“Não vou mais me calar”, diz Mancini

622_d10b8b96-d95e-37d5-b555-995b3289a89b

As expulsões de Ramírez e Emerson foram polêmicas no Maracanã, na derrota de 3 a 2 do Botafogo para o Bahia. E causaram muita revolta tanto no elenco alvinegro quanto no técnico Vagner Mancini. O treinador, inclusive, lembrou que considerou justa a expulsão de Airton por um pisão em Pato na partida contra o São Paulo. Mas mostrou o grande descontentamento com o que houve nesta quarta-feira no Maracanã.

“A cada rodada eu aprendo o nome de um árbitro jovem que apita contra o Botafogo. Não sei de onde vem o árbitro. O Botafogo é gigantesco no futebol brasileiro e deve ser respeitado. O árbitro atrapalhou o jogo, errou para as duas equipes, mas prejudicou muito o Botafogo. Contra Atlético-MG e Internacional fora é arbitragem caseira. Quando a gente joga no Maracanã é contra o time da casa. Gostaria de falar de outras coisas, mas não vou mais me calar”, afirmou Mancini.

Após a sua expulsão, aos 14 minutos do segundo tempo, dois minutos após a expulsão do Ramírez, Emerson Sheik caminhou para a câmera e disparou contra a CBF, afirmando que a instituição é uma vergonha. A frase teve repercussão grande nas redes sociais e foi o assunto mais comentado na noite desta quarta-feira no Brasil. Capitão do Botafogo, Jefferson também desabafou.

“Não sou de ficar justificando. Mas quem ver o lance vai ver que foi exagero. Dentro do Maracanã o Botafogo foi roubado”, disse o goleiro botafoguense. Sem Emerson e Ramírez, o Botafogo vai a Criciúma enfrentar o time da casa, no sábado. (Da ESPN)

Olivetto by Olivetto

14259678“O pensamento politicamente correto acabou com a alegria da liberdade criativa. Você tem de um lado o cara politicamente correto, que é cerceador e bem educadinho. E do outro o incorreto, que é mal educado e pseudo-divertido. Temos que buscar o que é politicamente saudável, que respeita a inteligência, mas com irreverência e bom humor. Há coisas que não são agressivas, mas fazem pensar”. 

“Eu queria entrar para o imaginário popular e, com isso, transformar o consumidor em mídia. Hoje isso é óbvio, mas na época foi intuitivo. Porque esse negócio de rede social já existia, mas sem a tecnologia. As vovozinhas conversando na rua formavam uma rede social”.

“As possibilidades de formas aumentaram muito, mas as formas estão sendo usadas para esconder a falta de conteúdo. A tecnologia permite fazer qualquer coisa, mas o fundamental é o conteúdo. As pessoas precisam saber escrever melhor”.

“Prefiro quem trabalha com tesão do que com tensão. Mas a cultura da tensão se instaurou”.

“Há mais gente comendo pizza no trabalho na sexta-feira à noite, mas isso não resultou em uma publicidade melhor. Ao contrário. Isso é em todas as empresas, não só na publicidade. Há uma cultura de que o profissional não pode ter vida social, Conviver com pessoas de outras áreas e se realimentar com a vida são fundamentais”.