Novo blog: nossa Amazônia

Por Lúcio Flávio Pinto

Aos 65 anos de idade e quase 50 anos de jornalismo, senti a necessidade de criar um blog, que já está no ar (www.amazoniahj.wordpress.com) Seu título é Amazônia Hoje – A Nova Colônia Mundial. Nele, uso minha base de dados, acumulada por tanto tempo, para criar uma cronologia da história recente da Amazônia. É também uma forma de avivar a memória para uma história que ainda está em curso, mas, de tão intensa, costuma ser esquecida.
Com base em informações da imprensa – local, nacional e internacional – este blog reconstituirá acontecimentos marcantes na saga iniciada nos anos 1960, através da consolidação de eixos de penetração (e destruição) por terra na Amazônia, com sua cadeia de efeitos, desde o maior desmatamento da história da humanidade até a destruição de povos nativos. Tudo isso para criar atividades produtivas que possam resultar em exportações crescentes de recursos naturais e divisas para alimentar o crescimento quantitativo do Brasil.
O acúmulo de dados permitirá a formação de uma verdadeira enciclopédia da história contemporânea da região. Espero que o leitor se manifeste sobre a iniciativa. O retorno será importante para a continuidade dessa nova série retrospectiva. Vá lá e contribua para que o blog cresça e reflita a história que é e, também, a história que queremos construir, à nossa imagem e semelhança.

Viva!!

Quando se pensa que já viu de tudo…

alvaro.poodle

O senador oposicionista Álvaro Dias (PSDB-PR) teve um acesso de fofura na sua última aparição no horário eleitoral. Chamou atenção ao falar abraçado ao seu poodle branco, o Hugo Henrique. “Vim falar de um tema que interessa a todas as pessoas sensíveis que gostam dos animais como eu gosto do Hugo Henrique”, disse o tucano, apresentando seu projeto de lei que proíbe o uso dos bichinhos em experiência de laboratório.

Só que aparição gerou ciúmes. O vereador curitibano Professor Galdino (PSDB), candidato a estadual pelo PSDB, acusou o colega de partido de “plagiá-lo”. Afinal, ele já tinha aparecido com um poodle no colo. Vale tudo para amolecer e conquistar o coração dos eleitores… (via jornal Extra)

galdino.poodle

Cabras tão meigos assim não sobem a rampa em Baião… tidizê.

O passado é uma parada…

10592928_729695767103327_75957562505502569_n

Foto histórica de uma tabela de preços do prostíbulo de certa Madame Renata, em Roma (Itália), em 1923. O prostíbulo era chamado naquela época de “casa de tolerância”. Este tarifário em particular, era da “Casa dos Prazeres de Madame Renata”, famosa por ter os preços mais baixos da Itália.

Algumas observações:
A tradução literal da palavra “sveltina” é “rapidinha”. O michê mais caro (12,30 liras) incluía duas “raparigas” juntas. Água, sabonete e toalhinha de mão eram oferta da casa. Na última linha da tabela, “estudante e militar pagam meia”. 

Pleno do STJD adia julgamento do caso Brasília

Ao contrário do que se esperava, a novela da Copa Verde vai continuar. No julgamento do caso, na tarde desta quinta-feira, no Pleno do STJD, a votação foi suspensa pelo presidente da comissão. Ele pediu vistas do processo, justificando com a complexidade do caso – jogadores escalados irregularmente pelo Brasília na final do torneio. Com isso, a votação foi interrompida (estava 2 a 1 pro Papão, pois houve empate inicial e depois um auditor antecipou voto). O prosseguimento deverá acontecer na próxima sessão do tribunal, em data ainda a ser marcada. Para a defesa do Papão, soou estranha a manobra regimental para postergar o caso. Na comissão disciplinar do tribunal, o Papão obteve ganho de causa por unanimidade (4 a 0), mas nenhum dos auditores da comissão participa do Pleno.

A incrível urucubaca dos nativos

Por Gerson Nogueira

O Remo vive uma situação extremamente favorável na Série D. Venceu duas partidas seguidas e pode se classificar em campo, no próximo domingo, caso derrote o River no estádio São Benedito, em Bragança. Pode também se classificar sem maior esforço, caso a decisão do STJD de punir o time piauiense (por usar irregularmente o jogador George Michael) se confirme. Em resumo, tudo conspira a favor da classificação à etapa de mata-mata da competição.

unnamedAinda assim, mesmo desfrutando de fase tão positiva na competição nacional, alguns critérios ainda chamam atenção nas escolhas do técnico Roberto Fernandes, principalmente quanto a jogadores formados no próprio clube.

O zagueiro Igor João foi excluído dos planos e acabou liberado pelo clube. Até Roni, uma das joias mais preciosas surgidas no Evandro Almeida nos últimos anos e melhor atacante do time, correu o risco de seguir o mesmo caminho, chegando a amargar a reserva por três rodadas.

Jonathan, destaque do time nas últimas temporadas, foi relegado a terceiro reserva e está praticamente excluído dos planos imediatos. Volante moderno, dono de bom passe e capacidade de finalização, foi primeiro deslocado para a condição de terceiro reserva e hoje nem aparece mais na lista de relacionados para os jogos.

A última exclusão envolvendo atletas oriundos da base azulina é a do lateral esquerdo Alex Ruan, que surgiu há três anos e desde então vinha se firmando como titular. Para espanto geral, no último jogo, contra o Interporto, Alex foi barrado. Em seu lugar entrou Rodrigo Fernandes. Lesionado na partida foi substituído pelo improvisado Régis, que é lateral direito de origem.

Para enfrentar o River no próximo domingo, o técnico resolveu celebrar a improvisação. Como Rodrigo Fernandes foi cedido ao Icasa-CE, Régis herda automaticamente a posição. Enquanto isso, Alex Ruan passa a integrar a nau dos renegados, juntamente com Jonathan.

Pelo que se observou da atuação de Alex nas outras partidas, o lateral esteve em plano razoável, no mesmo nível dos demais companheiros de zaga. São as tais situações que ninguém entende, como diria o bragantino Cláudio Guimarães.

———————————————————–

Vexame não desmerece novo basquete

Houve logo quem, com a afobação dos néscios, comparasse a lavada que o Brasil levou da Sérvia no basquete (84 a 56) com aquela peia histórica de 7 a 1 da Alemanha sobre a Seleção do Felipão, na Copa do Mundo.

Devagar com o andor.

Nada a ver uma coisa com a outra. Para começo de conversa, o Mundial de Basquete não acontece no Brasil, com torcida amarelada a empurrar os canarinhos. Com o torneio disputado na Espanha, os brasileiros não tiveram qualquer favorecimento ou simpatia nas arquibancadas.

Depois, cabe sempre lembrar que a seleção treinada pelo argentino Rubén Magnano teve desempenho dos mais louváveis ao longo da competição. O apagão diante dos sérvios não diminui em nada os méritos da equipe. Como parte da reestruturação do basquete masculino, a quinta colocação no Mundial pode ser considerada excelente.

Cair frente a um adversário fortíssimo, um dos melhores do mundo, não é desonra. Lamenta-se, obviamente, pelo placar elástico, provocado principalmente pelo fraco rendimento da equipe no terceiro quarto do jogo, quando perdeu por 17 pontos de diferença. O excepcional aproveitamento sérvio nas bolas de três pontos foi decisivo para a contagem final.

Os experientes Tiago Splitter, Marquinhos, Varejão e Nenê fizeram um campeonato de bom nível, ajustando-se aos planos de Magnano, que, pela primeira vez, conseguiu dar ao time um sentido de conjunto e força tática desde que chegou ao Brasil. O torneio serviu para revelar uma interessante safra de garotos, que entraram muito bem em várias partidas.

Promessas para encorpar a seleção para o desafio que realmente importa: o torneio olímpico em 2016, no Rio.

———————————————————-

E Pelé volta a pisar na bola

Desde que Romário disse que Pelé calado era um poeta, o eterno Rei do Futebol não tinha mais aprontado nenhum deslize verbal mais grave. Ontem, ao comentar o caso de racismo no estádio do Grêmio, sua majestade teve uma recaída.

Durante evento patrocinado, no Rio, Pelé se meteu a opinar sobre o incidente envolvendo o goleiro Aranha, do Santos. “Acho que o Aranha se precipitou um pouco em querer brigar com a torcida. Se eu fosse parar o jogo cada vez que me chamasse de macaco ou crioulo, não tinha jogo”, disse, em entrevista à TV.

Pelé perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado. Racismo não é, de fato, tema dos mais fáceis para ele. Ao longo de sua longa e profícua carreira, o Atleta do Século jamais se destacou por encarar o problema com olhos críticos.

Buscou sempre tangenciar, com frases mais ou menos parecidas com a de agora. Com isso, semeou exemplos tristes, como o de Ronaldo Fenômeno, que certa vez teve a pachorra de dizer que não se sentia discriminado porque é branco.

Para Pelé, ao que tudo indica, xingamentos e insultos não constituem crime. São as tais coisas do futebol. Ledo engano. Racismo se manifesta dessa e de várias outras formas, dependendo do grau de facilitação e impunidade.

Com a autoridade moral de quem é reverenciado até hoje no mundo inteiro, Pelé deveria pelo menos respeitar os ofendidos e silenciar.

————————————————————-

STJD pode encerrar a arrastada polêmica

Está previsto para hoje o julgamento final do caso Brasília. O Pleno do STJD tem a chance de colocar um paradeiro nessa longa e chata novela sobre o campeão da Copa Verde. Para isso, deve confirmar a decisão unânime da Comissão Disciplinar, que deu ganho de causa ao Papão.

O regulamento diz que um time não pode escalar jogadores não registrados no BID. O Brasília escalou quatro. Se a lógica legal prevalecer, o título deve ser confirmado para os bicolores.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quinta-feira, 11)

Bancos não podem mexer em salário de cliente

Bancos não podem se apropriar do salário de clientes para cobrar débito decorrente de contrato bancário, mesmo havendo cláusula que permita isso no contrato de adesão. Este foi o entendimento que prevaleceu na decisão da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em julgamento de recurso especial apresentado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG).
O MP-MG ajuizou ação contra o Itaú Unibanco S/A alegando que a instituição financeira estaria debitando integralmente o salário dos consumidores para pagamento de dívidas bancárias decorrentes de empréstimos, juros de cartão de crédito, tarifas e outros.
O juiz de primeiro grau entendeu que a cláusula de débito automático de empréstimo em conta corrente é legal, pois “uma vez depositado em conta, o valor é crédito, não é salário nem moeda, não havendo que se falar em violação da norma do artigo 649, inciso IV, do Código de Processo Civil”.
A apelação foi negada. Segundo o acórdão, não era necessária a produção de nova prova e não havia nenhuma ilegalidade no desconto de parcelas referentes ao pagamento de empréstimo, debitadas da conta corrente do cliente, pois o correntista, ao firmar contrato e concordar com as cláusulas, teve plena consciência de que essa seria a forma de pagamento.Na avaliação de Larissa Davidovich, coordenadora do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon) da Defensoria Pública do Estado do Rio, essa decisão do STJ está em consonância com as principais decisões dos tribunais dos estados:

– Praticamente já pacificaram o entendimento no sentido de que o banco que é credor de uma dívida não pode, a esse título, ‘confiscar’ o salário do consumidor que recebe seus proventos naquele banco. Há de se ter um limite para esse débito e o limite que a própria jurisprudência estabeleceu foi o de 30% (do salário) a fim de que sejam respeitados o principio da dignidade da pessoa humana, bem como as normas que garantem que o salário não pode ser penhorado por se tratar de verba alimentar – ressaltou. (De O Globo)

Diretores esclarecem sobre obras no Baenão

019

Nota oficial do Conselho Diretor do Clube do Remo foi postada no site do clube na última terça-feira, 9, para informar aos sócios, conselheiros e torcedores sobre as obras no estádio Evandro Almeida. Abaixo, na íntegra, a explicação do Codir:

Prezados azulinos e azulinas,

O Clube do Remo vem por meio desta prestar alguns esclarecimentos a cerca da obra de reforma e modernização do nosso estádio Evandro Almeida, o Baenão. No segundo semestre do ano de 2013, o atual CODIR iniciou um arrojado e audacioso projeto de REFORMA e MODERNIZAÇÃO em nosso estádio Evandro Almeida, o Baenão, para se transformar na “Arena Baenão”. Tal projeto seria executado em duas etapas:

1ª Etapa:

  1. Troca total do gramado
  2. Rede de drenagem completa com 2km de tubo, mais mantas
  3. Troca dos antigos alambrados por blindex
  4. Construção da rampa da arquibancada da Almirante Barroso
  5. Recuperação dos banheiros
  6. Recuperação da parte elétrica e hidráulica
  7. Recuperação do telhado pela Antônio Baena
  8. Pintura em todo o estádio

2ª Etapa:

  1. Construção do novo setor de camarotes e cadeiras vip’s, sendo 25 camarotes e 1.872 cadeiras vip’s
  2. Nova iluminação
  3. Placar eletrônico em LED

Como custo total para esta obra fora orçado o valor aproximado de R$ 2,2 milhões, sendo R$ 600 mil para a primeira etapa e R$ 1,6 milhão para a segunda etapa. Tal valor corresponde aproximadamente a venda de 55% do projeto, sendo que o restante ficaria para os cofres do Clube do Remo.

Importante salientar que a referida obra foi programada e executada até a fase atual com recursos exclusivamente próprios e com uma pequena participação da AMBEV no valor de R$ 120 mil.

Cumpre esclarecermos ainda que, até o presente momento apenas 17 Camarotes e 99 cadeiras foram efetivamente vendidos e pagos na sua integralidade (houveram acordos e negociações com credores do clube, tendo alguns camarotes e cadeiras servindo como ativos nessas negociações) e gerando uma receita de aproximadamente R$ 584 mil, ou seja, menos de 15% do valor estimado para a comercialização do projeto.

Inicialmente, prevíamos a conclusão da primeira etapa para o mês de dezembro de 2013 e a segunda etapa para março de 2014, pois nossa projeção de vendas vislumbrava a comercialização de 20 camarotes (R$ 20 mil/unidade) e pelo menos 800 cadeiras (R$ 2 mil/unidade), fato que infelizmente não se materializou.

Com o dinheiro arrecadado foi possível executar apenas e tão somente a primeira parte das obras e parte da segunda etapa, com 80% da fundação dos camarotes realizadas. Isto posto, em decorrência da escassez de recursos, tomamos a iniciativa e, propusemos ao Conselho Deliberativo do Clube do Remo, uma proposta para terceirização das mesmas.

A mencionada terceirização contempla a realização e execução integral da segunda etapa de obras por uma construtora parceira que, em contrapartida, administrará por um período de 04 (quatro) anos a comercialização de 1.300 (um mil e trezentas) cadeiras vip’s.

Após reunião ordinária do Conselho Deliberativo azulino, recebemos a autorização para alinhavarmos a parceria desejada e necessária à conclusão das aludidas obras.

Neste diapasão, até o próximo dia 12/09, a proposta para conclusão das obras estará finalizada e, em ato contínuo, será encaminhado ao CONDEL para aprovação final. Uma vez aprovado, estimamos a conclusão das obras para um período não superior a 120 dias após o inicio das mesmas.

Por fim, ratificamos o compromisso dessa gestão em concluir integralmente o projeto “Arena Baenão” ainda neste ano de 2014, exatamente nos moldes apresentados e com absoluta garantia de uma grande obra a disposição de todos os apaixonados por esse amado e querido Clube do Remo.

Conselho Diretor – CODIR

Site Oficial do Clube do Remo, 09/09/2014