Remo x River; Águia x Crac; Fortaleza x Papão

Campeonato Brasileiro da Série D 2014

Remo x River-PI – estádio São Benedito, em Bragança, 15h30

Na Rádio Clube, Jones Tavares narra, Rui Guimarães comenta. Reportagem – Paulo Caxiado.

————————————————————–

Campeonato Brasileiro da Série C 2014

Águia x Crac-GO – estádio Zinho Oliveira, em Marabá, 16h

————————————————————–

Fortaleza x Paissandu – Arena Castelão, em Fortaleza-CE, 19h

Na Rádio Clube, Geo Araújo narra, João Cunha comenta. Reportagem – Dinho Menezes. 

Banco de Informações – Adilson Brasil

Papão tenta o giro 100%

Por Gerson Nogueira

Vai ser interessante observar como se comportam os três representantes paraenses em seus jogos de hoje, depois de triunfarem na rodada passada. Bicolores, aguianos e remistas têm compromissos de diferentes níveis de dificuldade, mas todos têm em comum a necessidade de pontuar.

Em Fortaleza, o Paissandu tem o embate teoricamente mais difícil, pois enfrentará o líder e melhor time da Série C. O fator que pode facilitar as coisas é também fonte de preocupação: o Fortaleza não vence há três jogos, o que representa pressão natural sobre o time tricolor, com consequências imprevisíveis em campo.

unnamed (3)Para os bicolores, porém, o confronto de hoje não tem caráter desesperador e pode ser administrado. O triunfo sobre o Botafogo (PE) devolveu ao time a condição de brigar pela vaga no G4. Por esse ponto de vista, um empate será muito bem-vindo.

A tomar por base a maneira como o Papão se comportou em João Pessoa, não precisa ser pitonisa para prever que a equipe entrará mais fechada do que nunca, com as duas linhas de defensores e um ataque que vai depender dos espaços permitidos pelo adversário.

A estratégia centrada na segurança defensiva se revelou vitoriosa do estádio Almeidão na segunda-feira, respaldando um estilo que o técnico Mazola Jr. cultiva desde que chegou à Curuzu no começo do ano.

A provável ausência do meia-atacante Héverton torna a parte ofensiva ainda mais órfã neste domingo. As ações dependerão de Pikachu e Bruno Veiga, jogadores rápidos, que aproveitaram muito bem as poucas oportunidades surgidas contra os paraibanos.

Do meio para trás, Mazola Jr. deve usar a mesma formação. Três zagueiros e cinco ou seis homens à frente da zaga e nas alas. O Fortaleza é mais time que o Botafogo-PB, mas o esquema pode dar certo outra vez, permitindo sonhar com um desempenho 100% neste curto giro pelo Nordeste.

————————————————————–

Azulão busca confirmar boa sequência

A goleada da rodada passada sobre o ASA restituiu a confiança que o Águia havia deixado pelo caminho em consequência da desastrosa campanha na Série C deste ano. Sob nova direção, com o retorno do técnico João Galvão, o time já coleciona quatro pontos em dois jogos. Caso vença o Crac (GO) hoje, no estádio Zinho Oliveira, chegará a 15 pontos, igualando-se ao Treze (PB) com chances até de sair da zona do rebaixamento.

Tão importante quanto a acachapante vitória em casa foi a redenção dos artilheiros do time, Aleílson e Danilo Galvão, que dividiram os gols do triunfo. Atacante precisa de confiança para render e a dupla deve ser a grande beneficiada diante da frágil defensiva goiana.

Pelo estilo destemido, Galvão deve botar seu time no ataque desde os primeiros movimentos, ciente de que precisa fazer saldo para diminuir o prejuízo atual (seis gols negativos), item que pode ser decisivo na definição de posições ao final desta fase.

O fator de risco é que o confronto pode determinar a queda antecipada do lanterna Crac, que tem 10 pontos apenas e por isso mesmo terá que se esforçar para fazer o jogo de sua vida.

————————————————————-

Leão tem dúvidas na esquerda e no meio

unnamed (1)

Para surpresa geral, o técnico Roberto Fernandes decidiu reaproveitar Alex Ruan na lateral-esquerda no último treino da sexta-feira. Com isso, abriu caminho para corrigir a inexplicável barração do jogador, único especialista na posição existente no Baenão depois que Rodrigo Fernandes foi defender o Icasa-CE.

Em entrevista à Rádio Clube na sexta-feira à noite, Fernandes repetiu a justificativa já apresentada no domingo contra o Interporto, quando Régis foi improvisado em substituição ao lesionado Rodrigo. Para o treinador, Régis torna a linha de quatro defensores mais forte, pois marcaria melhor e é mais alto que Alex.

A não ser que jogue muito mais do que mostrou nos treinos e no jogo de domingo, Régis dificilmente terá o mesmo rendimento e desembaraço de Alex naquela faixa do campo. O titular da lateral-esquerda era a única dúvida na escalação para a partida decisiva contra o River-PI.

Nos demais setores, o Remo repete a escalação que vem garantindo a arrancada rumo à classificação na Série D. Danilo Rios continua na meia-cancha, garantindo passe e qualidade na criação, à frente de Reis, Dadá e Michel.

unnamed

Nos treinos, Ratinho chegou a ser lançado algumas vezes na vaga de Reis, mas o mais provável é que a formação não seja alterada. Ratinho deve ser preservado para uma alternativa radical de busca da vitória no segundo tempo. Na frente, permanecem Roni e Leandro Cearense, dupla ofensiva preferida de Fernandes.

O River alterna bons e maus resultados na competição, incluindo o empate em casa diante do próprio Remo na fase inicial do Grupo A2. Em condições normais, a partida deve ter amplo domínio azulino, mas as habituais falhas defensivas do Leão preocupam Fernandes e a torcida. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola)

————————————————————

Racismo e intolerância: fórmula explosiva

O incêndio na casa da torcedora gremista que dirigiu xingamentos racistas ao goleiro Aranha, do Santos, revela o lado sombrio gerado pela ampla e apaixonada discussão que dominou o país nas últimas duas semanas. Transformada em símbolo do racismo que todos desaprovam, a jovem passou a ser perseguida com intolerância ainda mais violenta do que a que demonstrou naquela noite de futebol.

Uma população como a nossa, imatura quanto a tantas questões cruciais que envolvem o convívio social, a pressa faz com que os caminhos por vezes sejam substituídos por atalhos perigosos. Boas doses de equilíbrio e sensatez podem funcionar como remédio eficaz.

———————————————————–

Bola na Torre

Giuseppe Tommaso apresenta o programa, com participações de João Cunha, Ronaldo Porto e deste escriba baionense. Começa em seguida ao Pânico, por volta de 00h15.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRI O deste domingo, 14)