Galo é o 6º melhor do mundo, segundo IFFHS

Bh-adWuCEAA5N10

Da revista Placar

O Atlético-MG continua com a moral em alta com a IFFHS (Federação Internacional de História e Estatística do Futebol). Nesta quarta-feira, o órgão divulgou seu ranking atualizado dos 100 melhores clubes do mundo, referente ao mês de fevereiro. Na lista, o Galo segue sendo o brasileiro mais bem representado. Com duas vitórias na atual edição da Libertadores, o time alvinegro subiu três posições em relação a janeiro e agora é 6º melhor clube do mundo, com 238 pontos ganhos.

A liderança da lista está sob tutela do Bayern de Munique, que soma 370 pontos. O vice-líder é o Real Madrid, com 301 pontos, seguido pelo Barcelona, que acumula 270 pontos. Os pontos são distribuídos de acordo com o desempenho dos times nas ligas locais e campeonatos continentais. No caso do Brasil, os pontos são baseados nos estaduais de primeira divisão e Libertadores, torneios em disputa neste início de ano.

Depois do Galo, o melhor brasileiro é o Grêmio, na 33ª colocação, com 182 pontos. Atlético-PR (61º); São Paulo (63º); Corinthians (66º) e Botafogo (87º) também figuram no ‘top 100’. Para conferir o ranking completo de clubes da IFFHS, clique aqui.

Confira os 10 melhores clubes do mundo em fevereiro, segundo a IFFHS:

1º Bayern de Munique (ALE) – 370 pontos

2º Real Madrid (ESP) – 301 pontos

3º Barcelona (ESP) – 270 pontos

4º Chelsea (ING) – 262 pontos

5º Atlético de Madri (ESP) – 239 pontos

6º Atlético-MG (BRA) – 238 pontos

7º Basel (SUI) – 234 pontos

Independiente Santa Fé (COL) – 234 pontos

Fiorentina (ITA) – 234 pontos

10º Borussia Dortmund (ALE) – 233 pontos

Sonegação supera orçamentos de saúde e educação

Por Rodrigo Gomes, da Rede Brasil Atual

A sonegação de impostos no Brasil superou R$ 415 bilhões em 2013. O valor corresponde aproximadamente a 10% de toda a riqueza gerada no país durante o período e é maior que os orçamentos federais de 2014 para as pastas de educação, desenvolvimento social e saúde, somados. Neste ano, o total de impostos e tributos não recolhidos já se aproxima dos R$ 68 bilhões. Os dados são do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz), que organiza o painel Sonegômetro.

O serviço calcula, a partir de estudos daquela entidade, o total de impostos e tributos que deveriam, mas não são pagos, por obra das chamadas pessoas jurídicas, isto é, empresas em geral, de todos os ramos e tamanhos. Para comparação, o programa social do governo federal Bolsa Família tem R$ 24 bilhões ao ano para atender 14 milhões de famílias. Portanto, o que foi sonegado no ano passado equivale a 17 anos do programa.

Ainda segundo o Sinprofaz, a soma dos tributos devidos pelos brasileiros, constantes na Dívida Ativa da União, ultrapassa R$ 1,3 trilhão, quase um terço do Produto Interno Bruto (PIB) de 2013 que foi de R$ 4,84 trilhões.

image_largeO estudo do sindicato se baseia em dados da Receita Federal, outras análises específicas sobre cada tributo, para então elaborar uma média ponderada. Os tributos não pagos são relativos a impostos diretos – aqueles que não estão embutidos em produtos – como Imposto Sobre Serviços (ISS), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins), por exemplo. E escancaram a diferença com que o sistema tributário brasileiro atua sobre ricos e pobres.

“Eles são sonegados pelos muitos ricos e por pessoas jurídicas (empresas, indústrias), com mecanismos sofisticados de lavagem de dinheiro e de caixa dois”, afirmou o presidente do Sinprofaz, Heráclio Mendes de Camargo Neto, que é advogado e mestre em Direito.

A sonegação gigantesca, diz Camargo Neto, impõe a necessidade de tributar pesadamente o consumo, onde não é possível sonegar. “É injusto que todo paguem uma carga em tributos indiretos. E o povo paga muito. Mesmo que você seja isento do Imposto de Renda, vai gastar cerca de 49% do salário em tributos, mas quase tudo no supermercado, na farmácia”, explica.

Outra injustiça está na forma como incide o Imposto de Renda. Quanto mais o contribuinte tem a declarar, maiores são as possibilidades de abater valores. “Os mais ricos podem abater certos gastos no Imposto de Renda. Em saúde, por exemplo, se você tem um plano privado um pouco melhor, você pode declará-lo e vai ter um abatimento (no cálculo final do imposto). Esta é uma característica injusta do nosso sistema. Os mais pobres não conseguem ter esse favor.” No entanto, continua o advogado, quem tem salários a partir de R$ 2.400 é tributado automaticamente pelo Imposto de Renda Retido na Fonte e muitas vezes não tem como reaver parte deste valor.

A 99 dias da Copa

Por Gerson Nogueira
unnamed (25)A Seleção Brasileira está 95% pronta para estrear na Copa do Mundo – no dia 12 de junho, contra a Croácia. Enfrenta hoje a África do Sul no majestoso FNB Stadium (antigo Soccer City) em partida amistosa que serve mais para a avaliação individual de alguns jogadores do que propriamente um teste para o time de Felipão. A formação ideal do Brasil já foi encontrada na Copa das Confederações e o treinador agora faz ajustes para posições que podem ser reforçadas. As duas laterais, por exemplo. Daniel Alves e Marcelo são os titulares, mas reina a expectativa quanto a substitutos que ainda possam surpreender.
Rafinha, lateral direito do Bayern, é um que pode se beneficiar disso. Fernandinho, do Manchester City, também tem possibilidades. O volante faz excelente temporada na Premier League e será testado neste amistoso com a África do Sul. Segundo especulações, poderia desbancar Lucas Leiva ou Hernanes na função de primeiro volante. É mais jovem e rápido. Leva ainda sobre seus competidores de escreve a vantagem de saber fazer gols.
Felipão sabe que não há muito tempo para consolidar o grupo que será inscrito para a Copa. Em dois meses, no máximo, os 23 jogadores deverão estar concentrados para o começo dos treinos para o Mundial. Com exceção do gol, onde já anunciou o titular do time (Julio César), o técnico não desestimula os candidatos a outras posições. Até no ataque, onde Fred é o mais cotado, ainda há perspectivas de mudança.
Além das laterais e das posições à frente dos zagueiros, resta ainda definir o terceiro goleiro (Cavalieri, provavelmente) e mais um zagueiro (Dedé?). Permanecem dúvidas quanto a um meia criativo ou um atacante. O meia iria brigar por um lugar no time com ninguém menos que o forçudo e prestigiado Hulk. Kaká e Lucas (PSG) estão entre os mais cotados para o caso de Felipão decidir levar mais um meia ao invés de um atacante. Robinho corre por fora, como alternativa para o ataque.
Em mais uma entrevista rica em maneirismos e frases de efeito, Felipão confirmou que falta pouco para fechar defintivamente o grupo e lançou ameaça meio esquisita. Segundo ele, jogadores que resolvam se poupar em seus clubes podem perder espaço na Seleção. Quer evitar com isso que os já quase garantidos na Copa tirem o pé e se descuidem do aspecto físico. Soa engraçado porque, ao eleger Julio César como seu titular absoluto, estimulou o goleiro a ficar vários meses sem jogar. Atualmente, no Toronto, do incipiente futebol canadense, pode-se dizer que Julio continua na prática se poupando para esperar o mundial sem maiores riscos de contusão.
unnamed (98)
Papão deve estrear reforços
Ao contrário do rival, que precisará poupar atletas na abertura do returno, o Paissandu vai a Marabá com o time titular, a fim de conquistar vitória na retomada do campeonato. Tudo se deve, claro, ao fato de o time ter feito o dever de casa na partida de ida da Copa Verde. Mazola Junior só tem problemas a resolver no setor defensivo, onde apenas Charles está apto a ser escalado. Os demais zagueiros estão fora de combate. O polivalente Pablo deve voltar, então, ao miolo da defesa.
No meio-de-campo, a situação se estabiliza com o retorno de Ricardo Capanema ao setor de proteção. É provável que, diante da ausência de Djalma, Bruninho e Pikachu, os estreantes Marcos Paraná e Jô entrem no decorrer da partida. Paraná é o mais cotado para exercer o papel de homem de ligação e Jô pode ser utilizado para formar dupla com o centroavante Lima.
Nas circunstâncias, diante de adversário reconhecidamente fraco, o Paissandu deve apresentar uma postura ofensiva, a fim de marcar afirmativamente a estreia no returno. Afinal, o clube defende o título estadual e luta para ser campeão no ano de seu centenário.
unnamed (48)
Remo é um poço de novidades
A estreia do zagueiro Rafael Andrade e a ausência de seis titulares (Max, Dadá, Val Barreto, Dadá, Alex Ruan, Levy e Eduardo Ramos) são as novidades anunciadas no Remo para o jogo de amanhã em Cametá. Compromisso menos importante que a decisão de domingo pela Copa Verde, mas ainda assim fundamental para os planos do time no segundo turno do Parazão. A hipótese de um tropeço no Parque do Bacurau pode ter impacto sobre o astral do time para a partida contra o Nacional. Apesar de jogos por competições diferentes, o elenco é o mesmo e as coisas estão interligadas.
Uma dividida no treino de ontem praticamente tirou o meia-armador Athos do jogo, causando um tremendo prejuízo para Charles Guerreiro. O técnico perde uma excelente chance de avaliar o rendimento de Athos junto ao atacante Leandro Cearense, que muitos defendem ser o titular na Arena da Amazônia, domingo. Pelas atuações recentes, Athos também é nome a ser avaliado para entrar de cara no confronto pela Copa Verde. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola) 
(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quarta-feira, 05)