Saída de Pikachu agita Papão na véspera do Re-Pa

PSCXAvai serieB-Mario Quadros

Pikachu tornou-se, mesmo sem querer, o principal assunto deste Re-Pa. E talvez nem jogue domingo. Às vésperas da partida, surgiu nesta sexta-feira a informação de que investidores irão pagar a multa rescisória de R$ 8 milhões e adquirir os direitos econômicos do jogador. O clube foi notificado pelos advogados de Pikachu sobre a iminente saída do atleta, apresentando uma carta dos investidores, datada de 14 de janeiro e estabelecendo prazo de 48 horas para depósito da quantia na conta do clube. Não ficou claro porque só nesta sexta-feira, 10 dias depois da emissão do documento, os advogados do jogador procuraram o Paissandu.

A diretoria reagiu informando que o jogador tem contrato a cumprir até dezembro de 2014 e sua liberação está condicionada ao pagamento da multa rescisória. Ao mesmo tempo, o diretor do departamento jurídico do clube, Alberto Maia, criticou a atitude de Pikachu, que se despediu do técnico Mazola Junior e dos demais companheiros, dando a entender que não pretende disputar o Re-Pa. O advogado considerou que houve precipitação por parte de Pikachu e explicou que há um contrato em vigor. Disse ainda que o jogador já foi alertado a esse respeito.

Cogitado para deixar o Paissandu desde 2012, quando chegou a ser negociado pelo então presidente Luís Omar Pinheiro, pela quantia de R$ 700 mil (até hoje não recebida pelo Paissandu), o jogador se destacou na Série B do ano passado e despertou o interesse de vários clubes da Primeira Divisão. Palmeiras, Internacional, Sport, Atlético-PR e Goiás manifestaram a intenção de contratá-lo, mas só os dois últimos apresentaram propostas oficiais, ambas por empréstimo. O Paissandu não aceitou as ofertas, mas Pikachu deixou claro que pretendia sair.

“Acho que o atleta deveria falar conosco, informar que seria feito esse procedimento. Mas não, contratou advogados para comunicar ao Paysandu o seu interesse em sair do clube, e de uma forma que a gente lamenta, um momento que não seria oportuno. Estamos às vésperas de um clássico, e lamentavelmente o atleta está demonstrando desta forma que neste momento não pensa no Paissandu Esporte Clube, ele não está pensando em cumprir o contrato dele com o clube”, afirmou o advogado Alberto Maia, em entrevista ao repórter Dinho Menezes, da Rádio Clube. (Foto: MÁRIO QUADROS/Bola) 

Enfim, um repórter sortudo

Sharapas

Como você se sentiria se recebesse uma cantada de Maria Sharapova? Poucas pessoas tiveram tal privilégio até hoje, mas um jornalista australiano tirou a sorte grande, foi “xavecado” pela musa russa no Aberto da Austrália e, até agora, não acredita direito no que aconteceu. O “clima” surgiu durante a entrevista coletiva da tenista após a derrota para Dominika Cibulkova no Aberto da Austrália. O repórter Lachlan Wills perguntou quanto tempo Sharapova levaria para esquecer a eliminação. A resposta da musa foi surpreendente.

“Você tem muita autoestima quando fala, é muito legal”, disparou a musa. “Qual a pergunta mesmo? Eu estava te admirando”. Completamente atordoado, Wills respondeu um: “Eu estava te admirando também”. O flerte ganhou repercussão mundial e o jornalista passou a ser procurado para explicar o momento. Recuperado, Wills participou de um programa de televisão e definiu a situação como “surreal”.

“Foi fantástico. Eu estava olhando como ela é linda, maravilhosa, glamurosa e loira. Eu estava olhando e ela olhou para mim e eu não podia acreditar que ela estava olhando para mim. Foi muito surreal”, disse. Bem mais solto do que na hora em que levou a cantada, o jornalista, que afirmou estar solteiro, aproveitou a participação na TV para deixar um recado em russo para a musa.

“Maria, você é muito linda. E eu adoraria que você passasse seu número de telefone”, disparou. Resta saber como o búlgaro Grigor Dimitrov, namorado de Maria Sharapova vai reagir ao lado “saidinho” da musa. (Do UOL Esportes) 

Remo oferece venda on-line de ingressos

Consciente da força de sua torcida, que já proporcionou um total de 31 mil espectadores nas primeiras rodadas do Parazão 2014, a diretoria do Remo disponibilizou a venda on-line para o clássico de domingo. Para comprar o ingresso, o torcedor deve acessar o link: http://ticketsbelem.showdeingressos.com.br/remo-x-paysandu. Para formalizar a compra, o torcedor deve escolher seu ingresso e a quantidade, informando nome completo e e-mail válido. Em seguida, escolhe a forma de pagamento (cartão de crédito, boleto bancário ou débito bancário), informar CPF e RG e esperar a confirmação da compra. Por fim, deve imprimir o voucher de comprovação. As vendas no cartão de crédito podem ser feitas em até nove vezes. Para retirar os ingressos, o torcedor deve apresentar nos postos de troca o comprovante de compra e um documento de identificação  nos postos de troca.

Locais e horários dos postos de troca:

– Sexta-feira (24), de 9h às 19h; e sábado (25), de  9h às 18h, na sala da presidência da Sede Social do Clube do Remo (avenida Nazaré, 962);

– Domingo (26), a partir das 12h, no portão B3 do Mangueirão. 

Rolezinho em Barcelona

Por Gerson Nogueira

unnamed (62)Quem acompanha futebol, mesmo à distância segura, sabe o quanto são nebulosos os negócios envolvendo venda ou empréstimo de jogadores. O rolo em torno da contratação de Neymar pelo Barcelona, que sacudiu os alicerces administrativos do grande clube catalão, é mais uma evidência dos atalhos obscuros que dominam o mercado da bola.

Chama atenção que nem mesmo uma potência como o Barcelona esteja imune às gambiarras contábeis. Só não surpreende o fato de Sandro Rossell estar envolvido na história. Desde os tempos de Ricardo Teixeira como sumo-sacerdote do futebol brasileiro, o dirigente espanhol já fazia das suas, com participação em jogadas com a CBF até hoje mal explicadas.

Por outro lado, a queda de Rossell, oficializada ontem, comprova também que existem clubes sérios, com acionistas e conselheiros que exercem seu papel. Assim que a denúncia sobre irregularidades na aquisição de Neymar foi publicada pelo jornal El Mundo, o clube cobrou explicações de seu presidente. Rossell passou de imediato à condição de suspeito. Sem argumentos para refutar as acusações, viu-se obrigado a renunciar.

Nem precisa dizer que, caso fosse no Brasil, a história rapidamente ganharia outros contornos e ginásticas para livrar a cara dos culpados. Em poucos dias, ninguém falaria mais no assunto, tal a rapidez com que escândalos se revezam no noticiário. Tem sido assim desde que o futebol aportou por aqui trazido pelos estudantes ingleses.

Além da providência por parte dos sócios do Barcelona, a notícia motivou ação imediata por parte das autoridades espanholas. Assim, o juiz Pablo Ruz aceitou denúncia contra Sandro Rossell pelo suposto crime de apropriação indébita na contratação do atacante Neymar. Ainda não convocado a depor, o dirigente nega qualquer prática ilícita.

Reforço mais cintilante do Barça na temporada, Neymar foi contratado por 57,1 milhões de euros. Ocorre que, por desconfiança de um sócio do clube, veio à tona a informação de que o negócio teria sido bem mais caro – pelo menos 38 milhões de euros acima da quantia oficial, destinados supostamente a uma empresa do pai do atacante.

A grana não declarada precisa ser justificada pelo agora ex-presidente Rossell aos sócios do clube e à Justiça. Ministério Público espanhol pediu neste mês uma investigação sobre o pagamento de 40 milhões de euros a uma empresa do pai de Neymar.

A dúvida é se o Santos e a Justiça brasileira terão a mesma presteza em apurar as responsabilidades fiscais dos representantes do jogador. Pela tradição brazuca, com inúmeros exemplos de negócios esquisitos beneficiando cartolas e investidores, é bom esperar sentado.

———————————————————-

Ingressos de alto risco

Torcedores de Remo e Paissandu informam à coluna sobre a fragilidade dos ingressos colocados à venda para o clássico de domingo. O cartão de plástico é simplório, aparentemente feito em fundo de quintal e contendo uma tarja que não funciona como garantia de segurança. O risco de falsificação é imenso e há o temor justificado de que os clubes acabem prejudicados na arrecadação.

No domingo passado, por ocasião do jogo Remo x Santa Cruz no estádio Mangueirão, o cartão magnético era de melhor qualidade, mas as catracas eletrônicas do estádio não estavam funcionando. Com isso, no portão de entrada os cartões eram inutilizados a tesouradas.

Os sócios torcedores do Remo foram orientados a usarem a carteira do Nação Azul, mas no Paissandu todos devem adquirir o ingresso meia-sola. Vale dizer que, anteontem, na Curuzu, cambistas vendiam ingressos até pela metade do valor oficial (R$ 30,00). Das duas, uma: ou o ingresso era falso ou era vendido por pessoas ligadas ao clube.

———————————————————-

CFC em defesa do torcedor

O grupo Consenso Futebol Clube (CFC), formado por desportistas paraenses de origens diversas, começa a atuar efetivamente nos próximos dias. O objetivo é lutar pela transparência nas práticas que envolvem o futebol, acompanhando criticamente as gestões e propondo ideias para melhorar a vida dos clubes, sempre em benefício do torcedor paraense. O CFC tem Inocêncio Mártires Coelho como presidente e Hiran Lobo como vice, à frente de pelo menos 20 associados e simpatizantes da causa, entre os quais este escriba baionense.

Uma das primeiras ações do grupo foi se solidarizar e manifestar sentimento de pesar à família de João Bentes Garcia, torcedor do São Francisco que morreu em consequência de infarto durante o jogo de anteontem contra o Remo, em Santarém.

Página do CFC no Facebook: https://www.facebook.com/pages/SOS-Torcedor/1384310328497810?hc_location=timeline

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 24)

Férias de “interesse público” em Paris

images-cms-image-000353691

De Brasil247

De férias na França, com diárias pagas pela União, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, aproveitou para fazer compras numa galeria de luxo em Paris, onde desfilam grifes como Prada, Fendi e Bottega Veneta; o fato de ser pago pelos contribuintes para desfrutar “la vie en rose” é, segundo Barbosa, uma “tremenda bobagem”; indagado sobre o interesse público das diárias, ele respondeu: “O interesse público é esse que vocês estão vendo, eu sou o presidente de um dos poderes da República”

Deve-se ao fotógrafo Luiz Azevedo, do Estado de S. Paulo, o registro de uma cena à qual se aplica o clichê: uma imagem vale por mil palavras. A cena em questão é do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, numa galeria de luxo em Paris, onde desfilam grifes como Fendi, Prada e Bottega Veneta. Com seu elegante chapéu e um terno bem cortado, risca de giz, Barbosa passa pelo caixa. A vendedora parece espantada com a compra. E Barbosa a olha com um certo ar de superioridade.

Como se sabe, o chefe do Poder Judiciário está de férias em Paris. Lá, recebe diárias de R$ 14 mil, só justificadas pelo Supremo Tribunal Federal depois que o repórter Felipe Recondo, do Estado de S. Paulo, a quem Barbosa mandou “chafurdar no lixo”, revelou a mordomia.

Indagado sobre o interesse público das diárias, Barbosa afirmou que o caso não passa de uma “tremenda bobagem”. Disse mais:  “O interesse público é esse que vocês estão vendo, eu sou o presidente de um dos poderes da República”. Barbosa se vê como uma espécie de rei do Brasil, ou, quem sabe, como uma versão moderna do monarca Luís XIV, a quem se atribui a frase “L’état c’est moi”, “o Estado sou eu”. Ele pode tudo. E talvez ele tenha razão: “O interesse público é esse que vocês estão vendo”.

Pior que a pesporrência do Torquemada do Supremo é a tácita aceitação de seu autoritarismo por uma parcela dita instruída da sociedade brasileira. 

Consenso se solidariza com família de torcedor

cfc logoEm nota divulgada nesta quinta-feira, o Consenso Futebol Clube (CFC) se manifestou sobre a morte do torcedor João Bentes Garcia, vítima de infarto, durante a partida entre São Francisco e Remo, no estádio Barbalhão:

“O Consenso Futebol Clube se solidariza com os familiares do Torcedor do São Francisco, João Bentes Garcia, de 55 anos, vitima de um infarto fulminante na decorrência do jogo entre São Francisco e Clube do Remo no último dia 22/01/2014, em Santarém.
O Consenso, entidade que está sendo criada visando a defesa dos interesses do TORCEDOR PARAENSE, lamenta o ocorrido, reconhecendo que as providências foram tomadas, mas insuficientes para evitar o óbito. O SOS Torcedor conforta os familiares do torcedor e externa à sociedade seu mais profundo pesar.
Diretoria CFC/SOS Torcedor.
Hiran Lobo Júnior
Vice Presidente. “