS/Arquivo Bola)

Vasco admite ceder Marlon ao Papão

O lateral-esquerdo paraense Marlon, 29 anos, que defende atualmente o Vasco, pode ser cedido por empréstimo ao Paissandu. A informação foi confirmada pela diretoria cruzmaltina. O jogador não está nos planos para a disputa da Série A e foi colocado em disponibilidade, o que deve facilitar sua transferência para o Papão. A negociação está adiantada, mas ainda depende de acordo quanto a salário.

Castanhal tem time renovado para o Parazão

O Castanhal continua a se preparar para o Campeonato Paraense e projeta alguns amistosos antes de sua estreia. Desde segunda-feira, no estádio Maximino Porpino, o técnico Carlos Alberto Dias começou a definir a equipe-base para o Parazão. O time titular tem treinado com André Luís; Lisa, Charles, Hallyson e Lineker; George Nowga, Léo Carioca, Billy e Giovane; Cleyton Boka e Daniel. O lateral Mocajuba, ex-Independente e Cametá, que fazia testes no time castanhalense, foi dispensado pela comissão técnica.