Mazola ressalta força do elenco

unnamed (35)

Depois do jogo de sábado, na Curuzu, o técnico Mazola Junior analisou como justa e merecida a vitória sobre o Independente por 3 a 1 e destacou a formação de um elenco cada vez mais competitivo. Referia-se à escalação de um time cheio de reservas contra o Galo Elétrico. Além de ampliar a invencibilidade do time na temporada, o triunfo permitiu ao Papão a situação cômoda de poder jogar a partida final da fase classificatória – contra o São Francisco – sem depender do resultado, pois já assegurou a primeira colocação e a vantagem nas semifinais. Os titulares foram poupados em função da partida desta terça-feira contra o Brasília, no estádio Jornalista Edgar Proença, pela decisão da Copa Verde. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

Parazão 2014: classificação do 2º turno

TIMES PG J V E D GP GC SG AP
Paissandu 14 6 4 2 0 14 5 9 77.8
São Francisco 10 6 3 1 2 10 8 2 55.6
Remo 10 6 2 4 0 11 7 4 55.6
Independente 9 6 3 0 3 8 10 -2 50.0
Cametá 9 6 2 3 1 9 10 -1 50.0
Paragominas 6 6 2 0 4 7 10 -3 33.3
Santa Cruz 5 6 1 2 3 9 13 -4 27.8
Gavião 2 6 0 2 4 5 10 -5 11.

Remo vence Gavião, mas leva sufoco no final

O Remo só mostrou alguma organização em campo no primeiro tempo da partida contra o Gavião, na tarde deste domingo, em Marabá. Foi o suficiente para vencer por 2 a 1, de virada, garantindo a classificação às semifinais do returno do Parazão. O jogo começou em ritmo intenso, sob forte calor, com o time mandante pressionando a zaga azulina. Logo aos 3 minutos, em ataque fulminante, Peri mandou para as redes, abrindo o placar.

Os azulinos levaram alguns minutos para se refazerem do susto, procurando reagir com bolas altas sobre a área do Gavião, explorando a presença do atacante Leandrão. Faltava, porém, mobilidade no meio-de-campo, onde Athos e Eduardo Ramos cuidavam da armação. Aos poucos, porém, o Remo foi se encontrando e chegou ao gol depois de três tentativas bem tramadas. Leandro Cearense, aproveitando passe que veio da linha de fundo, empatou o placar aos 16 minutos.

Empolgado pelo gol, o Remo continuou atacando e passou a envolver a defensiva do Gavião com jogadas pelas laterais. Como resultado dessa pressão, Leandro Cearense voltou a marcar aos 22 minutos. A virada tranquilizou a equipe de Roberto Fernandes. O Gavião tentava sair de seu campo, mas errava muitos passes, ameaçando somente em cobranças de falta.

Para o segundo tempo, o Gavião veio com postura inteiramente ofensiva, atacando até com cinco jogadores e criando dificuldades para a marcação remista. Dadá, que atuou bem no primeiro tempo, demonstrava cansaço e acabou substituído por Ilaílson. Fernandes tirou também Athos e lançou Carlinhos Rech. Tiago Potiguar substituiu a Leandrão e foi responsável pelas mais lúcidas tentativas ofensivas do Remo. Parado com violência, reclamou muito com a arbitragem durante e depois do jogo, terminando por levar cartão vermelho à saída de campo.

O Gavião, já rebaixado, tentava a todo custo obter o empate, imprimindo um ritmo forte e dando um sufoco nos minutos finais. Em função de falhas de marcação da zaga remista, o Gavião teve pelo menos quatro boas chances. Duas com Bené, uma com Anderson e outra com Edinaldo, quando o goleiro Fabiano já estava completamente batido no lance.

GAVIÃO KYIKATEJE – Douglas; Gleissinho, Roberto, Max Melo e Ednaldo; Paulinho 47 (Watiwai), Júlio César, Bené e Peri; Aru (Gaguinho) e Toni Love (Anderson Carioca). Técnico: Primo.

REMO – Fabiano; Levy, Rafael Andrade, Rubran e Alex Ruan; Dadá (Ilailson), Jonathan, Athos (Carlinhos Rech) e Eduardo Ramos; Leandrão (Tiago Potiguar) e Leandro Cearense. Técnico: Roberto Fernandes.

Árbitro: Wasley do Couto. Assistentes – Luiz Diego Nascimento Lopes e Rafael de Jesus Leal Costa. Cartões amarelos: Peri, Júlio César e Toni Love (Gavião); Rubran, Dadá e Eduardo Ramos (Remo).