Assumpção pegou empréstimo para pagar a família

Do blog Bastidores F.C. – globoesporte.com 

O polêmico empréstimo de R$ 3 milhões que o Botafogo pegou em outubro com um trio de empresários paulistas vai dar muito pano pra manga no clube. É grande a irritação da nova diretoria com a história – que quer entender porque o clube pagou um intermediário (e depois outro) na transação. Mas não é maior do que a revolta dos chamados “terceirizados” do clube, que ganham como pessoa jurídica e têm até cinco meses de vencimentos atrasados. Isso porque eles descobriram que parte do dinheiro foi usada para pagar a rescisão de demitidos – como o ex-gerente de futebol Sidnei Loureiro. E outra parte serviu para pagar a Romar, empresa ligada ao presidente Maurício Assumpção. Nada menos que R$ 300 mil do empréstimo serviram para pagar comissões da Romar. (Com Vicente Seda) 

Uma viagem ao futuro do mundo

“Wanderers” é um vídeo de quatro minutos que projeta o futuro da humanidade através de uma viagem pelo espaço sideral. Se um dia o mundo caminhar nessa direção, as cenas serão certamente muito parecidas com as imagens deslumbrantes deste filme. Concepção e direção do artista digital Erik Wernquist, com narração do cientista Carl Sagan.

Fred desabafa contra Globo e atraso salarial

Artilheiro do Campeonato Brasileiro, Fred desabafou de forma dura ainda à beira do gramado do Maracanã, após a goleada do Fluminense por 5 a 2 sobre o Corinthians, onde balançou a rede em duas oportunidades. O atacante reclamou principalmente de um grupo de cerca de 15 torcedores que protestaram durante a semana contra a equipe durante treino.

“Posso fazer um desabafo? As pessoas têm que ter mais responsabilidade. É lamentável o portal da Globo fazer o que fez, colocar aqueles lá (o grupo de torcedores que protestou) como se representassem a torcida inteira do Fluminense. Sei que foi encomendado. A verdadeira torcida do Fluminense está do meu lado. Não sou artilheiro do Brasileiro à toa”, disse, ainda na beira do gramado.

Na véspera do duelo com o Timão, Fred já havia feito um desabafo sobre o episódio através de sua conta no Facebook. “Se é verdade a máxima de que “futebol é momento”, não tem o menor cabimento um tricolor de coração questionar o atual artilheiro do Campeonato Brasileiro e centroavante que mais marcou gols depois da Copa do Mundo, entre todos os atacantes de área que disputaram o Mundial.”

Mazola e Papão negociam renovação de contrato

unnamed (7)

O Paissandu deve definir ainda hoje a situação do técnico Mazola Junior. Depois de entendimentos iniciados pelo presidente eleito, Alberto Maia, Mazola ficou de pensar na proposta apresentada pelo clube para renovação de contrato. Viajou para São Paulo e na sexta-feira encaminhou uma contraproposta, considerada muito alta para os padrões regionais. Em resposta, mostrando que a diretoria tem interesse em sua permanência, o Papão fez nova proposta ao treinador, em bases mais “realistas”, segundo fontes do clube.

Valorizado pela conquista do acesso à Série B, o técnico impôs condições para continuar, o que inclui a manutenção de sua comissão técnica, item que a diretoria aceitou de imediato. A expectativa é de que Mazola responda à oferta até amanhã. Caso não haja um acordo ao longo da semana, um outro técnico será imediatamente procurado. Alguns nomes já são especulados na Curuzu. Ricardinho (ex-Paraná Clube), Guto Ferreira e Josué Teixeira (campeão da Série C com o Macaé) são os mais lembrados. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

Papão com a mira certa

Por Gerson Nogueira

A informação sobre os novos contratados do Papão, embora careça de confirmação oficial, indica que seus dirigentes estão com boa mira para solucionar problemas crônicos da equipe. Cabe observar que a reformulação está apenas começando e outros nomes deverão ser buscados para encarar a Série B, competição mais importante da agenda do clube em 2015.

Acima de tudo, merece destaque a agilidade em garantir a contratação de dois goleiros experientes e em boa forma. Posição das mais aflitivas do elenco, o gol terá com Genivaldo e Saulo duas opções bastante confiáveis.

Para o lado esquerdo da defesa, a vinda de Diego (ex-Macaé) é um alento. Ao longo da temporada, o Papão teve em Aírton uma peça claudicante, pouco confiável. Caso consiga trazer Diego, o time ganha um lateral de qualidade, ofensivo ao extremo e exímio cobrador de faltas. Além dele, a diretoria negocia com Willian Simões, ex-Sampaio Corrêa. Mais marcador do que apoiador, Simões seria um contraponto interessante a Diego.

Já no meio-de-campo, um velho sonho de consumo dos bicolores parece estar finalmente a caminho. Elanardo, que atua como volante e meia-armador, resolveria uma antiga carência da meia cancha. Ainda não é o camisa 10 dos sonhos da galera, com virtudes de organizador, mas pode ajudar bastante a arrumar o setor ali ao lado de Augusto Recife.

Outro meio-campista de recursos é Jonathan, que o Remo não soube valorizar nesta temporada. Volante moderno, ágil e de bom passe, tem virtudes para integrar a nova meiúca do Papão, com a vantagem de adicionar juventude a um setor já carregado de jogadores experientes. Com ele, mais Pikachu, Djalma e Bruno Veiga, o time ganhará muito em velocidade.

Para o ataque, o nome em vista é o de João Carlos, que enfrentou o Papão na final da Série C defendendo o Macaé. Apresentou-se razoavelmente no primeiro jogo, realizado em Macaé, e foi decisivo no confronto em Belém, quando marcou duas vezes. É preciso considerar, porém, que naquela partida o Papão estava desfalcado de dois zagueiros titulares.

João Carlos mostra força e muita facilidade para o cabeceio, mas é essencialmente um jogador de área. Na Série C, por necessidade, o Papão abriu mão do atacante fixo, passando a explorar o jogo pelos lados, com Veiga e Ruan. Para compor elenco, porém, João Carlos é boa alternativa.

O clube segue prospectando nomes e priorizando a procura por zagueiros, pois certamente perderá Lombardi, que deve optar pelo São Bernardo para disputar o Campeonato Paulista. Sobre Alemão, especulado para a defesa, tenho poucas referências, por isso prefiro não analisar.

Nada disso, porém, terá valido muito a pena se não tiver passado pelo crivo do técnico Mazola Junior. Aliás, pouco se terá avançado se o próprio técnico não confirmar a permanência na Curuzu.

—————————————————

Queda não é fim, pode ser recomeço

unnamed (84)Doeu menos porque a queda tinha acontecido há alguns meses, talvez até já no comecinho do Campeonato Brasileiro. Quando deixou de pagar os salários dos jogadores, por permitir que a receita fosse bloqueada judicialmente (caso inédito na história dos grandes clubes nacionais), a diretoria fez uma aposta inequívoca na irresponsabilidade.

Protagonista da mais desastrosa das gestões da história do clube, o presidente Maurício Assumpção daria o golpe definitivo rumo ao rebaixamento ao demitir quatro titulares logo depois da Copa do Mundo. A medida, extemporânea e injustificada, deixou o time sem opções para enfrentar os embates finais da competição.

Apesar de seguidas chances para permanecer na Série A, diante de adversários igualmente desqualificados, o Botafogo não tinha força de ataque e nem consistência defensiva. Estava à deriva e passou a acumular derrotas por puro vacilo, erros primários de marcação e cochilos dos beques.

Não havia como fechar a equação com fatores tão negativos. A queda veio e parece confirmar o plano maquiavélico de seu idealizador. Parece óbvio que o presidente pretendia mesmo deixar o clube na Segunda Divisão, com a visão tosca de deixar a terra arrasada para atrapalhar os passos do sucessor.

A única boa notícia da semana é, não por coincidência, o fim dos desmandos de Assumpção. O novo presidente, Carlos Eduardo, tem agora a missão e o desafio de soerguer o Botafogo. Um clube que é ao mesmo tempo agremiação e legenda do futebol mundial não pode permanecer no limbo. A Estrela Solitária precisa voltar a brilhar.

————————————————-

Direto do Facebook

“Foi-se o tempo em que cair para se segundona era a desgraça fatal. Serve de recomeço e de chamamento de atenção para o futuro. O querido Botafogo caiu, não aprendeu a lição, e precisou retornar. Espero que agora, sob nova direção, o clube seja verdadeiramente respeitado por sua história, seus ídolos e torcida.”

De Iva Muniz, sobre a desdita botafoguense.

————————————————-

Vícios na base empobrecem o futebol

Na pausa entre duas partidas de pôquer, Ronaldo Fenômeno rompeu o silêncio em longa entrevista à Folha de S. Paulo. Indicou a entressafra de talentos como o grande problema da Seleção Brasileira atual. Observou que jogadores como Ronaldinho Gaúcho e Robinho não conseguiram fazer a transição entre a geração anterior, campeã mundial em 2002, e a atual.

Daí as dificuldades que Dunga, segundo ele, vai ter para comandar a recuperação da imagem do futebol brasileiro, principalmente depois do fracasso na Copa do Mundo e dos 7 a 1 para a Alemanha.

Ronaldo tem boa dose de razão, pois a safra recente do nosso futebol não inspira entusiasmos maiores, mas é verdade também que a essência do jogo precisa ser reformulada na formação dos atletas brasileiros. Enquanto este problema de origem não for atacado, craques como o próprio Fenômeno ficarão cada vez mais raros.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 01)