Emerson Sheik se irrita com diretoria do Botafogo

622_9997958b-62d6-3203-915c-312a3e43585d

A situação do Botafogo continua muito ruim. Os jogadores do time estão há três meses sem receber salário e com cinco de direitos de imagem atrasados. Apesar de ganhar o pagamento do Corinthians, Emerson Sheik se solidarizou com a situação pela qual os companheiros de elenco estão passando e fez fortes críticas à diretoria do clube carioca.

“Com toda a incompetência da diretoria, ainda temos um grupo de homens, atletas, jogadores. Diante de toda essa confusão, conseguimos nos respeitar. A comissão tem mérito. Vivo uma situação particular. Minha história é bacana, com conquistas, por Flamengo, Fluminense, Corinthians. O Botafogo seria o clube que me daria momento de tristeza. Mas não, tenho aprendido muito”, declarou Sheik em entrevista ao jornal Extra

Apesar de tudo, o jogador diz que os jogadores não estão com problemas entre eles. “Só havia vivido a felicidade do futebol, e o Botafogo me levou para uma realidade diferente. Estou amadurecendo aos 35 anos. É lógico que eu não desejo isso para a vida de ninguém, mas o ambiente de trabalho, mesmo sem a diretoria conseguir pagar, sem honrar os acordos, é bom. Mas ninguém quer passar por isso”, disse.

Emerson fez questão de destacar que se estivesse enfrentando o mesmo problema dos outros jogadores, não estaria mais no Botafogo. Mas, como o atleta recebe salário do Corinthians, ele irá permanecer até dezembro no clube carioca. Sheik cobrou transparência da diretoria botafoguense.

“Quando cheguei aqui, fui muito bem recebido ,não tenho nada a dizer, mas, com o passar do tempo, vi situações que não alegram, não trazem benefício, não agregam. Vi promessas não cumpridas, dtas, prazos e nada por salários. No dia acertado, todos ficam esperançosos depois, no dia, vem a desilusão, isso cansa. Ninguém é babaca, ninguém é idiota, sou a favor da verdade. Quem vende sonho é padaria, o atleta quer verdade”, declarou. (Da ESPN) 

Um comentário em “Emerson Sheik se irrita com diretoria do Botafogo

  1. Emerson x Carlos Alberto: TERIA SIDO MELHOR NÃO TEREM ENTRADO EM CAMPO
    Entrando em campo e se são profissionais mesmo deveriam ter jogado de verdade

    Antes do jogo do último domingo, contra o Flamengo, os jogadores do Botafogo subiram ao campo do Maracanã com uma faixa que traduzia a insatisfação e externava os pagamentos atrasados. O gerente técnico Wilson Gottardo classificou a manifestação como desnecessária.

    Carlos Alberto reconheceu que a crise financeira prejudica a vida dos jogadores, principalmente dos mais jovens, e dos funcionários, que muitas vezes precisam da ajuda de atletas como Emerson Sheik para conseguirem conviver com a falta de salários. No entanto, o meia afirmou que o grupo vem conseguindo preservar o bom ambiente. Ele acredita que isso fará com que não haja uma debandada respaldada por ações na Justiça. Em 2008, Carlos Alberto deixou o Botafogo dessa maneira, mas explicou que são situações completamente diferentes.

    Hoje a situação está assim porque 100% das receitas do Botafogo estão bloqueadas. Não é que o presidente não paga porque não quer. O grupo tem consciência disso, mas ao mesmo tempo tem contas a pagar. A gente torce para que as coisas mudem. Hoje o Botafogo é um clube mais bem preparado e tem pessoas mais bem intencionadas. Essa é uma grande diferença. Quando existe caráter e clareza, é melhor. Quando não tem, o jogador não respeita e busca o que é melhor para ele. Ninguém está de braços cruzados. E enquanto isso não se resolver, o que nós podemos fazer é jogar e buscar as vitórias. Até porque o nosso ambiente é excelente. É o maior patrimônio que nós temos. Se ele é assim com todas essas dificuldades, imagina quando aparecer uma luzinha no fim do túnel? – disse.

    E consciente de que os maus resultados apenas agravam uma situação que já é dramática, os jogadores, segundo Carlos Alberto, descartam fazer algum tipo de greve que incluam a não realização de treinos ou o não comparecimento a jogos.

    – Isso seria um tiro no próprio pé. Os jogadores têm o direito de discordar de algumas situações e de ter suas opiniões. Essa questão de greve não foi colocada pela gente. Vamos treinar e jogar.

Deixe uma resposta